História Better Than I Know Myself - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América, Homem de Ferro (Iron Man), O Incrível Hulk, Os Vingadores (The Avengers), Thor
Personagens Anthony "Tony" Stark, Dr. Bruce Banner (Hulk), Loki, Natasha Romanoff, Nick Fury, Odin, Peggy Carter, Pepper Potts, Personagens Originais, Phillip Coulson, Sharon Carter (Agente 13), Steve Rogers, Thor
Tags Comedia, Drama, Iron Man, Loki, Nefertari, Odin, Pepper, Romance, Thor, Tony Stark
Visualizações 69
Palavras 6.265
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção
Avisos: Álcool, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi meus amores,com estão?Gostando da história?Então gente,eu sou uma autora que não aguenta não dar spoiler,então já vou contar.Daqui a três capitulos. Nefertari vai pegar um dos vingadores,comentem quem vocês acham que la vai ficar e com quem vocês querem que ela fique,

Capítulo 7 - Hello Baby


-Preparar para levantar voo-Falei pilotando o quinjet,já que aprendi observando Stark pilotar.

           O quinjet levantou voo.No meio do caminho,decidi saber onde os outros estavam

   -Jarvis fique no comando!-Ordenei largando o guidão.

        Abri meu notebook e botei o nome de todos ainda estava no Texas.Todos estavam bem longe de mim,menos um.Steve Rogers,segundo o mapa,ele estava dentro do quinjet. Olhei para trás.

           O quinjet não era grande.Me levantei e coloquei o Notebook em cima da cadeira e comecei a procurar,mas evitando ao máximo fazer barulho.

  -Estou com ela-Ouvi Rogers dizer.O som vinha do armário de paraquedas.Não acredito,como ele coube ali?

  -È,eu sei-Falei abrindo as portas do armário.Soltei uma risada,a cena era tão engraçada.Capitão picolé,enorme do jeito que é dentro de uma caixa pequena.Ele estava com os olhos arregalados.

        -Nefertari-sussurrou surpreso.

 -Sai daí-Falei tentando arrancar ele de dentro do armário.Se fosse o Stark eu provavelmente não perderia a piada.

            -O que diabos está fazendo aqui?-Perguntei cruzando os braços.

     -Pensei que iria fugir.quer dizer,todos nós pensamos que iria fugir,vim para impedi-la-Disse fazendo uma pose de herói não intencionalmente.

     -E está fazendo um bom trabalho?-Ironizei.Ele revirou os olhos para mim.

     -Não revire os olhos para mim,mocinho!-Briguei.

-Nossa,você e o Stark são tão parecidos-Comentou.Pus a mão no peito me sentindo ofendida.

-Nossa Steve,pegou pesado.Bem pesado.Parei de brincar-Respondi,me sentando no banco do motorista  e peguei o controle de volta.

     -E para onde está indo afinal?-Perguntou,sentando ao meu lado.

  -Para bem longe de vocês-Respondi.Ele riu.

      -Não adiantou muito,aqui estou eu-Respondeu.Juntei as sobrancelhas.Impressão minha ou o capitão estava com a língua afiada?

                        -Eu já estive aqui antes-Disse Rogers olhando para os lados,depois que havíamos pousado no meio de um milharal.Estávamos á alguns metros de distancia de uma pequena casa.

     -que Ótimo capitão,então pode me carregar -Falei me jogando nas suas costas.Ele ficou surpreso,mas no fim segurou as minhas pernas em volta da sua cintura.

   -Vai pangaré-Falei toda empolgada,colocando as mãos nos ombros dele.

-Se não parar com isso,vou te largar aqui mesmo e você vais e virar sozinha-Resmungou.Decidi deitar minha cabeça em seu ombro.

     -Você é tão bonzinho comigo capitão-Comentei quase fechando os olhos.

         -Por que está aqui?-Perguntou.Suspirei,a noite estava fria,mas o corpo de Rogers,apesar dele ter ficado congelado tantos anos,estava bem quente.

                -Clint Barton me desafiou.E Holmes,me ensinou que não se ignora um desafio-Respondi sonolenta.  

              "Meu sangue estava fervendo de raiva,como aquele cretino pode querer fazer uma coisa daquelas com uma criança? Corri até o quarto da minha mãe e peguei uma arma,a arma do papai que mamãe escondia ali.Desci até a sala onde encontrei o homem que arruinaria a vida de uma criança.

                   -Você não vai encostar um dedo em Mordecay-Esbravejei para o homem que estava de costas para mim.Ele se virou com um olhar debochado,com o celular em sua mão.

     -desligue o celular!-Ordenei.

-Me obrigue-Debochou.Escondi a arma no cós da minha calça jeans clara.Dei um chute em sua mão,fazendo o celular cair,pisei em cima do celular até ele se quebrar todo.

               -Como pode pensar em vender a sua irmã,sua própria irmã?-Perguntei séria.

                   Abri os olhos assustada,levantei de onde estava,tudo estava escuro,exceto pour uma luz fraca que entrava pela brecha da porta.Abri a porta e saí em um corredor claro,andei dois passos para fora do quarto. 

              -Oi-Disse uma voz fina atrás de mim.

-AI CARALHO-gritei pulando de susto,me arrependi de ter falado o palavrão,pois era um menino lindo que não parecia ter mais de cinco anos.

           -Quer dizer,que eu estava certa?-Perguntei sentada na mesa de jantar observando duas crianças,um bebê e uma mulher.Sim,a esposa de Clint Barton.

      -Sim-Respondeu Steve Rogers,visivelmente cansado do assunto.Eu olhava para a família maravilhada. O Clint  era um puta sortudo,a família dele é incrível.

 -Desculpe perguntar,mas ele pagou quanto para você ter filhos com ele?_Perguntei sussurrando para a mulher.

-Nefertari!_Repreendeu-me Rogers.

-O que foi?-Perguntei inocentemente.

-Está ofendendo a moça.O amor simplesmente acontece!-Disse Rogers. Bocejei mostrando a minha preguiça.

