História Betting Hearts - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias ASTRO
Personagens Eunwoo, Jinjin, MJ, Moonbin, Rocky, Sanha
Tags Ahn Chaeyoung, Alice, Astro, Binwoo, Cha Eunwoo, Eunbin, Jinjin, Kang Hanna, Kangjoon, Kim Myungjun, Kim Saeron, Lee Dongmin, Lee Minhyuk, Minha, Mjin, Moon Bin, Myungjin, Park Jinwoo, Rocky, Saeron, Sanha, Seo Kangjoon, Yeoreum, Yoon Sanha
Exibições 162
Palavras 3.326
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Mais de dois meses se passaram sem atualização alguma, e eu gostaria de pedir desculpas do fundo do meu coração. Como eu havia comentado nas notas do último capítulo postado, eu estaria entrando em provas até o dia 28, e eu fiz isso. O problema é que pouco depois que as provas acabaram eu fiquei sem inspiração, cheguei a escrever a base da fanfic INTEIRA do ponto de onde parei até o final, mas perdi tudo, refiz tudo há umas semanas. E ainda por cima, comecei a estudar um mês antes para as provas finais, mais um motivo para que não conseguisse atualizar. Mas tenho ótimas notícias, eu terminei minhas provas ontem, já passei em cinco das sete matérias (a nota de duas ainda não saíram, alias, uma sai hoje e estou super ansiosa). Isso significa que, com as férias aí, com a base do capítulo aqui certinha, eu terei mais chances de conseguir escrever a fanfic. Irei me esforçar ao máximo para evitar grandes atrasos, mas ainda estou meio fraca de inspiração e cansada, já peço desculpas se esse capítulo não suprir a saudade de vocês ou tiver algum erro.
E ah, antes que eu me esqueça, percebi que tem leitores novos... O povo não anda comentando, poxa, onde vocês estão? kekeke Sejam bem vindos aos novos leitores, e espero que gostem e continuem acompanhando.
Espero que gostem... Chega de enrolação e vamos pra ação!

Capítulo 15 - Reencounter


Fanfic / Fanfiction Betting Hearts - Capítulo 15 - Reencounter

                Talvez isso fosse longe do esperado para a maioria das pessoas dentro daquela empresa, com exceção de Samantha Jones. Parecia que no momento em que seus olhos se encontraram com Dongmin algo lhe dizia que o jovem faria sucesso, e era justamente o que precisavam. Já Moonbin, o dono de toda a empresa, não esteve tão confiante, sua surpresa foi gigantesca ao receber os números relacionados à campanha envolvendo o modelo novato. No fundo o empresário sabia que a sua esperança era a de que tudo acabasse se desenvolvendo de uma maneira terrível e pudesse demitir o mais novo de uma vez por todas. Havia prometido apoio, o ajudaria a encontrar o amigo e sabia que Eunwoo precisava do emprego, querendo-o ou não, era uma relação onde todos saíam ganhando. Ao menos ao que tange aos negócios.
                Obviamente, por conta do grande sucesso, o moreno foi contratado para muitas outras campanhas, que trariam ainda mais lucro. Por mais que não gostasse disso, Moonbin seria obrigado a conviver com o “ex romance” por mais um bom tempo. E a cada dia aquilo se tornava uma tortura maior, era impossível passar pelos corredores e simplesmente fingir que o jovem não existia, como se ele fosse o vento, invisível ao seu redor, esquecendo-se completamente da sua existência. Simplesmente conviver, como se não fosse algo que influenciasse a sua vida, mas influenciava. A cada noite Bin tinha mais certeza destas influências.
                No fim das contas era sempre um obstáculo maior a cada dia, como se o Lee a cada instante conseguisse ficar mais radiante. Talvez fosse sua beleza natural realçada pelos longos períodos de preparação para as campanhas nas quais agora ele era envolvido, ou a doçura e simpatia que ele exalava por todos os cantos, encantando qualquer um em seu caminho. Homens, mulheres, todos seriam capazes de cair diante dele de joelhos, e Moonbin se corroia por dentro por saber que, no fundo, queria fazer o mesmo. E o seu ciúme era algo que o incomodava também, por mais que tentasse manter o profissionalismo de cada dia, seu coração não desistia de implorar pelo afago de Dongmin. Era como se todos os dias perdesse a cabeça.
