História Beta - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~Beta7

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Alfa, Beta, Jikook, Ômega, Taeyoonseok
Exibições 530
Palavras 2.321
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Suspense, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


É, vocês conquistaram a ~Beta7 u_u

Estamos loucas com tantas pessoas gostando dessa ideia nova de ABO.

Capítulo 4 - É pior do que eu pensava


Fanfic / Fanfiction Beta - Capítulo 4 - É pior do que eu pensava

(Narrativa na terceira pessoa)

Jungkook estava correndo com Jimin e Taehyung pelo corredor, estavam atrasados para a aula e internamente desejavam que o professor caísse de alguma escada ou tivesse tido alguma indisposição intestinal. Preferiam uma desgraça maior ao próximo do que levarem bronca por terem clandestinamente recebido os amigos no dormitório e ficado madrugada adentro falando besteiras e fazendo brincadeiras.

O único que não havia se atrasado era Yoongi que dormiu antes deles e havia saído do quarto sem sequer se preocupar com os amigos. Hobi os acordou aos gritos desesperados, achavam até que estavam um pouco surdos aquela manhã. Perderam o café da manhã o que os deixou aborrecidos.

– Eu juro que vou matar aquele alfa! – Tae gritou fazendo os outros rirem.

– Não nos deixe de fora. – Jimin lançou um olhar cúmplice.

– Não me metam nessa! – Jungkook declarou.

Pararam em frente a sala com exclamações de alívio quando não viram o professor. Hoseok e Yoongi estudavam em sala diferente das deles, estavam um ano à frente do trio. Já havia se passado dois meses de aulas e o grupo fazia um certo sucesso na escola. Três alfas totalmente diferentes um do outro, um ômega e um beta. Tudo bem que eles não faziam muito silêncio quando estavam juntos e acabavam realmente chamando atenção, mas também faziam sucesso com pretendentes.

Acomodaram-se em seus lugares e recuperaram o fôlego esperando pelo professor. Jimin se virou para trás olhando seu amigo que riu o fazendo ficar curioso.

– Jimin, me lembre de nunca mais ceder às suas idéias. – Kook ria do amigo que estava com o uniforme todo torto e levou os dedos à gola da camisa social a levantando-a e puxando a gravata desfazendo o nó e voltando a fazer. Jimin olhava para o semblante do amigo concentrado e sentiu seu coração acelerar, e isso lhe era estranho. Seu pai apenas lhe dizia que quando se apaixonasse o cheiro do ômega iria lhe prender como se estivesse algemado e sua mãe apenas concordava sorrindo. Mas Jeon era um beta, e constantemente ele vinha se sentindo desconfortável ao lado do amigo e não cogitava se afastar pois a ideia lhe parecia muito pior.

– Jimin! – Jungkook estalava os dedos na frente de seu rosto fazendo-o piscar algumas vezes. – OMO! Você ouviu alguma coisa?

– Não, o quê? O professor .. – Jimin virou-se ficando tenso.

Ele não queria que os professores o tirassem daquele lugar, estava se comportando como nunca em frente aos funcionários da escola para poder ficar mais perto de Jungkook e só a menção de um professor bravo consigo o deixava preocupado. Mas não havia professor na sala. Tae começou a rir e logo Kook escondeu seu rosto rindo do amigo também. Jimin olhou para Tae que estava sentado em cima de sua carteira ao lado dos dois.
– Éh! Jiminnie estava distraído . – disse enfiando uma bala de goma em forma de urso na boca.

– Cale a boca, TaeTae. – Jimin provocou pronunciando o apelido que Hope havia dado ao amigo que fechou o semblante na mesma hora.

– Calminha, calminha... precisam dar uma voltinha pra pegar ar ? – Kook perguntou bufando com essa constante briguinha deles. – Nosso professor está doente, temos a manhã livre. – Cruzou os braços recostando-se na cadeira. – Que tal irmos comer algo? Estou faminto. 

– Estou bem. – Tae levantou um pequeno saco com as bala de goma.

