História Better Together - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~Littlegirl19

Postado
Categorias Austin & Ally
Personagens Ally Dawson, Austin Moon, Dez, Patricia "Trish" Maria De La Rosa, Personagens Originais
Exibições 18
Palavras 2.588
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Musical (Songfic), Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hey, voltamos. O mistério da pessoa inesperada será revelada agora. Obrigada pelos comentários de vocês.
Segue o capítulo logo abaixo.
By : Mel e Little

Capítulo 3 - Ciúmes & Eu não gosto de você


Fanfic / Fanfiction Better Together - Capítulo 3 - Ciúmes & Eu não gosto de você

POV Austin

 

Ele era loiro, como eu. Seus cabelos bagunçados, como os meus. Podia dizer que estava me vendo, uma versão brava e de estilo diferente. Seus olhos eram os únicos que não eram parecidos aos meus, eram verdes.


Seus braços estavam cruzados e as mãos apertadas, deixando as dobras dos dedos brancas. Eu ainda continuava próximo a Ally enquanto o garoto ainda nos encarava.


—Cain?!- disse Ally. 
—Eu mesmo.- disse se aproximando e parando a nossa frente. Em sua voz havia sarcasmo.- Quem é esse cara?
—Cain, esse é Austin. Lembra daquele amigo que viajou?- o tal Cain concordou- Então, ele voltou.-Ally levantou e ficou ao lado dele e depois fixou o olhar em mim.- Austin, esse é Cain , meu namorado.


Namorado? Ela disse namorado? Não esperava por essa. Minha pequena com um namorado.


Levantei e fiquei cara a cara com o sujeito. Ele me encava e não era nada amigável. Ótimo, melhor assim.


Estiquei a mão e ele esticou a dele e apertou a minha. Apertei meus dentes na boca, jurei ter ouvido um ranger da parte dele.
—Não sabia que Ally estava namorando.- falei enfim.
—É, mas ela está. Faz seis meses, não é amor?- ele jogou o braço no ombro dela.


Ally sorriu tensa. Aquilo estava ridiculamente constrangedor. O encarei, ele ainda parecia chateado. Bom, não é para menos, eu estava alisando a namorada dele.


—Eu não sabia.
—Nós perdemos contato, lembra?- disse Ally sendo óbvia.
—É.- cocei a nuca e sorri de lado.
—Então, pequena, o que você está fazendo aqui?


Ele a chamou de pequena? Minha cópia a chamou de pequena? Tenho vontade de socar a cara dele. Okay, reação exagerada, mas ela é a minha pequena, sempre foi.


—Patinar, Dez e Trish ficaram na pista. Eles estavam brigando de novo, deixei eles lá. 
—Sei, então, topam almoçar no shopping? Piper disse que vai, Elliot e Kira estarão lá também.
Elliot, Ally e Kira no mesmo lugar? Droga, eu não deveria ter viajado. 
—Você quer ir Austin?- pergunta Ally.
—Por mim tudo bem, vamos chamar Dez e Trish? 
—Eles nunca concordam, mas podemos tentar.


Sorri para ela e concordei. Ally entrelaçou os dedos aos dos garoto e sorriu para ele. Quando ele retribui e a abraça de lado ela acaba corando. Que legal.


No meio do caminho encontramos Dez e Trish. Ao se aproximar de nós, noto Dez meio apreensivo e Trish olhava feio para Cain.


—Vamos almoçar?- perguntou Ally.
—Onde?
—No shopping com Kira, Elliot e Piper. Qual é? Vamos lá ,Trish.
—Não, dispenso. Não estou com humor de suportar esse daí- apontou para Cain- e o resto da trupe do barulho. 
—Trish! - repreendeu Ally- Não fala assim, você não pode implicar tanto assim com meu namorado. Mas tudo bem, Dez você vem?


Dez olhou além de Ally. Eu dei um olhar suplicante e ele deu um sorriso nervoso.


—Pode ser divertido.- respondeu. 
(...)
Paramos no estacionamento do shopping, agora eu fui no banco traseiro com o Dez, enquanto Cain dirigia. Trish não quis vim de jeito nenhum, no caminho até o carro ela encontrou Trent, o carinha que ela gosta. 
Novamente Ally foi abraçada com seu namorado na frente. Dez e eu conseguimos enfim conversar.