 -Acabou o lance"Amor é tudo"?-Perguntei,e logo fingi que ia vomitar,arrancando risada das crianças. Rogers bufou e se levantou da mesa.Me levantei da cadeira e andei até ele,pus a mão eu seu ombro forte.

      -Vá descansar Rogers-Pedi.Ele se afastou.

 -Estou bem-Disse.Revirei os olhos.homens.

-Nada aconteceu e nem vai acontecer,não adianta pagar de super-herói,se bem que..há você me entendeu!-Falei.Voltando a me sentar na cadeira. Rogers  respirou fundo,senti que ele estava evitando me olhar.

-Vou colocar as crianças para dormir-Avisou a esposa de Clint levando as crianças para longe da sala.

-Qual é Rogers ão é porque você tem um mega soro correndo nas suas veias que deixou de ser Humano,ou vai dizer que não caga,ou melhor. Defeca?-Perguntei.

   -Você pode por favor se calar?Estou cansado de ouvir suas asneiras-Disse saindo apressado da sala.Asneiras?Quem fala isso hoje em dia?

                 -Amor cheguei!Ué porque o Rogers está na sacada?-Perguntou Clint Barton antes de me ver sentada na sala.Seu sorriso sumiu assim que me viu.

      -Hello Baby!-Falei sorridente.A expressão dele estava de espato total.

  -Cretina!-Falou,dando soco no ar.Ri mais ainda.Me levantei da cadeira.

-Relaxe Barton,ninguém vai saber sobre sua família. Sua esposa está lá em cima com as crianças.Agora se me der licença,vou atras do capitão picolé.-Comuniquei antes de sair atras do capitão.Como faz para chegar na sacada? me perguntei olhando para a escada.

            Andei pela pequena casa atrás do capitão.Finamente encontrei a sacada.

-Finalmente te encontrei Rogers.-Falei o abraçando pelas costas.Sim,eu abracei o capitão. Gargalhei com a expressão de surpresa do Capitão.Sim,Nefertari tem seus momentos de fofura.

          -O que aconteceu?Eu te chateei meu amigo?-Perguntei docemente.O capitão ficou de frente para mim  riu debochadamente.Eita,porra!O capitão,sendo rebelde assim?

-Que isso jovem?Que rebeldia é essa?Vamos conversar-Falei,sem pensar. Rogers simplesmente me ignorou.

    -Ah Steve!Me conte o que houve,se te chateei de alguma forma,me perdoe,não foi intencional.Não é intencional,não com você-Falei alisando suavemente suas madeixas loiras.Ele respirou fundo e fechou seus olhos azuis e seu semblante sério mudou,ele estava com um ar de descontraído.

          -Você me parece tão inofensiva. Por que matou alguém?-Perguntou depois de um tempo de silêncio.Parei de mexer nas madeixas dele.

               -Eu tinha um irmão mais velho.O Paul.Minha família sempre foi de classe média baixa,ou seja,mais fácil do Paul se meter com gente que não deveria,pessoas barra pesada,sabe?Ele preferiu isso a trabalhar decentemente.

          Eu e ele sempre tivemos uma relação muito boa,éramos muito próximos,desde pequenos.Até ele se meter com essa gente.-Falei com dificuldade.Eu não queria chorar,não na frente do Rogers.Ele me olhava atentamente esperando ouvir o resto da história.

            -Um certo dia,ouvi ele marcar com seus companheiros o sequestro da nossa irmã,mais nova.Ela só tinha oito anos,sabe?Ele ficou tão violento depois que passou a usar drogas,mudou completamente.Ele ia vender ela para comprar drogas...

              Ah que tédio.O que será que Paul está fazendo?Me questionei deitada na cama olhando para o teto.

-Eu sei...Já bolei o plano todo.Amanhã Nefertari vai para a escola,mamãe vai trabalhar e a pirralha vai ficar sozinha comigo...

           Me levante correndo e colei o ouvido na porta.O que Paul quer com Mordecay?

         -Espero que dê uma boa lição naquela pirralha intrometida-Disse Paul,com sua voz carregada de ódio.Pus a mão no peito preocupada com Mordecay.Abri a porta e o vi quase descendo as escadas.

        -Paul,o que significa isso?-Questionei irritada.Ele se virou de frente para mim.

-Claus espere um segundo-Disse,tirando o celular do ouvido.E veio caminhando até mim.

  -Mana...o que está fazendo em casa?-Perguntou sorrindo docemente.Percebi em seus olhos escuros que ele estava drogado.Bati em seu ombro com força.

         -O que pensa que está fazendo?-Questionou me segurando forte pelos ombros.

 -Já está drogado?o dia mal começou-Reclamei.ELe revirou os olhos.

-NÃO TE INTERESSA-Gritou.Me soltando.

      -Tem razão.Não me interessa,eu quero saber o que pretende fazer com a Mordecay?-Perguntei engrossando a voz.

        -Não vou fazer nada...-Respondeu docemente.

-MENTIRA-Gritei para ele enraivecida.-Eu ouvi muito bem o que disse.Vou perguntar novamente.O que pretende fazer com a Mordecay?-Perguntei perdendo a  paciência.Ele olhou no fundo dos meus olhos e respondeu.

--Vou vende-la,para um cafetão!ele vais aber cuidar daquela pirralha desgraçada-Congelei no lugar.Ele não pode estar falando sério.Gargalhei nervosa,ri tanto que quase chorei.Quando finalmente percebi que ele falava sério.avancei em sua direção furiosa.

   -Que merda você tem na cabeça?Se fizer algo contra a Mordecay. Eu acabo com você.EU ACABO COM VOCÊ-Gritei  batendo nele.

-Você não vai fazer nada contra mim-Disse me empurrando na parede.Bati com as costas na parede e caí no chão aos prantos.

-Eu sou seu irmãozinho favorito,esqueceu?-Debochou.

-Por favor,não faça nada contra ela.Por favor-Implorei de joelhos e com as lágrimas caindo.

-Nefertari minha querida,você não entendeu.Se eu não machuca-lá hoje,pode ter certeza que algum dia eu farei.Eu a odeio! E não vou descançar até ver essa menina morta ou bem longe de mim.-Disse e desceu as escadas falando no telefone.