– Onde conseguiu isso? – Jimin perguntou.
Tae sorriu, olhou para o lado encontrando uma ômega da sala dele os observando e piscou para a menina que ficou vermelha e desviou o olhar. Jungkook mordeu o lábios para não rir, Jimin sorriu traiçoeiro.

– Deixe Hoseok saber ou chegar aos ouvidos de Yoongi. Você vai estar ferrado. Aposto até que eles aparecem na porta te esperando para te abater. – Jimin o olhava ameaçando.

– Claro! Ai eu volto dos mortos e assombro seus sonhos pegando o que você deseja secretamente. – Tae o encarou dando uma piscadinha.

Jungkook se levantou cansado daquelas provocações que ele não entendia dos amigos e se dirigiu para a porta, caminhava sozinho no corredor, porém, logo sentiu os dois amigos o seguindo. Ambos se estapeavam e xingavam ainda, todavia logo parariam com aquilo. Era apenas mau humor da manhã agitada e sem refeição, assim Jeon Jungkook achava.


                                {β}



Haviam conseguido sanduíches para matar a fome e sobreviverem até o almoço e, como teriam a manhã livre, decidiram ir para o ginásio coberto da escola e acomodaram-se no topo da arquibancada devorando seus lanches, a conversa fluiu naturalmente como sempre entre eles e logo as risadas estavam presentes entre as diversas brincadeiras e piadas.

Havia uma turma mais avançada que a deles em sua aulas práticas de exercícios ou módulos esportivos abaixo. Mas isso não os distraia, tanto que não notaram Sun Hee, uma das meninas mais populares da escola se aproximar deles em seu uniforme curto mostrando suas longas pernas claras e com os cabelos longos castanhos claros quase cobres jogados em um ombro. A menina fez uma reverência os cumprimentando e timidamente estendeu um envelope perfumado para Park.

– Leia quando sair, por favor. Ficarei com muita vergonha se o fizer agora. – os meninos a viram ficar vermelha.

Park não se mexia então Jungkook cutucou-o discretamente fazendo o mesmo alcançar o envelope e levantar-se fazendo a reverência educadamente.

– O-Ok. – Jimin sorriu um pouco desnorteado.

Assim que a menina de retirou voltando para sua turma Taehyung não segurou sua personalidade e soltou um “WOOOOW”. Jungkook ria para o amigo que sentava encarando aquele envelope. Jimin não sabia o que fazer. Já havia recebido cartas e declarações, mas nada assim pessoalmente.

– Abra! – Tae mostrava-se animado com o que estava acontecendo.

– Ela pediu pra não abrir aqui. – o moreno o fuzilou com os olhos.

– Jimin, o cavalheiro. – o beta zombou. – Vamos sair do ginásio então.

– Não é pra vocês isso. – balançou o envelope.

– Deixe de frescura. Ou nos conta ou te torturamos. – Tae mostrou as garras com menção a fazer cócegas no outro alfa.

– Sei de algo melhor. – Kook se vangloriou tendo a atenção do amigos. Puxou o celular do bolso desbloqueado a tela e indo para sua agenda de contatos. – Vou ligar para Jin Hyung e contar...

Jimin pulou no amigo tentando pegar o celular, mas Kook foi mais rápido levantando o aparelho e deixando-o longe.

– Você está louco!? – ainda tentava buscar o aparelho. – É capaz de ele vir antes só para conhecer a menina, me casar, bater fotos, criar um álbum, talvez até um altar... – Jeon ria do desespero do outro. – E isso sem me perguntar se eu quero!

– Jiminnie Oppa – Kook disse com voz fininha querendo imitar uma garota.

Park o olhou feio, mas algo fez o alfa travar, ele notou que estava praticamente deitado sobre o beta enquanto discutiam e a situação repentina o fez sentir seu sangue ferver. Ele voltou a posição de antes sentindo seu rosto esquentar e desviou os olhos dos amigos.

