História Better Love - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alexandre Nero, Giovana Antonelli
Visualizações 128
Palavras 2.877
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem a demorinha hahah
Tenham uma ótima leitura!!! O capítulo esta super grandinho e cheio de diálogos e surpresas para vocês hahahah espero que gostem!

Capítulo 31 - Destino maluco.



    Levemente inconsciente, levemente embriagada de amor. Não sentia nada além do grande êxtase percorrendo suas veias, seu corpo esparramado na cama, o calor de Nero ao seu lado, e toda a luz do sol que os iluminava naquele início de tarde. 

 

- Gio. - sentiu o calor dos lábios finos do moreno em seu ombro. Sentia a preocupação em seu suspirar, em seu acariciar de mãos, era aquele o homem que amava. 
 

- Hm... - gemeu sem forças, aos poucos sentia seus olhos pesados criarem um pouco mais de vontade, porém seu corpo, precisaria de alguns 5 minutos a mais. 
 

- Você desmaiou. - o sentiu a puxar para cima, deitando em seu peito quente, a saudade de momentos como aquele eram imensas, quantas noites não dormiu ao seu lado sentindo suas carícias pelas costas, ou seus beijos por seu colo, seu cafuné lento e recheado de carinho. - ...não faça isso... me deixa morrendo de preocupação... - como se fosse ela que mandasse em como seu corpo reagiria a ele, abriu apenas um sorriso, um sorriso que dizia tudo por sí só. 
 

- Estou bem. - a voz rouca arrastava as palavras na mistura do carioca com a lentidão de suas respostas. Com um pouquinho de manha, se ajeitou em seu pescoço, abrindo os olhos ao respirar e inspirar fundo toda a atmosfera daquele quarto mágico. - Mais do que bem eu diria. - beijou seu pescoço o vendo se afastar com uma leve cócega. 
 

- Uhum... - sorriu largo virando o rosto para poder enfim a encarar, beijando seus lábios ainda a tendo presa em seus olhos, ainda a tendo presa em seus braços, em sua vida. 
 

- Canta pra mim... - era a coisa da qual mais sentiu falta, momentos como aquele, em que apenas os dois importavam, deitados em algum lugar com ele a acariciando e cantando baixinho enquanto ela apenas se deitava sobre ele para escutar o que quer que fosse, mas que fosse dele. 
 

- Queria cantar para você a tarde e a noite inteira... enquanto fazemos amor, varias e varias vezes... - sorriu se pondo sobre ela outra vez, abraçando seu corpo e beijando seus lábios com leveza, acariciando sua língua. - Mas, infelizmente... já fomos gritados e solicitados mais do que pude contar. - a viu sorrir negando enquanto levava as mãos aos cabelos os colocando para trás sobre o travesseiro, a amava ate mesmo nos gestos mais simples. 
 

- Então vamos... - ainda com um sorriso largo nos lábios o sentiu a beijar, saindo de cima da morena em seguida. Estava tudo muito bom, todos os momentos daquela manhã e daquele dia que ficaria marcado para sempre, mesmo que seus destinos seguissem caminhos diferentes. - Te amo. - não podia deixar de dizer, não deixaria de dizer nunca, enquanto estivessem juntos, enquanto o olhasse e sentisse aquela felicidade imensa em seu coração. 


     Teriam ainda um grande dia pela frente, finalmente juntos, poderiam curtir todas as maravilhas daquela viagem, estavam com os amigos, com as pessoas que mais amavam, e agora, um com o outro, efim, tinham tudo o que precisavam para ter a segunda melhor viagem de suas vidas, pois nenhuma, nenhuma superaria a primeira viagem, em que o destino os uniu, e os transformou daquela maneira. 
    Com a cara mais lavada do mundo, Nero desceu primeiro, se juntando aos amigos como se fosse apenas mais um dia normal de verão, juntando-se a ele, a morena ruborizada com um sorriso largo no rosto, não eram idiotas em querer esconder nada, os olhares dirigidos aos dois dizia que todos sabiam muito bem que agora e finalmente os dois estavam bem, bem e a todo vapor para aquele dia. 

 

- Pensei que não se juntariam a nós. - sorriu Josh abraçando a morena pelos ombros. Metade do grupi já havia ido para a festa, e a outra metade pelo visto, apenas esperava pelos dois pombinhos. 
 

- E perder a chance de te ver bêbado no almoço...? - sorriu negando. - Jamais meu moreno, jamais... - abraçou o amigo o vendo sorrir. 
 