—Então, qual é da cara apavorada?- perguntei.
—Não tem cara apavorada.
—Não agora, mas lá no parque eu vi bem. Vai me contar? 
— Cain é do tipo bad boy, faz bulling com todos. 
—Com você também?
—No começo do namoro deles- ele apontou para Ally e Cain.- ele havia parado, mas depois de um tempo voltou a fazer. 
—Você falou isso a Ally?
—Trish falou. Ally ficou arrasada, conversou com o Cain, ele prometeu parar. Conversa fiada, na semana seguinte lá estava ele novamente.
—Ele tem cara de babaca mesmo. Droga, quando pedir para Ally se soltar não imaginei que ela viraria namorada de um babaca.
—Nem me fale, mas eu já me acostumei. 
—Não de...


Não conclui meu raciocínio, pois braços finos estavam em torno de mim. A pessoa tinha o rosto em meu pescoço e eu estava perdido em um mar de cabelos loiros.


—Você voltou? Céus, você voltou! Eu estou feliz, muito feliz.


Conhecia aquela voz e aquele cabelo. Passei meus braços ao redor dela e retribui seu aperto.


—Também estou feliz.
Ela distanciou o rosto apenas para me olhar e eu me perdi nos olhos verde que um dia fui apaixonado. 
—Você está diferente. 
—Você não está, continua linda. 
—Eu não acredito que você está aqui.- ela voltou a me abraçar.
—Podemos ir comer?- perguntou Ally nos interrompendo.


Não havia notado quando suspendi Piper, mas agora eu estava colocando a loirinha no chão. Ela segurou firme meu braço e começou a caminhar, Dez veio ao meu lado sorrindo.


—Oi Dezis.
—Já falei para não me chamar assim. -respondeu o ruivo com cara de tédio.- Oi Pimentinha.
—Tudo bem crianças sem brigas.- passei o braço no ombro de Piper, que lançava um olhar bravo para Dez, e a puxei para mais perto.- Você ainda mora no mesmo prédio da Ally?
—Me mudei para o segundo andar. Você vai voltar para lá? 
—Vou. Então, qual é a do apelido?
—Pimentinha?- perguntou Dez e eu concordei- Essa menina irritada é mais quente que uma pimenta.- Dez piscou para mim e Piper deu um tapa no braço dele, não deixei de ri.


Quando chegamos a praça de alimentação encontramos Kira e Elliot. Eles continuam insuportáveis e por mais incrível que pareça ainda são namorados.


—Fala aí , Austin- ele levantou e apertou minha mão.- Voltou para ficar?
—Sim.- sorri e dei um abraço leve em Kira.- Oi, Kira.
—Olá, Moon.


Nos sentamos, Ally de um lado e Piper do outro. Era estranho ver elas amigas agora.

 

POV Ally


Desde que encontramos o Cain no parque, o Austin ficou diferente comigo. Estávamos antes em um clima tão bom, em um conversa tão boa, aliás, desde a noite passada quando meu melhor amigo voltou tudo parece ter melhorado. Ele notou minha transformação logo de cara, mas ele também estava mudado: o rosto tinha semblante mais velho, seus braços estavam mais fortes, evidenciando seus músculos, seu cabelo estava mais comprido, jogado para o lado ,bagunçado como sempre e com a franja caindo levemente acima dos olhos. Seus olhos... são como um belo ímã. Seu sorriso... Seu abraço aconchegante... Todos aqueles mínimos detalhes que o faziam tão especial continuavam os mesmos.

Okay, eu não vou mentir que ver aquela figura na minha frente de novo não me perturbou em nada.

Foco, Ally ! Ele namora e você também. Mas o seu charme é tão viciante e para piorar a minha situação parece que esses três últimos anos só conseguiram o deixar ainda mais perfeito. Como isso é possível? Mas isso não interfere em nada, o Austin é só seu amigo e te enxerga como tal. Então esquece esses pensamentos e não se ilude de novo. Sua vida está maravilhosa: você não é mais tão tímida, ganhou mais autoconfiança, um novo e lindo estilo, um namorado, você só precisa... Parar com urgência com essa mania de falar sozinha mentalmente. Anotação mental : O Austin é só seu amigo, seu melhor amigo!


O almoço tinha sido até que “suportável” no shopping. Pedimos tacos, salada, sucos e sobremesa. Notei que o Austin conversava muito com o Dez na mesa. Parece que tinham se dado bem. Fico feliz por isso. Mas ele( Austin) mal falou comigo,até por que a Piper , que estava do lado dele, fazia questão de puxar papo entre uma conversa ou outra do Austin com o Dez. Sim, nos aproximamos nos últimos anos por clubes da escola e festas fora dela, mas a preferência continuava sendo minha. E ela tinha que entender isso.


