História Beta - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~Beta7

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Alfa, Beta, Jikook, Ômega, Taeyoonseok
Exibições 529
Palavras 1.204
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Suspense, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


É, eu e a ~Beta7 combinamos que se fechasse 100 favoritos postariamos mais um capítulo.. ta quase lá, mas a menina ta pulando de ansiedade 😂

Agradeçam muito a ela pela bondade que ela tem de betar os capítulos e querer que vocês leiam logo KKK

Capítulo 3 - Não sou um ômega desprotegido


Fanfic / Fanfiction Beta - Capítulo 3 - Não sou um ômega desprotegido

Jeon JungKook (Ponto de Vista)

Uma vez o dia chuvoso nos prendeu em casa e decidimos ver um filme. Estávamos na sala reunidos, eu e Jimin víamos as opções de onde ver enquanto Hoseok estava com Tae em suas costas discutindo com Yoongi sobre o gênero do filme.

– Terror ou suspense. – Yoongi dizia de braços cruzados sentado em uma poltrona.

– Comédia! – Hoseok segurava Tae estando em pé em frente a poltrona. – Nem todos conseguem ver um filme assustador. – ouvimos trovões. – Ainda mais com esse tempo bonito pra ajudar.

– Resumindo: você. – Yoongi o encarava.

– Fique tranquilo, Hobi, estou aqui. Vou proteger você. – Tae disse fazendo um Aegyo estranho nos causando um certo desconforto e beijou o rosto de Hobi.

– Obrigado, TaeTae. – Hoseok disse rapidamente e tomou fôlego para continuar suas argumentações com Yoongi, mas foi interrompido.

– Seu mascote vai te proteger. Pode ver o filme agora. – o loiro sorriu sínico.

– Não me chame de mascote. – Tae rosnou.

– Só falta a coleira para passear. – Min riu sem muito humor enquanto encarava o outro alfa.

Eu e o Park desistimos em algum momento de procurar em que ferramenta iriamos ver o filme e observamos Hoseok ficar tenso com a discussão.

– Isso vai dar merda. – Park sussurrou rindo em seguida.

– Qual o problema deles? – Perguntei rindo junto.

Jimin balançou a cabeça informando que não sabia e esperamos para ver que fim daria aquilo. As luzes da sala se apagaram e a enorme TV acendeu. Olhei para o sofá e Jin sentava-se com uma xícara de algo que cheirava chocolate quente em mãos e um controle na outra.

– Vamos ver algo dramático, romântico, com final feliz e pronto. – O mais velho anunciou. Eu e Jimin rimos enquanto nos ajeitamos no sofá logo depois já que não adiantaria protestar contra o general SeokJin. Os outros três iam falar algo, mas quando Jin interrompeu a xicara que ia até seus lábios e os encarou com o olhar de “Não me opunha” eles ficaram quietos. – Bons meninos, assistam o filme calados. 

Yoongi logo dormiu. Hope tinha um bico gigante nos lábios, Tae havia se aninhado junto a Jin e reagiram ao filme de forma igual. Jimin aproveitou o espaço e deitou-se apoiando a cabeça em meu colo.

Cochilei em muitos momentos do filme. Ao fim não sabia se levantava e deixava Jimin ali ou acordava o moreno para ele ir para a cama. Hoseok levantou e sumiu voltando com um cobertor e arrumando a poltrona de Yoongi mais inclinada e o cobriu. Tentei me levantar devagar, mas Jimin agarrou minha perna. Bufei.
Voltei a sentar, esperei ele relaxar. Com cuidado passei meus braços por debaixo dele. Na hora de levantar senti alguns músculos das costas e pescoço reclamarem me trazendo uma dor gigantesca. Provavelmente isso iria doer a noite toda, senão por dias. Amaldiçoei o moreno por isso. Subi com ele para seu quarto o colocando na cama. Quando sai tentei puxar a porta devagar sem muito barulho, porém, quanto mais silêncio se quer menos se tem. Jimin se remexeu e acabou acordando, sentou na cama enquanto coçava os olhos e bocejava.

– Obrigado por me trazer, Kookie. – sua voz sonolenta parecia a de uma criança.

– Disponha, mas não faça mais isso. Foi difícil pegar você no colo estando sentado, provavelmente alguns músculos meus irão reclamar. – ri fraco a voltava a fechar a porta.

– Tem um creme no banheiro para contusões. Pode pegar. – ele disse parecendo envergonhado.

– Vá dormir, Jiminnie. – não entendi bem sua reação, mas não quis perturbá-lo.