                O modelo, por sua vez, focava-se em agir o mais natural possível. As atitudes de Moonbin eram muito estranhas, não negaria, mas também as evitaria ao máximo. Não eram coisas que mereciam a sua atenção, tinha assuntos muito mais importantes a se focar no momento, não podia ficar ocupando a cabeça com paixões idiotas que nunca seriam correspondidas. O pior eram as noites solitárias, onde não tinha muito além de seus pensamentos para ocupar a cabeça, e sempre acabava perdendo a batalha para a própria mente. Sentia-se completamente exausto dos sonhos e desejos, mas fazia questão de acordar no dia seguinte como se nada tivesse acontecido. Era só mais uma noite normal, mais viagens mentais impróprias, mãos ansiosas a tocar o corpo delicado... Tudo era mecânico demais. Suas fantasias não eram supridas com simples toques próprios, por mais que fingisse, quando abria os olhos não havia ninguém ao seu lado. E nem sabia se queria, tinha tanto medo, até porque sua primeira vez não havia sido exatamente das melhores. Muito mais agradável do que esperava, claro, mas sempre esperou que fosse acontecer em condições muito diferentes. Talvez a situação ainda o assustasse? Poderia ser este o motivo para ter negado tantos convites a encontros que recebeu nos últimos dias, ou simplesmente a sua cabeça estava em outro planeta? Ou melhor, outro alguém.
                Era tão ridículo, realmente precisava seguir adiante, era o que pensava. E parecia que o destino resolveu ler seus pensamentos.
                Certa noite, quando saía da empresa depois de mais um dia longo de trabalho, qual não fora a sua surpresa ao encontrar-se com uma pessoa conhecida que passava bem diante do prédio. Era curioso vê-lo ali, certamente uma grande coincidência, quem sabe um sinal? Fazia tanto tempo que não se falavam, havia perdido contato, mas agora era a chance.
                - Kanjoon? – Chamou o mais novo, com um certo medo de simplesmente ter confundido duas pessoas semelhantes na rua, e respirando aliviado ao ver o rapaz virando em sua direção com um olhar um tanto curioso e a boca entreaberta.
                - Você! – Andou na direção do rapaz, ficando parado diante dele. – É o garoto daquele dia. Nossa, mas que enorme coincidência.
                - Nem me diga, e quanto tempo! – Sorriu, ajeitando alguns fios de cabelo por detrás da orelha. – Como vão as coisas?
                - Bem, bem... – Agarrou o braço do mais novo, o puxando um pouco até o canto para que não ficassem parados diante da porta do prédio. – Ainda estou curioso para saber seu nome, esta é a única coisa que me incomodou nos últimos dias. – Riu.
                - Oh, é mesmo... – Abaixou um pouco a cabeça. Lembrava-se da situação, depois do mais velho ter o salvado e ajudado, simplesmente apavorou-se ao ver uma imagem de Moonbin na televisão e fugiu sem sequer lhe dizer o nome. Havia sido bastante rude de sua parte. – Lee Dongmin... Eu me chamo Lee Dongmin, me desculpe por não ter dito isso antes. – Ergueu o olhar e sorriu um tanto sem graça para o companheiro, que retribuiu o gesto com um sorriso mais afável.
                - Dongmin... Nome bonito, o seu. – O mais novo corou pelo elogio, e Kangjoon ficou visivelmente satisfeito com isso. – O que está fazendo aqui?
                - Eu trabalho aqui agora. – Olhou na direção da empresa, apontando brevemente também antes de retornar seu foco para o companheiro. – Estava passando aqui por acaso?
                - Sim, eu estava resolvendo uns assuntos e acabei pegando esse caminho para retornar. Parece que foi o destino!
                - Realmente. – Murmurou.
                - O que me diz de aproveitarmos a chance? Ir para um lugar mais privado onde podemos conversar sem sermos incomodados. – O mais velho tocou brevemente o antebraço alheio, fazendo ali uma espécie de carinho. Eunwoo estranhou o ato, mas não impediu de imediado, quem sabe pelo choque momentâneo, e pigarreou antes de afastar o braço e conseguir se pronunciar.
                - Eu não sei se devo...
                - Oras, já estamos no fim de semana. Ou irá trabalhar até nos sábados e domingos? Acredito que também precisa de uma folga. E mesmo se tiver compromissos, prometo que será algo breve. Um jantar, o que me diz? – Sorriu radiante, tentando passar mais segurança ao moreno no ato, quem sabe assim ele acabasse cedendo.
                - Tudo bem, se insiste. – Sorriu fraco, tendo o braço enlaçado por Kangjoon e guiado na direção de onde ele vinha anteriormente.