- E então... - mordeu o lábio olhando de canto para Nero que fingia prestar atenção no que Cris falava para ele. - Voltaram? - perguntou direto. Sentia muito por não ter dado certo entre ele e Giovanna, mesmo que nem tenham chegado a tentar nada, e não queria a ver sofrendo por não ter dado com certo com Nero, gostava muito daquela morena para a ver sofrer como estava, que ela estivesse com Nero, mas que não estivesse triste e sofrendo. 
 

- Sim... - sorriu largo, o brilho em seus olhos era diferente, visto a milhares de distância, não negaria, ainda mais com a aliança de volta a seu dedo. 
 

- Fico feliz por vocês. - beijou sua tempora, acariciando seu braço. Realmente ficava, a ver feliz era tudo o que queria, Giovanna era incrível para ele, desde sua viagem juntos, sempre fora uma grande amiga. 
 

- Obrigada... - respirou fundo, sabia dos sentimentos do amigo por ela, e se não fosse por Nero em sua vida, sem dúvida ela tentaria com ele, se gostavam muito, tinham uma amizade enorme para compartilhar, se conheciam muito bem, e acima de qualquer coisa, queriam a felicidade um do outro. - E você... - começaria com seu discurso quando ele a impediu. 
 

- Não Giovanna... - a encarou serio, tiveram aquela conversa um milhão de vezes. - ... Você sabe que a pessoa que eu gosto, não gosta de mim do mesmo jeito... - ela sabia, não tinha certeza se ele realmente gostava dela tanto assim, ou se ela em algum momento ou em algum lugar também não gostava dele na mesma medida, mas sabia muito bem que era ela, e sabia também que Nero era sua vida, o amava e era completamente apaixonada por ele. - Mas estou feliz por ver vocês dois cabeças duras de volta, já estava na hora... - a soltou do abraço, suavisando o clima entre os dois.
 

- É... - não tinha o que dizer, eram maravilhosos os momentos com ele, quando não tocavam em tal assunto. Mesmo com o olhar levemente baixo trocado entre os dois, tinha de admitir, tinha de agradecer, tinha as melhores pessoas do mundo em sua vida, pessoas que a apoiavam, que a amavam e que a queria bem, feliz, e isso, valia qualquer coisa. 
 

- Vamos...? - perguntou Nero acenando com a cabeça para Josh. Entendia a historia dos dois, e gostava da amizade que tinham, as coisas com Giovanna, a historia entre todos ali, sempre fora de muita liberdade, em todos os aspectos e sentidos, se respeitavam, se amavam, confiavam um no outro. - O pessoal vai passar para comprar bebidas... podemos ir na frente. - sugeriu sorrindo levemente para a morena ainda vagando com os pensamentos. 
 

- Nós dois? - balançou a cabeça, sorrindo ao perguntar, rodiando os braços por sua cintura o encarando. 
 

- Sim, nós dois. - sorriu passando a ponta dos dedos sobre o fino queixo da morena, a apertando nas costas com a outra mão. 
 

- E eu. - sorriu Amora entrando no meio dos dois, sempre animada ate demais da conta. 
 

- Pensei que tinha ido com o pessoal. - falou Giovanna negando ao encarar a amiga. 
 

- E perder os dois dando aquele show? Nunca... - gargalhou deixando a morena completamente vermelha. 
 

- Vocês escutaram? - sussurrou envergonhada, vendo Nero sorrir descarado. 
 

- Acho que ate quem é surdo escutou... - provocou Amora a vendo negar ainda mais vermelha, tampando o rosto entre as mãos. - Nem vem fazer a tímida, porquê de tímida você não tem nada! - afirmou dando risada, realmente, de tímida ela nunca teve nada. 
 

- É melhor a gente ir... - avisou Nero vendo todo o pessoal começar a se arrumar para sair. 
 

- É... vamos logo antes que os dois pombinhos resolvam nós dar outro show. - gritou Amora fazendo todos caírem na risada, inclusive os dois pombinhos malucos. 


    Com toda a graça e alegria daquele dia, se diviram nos carros indo ao encontro do restante dos amigos. Um dia não planejado para um destino já selado. Os dois sorriam e conversavam entre si, era bom estar de volta, era bom sentir o calor um do outro, o olhar um do outro e todas as coisas que sentiam quando estavam juntos e de bem com seus corações. 