            Encostei a cabeça na parede e chorei desesperadamente.Se eu não fizer nada,mordecay vai ter sua vida arruinada,mas se eu fizer algo vou arruinar minha vida e a do meu irmão.O que você faria pai?Pus as mãos na cabeça desesperada.De repente,senti como se soubesse exatamente o que tenho que fazer.Sequei as lágrimas do meu rosto e corri para o quarto da minha mãe,abri a primeira gaveta da comoda e peguei uma arma,a arma do papai que mamãe escondia ali.Desci até a sala onde encontrei o homem que arruinaria a vida de uma criança.

-Você não vai encostar um dedo em Mordecay-Esbravejei para o homem que estava de costas para mim.Ele se virou com um olhar debochado,com o celular em sua mão.

-desligue o celular!-Ordenei.

-Me obrigue-Debochou.Escondi a arma no cós da minha calça jeans clara.Dei um chute em sua mão,fazendo o celular cair,pisei em cima do celular até ele se quebrar todo.

-Como pode pensar em vender a sua irmã,sua própria irmã?-Perguntei séria.

-Você não consegue entender que  eu odeio aquela pirralha? Minha irmã é você-Respondeu.

-Só por que ela é filha do Stark?é isso?Por que tanto ódio de uma criança?uma criança que te ama tanto -Perguntei ,as lágrimas voltaram a cair sem controle pelo meu rosto.

-Porque aquela  pirralha é filha do homem mais rico do mundo,enquanto nós dois,Nefertari,somos filhos de um detetive falido que nos abandonou com uma mão na frente e outra atrás.Aquela pirralha só serve para ser vendida por um preço bem alto-Disse.Pus a mão na boca,horrorizada com tanta  maluquice.Esse não era o Paul

-Não fale do papai,ele fez isso para nos proteger.Ele nos amava.Paul,você não é assim.Não vê no que eles te tornaram meu irmão?-Perguntei,me aproximando dele e pus as mãos em seu rosto.Ele afastou minhas mãos com força.

-Como assim ele não serve  para você?e eu? sirvo para alguma coisa?ou vai me vender também?-Questionei.Ele riu.

-Por enquanto não...-disse analisando o que falei.O olhei incrédula.Novamente fui tomada por uma raiva incontrolável,alguém comandava meu corpo e não era eu.Saquei a arma da minha calça.

-Acha que me assusta com o seu brinquedinho Nefertari?Eu te conheço,você não é capaz disso-Disse olhando para arma.

-Olhe por mim meu irmão e quando encontrar o papai diga que o amo-Falei e apertei o gatilho.Senti o impacto do tiro na arma que foi um pouco para o lado,mas acertou em cheio a cabeça do meu irmão que caiu morto.A onda de raiva se foi da mesma forma que veio e de certa forma voltei ao controle do meu corpo.

     -E foi assim que matei meu irmão-Terminei de contar a história para Rogers,que me abraçou.As lembranças do assassinato do Paul veio na minha cabeça tão forte que não contive as lágrimas.Pelos braços de Rogers vi o milharal.Me soltei dos braços de Rogers e corri para fora da casa sem olhar para trás.Entrei no milharal e só conseguia senti o ar entrando nos meus pulmões fortemente e as espigas de milho batendo em meu rosto.

-Eu ouvi tiro?-Perguntou mamãe entrando na casa com as mãos cheias de bolsas de compra.

   -AH MEU DEUS-Gritou quando viu o corpo de Paul no chão e a arma na minha mão.

-ASSASSINAAAAA-Gritou a plenos pulmões.

Os berros ecoavam na minha mente enquanto eu corria milharal a dentro com a visão turva pelas lágrimas.

ASSASSINA,ASSASSINA,ASSASSINA.

   -EU NÃO SOU UMA ASSASSINA-Gritei sozinha.Sem consegui enxergar o chão tropecei em uma poça de lama e cai no meio da poça. Ótimo estou no meu lugar.Na poça de lama.Sem forças para me levantar,continuei chorando ali.

       Fechei os olhos um pouco sonolenta.De repente senti um impacto muito forte,como se não houvesse chão embaixo de mim,sem coragem de abri os olhos senti meu corpo ser envolto por algo e do nada o impacto final.Acho que encontrei o chão.A dor foi tão forte,como se minha coluna e costelas tivessem decidido sair pela boca e minha cabeça tivesse explodido mais eu continuo viva.

  -Estais bem senhorita?-Ouvi uma voz forte com um sotaque engraçado perguntar.Abri os  olhos,não consegui enxergar nada devido a dor.Só consegui ver dois olhos azuis familiares antes de tudo ficar escuro novamente.-Preparar para levantar voo-Falei pilotando o quinjet,já que aprendi observando Stark pilotar.

           O quinjet levantou voo.No meio do caminho,decidi saber onde os outros estavam

   -Jarvis fique no comando!-Ordenei largando o guidão.

        Abri meu notebook e botei o nome de todos ainda estava no Texas.Todos estavam bem longe de mim,menos um.Steve Rogers,segundo o mapa,ele estava dentro do quinjet. Olhei para trás.

           O quinjet não era grande.Me levantei e coloquei o Notebook em cima da cadeira e comecei a procurar,mas evitando ao máximo fazer barulho.

  -Estou com ela-Ouvi Rogers dizer.O som vinha do armário de paraquedas.Não acredito,como ele coube ali?

  -È,eu sei-Falei abrindo as portas do armário.Soltei uma risada,a cena era tão engraçada.Capitão picolé,enorme do jeito que é dentro de uma caixa pequena.Ele estava com os olhos arregalados.

        -Nefertari-sussurrou surpreso.

 -Sai daí-Falei tentando arrancar ele de dentro do armário.Se fosse o Stark eu provavelmente não perderia a piada.

            -O que diabos está fazendo aqui?-Perguntei cruzando os braços.

     -Pensei que iria fugir.quer dizer,todos nós pensamos que iria fugir,vim para impedi-la-Disse fazendo uma pose de herói não intencionalmente.