                Ficando para trás sem que notassem, tão imersos que estavam na conversa até então, deixavam passar o fato de que estavam sendo observados nos últimos segundos, e por ninguém menos do que Moon Bin. O empresário saiu a tempo de vê-los saindo de braços dados, e nem ele mesmo conseguia explicar o quanto aquilo havia o irritado. Era como se uma chama tomasse conta de seu ser, tinha certeza que se tivesse tido tempo provavelmente acabaria pulando no pescoço de Kangjoon.
                Só havia uma coisa que poderia fazer naquele instante... Seguiu dois passos em direção ao carro ali estacionado, mas parava em meio ao percurso e olhava na direção onde os outros dois havia seguido, grunhindo, irritado consigo mesmo, antes de decidir rumar pelo mesmo caminho. Iria observá-los, com sorte, sem que fosse notado.
                Os rapazes entraram em um restaurante e escolheram uma das mesas acolchoadas perto da janela, e Moonbin fez questão de escolher uma estrategicamente posicionada, ou melhor, uma onde o mais novo não pudesse enxergá-lo os observando por trás de um cardápio. E por um bom tempo tudo não passava de uma simples conversa, ah, Bin seria capaz de pagar para saber sobre o que eles conversavam, e ambos pareciam tão imersos no assunto. Saber que aquela pessoa tinha tanta atenção de Eunwoo lhe incomodava, seus dedos pressionavam o cardápio a ponto de fazê-lo tremer, se este não fosse feito de um material resistente certamente já teria sido dobrado ao meio.
                - Andou fazendo algo de interessante além de trabalhar? – Perguntou, balançando levemente a taça com o vinho que havia pedido. Algo bem diferente de Dongmin, que acabou optando por um suco de laranja, não gostaria de ficar alcoolizado.
                - Minha vida anda se resumindo só nisso. – Riu fraco, dando um gole em sua bebida. Kangjoon arqueou as sobrancelhas, aproximando a taça dos lábios.
                - Parece triste. – Comentou em um tom baixo antes de tomar uma pequena quantidade do conteúdo de sua taça, largando-a novamente sobre a mesa.
                - Não tenho do que reclamar. – Deu de ombros.
                - Já eu acho que precisa de um pouco de animação na sua vida. – Estendeu a mão, colocando-a sobre a do moreno que estava em cima da mesa. Eunwoo estranhou o novo toque repentino, mas antes que pudesse sequer pensar em se afastar o mais velho segurava com firmeza da destra alheia, puxando-a um pouco em sua direção enquanto levantava-se levemente de seu assento, inclinando-se na direção do outro mesmo com a mesa ali como obstáculo.
                O olhar de Dongmin parecia perdido, os lábios entreabertos enquanto observava o companheiro se aproximando de si com um sorriso devasso nos lábios bem desenhados. Já era bastante claro o que ele queria fazer, por que então que o Lee não se afastava? Por que continuava ali, parado, permitindo que ele fizesse o que se passava por sua mente? Aquilo não era errado?
                Quem sabe o motivo era que o jovem não conseguia escapar? Apenas deixaria com que as coisas fluíssem, afinal, aquilo não o mataria, tampouco machucaria alguém. Seus olhos se fecharam com força, como se estivesse se preparando para tomar uma injeção quando era uma criança e sua mãe lhe dissesse para “ser um bom menino e não chorar”. Já estavam a centímetros um do outro, podia sentir a respiração indo de encontro com a sua pele, a ponta dos narizes se tocando de maneira delicada... Mas o beijo não veio, ao invés disso, sentiu algo puxando o mais velho para longe de si, sendo pego totalmente de surpresa.
                Quando abriu os olhos percebeu que alguém havia afastado Kangjoon de si, o puxando para fora da mesa e deixando preso contra o chão, aparentando estar completamente alterado. E, para a surpresa do mais novo, não era qualquer pessoa.
                - M-Moonbin?! – Levantou-se, tentando afastar o menor, que agora desferia um soco certeiro contra o mais alto que manteve imóvel abaixo de si. – O QUE ESTÁ FAZENDO? FICOU LOUCO?
                Eunwoo agarrou as vestes do empresário, tentando o puxar para longe, mas falhando. Apenas conseguiram quando dois seguranças chegaram e tiraram-no a força; Kangjoon sentou-se no chão, passando o polegar pelo lábio que acabou cortado e sangrava por conta do soco, realmente parecia doloroso. Dongmin não sabia o que fazer, estava completamente confuso, mas tentou ajudar o mais velho a se levantar do chão, com quem o plano era ter uma noite tranquila para conversarem e jantaram. Tudo havia dado completamente errado até aquele ponto
                - ME LARGUEM! – Exclamou Moonbin, puxando os braços que até então eram segurados pelos dois homens que apareceram para contê-lo. Seu olhar, ardendo em chamas por tanta raiva, dirigiu-se à Eunwoo antes que prosseguisse com a fala. – Eu não tenho mais nada que me interesse aqui.