– Só pegue de uma vez. – bufou.

Entrei novamente no quarto indo ao banheiro, demorei um pouco para encontrar o creme. Voltei com ele na mão e mostrei a Jimin que me chamou com um gesto de mão e pegou o creme.

– Onde dói? – perguntou ainda um pouco sonolento.

– Deixe que eu passo, pode voltar a dormir. – fiquei um pouco nervoso.

– Não tenha vergonha de mim. Só diga e aceite que eu cuide de você. – ficamos nos olhando pelo que pareceu longos minutos, suspirei.

– Trapézio e lombar. – disse ainda um pouco travado no lugar.

– Só tire a camisa e deite, Kook. – murmurou enquanto abria o creme colocando um pouco em suas mãos ficando de joelhos na cama.

– Aish! – tirei rapidamente minha camisa e deitei sem pensar muito, não queria que ele ficasse me encarando.

Senti os joelhos de Jimin se aproximarem e logo um peso sobre minha bunda. Eu não acreditei que ele estava fazendo isso. Era constrangedor. Tentei esconder meu rosto nos lençóis, mas quanto suas mãos deslizaram o creme da minha lombar até meu pescoço soltei um gemido de alívio involuntário. Quando me toquei do que havia feito quis sair, mas o moreno colocou seu peso sobre minhas costas apoiando suas mãos.

– Fique parado, desgraça. – acabamos rindo com seu jeito mal educado.

– Olha a boca. – disse lateralizando a cabeça. – Só... – Não conseguia completar aquela frase.

– Está com vergonha? – perguntou e apenas concordei. – Fique tranquilo, Kook, se um dia quiser algo com você prometo avisar antes de fazer qualquer coisa. – riu me fazendo acompanhá-lo com a promessa idiota. – E essa é uma técnica de sedução bem fajuta, só pra constar.

Rimos enquanto ele espalhava e massageava com cuidado os músculos que havia lhe dito antes. Aproveitei a sensação boa. Só minha mãe me tocava assim e, por mais que parecesse estranho, eu me sentia à vontade com ele.

– Jimin. – chamei sua atenção ganhando um “hum”. – Porque tem esse creme no seu banheiro se você não faz exercícios?

– Como é ruim deixar alguém te conhecer... – ele sorriu e suspirou, logo depois encerrando a sua atividade. – Não se levante ainda se quer uma resposta. Não saberia te contar isso olhando pra você. – houve uma pausa em sua fala e me mantive no lugar. – Meu pai fica um pouco exaltado às vezes. Então depois de algumas vezes esse creme começou a aparecer em meu banheiro, talvez os empregados tenham um pouco de pena de mim.

Devagar me levantei esquecendo completamente que estava sem camisa e o olhei um pouco espantado. Senti raiva, compaixão e um pouco de tristeza. Jimin já havia me dito que seu pai era rígido, mas não desta maneira. Enquanto o olhava ele não levantou o olhar do pote em suas mãos, não sabia o que dizer e o silêncio se fez presente. Ele sorriu e me olhou querendo demonstrar que estava tudo bem.

– Vou fazer academia com Jin Hyung e se seu pai fizer isso de novo estarei forte o suficiente para socar a cara dele. – saiu tão automático e assustado que Jimin levou a mão ao rosto se jogando deitado na cama rindo logo em seguida.

– E em 48 horas o resort dos seus pais não irá existir mais. – disse entre risos.

– Planejarei melhor isso então. – ele me olhou com um sorriso, agora sincero, e sorri para ele.

– Não sou um ômega desprotegido, Kook. Não me faça me sentir como um. -  sua voz calma disse isso sem ofensas aparente apenas brincando. – Mas, obrigado. Chamarei meu amigo beta futuro musculoso se precisar.

Joguei o travesseiro nele saindo da cama e colocando minha camisa novamente. Ele ainda ria deitado na cama.

– Boa noite, Jiminnie. – disse saindo do quarto e mostrando o dedo do meio para ele que desencadeou mais risadas. Aish, esse Hyung...
 


Notas Finais


Como sempre a May merece os agradecimentos por tanto me apoiar e ajudar nessa fic !

NÃO SE ACOSTUMEM A TANTA MAMATA! 😂

Vou endurecer o coraçãozinho dessa co-autora o quanto antes pra vocês sofrerem por capítulo rs não, mentira!

O que acharam?? Somos curiosas com a opinião de vocês. Comentem!

Obrigada por favoritarem e por lerem nossas idéias diferentonas ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...