O resto da tarde, porém, tinha sido um pouco tensa.


Depois do shopping, fui assistir ao ensaio da banda do meu namorado, pelo menos era para eu ter assistido, mas a falta de atenção tomou conta de mim. Corpo presente, mas mente fora de órbita total. Nas últimas horas, peguei um foguete para pousar em Marte.

(...)

Parei o carro . Precisava pensar um pouco e nada melhor que andar pelo Central Park. O meu Central Park. Sair do estúdio onde estava e fui direto para lá.


A noite estava bonita, o frio não me incomodava. Caminhar por aquele espaço gigantesco me fazia bem. Ficar sob aquela copa de folhas ainda não nevadas era relaxante.


— Hey ! Estou a pensar agora que está me perseguindo. – Austin aparece ao meu lado com um sorriso, mas eu não paro de andar.
— Você vai ficar muda comigo ?- pergunta confuso - Me ignorar ?– insiste e me acompanha pelo trajeto – Ally ?
— A Piper cansou de ficar com você e é por isso que decidiu me procurar ? – falo sem olhar para ele nem parando minha caminhada.

— Você está brincando, né ? 
— Não.
— Eu pensei que a Piper fosse sua amiga.
— E eu que eu fosse especial. Sua melhor amiga! Você falou mais com ela do que comigo, eu voltei para a mesa e você tinha ido embora... com ela. Nem se despediu. Agora teve um tempo livre e se lembrou que eu existo? Já não bastava aquela cena ridícula ?
— Que cena ridícula ?
— A do abraço de vocês. Você a suspendeu e tudo. Só faltava a girar no ar também. Ia ficar uma cena perfeita, não acha ?
— Tipo assim ? – em um movimento rápido e por descuido da minha parte, ele me pega pela cintura e me rodopia vezes e vezes sem contas no ar. Eu por instinto coloco minhas mãos em seu pescoço e não deixo de gritar e sorrir pela surpresa. Depois de uma a três vezes me girando suspensa, enfim , me põe no chão. 
— Louco! – bato em seu peito de leve com um sorriso ainda no rosto.
— Abraço com giro é só um direito seu. Não tem graça fazer com a Piper. Será que a gente pode conversar agora ?
— Isso não muda nada. Eu continuo brava. –volto a ficar séria e me dirijo para a ponte Bow Bridge que estava a alguns passos de nós , a famosa ponte que cruza o lago The Lake e símbolo dos filmes gravados no Central Park. O que é ? Não tem como não se lembrar desse fato. 
— Ally,volta aqui. – ele me segue e paramos no meio dela. - Escuta, eu só fui embora com a Piper, porque eu não aguentava mais ficar ali com aquele seu Cain, não gostei dele e a recíproca pareceu ser a mesma. E outra “pequena’’, Ally ?Esse babaca parece querer roubar tudo de mim.
— Quanta maturidade ! Vocês têm o quê ? Três anos ? 
— Vai dizer que estou mentindo ? Você não viu a semelhança? Cabelo parecido, porte físico semelhante. Ok, eu sou mais alto por alguns centímetros, meus olhos não são verdes, meu cabelo é mais comprido...e com certeza mais sedoso...
— Sua humildade é admirável! – ironizo. – Terminou ou tem mais ?
— Tem sim, não tenho aquele rosto frio, com uma carranca de bad boy por onde passa.
— Sabe a diferença entre vocês dois? Ele não é tão criança e escandaloso como você. Austin, você nem conhece ele direito.
— Pelo que eu vi já não gostei. Ally, ele não tem nada haver com você. Ele é um babaca! 
— Aus, esquece, eu cansei! Se você quer continuar a julgar e criticar o meu...- eu começo a sair, mas sou impedida. 
— Pequena, espera! Eu não quero brigar com você. Pelo contrário, eu vim pra cá justamente porque queria pensar um pouco. E com sorte te encontrar. Esqueceu que temos gostos parecidos? Eu odeio te ver chateada , principalmente, se for comigo. Não faz assim... Vamos esquecer qualquer motivo para discussão só por hoje, por favor. Trégua?


Austin tinha me puxado para perto e me segurava pelos antebraços, mantínhamos nossos olhares cúmplices.