– Façam o que quiserem. – Disse sério tentando disfarçar seu constrangimento.

– MEU DEUS! – Tae disse alto se contorcendo de tanto rir. – Jimin! Sorte sua que a pessoa em questão é burra como uma porta.

– Cale a boca, Tae! – o alfa encarou o outro apertando os dentes.

– Aish! Vocês dois vão começar com essa discussão que eu nunca entendo? Vou ir para academia então e deixar que se mordam ai...

Jeon olhava de um para o outro. Tae sorria, Jimin apertava o maxilar e ele estava estressado e confuso. Então o mais novo se levantou cansado da situação fazendo juz ai que disse.

– Vai para a academia ? – Tae perguntou.

– Vou. – Jeon nem olhou para tras.

– Nos encontramos lá então. – Tae sorriu o Jimin o olhou.

Os dois alfas viram o beta se retirar em silêncio. Jimin voltou a encarar Tae que recostou-se na parede sorrindo, suspirou e olhou o amigo.

– Como sabe? – Foi a pergunta de Jimin.

– É notável. Mas ainda é confuso pra você, certo? – Tae tinha um tom reconfortante.

– Notável... Exatamente o que eu não queria ouvir.  – apoiou seu cotovelo no joelho e depois  a cabeça em suas mãos.

– Ele não vai perceber, parece viver em outro mundo. – Tae riu soprado.

– Ele acha que ninguém irá gostar dele. – suspirou fechando os olhos. – E logo eu tenho que ser esse alguém.

– Arrependido?

– Confuso, bagunçado, envergonhado, desesperado. Arrependido não. – Olhou o amigo. – Ainda não tenho certeza sobre o que sinto. Quer dizer...

– Você o apoia, conhecem seus segredos, seus medos, suas inseguranças e achou que ia ser o amigo que o empurraria para arriscar na vida. Mas de repente você quem é o risco na vida dele. – Tae levou a cabeça para trás, olhando o teto deixando de forma vaga. – Ficar perto é como um martírio, mas se afastar é como o inferno. Então a cada movimento muscular da face, braços, pernas ou até das malditas costas largas você se vê mais sentenciado.

– Tae ? – Jimin sorriu cumplice e o amigo o olhou.

– É amigo... Estamos ferrados.- Os dois riram um pouco. – Eu só estou um pouco mais que você.

– Como assim ? – Jimin ficou curioso.

– Você sente isso por um. Eu tenho um Alfa como colega de quarto que me preenche os olhos e um ômega que chama atenção da escola inteira. – Tae levou a mão até seus fios apertando-os. – Vou enlouquecer.

Jimin riu abertamente do alfa ao seu lado.

– Então essa marra toda com Yoongi é uma paixão enrustida. – Acusou.

– Ele fica tirando a atenção do meu ômega, garoto, não vou deixar barato. – Tae brincou ficando falsamente indignado fazendo ambos rirem novamente.

– Quem ia imaginar!? – Park balançava a cabeça.

– Sou um bom ator. – Tae levantou colocando as mãos no bolso do blaser do uniforme e cutucou o outro com o pé. – Vamos, Kook já deve estar chegando na academia.

– Ah! Péssima idéia. – reclamou se levantando. – Eu já o vi malhar, e foi justamente por esse motivo que escolhi ir à academia em um horário diferente.

Eles estavam descendo a arquibancada, Tae deu passos largos ficando em frente ao amigo e curvando seu tronco o olhando de baixo.

– Resista a carne,meu amigo, aprenda com o mestre! – E saiu com a cabeça erguida.

– “Estou ferrado” é muito leve tendo você como amigo, Tae. Me sinto fodido sem ter nem experimentado do pecado...

– Vamos ler essa carta! – Eles haviam acabado de chagar ao corredor.

– Deve ser mais uma declaração. As vezes acho que elas se declaram para o meu pai e o dinheiro dele. – bufou.