 

- Eu não duvidaria disso. - provocou Amora vendo a amiga a olhar pelo retrovisor do carro, a amaldiçoando ate a última geração. 
 

- Pensei que já conhecia todos os seus lados Giovanna... - Nero a olhou de canto sorrindo ao voltar seus olhos para a estrada.
 

- E conhece. - afirmou sorrindo fraco, realmente, era muita Giovanna para conhecer. 
 

- Conheço? - brincou com ela, apertando sua coxa, ele a conhecia bem, e tudo não passava de uma brincadeira. 
 

- ...é... bom, não é porque não sofri sóbria exatemente os "4" meses... que significa que não me conheça... - não era uma boa hora para aquele assunto, e talvez nunca existe boa hora para ele. Nero apenas a encarou quando o carro parou, ela estava dizendo que tinha de certa forma seguido com a vida. 
 

- Você conheceu outros caras? - perguntou sério, ele se importava, a conhecia e sabia que ela sofria por ele, mas não imaginou que ela seguiria com a vida. 
 

- Não conheci ninguém! - bufou revirando os olhos para Amora, a pagaria na mesma moeda. - Apenas sai... e enchi a cara, e curti algumas noites... - era verdade, foi seu modo de ficar alguns instantes sem se lembrar dele, sem pensar nele e querer chorar. 
 

- Hm... - virou o rosto seguindo com o carro outra vez, "Hm" definitivamente não era o que ela queria escutar. 
 

- Vou te matar! - sussurrou para Amora vendo a amiga cair na gargalhada, tudo para a loira era motivo de graça, ate mesmo a "desgraça" de Giovanna. 


     Como se o destino brincasse com sua cara, jogou de uma vez, com um escorregar inocente, os acontecimentos da noite passada. Era a droga do tal Leonardo parado a sua frente enquanto tomava da bebida a encarando, sorria da própria desgraça, assim como Amora sorria minutos atrás no carro. Suas mãos se apertaram uma a outra, suando frias, só podia ser brincadeira, não havia outra explicação. 

 

- Tudo bem? - serrou os olhos a encarando, o rosto levemente fechado, como se não gostasse do que comia, ou do que via, e de certa forma, era exatamente isso. - Giovanna... !? - estalou os dedos a sua frente a fazendo acordar encarando a amiga e logo ao lado Nero, que Deus a ajudasse. 
 

- ...Hmm... - respirou fundo se virando, não podia dar bandeira e não iria, seria terrível se aquele encontro acontecesse, tanto sozinha quanto acompanhada. - ...uhum... - abriu um rápido sorriso, caminhando a frente dos dois. - Só, preciso de uma bebida. - não apenas de uma, e sim de uma garrafa inteira de vodka e o que tivesse de mais forte naquele lugar. 
 

- O que deu nela? - perguntou Nero a seguindo com Amora. 
 

- Sei lá. - deu de ombros, ela sabia muito bem o que tinha dado em Giovanna, e esperava em tudo que mais importava em suas vidas, que nenhuma besteira saísse de lá. 
 

- O que tiver de mais forte. - se debruçou sobre o bar respirando fundo. Tinha vontade de gargalhar, como sua vida podia ser tão, tão maluca e seu destino tão complicado de entender. Em uma hora era o fim com Nero, em outra, um momento legal com um cara que esperava nunca mais encontrar, e então uma volta com Nero, e agora, ver novamente o cara que esperou não ver mais. Se aquela era a vida a ajudando e a apoiando, bom, ela tinha um jeito engraçado de demonstrar. 
 

- Tudo bem mesmo? - Nero se colocou ao seu lado segurando levamente sua cintura. Amava aquele homem com todo o seu ser, mas serio que teria de ser daquele jeito? Mal haviam voltado e ela já teria uma provação daquelas pela frente? Que destino maluco. 
 

- Tudo sim. - sorriu o abraçando. Tentava fazer o que estava em sua mente não importar, seria apenas o que estava em seu coração, Nero. Tinha medo de brigarem por causa do carinha, tinha medo de conversar com ele, tinha medo ate de olhar para os lados, medo, bom, receio, tinha receio de todas essas coisas. - Ontem eu te odiava aqui... - beijou seus lábios rapidamente pegando a bebida e a virando consideravelmente ate a metade do copo. - ...Agora já estamos juntos... - questões de segundos, minutos, horas, não fazia muita diferença. 
 