     -E está fazendo um bom trabalho?-Ironizei.Ele revirou os olhos para mim.

     -Não revire os olhos para mim,mocinho!-Briguei.

-Nossa,você e o Stark são tão parecidos-Comentou.Pus a mão no peito me sentindo ofendida.

-Nossa Steve,pegou pesado.Bem pesado.Parei de brincar-Respondi,me sentando no banco do motorista  e peguei o controle de volta.

     -E para onde está indo afinal?-Perguntou,sentando ao meu lado.

  -Para bem longe de vocês-Respondi.Ele riu.

      -Não adiantou muito,aqui estou eu-Respondeu.Juntei as sobrancelhas.Impressão minha ou o capitão estava com a língua afiada?

                        -Eu já estive aqui antes-Disse Rogers olhando para os lados,depois que havíamos pousado no meio de um milharal.Estávamos á alguns metros de distancia de uma pequena casa.

     -que Ótimo capitão,então pode me carregar -Falei me jogando nas suas costas.Ele ficou surpreso,mas no fim segurou as minhas pernas em volta da sua cintura.

   -Vai pangaré-Falei toda empolgada,colocando as mãos nos ombros dele.

-Se não parar com isso,vou te largar aqui mesmo e você vais e virar sozinha-Resmungou.Decidi deitar minha cabeça em seu ombro.

     -Você é tão bonzinho comigo capitão-Comentei quase fechando os olhos.

         -Por que está aqui?-Perguntou.Suspirei,a noite estava fria,mas o corpo de Rogers,apesar dele ter ficado congelado tantos anos,estava bem quente.

                -Clint Barton me desafiou.E Holmes,me ensinou que não se ignora um desafio-Respondi sonolenta.  

              "Meu sangue estava fervendo de raiva,como aquele cretino pode querer fazer uma coisa daquelas com uma criança? Corri até o quarto da minha mãe e peguei uma arma,a arma do papai que mamãe escondia ali.Desci até a sala onde encontrei o homem que arruinaria a vida de uma criança.

                   -Você não vai encostar um dedo em Mordecay-Esbravejei para o homem que estava de costas para mim.Ele se virou com um olhar debochado,com o celular em sua mão.

     -desligue o celular!-Ordenei.

-Me obrigue-Debochou.Escondi a arma no cós da minha calça jeans clara.Dei um chute em sua mão,fazendo o celular cair,pisei em cima do celular até ele se quebrar todo.

               -Como pode pensar em vender a sua irmã,sua própria irmã?-Perguntei séria.

                   Abri os olhos assustada,levantei de onde estava,tudo estava escuro,exceto pour uma luz fraca que entrava pela brecha da porta.Abri a porta e saí em um corredor claro,andei dois passos para fora do quarto. 

              -Oi-Disse uma voz fina atrás de mim.

-AI CARALHO-gritei pulando de susto,me arrependi de ter falado o palavrão,pois era um menino lindo que não parecia ter mais de cinco anos.

           -Quer dizer,que eu estava certa?-Perguntei sentada na mesa de jantar observando duas crianças,um bebê e uma mulher.Sim,a esposa de Clint Barton.

      -Sim-Respondeu Steve Rogers,visivelmente cansado do assunto.Eu olhava para a família maravilhada. O Clint  era um puta sortudo,a família dele é incrível.

 -Desculpe perguntar,mas ele pagou quanto para você ter filhos com ele?_Perguntei sussurrando para a mulher.

-Nefertari!_Repreendeu-me Rogers.

-O que foi?-Perguntei inocentemente.

-Está ofendendo a moça.O amor simplesmente acontece!-Disse Rogers. Bocejei mostrando a minha preguiça.

 -Acabou o lance"Amor é tudo"?-Perguntei,e logo fingi que ia vomitar,arrancando risada das crianças. Rogers bufou e se levantou da mesa.Me levantei da cadeira e andei até ele,pus a mão eu seu ombro forte.

      -Vá descansar Rogers-Pedi.Ele se afastou.

 -Estou bem-Disse.Revirei os olhos.homens.

-Nada aconteceu e nem vai acontecer,não adianta pagar de super-herói,se bem que..há você me entendeu!-Falei.Voltando a me sentar na cadeira. Rogers  respirou fundo,senti que ele estava evitando me olhar.

-Vou colocar as crianças para dormir-Avisou a esposa de Clint levando as crianças para longe da sala.

-Qual é Rogers ão é porque você tem um mega soro correndo nas suas veias que deixou de ser Humano,ou vai dizer que não caga,ou melhor. Defeca?-Perguntei.

   -Você pode por favor se calar?Estou cansado de ouvir suas asneiras-Disse saindo apressado da sala.Asneiras?Quem fala isso hoje em dia?

                 -Amor cheguei!Ué porque o Rogers está na sacada?-Perguntou Clint Barton antes de me ver sentada na sala.Seu sorriso sumiu assim que me viu.

      -Hello Baby!-Falei sorridente.A expressão dele estava de espato total.

  -Cretina!-Falou,dando soco no ar.Ri mais ainda.Me levantei da cadeira.

-Relaxe Barton,ninguém vai saber sobre sua família. Sua esposa está lá em cima com as crianças.Agora se me der licença,vou atras do capitão picolé.-Comuniquei antes de sair atras do capitão.Como faz para chegar na sacada? me perguntei olhando para a escada.

            Andei pela pequena casa atrás do capitão.Finamente encontrei a sacada.

-Finalmente te encontrei Rogers.-Falei o abraçando pelas costas.Sim,eu abracei o capitão. Gargalhei com a expressão de surpresa do Capitão.Sim,Nefertari tem seus momentos de fofura.

          -O que aconteceu?Eu te chateei meu amigo?-Perguntei docemente.O capitão ficou de frente para mim  riu debochadamente.Eita,porra!O capitão,sendo rebelde assim?

-Que isso jovem?Que rebeldia é essa?Vamos conversar-Falei,sem pensar. Rogers simplesmente me ignorou.