Jimin nunca gostou das confissões que recebia porque, geralmente, as meninas nem o conheciam ou haviam conversado consigo, então tomava como sentimentos superficiais. Achava que isso faria com que se afastassem dele, mas parecia que acabava incentivando para ver se alguma seria capaz de prender Park Jimin, e para o alfa era tudo uma completa besteira já que ele nem mesmo havia passado pelo primeiro cio, assim como Tae. Mas este não dispensava as oportunidades que a vida lhe dava então já havia tido sua gama de curtos relacionamentos. Porém, após conhecer Hoseok e perceber que poderia ter muito mais do que uns amassos, e ter seu coração bombeando sangue rapidamente com a adrenalina, entendeu o que era amizade.

Era pouco tempo para aquele alfa com o pequeno grupo, mas tinha certeza que faria qualquer coisa para defender aqueles meninos idiotas. Poucos tinham noção do que Kim Taehyung era capaz de fazer quando estava com raiva…


                                 {β}

Os dois caminharam lado a lado para o andar da academia. Jimin se sentia nervoso a cada passo, Tae estava tranquilo se divertindo internamente com as feições que via de Jimin .

– O poder de nossos pais atrapalha um pouco, mas é um fardo que carregamos e só iremos nos livrar quando formos independentes. – Tae se pronunciou.

– Meu pai pode até me acorrentar em casa para não me deixa viver minha própria vida.

– Terá uma solução, Jimin. Ainda somos jovens, não pense sobre isso. – colocou as mão atrás da cabeça.

– Quando achar uma para você, por favor, compartilhe. – Jimin revirou os olhos.

– Tenho certeza que não poderá usar a minha. – sorriu um pouco sombrio.

Jimin ia perguntar, mas se viu de frente para as porta de vidro da academia, já enxergando os aparelhos. Ele parou, perdendo toda vontade de entrar naquela sala. O castanho o olhava meio confuso.

– Vamos, entre. – disse empurrando o Park.

– Não, vou para o dormitório. Vejo vocês a tarde. – Jimin virou e Tae agarrou seu braço, puxando-o.

As portas de vidro automáticas abriram e Tae arrastou Jimin para dentro e jogando o mesmo em um dos aparelhos.

– Pretende contar pra ele? – o encarou o outro que estava paralisado – Então não o evite assim que logo ele volta do mundo da lua e vai notar sua atitude estranha.

– Acho difícil. – disse convicto.

– Também acho, mas quero ver como você reage. – Tae sorriu

– E eu achando que você estava virando um bom amigo...

– Era brincadeira, babaca. – bufou. – Vamos ver se ele sente ciúmes da sua carta. Deixe de ser lerdo, Park.

Jimin não havia pensado nisso. Talvez fosse realmente uma boa idéia estar ali, uma ideia um pouco sofrida e difícil de lidar, mas uma boa ideia.

– Ah! Não espere isso de Jimin. – Assustaram-se com a voz de Kook entrando repentinamente na conversa.

O beta estava com uma toalha no pescoço pingando suor, a blusa branca grudava em sua pele em alguma partes, as luvas em suas mãos sendo ajustadas pelo mesmo com os dentes. Jimin engoliu sentindo o sabor amargo da decepção de achar aquilo uma boa idéia.

– E porque acha isso Kook? – TaeHyung sorriu de canto.

– Porque eu conheço esse hyung e ele não vê as coisas que estão bem na frente dele. – Kook enxugou o rosto interrompendo a frase e fazendo o coração de Jimin acelerar em expectativa. – Ele vive perdendo as coisa dentro do próprio dormitório. – e riu nasalado.

Para o alfa foi como ganhar um banho gelado, já para Tae uma piada muito engraçada. O Park suspirou balançando a cabeça se sentindo idiota.

É pior do que eu pensava... – Tae disse disfarçando.


Notas Finais


Então, sem muita a dizer só rir 😂

Obrigada por lerem!❤❤

Estamos muito empolgadas com a história e esperamos que todos gostem. Vocês vão me enlouquecer de escrever, mas tudo bem rs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...