— Eu não consigo te dizer não mesmo. – abro um sorriso e ele reage da mesma forma – Eu só espero não me arrepender depois.
— Eu te adoro quando fica bravinha, mas o seu sorriso é imbatível.


Eu fico sem graça e ele percebe. Rir da minha vergonha como sempre. Me inclino e me encosto na ponte e fico a olhar para a água abaixo e para toda paisagem em volta. Vejo que o Austin ao meu lado repetia o gesto.


— Eu também acho estranho quando ele me chama de pequena. – ele olha para mim e eu continuo – No começo foi bem mais difícil, até hoje não consigo não associar esse nome a você, mas ele é o meu namorado, Aus, ele não tem culpa e não tinha como saber. Eu até ponderei no início em explicar para ele, pedir para ele parar, mas acabei desistindo quando ele demonstrou ter ciúme de você.
— Ciúme de mim ? 
— Quando eu falei para ele sobre você, da nossa amizade. Mas vamos mudar de assunto, você concordou em esquecer qualquer motivo para briga. Eu só queria que você soubesse que não esqueci o seu apelido especial.
— É bom saber disso. Mas ele continua sendo especial, porque fui eu que te dei e você vai continuar sendo minha pequena. – sorri e toca meu nariz de leve.
— Bobo! – não consigo deixar de sorrir.
— Ally, eu tenho um convite para te fazer... Na verdade, dois.
— Sério ? Fala. Sabe que sou curiosa.
— Lógico que sei. – ele rir alegremente me encarando – É por isso que adoro provocar e aumentar sua ansiedade.
— Aus ? 
—Alls? 
— Por favor !
— Ok. O primeiro é... Você topa jantar comigo agora?
— Depende. 
— Pizza, eu deixo você escolher os sabores e... pago uma sobremesa repleta de chantilly. 
— A maior que tiver no cardápio ? 
— Desde quando ficou tão aproveitadora e gulosa ? – ele me olha com o olhar cerrado e cruza os braços.
— Desde sempre. A graça é justo essa. Implicar com você.
— Ah é, pequena ? Então vai ter troco. – eu só grito. Por quê ? Austin me pega pela cintura e me coloca em seus ombros, me fazendo ficar de cabeça para baixo.
— Austin! – me manifesto batendo nas suas costas e tentando me soltar, ele já andava comigo com a maior naturalidade do mundo – Austin me solta. Aus, as pessoas estão vendo a gente, sabia ? Por favor.
— Eu sei. Mas quem estar aí presa não sou eu , não é ? – ele rir – Boa noite, senhor. Sabe como é , né ? – Austin rir ainda mais ao passarmos por um casal mais velho – Fica quieta, Ally.
— Você sabe que quando eu estiver no chão eu vou te matar, não sabe ? 
— Se o problema é esse, eu não te largo mais.
— Você tá pretendendo me carregar assim até a pizzaria ? 
— Se for preciso sim, ela fica aqui perto. Mas se colaborar, eu tenho uma condição pra te pôr no chão mais rápido. 
— Eu faço qualquer coisa.- suplico rápido.
— Vai confessar que eu sou o garoto mais lindo, charmoso e gostoso que viu na sua vida. O seu loirinho favorito.
— Nem pensar. Você tá louco!
— Você disse que faria qualquer coisa. Mas tudo bem. Eu acho que mudei de ideia, tem uma pizzaria daqui a umas seis quadras , um pouco longe pra ir a pé, mas eu não me importo de andar. 
— Ok, ok. Você venceu. Eu falo. Austin, você é o garoto mais lindo, charmoso e ... gostoso que eu vi na minha vida. Meu loirinho favorito!
— Com toda a sua sinceridade ?
— Yah. Com toda minha sinceridade. Agora me solta.- ele cumpre com o acordo.
— Eu fiquei lisonjeado com suas palavras, pequena.
— Eu não acredito que disse isso. Eu devia te matar! 
— Mas não vai, porque me ama. E eu também te amo. Agora vamos ? Eu estou faminto.
— Espera, e o segundo convite ? 
— Na pizzaria, eu te conto. Agora vem.


Ele segura minha mão e caminhamos juntos.


Notas Finais


E aí? Momentos Auslly aprovados? E a cópia do Austin?
Divisão do capítulo :
Pov Austin : Little
Pov Ally : Melissa

Até mais. Beijo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...