    -Ah Steve!Me conte o que houve,se te chateei de alguma forma,me perdoe,não foi intencional.Não é intencional,não com você-Falei alisando suavemente suas madeixas loiras.Ele respirou fundo e fechou seus olhos azuis e seu semblante sério mudou,ele estava com um ar de descontraído.

          -Você me parece tão inofensiva. Por que matou alguém?-Perguntou depois de um tempo de silêncio.Parei de mexer nas madeixas dele.

               -Eu tinha um irmão mais velho.O Paul.Minha família sempre foi de classe média baixa,ou seja,mais fácil do Paul se meter com gente que não deveria,pessoas barra pesada,sabe?Ele preferiu isso a trabalhar decentemente.

          Eu e ele sempre tivemos uma relação muito boa,éramos muito próximos,desde pequenos.Até ele se meter com essa gente.-Falei com dificuldade.Eu não queria chorar,não na frente do Rogers.Ele me olhava atentamente esperando ouvir o resto da história.

            -Um certo dia,ouvi ele marcar com seus companheiros o sequestro da nossa irmã,mais nova.Ela só tinha oito anos,sabe?Ele ficou tão violento depois que passou a usar drogas,mudou completamente.Ele ia vender ela para comprar drogas...

              Ah que tédio.O que será que Paul está fazendo?Me questionei deitada na cama olhando para o teto.

-Eu sei...Já bolei o plano todo.Amanhã Nefertari vai para a escola,mamãe vai trabalhar e a pirralha vai ficar sozinha comigo...

           Me levante correndo e colei o ouvido na porta.O que Paul quer com Mordecay?

         -Espero que dê uma boa lição naquela pirralha intrometida-Disse Paul,com sua voz carregada de ódio.Pus a mão no peito preocupada com Mordecay.Abri a porta e o vi quase descendo as escadas.

        -Paul,o que significa isso?-Questionei irritada.Ele se virou de frente para mim.

-Claus espere um segundo-Disse,tirando o celular do ouvido.E veio caminhando até mim.

  -Mana...o que está fazendo em casa?-Perguntou sorrindo docemente.Percebi em seus olhos escuros que ele estava drogado.Bati em seu ombro com força.

         -O que pensa que está fazendo?-Questionou me segurando forte pelos ombros.

 -Já está drogado?o dia mal começou-Reclamei.ELe revirou os olhos.

-NÃO TE INTERESSA-Gritou.Me soltando.

      -Tem razão.Não me interessa,eu quero saber o que pretende fazer com a Mordecay?-Perguntei engrossando a voz.

        -Não vou fazer nada...-Respondeu docemente.

-MENTIRA-Gritei para ele enraivecida.-Eu ouvi muito bem o que disse.Vou perguntar novamente.O que pretende fazer com a Mordecay?-Perguntei perdendo a  paciência.Ele olhou no fundo dos meus olhos e respondeu.

--Vou vende-la,para um cafetão!ele vais aber cuidar daquela pirralha desgraçada-Congelei no lugar.Ele não pode estar falando sério.Gargalhei nervosa,ri tanto que quase chorei.Quando finalmente percebi que ele falava sério.avancei em sua direção furiosa.

   -Que merda você tem na cabeça?Se fizer algo contra a Mordecay. Eu acabo com você.EU ACABO COM VOCÊ-Gritei  batendo nele.

-Você não vai fazer nada contra mim-Disse me empurrando na parede.Bati com as costas na parede e caí no chão aos prantos.

-Eu sou seu irmãozinho favorito,esqueceu?-Debochou.

-Por favor,não faça nada contra ela.Por favor-Implorei de joelhos e com as lágrimas caindo.

-Nefertari minha querida,você não entendeu.Se eu não machuca-lá hoje,pode ter certeza que algum dia eu farei.Eu a odeio! E não vou descançar até ver essa menina morta ou bem longe de mim.-Disse e desceu as escadas falando no telefone.

            Encostei a cabeça na parede e chorei desesperadamente.Se eu não fizer nada,mordecay vai ter sua vida arruinada,mas se eu fizer algo vou arruinar minha vida e a do meu irmão.O que você faria pai?Pus as mãos na cabeça desesperada.De repente,senti como se soubesse exatamente o que tenho que fazer.Sequei as lágrimas do meu rosto e corri para o quarto da minha mãe,abri a primeira gaveta da comoda e peguei uma arma,a arma do papai que mamãe escondia ali.Desci até a sala onde encontrei o homem que arruinaria a vida de uma criança.

-Você não vai encostar um dedo em Mordecay-Esbravejei para o homem que estava de costas para mim.Ele se virou com um olhar debochado,com o celular em sua mão.

-desligue o celular!-Ordenei.

-Me obrigue-Debochou.Escondi a arma no cós da minha calça jeans clara.Dei um chute em sua mão,fazendo o celular cair,pisei em cima do celular até ele se quebrar todo.

-Como pode pensar em vender a sua irmã,sua própria irmã?-Perguntei séria.

-Você não consegue entender que  eu odeio aquela pirralha? Minha irmã é você-Respondeu.

-Só por que ela é filha do Stark?é isso?Por que tanto ódio de uma criança?uma criança que te ama tanto -Perguntei ,as lágrimas voltaram a cair sem controle pelo meu rosto.

-Porque aquela  pirralha é filha do homem mais rico do mundo,enquanto nós dois,Nefertari,somos filhos de um detetive falido que nos abandonou com uma mão na frente e outra atrás.Aquela pirralha só serve para ser vendida por um preço bem alto-Disse.Pus a mão na boca,horrorizada com tanta  maluquice.Esse não era o Paul

-Não fale do papai,ele fez isso para nos proteger.Ele nos amava.Paul,você não é assim.Não vê no que eles te tornaram meu irmão?-Perguntei,me aproximando dele e pus as mãos em seu rosto.Ele afastou minhas mãos com força.

-Como assim ele não serve  para você?e eu? sirvo para alguma coisa?ou vai me vender também?-Questionei.Ele riu.

-Por enquanto não...-disse analisando o que falei.O olhei incrédula.Novamente fui tomada por uma raiva incontrolável,alguém comandava meu corpo e não era eu.Saquei a arma da minha calça.