- As coisas são malucas... e nôs, ainda mais. - sorriu largo abraçando sua cintura. Realmente, se o destino dos dois era maluco, eles conseguiam ser ainda mais, se suas cabeças eram confusas e complicadas, seus corações eram indecifráveis. 
 

- Nem me diga... - caminharam juntos para perto dos amigos, a intenção era essa, se esforçaram para estar ali. 


     A música tocava ao longe, em algum canto do seu subconsciente bagunçado de álcool, amor e felicidade. Dançava ao lado de Amora, balancando o corpo de um lado para o outro desrespeitando completamente o toque e a batida da música, desrespeitando todos a sua volta com aquele balançar simples e sensual, estava pouco se lixando, era seu momento de liberar mais uma vez as frustrações daqueles meses, as tristezas e dores, era sua vez de se divertir, sóbria, não como nas últimas vezes em que se encontrava completamente embriagada para não chorar ou sentir algo que não fosse a vontade de dançar e se divertir como se não houvesse amanhã. 

 

- Não esperava te encontrar outra vez... - a voz era quase inaudível, mas a afetou fortemente, a fazendo se virar encarando o homem alto e notável a sua frente. 
 

- ...Eu digo o mesmo... - sorriu sentindo todo seu rosto corar brutalmente, era a droga de uma escolha, não se arrependia, mas... toda vez seria assim? Teria uma noite legal com alguém, pensaria que nunca mais se encontraria e então o destino a jogaria outra vez em sua vida? Com Nero não foi diferente, e agora com esse homem, será que também seria assim? Tinha absoluta certeza de que não, não seria nem um pouco igual, afinal, ela amava Nero, e não pensava em o ter fora da sua vida outra vez, mas não podia deixar de revirar os olhos e gritar com seu destino, ele realmente brincava com sua mente e coração. 
 

- Mas é bom te ver outra vez. - sorriu sincero, ele realmente parecia ser um cara legal. Muitas coisas poderiam sair dali, como mais uma amizade, conversas não eram e não seriam um problema, naquele dia, tudo era incrível e bom demais para ela. - ... Esta tudo bem agora? - perguntou a vendo franzir o cenho, por que não estaria. As lembranças da noite passada se chocaram contra ela outra vez, a imagem de Nero beijando Julia, a raiva e dor que sentiu, ela tinha ido embora do nada. 
 

- Esta... - não sabia ao certo o que dizer, queria olhar ao redor, mas tinha receio de quais olhares iria receber, sabia que Amora ainda dançava e se ela estava certa, Nero, Gianne e Josh estavam na frente do bar conversando o que não dava uma total visão, mas ainda assim era possível ter uma visão dela. 
 

- Alguém estava te gritando... e então você desapareceu. - sim, sim, se lembrou dos gritos de Amora. 
 

- Ah sim. - sorriu negando, se sentia tensa, mas também se sentia alegre em vê-lo outra vez, não costumava se lembrar das pessoas e a noite passada não era para ser lembrada se colocada em conta a quantidade de álcool ingerida por ela. - Amora... - se virou apontando para a loira que dançava a encarando, sempre saberia quando Giovanna estava andando por aquela linha tênue em que as coisas podem dar extremamente certo, e terrivelmente erradas. 
 

- Amora? - perguntou sorrindo de canto, ele queria a arrastar de lá e a levar de volta a areia ou ao coqueiro em que estavam na madrugada, ela estava ainda mais linda. 
 

- ... minha amiga, é...o nome da fruta, mas é uma historia mais longa do que isso... - se virou para ele outra vez. O que poderia dizer, tudo acontece por um motivo, bom ou ruim, um dia ela descobriria, mas naquele momento, ela não ligava para o que era, nem o que seria, ela estava feliz por ter Nero em sua vida, feliz por ter seus amigos lá, e feliz por não se arrepender de nada do que havia feito, estava vivendo sua vida, como sempre viveu, aquela era ela, intensa, sonhadora, feliz, amante das coisas da vida. - O que posso dizer... vamos precisar de bebida e... - o encarou novamente, de alguma forma a fazia pensar, de alguma forma a fazia se lembrar dele, não tinha por ele algo que pudesse ser pensado ou nomeado, mas tinha algo. - ... me encontra na praia. - sorriu e mais uma vez se virou sumindo entre as pessoas, um hábito intrigante para ele. 
 


Notas Finais


Eai?? O que acharam??
Nero ta de olho hein, e o Leonardo outra vez? jsgsjshsbsjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...