-Acha que me assusta com o seu brinquedinho Nefertari?Eu te conheço,você não é capaz disso-Disse olhando para arma.

-Olhe por mim meu irmão e quando encontrar o papai diga que o amo-Falei e apertei o gatilho.Senti o impacto do tiro na arma que foi um pouco para o lado,mas acertou em cheio a cabeça do meu irmão que caiu morto.A onda de raiva se foi da mesma forma que veio e de certa forma voltei ao controle do meu corpo.

     -E foi assim que matei meu irmão-Terminei de contar a história para Rogers,que me abraçou.As lembranças do assassinato do Paul veio na minha cabeça tão forte que não contive as lágrimas.Pelos braços de Rogers vi o milharal.Me soltei dos braços de Rogers e corri para fora da casa sem olhar para trás.Entrei no milharal e só conseguia senti o ar entrando nos meus pulmões fortemente e as espigas de milho batendo em meu rosto.

-Eu ouvi tiro?-Perguntou mamãe entrando na casa com as mãos cheias de bolsas de compra.

   -AH MEU DEUS-Gritou quando viu o corpo de Paul no chão e a arma na minha mão.

-ASSASSINAAAAA-Gritou a plenos pulmões.

Os berros ecoavam na minha mente enquanto eu corria milharal a dentro com a visão turva pelas lágrimas.

ASSASSINA,ASSASSINA,ASSASSINA.

   -EU NÃO SOU UMA ASSASSINA-Gritei sozinha.Sem consegui enxergar o chão tropecei em uma poça de lama e cai no meio da poça. Ótimo estou no meu lugar.Na poça de lama.Sem forças para me levantar,continuei chorando ali.

       Fechei os olhos um pouco sonolenta.De repente senti um impacto muito forte,como se não houvesse chão embaixo de mim,sem coragem de abri os olhos senti meu corpo ser envolto por algo e do nada o impacto final.Acho que encontrei o chão.A dor foi tão forte,como se minha coluna e costelas tivessem decidido sair pela boca e minha cabeça tivesse explodido mais eu continuo viva.

  -Estais bem senhorita?-Ouvi uma voz forte com um sotaque engraçado perguntar.Abri os  olhos,não consegui enxergar nada devido a dor.Só consegui ver dois olhos azuis familiares antes de tudo ficar escuro novamente.-Preparar para levantar voo-Falei pilotando o quinjet,já que aprendi observando Stark pilotar.

           O quinjet levantou voo.No meio do caminho,decidi saber onde os outros estavam

   -Jarvis fique no comando!-Ordenei largando o guidão.

        Abri meu notebook e botei o nome de todos ainda estava no Texas.Todos estavam bem longe de mim,menos um.Steve Rogers,segundo o mapa,ele estava dentro do quinjet. Olhei para trás.

           O quinjet não era grande.Me levantei e coloquei o Notebook em cima da cadeira e comecei a procurar,mas evitando ao máximo fazer barulho.

  -Estou com ela-Ouvi Rogers dizer.O som vinha do armário de paraquedas.Não acredito,como ele coube ali?

  -È,eu sei-Falei abrindo as portas do armário.Soltei uma risada,a cena era tão engraçada.Capitão picolé,enorme do jeito que é dentro de uma caixa pequena.Ele estava com os olhos arregalados.

        -Nefertari-sussurrou surpreso.

 -Sai daí-Falei tentando arrancar ele de dentro do armário.Se fosse o Stark eu provavelmente não perderia a piada.

            -O que diabos está fazendo aqui?-Perguntei cruzando os braços.

     -Pensei que iria fugir.quer dizer,todos nós pensamos que iria fugir,vim para impedi-la-Disse fazendo uma pose de herói não intencionalmente.

     -E está fazendo um bom trabalho?-Ironizei.Ele revirou os olhos para mim.

     -Não revire os olhos para mim,mocinho!-Briguei.

-Nossa,você e o Stark são tão parecidos-Comentou.Pus a mão no peito me sentindo ofendida.

-Nossa Steve,pegou pesado.Bem pesado.Parei de brincar-Respondi,me sentando no banco do motorista  e peguei o controle de volta.

     -E para onde está indo afinal?-Perguntou,sentando ao meu lado.

  -Para bem longe de vocês-Respondi.Ele riu.

      -Não adiantou muito,aqui estou eu-Respondeu.Juntei as sobrancelhas.Impressão minha ou o capitão estava com a língua afiada?

                        -Eu já estive aqui antes-Disse Rogers olhando para os lados,depois que havíamos pousado no meio de um milharal.Estávamos á alguns metros de distancia de uma pequena casa.

     -que Ótimo capitão,então pode me carregar -Falei me jogando nas suas costas.Ele ficou surpreso,mas no fim segurou as minhas pernas em volta da sua cintura.

   -Vai pangaré-Falei toda empolgada,colocando as mãos nos ombros dele.

-Se não parar com isso,vou te largar aqui mesmo e você vais e virar sozinha-Resmungou.Decidi deitar minha cabeça em seu ombro.

     -Você é tão bonzinho comigo capitão-Comentei quase fechando os olhos.

         -Por que está aqui?-Perguntou.Suspirei,a noite estava fria,mas o corpo de Rogers,apesar dele ter ficado congelado tantos anos,estava bem quente.

                -Clint Barton me desafiou.E Holmes,me ensinou que não se ignora um desafio-Respondi sonolenta.  

              "Meu sangue estava fervendo de raiva,como aquele cretino pode querer fazer uma coisa daquelas com uma criança? Corri até o quarto da minha mãe e peguei uma arma,a arma do papai que mamãe escondia ali.Desci até a sala onde encontrei o homem que arruinaria a vida de uma criança.

                   -Você não vai encostar um dedo em Mordecay-Esbravejei para o homem que estava de costas para mim.Ele se virou com um olhar debochado,com o celular em sua mão.

     -desligue o celular!-Ordenei.

-Me obrigue-Debochou.Escondi a arma no cós da minha calça jeans clara.Dei um chute em sua mão,fazendo o celular cair,pisei em cima do celular até ele se quebrar todo.

               -Como pode pensar em vender a sua irmã,sua própria irmã?-Perguntei séria.

                   Abri os olhos assustada,levantei de onde estava,tudo estava escuro,exceto pour uma luz fraca que entrava pela brecha da porta.Abri a porta e saí em um corredor claro,andei dois passos para fora do quarto. 

              -Oi-Disse uma voz fina atrás de mim.

-AI CARALHO-gritei pulando de susto,me arrependi de ter falado o palavrão,pois era um menino lindo que não parecia ter mais de cinco anos.

           -Quer dizer,que eu estava certa?-Perguntei sentada na mesa de jantar observando duas crianças,um bebê e uma mulher.Sim,a esposa de Clint Barton.

      -Sim-Respondeu Steve Rogers,visivelmente cansado do assunto.Eu olhava para a família maravilhada. O Clint  era um puta sortudo,a família dele é incrível.

 -Desculpe perguntar,mas ele pagou quanto para você ter filhos com ele?_Perguntei sussurrando para a mulher.

-Nefertari!_Repreendeu-me Rogers.

-O que foi?-Perguntei inocentemente.

-Está ofendendo a moça.O amor simplesmente acontece!-Disse Rogers. Bocejei mostrando a minha preguiça.

 -Acabou o lance"Amor é tudo"?-Perguntei,e logo fingi que ia vomitar,arrancando risada das crianças. Rogers bufou e se levantou da mesa.Me levantei da cadeira e andei até ele,pus a mão eu seu ombro forte.

      -Vá descansar Rogers-Pedi.Ele se afastou.

 -Estou bem-Disse.Revirei os olhos.homens.

-Nada aconteceu e nem vai acontecer,não adianta pagar de super-herói,se bem que..há você me entendeu!-Falei.Voltando a me sentar na cadeira. Rogers  respirou fundo,senti que ele estava evitando me olhar.

-Vou colocar as crianças para dormir-Avisou a esposa de Clint levando as crianças para longe da sala.

-Qual é Rogers ão é porque você tem um mega soro correndo nas suas veias que deixou de ser Humano,ou vai dizer que não caga,ou melhor. Defeca?-Perguntei.

   -Você pode por favor se calar?Estou cansado de ouvir suas asneiras-Disse saindo apressado da sala.Asneiras?Quem fala isso hoje em dia?

                 -Amor cheguei!Ué porque o Rogers está na sacada?-Perguntou Clint Barton antes de me ver sentada na sala.Seu sorriso sumiu assim que me viu.

      -Hello Baby!-Falei sorridente.A expressão dele estava de espato total.

  -Cretina!-Falou,dando soco no ar.Ri mais ainda.Me levantei da cadeira.

-Relaxe Barton,ninguém vai saber sobre sua família. Sua esposa está lá em cima com as crianças.Agora se me der licença,vou atras do capitão picolé.-Comuniquei antes de sair atras do capitão.Como faz para chegar na sacada? me perguntei olhando para a escada.

            Andei pela pequena casa atrás do capitão.Finamente encontrei a sacada.

-Finalmente te encontrei Rogers.-Falei o abraçando pelas costas.Sim,eu abracei o capitão. Gargalhei com a expressão de surpresa do Capitão.Sim,Nefertari tem seus momentos de fofura.

          -O que aconteceu?Eu te chateei meu amigo?-Perguntei docemente.O capitão ficou de frente para mim  riu debochadamente.Eita,porra!O capitão,sendo rebelde assim?

-Que isso jovem?Que rebeldia é essa?Vamos conversar-Falei,sem pensar. Rogers simplesmente me ignorou.

    -Ah Steve!Me conte o que houve,se te chateei de alguma forma,me perdoe,não foi intencional.Não é intencional,não com você-Falei alisando suavemente suas madeixas loiras.Ele respirou fundo e fechou seus olhos azuis e seu semblante sério mudou,ele estava com um ar de descontraído.

          -Você me parece tão inofensiva. Por que matou alguém?-Perguntou depois de um tempo de silêncio.Parei de mexer nas madeixas dele.

               -Eu tinha um irmão mais velho.O Paul.Minha família sempre foi de classe média baixa,ou seja,mais fácil do Paul se meter com gente que não deveria,pessoas barra pesada,sabe?Ele preferiu isso a trabalhar decentemente.

          Eu e ele sempre tivemos uma relação muito boa,éramos muito próximos,desde pequenos.Até ele se meter com essa gente.-Falei com dificuldade.Eu não queria chorar,não na frente do Rogers.Ele me olhava atentamente esperando ouvir o resto da história.

            -Um certo dia,ouvi ele marcar com seus companheiros o sequestro da nossa irmã,mais nova.Ela só tinha oito anos,sabe?Ele ficou tão violento depois que passou a usar drogas,mudou completamente.Ele ia vender ela para comprar drogas...

              Ah que tédio.O que será que Paul está fazendo?Me questionei deitada na cama olhando para o teto.

-Eu sei...Já bolei o plano todo.Amanhã Nefertari vai para a escola,mamãe vai trabalhar e a pirralha vai ficar sozinha comigo...

           Me levante correndo e colei o ouvido na porta.O que Paul quer com Mordecay?

         -Espero que dê uma boa lição naquela pirralha intrometida-Disse Paul,com sua voz carregada de ódio.Pus a mão no peito preocupada com Mordecay.Abri a porta e o vi quase descendo as escadas.

        -Paul,o que significa isso?-Questionei irritada.Ele se virou de frente para mim.

-Claus espere um segundo-Disse,tirando o celular do ouvido.E veio caminhando até mim.

  -Mana...o que está fazendo em casa?-Perguntou sorrindo docemente.Percebi em seus olhos escuros que ele estava drogado.Bati em seu ombro com força.

         -O que pensa que está fazendo?-Questionou me segurando forte pelos ombros.

 -Já está drogado?o dia mal começou-Reclamei.ELe revirou os olhos.

-NÃO TE INTERESSA-Gritou.Me soltando.

      -Tem razão.Não me interessa,eu quero saber o que pretende fazer com a Mordecay?-Perguntei engrossando a voz.

        -Não vou fazer nada...-Respondeu docemente.

-MENTIRA-Gritei para ele enraivecida.-Eu ouvi muito bem o que disse.Vou perguntar novamente.O que pretende fazer com a Mordecay?-Perguntei perdendo a  paciência.Ele olhou no fundo dos meus olhos e respondeu.

--Vou vende-la,para um cafetão!ele vais aber cuidar daquela pirralha desgraçada-Congelei no lugar.Ele não pode estar falando sério.Gargalhei nervosa,ri tanto que quase chorei.Quando finalmente percebi que ele falava sério.avancei em sua direção furiosa.

   -Que merda você tem na cabeça?Se fizer algo contra a Mordecay. Eu acabo com você.EU ACABO COM VOCÊ-Gritei  batendo nele.

-Você não vai fazer nada contra mim-Disse me empurrando na parede.Bati com as costas na parede e caí no chão aos prantos.

-Eu sou seu irmãozinho favorito,esqueceu?-Debochou.

-Por favor,não faça nada contra ela.Por favor-Implorei de joelhos e com as lágrimas caindo.

-Nefertari minha querida,você não entendeu.Se eu não machuca-lá hoje,pode ter certeza que algum dia eu farei.Eu a odeio! E não vou descançar até ver essa menina morta ou bem longe de mim.-Disse e desceu as escadas falando no telefone.

            Encostei a cabeça na parede e chorei desesperadamente.Se eu não fizer nada,mordecay vai ter sua vida arruinada,mas se eu fizer algo vou arruinar minha vida e a do meu irmão.O que você faria pai?Pus as mãos na cabeça desesperada.De repente,senti como se soubesse exatamente o que tenho que fazer.Sequei as lágrimas do meu rosto e corri para o quarto da minha mãe,abri a primeira gaveta da comoda e peguei uma arma,a arma do papai que mamãe escondia ali.Desci até a sala onde encontrei o homem que arruinaria a vida de uma criança.

-Você não vai encostar um dedo em Mordecay-Esbravejei para o homem que estava de costas para mim.Ele se virou com um olhar debochado,com o celular em sua mão.

-desligue o celular!-Ordenei.

-Me obrigue-Debochou.Escondi a arma no cós da minha calça jeans clara.Dei um chute em sua mão,fazendo o celular cair,pisei em cima do celular até ele se quebrar todo.

-Como pode pensar em vender a sua irmã,sua própria irmã?-Perguntei séria.

-Você não consegue entender que  eu odeio aquela pirralha? Minha irmã é você-Respondeu.

-Só por que ela é filha do Stark?é isso?Por que tanto ódio de uma criança?uma criança que te ama tanto -Perguntei ,as lágrimas voltaram a cair sem controle pelo meu rosto.

-Porque aquela  pirralha é filha do homem mais rico do mundo,enquanto nós dois,Nefertari,somos filhos de um detetive falido que nos abandonou com uma mão na frente e outra atrás.Aquela pirralha só serve para ser vendida por um preço bem alto-Disse.Pus a mão na boca,horrorizada com tanta  maluquice.Esse não era o Paul

-Não fale do papai,ele fez isso para nos proteger.Ele nos amava.Paul,você não é assim.Não vê no que eles te tornaram meu irmão?-Perguntei,me aproximando dele e pus as mãos em seu rosto.Ele afastou minhas mãos com força.

-Como assim ele não serve  para você?e eu? sirvo para alguma coisa?ou vai me vender também?-Questionei.Ele riu.

-Por enquanto não...-disse analisando o que falei.O olhei incrédula.Novamente fui tomada por uma raiva incontrolável,alguém comandava meu corpo e não era eu.Saquei a arma da minha calça.

-Acha que me assusta com o seu brinquedinho Nefertari?Eu te conheço,você não é capaz disso-Disse olhando para arma.

-Olhe por mim meu irmão e quando encontrar o papai diga que o amo-Falei e apertei o gatilho.Senti o impacto do tiro na arma que foi um pouco para o lado,mas acertou em cheio a cabeça do meu irmão que caiu morto.A onda de raiva se foi da mesma forma que veio e de certa forma voltei ao controle do meu corpo.

     -E foi assim que matei meu irmão-Terminei de contar a história para Rogers,que me abraçou.As lembranças do assassinato do Paul veio na minha cabeça tão forte que não contive as lágrimas.Pelos braços de Rogers vi o milharal.Me soltei dos braços de Rogers e corri para fora da casa sem olhar para trás.Entrei no milharal e só conseguia senti o ar entrando nos meus pulmões fortemente e as espigas de milho batendo em meu rosto.

-Eu ouvi tiro?-Perguntou mamãe entrando na casa com as mãos cheias de bolsas de compra.

   -AH MEU DEUS-Gritou quando viu o corpo de Paul no chão e a arma na minha mão.

-ASSASSINAAAAA-Gritou a plenos pulmões.

Os berros ecoavam na minha mente enquanto eu corria milharal a dentro com a visão turva pelas lágrimas.

ASSASSINA,ASSASSINA,ASSASSINA.

   -EU NÃO SOU UMA ASSASSINA-Gritei sozinha.Sem consegui enxergar o chão tropecei em uma poça de lama e cai no meio da poça. Ótimo estou no meu lugar.Na poça de lama.Sem forças para me levantar,continuei chorando ali.

       Fechei os olhos um pouco sonolenta.De repente senti um impacto muito forte,como se não houvesse chão embaixo de mim,sem coragem de abri os olhos senti meu corpo ser envolto por algo e do nada o impacto final.Acho que encontrei o chão.A dor foi tão forte,como se minha coluna e costelas tivessem decidido sair pela boca e minha cabeça tivesse explodido mais eu continuo viva.

  -Estais bem senhorita?-Ouvi uma voz forte com um sotaque engraçado perguntar.Abri os  olhos,não consegui enxergar nada devido a dor.Só consegui ver dois olhos azuis familiares antes de tudo ficar escuro novamente.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...