                E sem dizer nem mais uma palavra ele partia, deixando para trás burburinhos, um Kangjoon tentando limpar os lábios com um guardanapo, e um Dongmin completamente abalado. Aquelas palavras foram como uma facada direta em seu coração, a cada dia ficava mais claro que o único sentimento que o seu chefe conseguia nutrir era o de ódio. Isto até o fazia pensar como as coisas seriam dali em diante, como seria capaz de acordar no dia seguinte e andar pelos corredores da empresa, sabendo que a qualquer momento poderia dar de cara com Moonbin. Precisava manter uma boa relação com ele ou poderia nunca reencontrar seu amigo, ele era a sua única ponte para que reencontrasse Jinjin, mas em situações dessa maneira? Era praticamente impossível de se manter a paz, e agora era como se seu coração estivesse sendo esmagado, mas se manteria forte. Recusava-se a chorar, por mais que quisesse, se fosse para isto ser feito que fosse quando já estivesse sozinho em seu quarto de hotel.
                - Me desculpe por isso... – Ouviu o mais velho comentar atrás de si, se virando para ele e vendo em sua expressão sentimentos sinceros. Quem dera se os sentimentos de Bin fossem assim, tão fáceis de ler.
                - Eu que lhe devo desculpas, não esperava que algo assim fosse acabar acontecendo. Estragou toda a noite. – Suspirou, sentindo-se culpado. Realmente, acabou aceitando o convite esperando ter uma noite calma que aliviasse seu estresse e acabasse com os problemas, os pensamentos confusos, mas recebeu o contrário. E olha que nem era ele quem havia levado um soco direto na boca, imagine como estavam as coisas para Kangjoon?
                - Se me deixar te levar para sua casa ficaremos quites, o que me diz?
                - Acho que vou passar dessa vez. – Passou a destra pelos cabelos, sentindo-se um tanto estranho. Toda aquela situação havia acabado com o clima agradável da noite, precisava de um tempo sozinho, queria pensar. – Mas obrigado.
                Neste instante o mais velho segurava a mão de Eunwoo, guiando-a até que estivesse próximo de seus lábios e deixando ali um selar delicado, pouco se importando com o fato de ter machucado a área labial a menos de cinco minutos atrás.
                - Ficarei te devendo. – Sorriu.
                O mais novo simplesmente sorriu fraco, murmurando um desejo de boa noite antes de retirar algumas notas de sua carteira, deixando sobre a mesa para pagar o que havia consumido, e logo saindo do estabelecimento.
                Tudo era confuso. Por um lado havia Moonbin, que em certos momentos agia como se estivesse enciumado para segundos depois dizer que já não se importava mais, ou o ignorava por dias, para depois voltar a agir como uma pessoa normal. Será que ele estava tão confuso quanto o próprio Lee?
                E ainda tinha Kangjoon agora, ele aparentava estar bastante interessado, isto já era bem mais do que claro naquele ponto. O problema era que Eunwoo não fazia a mínima ideia do que fazer, e tudo o que conseguia querer naquele instante era uma boa noite de sono, por mais que sentisse que seria uma das últimas coisas que conseguiria naquela situação.

                                                                              ✧

                O dia amanhecia, um novo dia cheio de novas oportunidades, compromissos, e Eunwoo não poderia estar mais exausto. Só conseguiu adormecer depois de muito tempo mudando de novo e de novo a posição na cama, tentando usar os travesseiros em posições diferenciadas, beber chás para se acalmar, coisas do tipo. Chegava a pedir internamente por um dia de folga, em partes por medo de encontrar-se com Moonbin nas reuniões marcadas para o dia em questão. Como seria capaz de encará-lo? Sentia que até por estar no mesmo ambiente que o moreno poderia acabar vomitando de nervoso. Chegava a se perguntar onde havia se metido com toda essa história, mas, infelizmente, não poderia fazer nada para escapar.
                - Dia livre?
                - Isso mesmo. – Dizia a moça na recepção, que organizava alguns papéis enquanto falava com o rapaz que havia acabado de chegar. – A sua presença nas reuniões não será mais necessária, ordens superiores, então resolveram lhe dar o dia livre.
                - Oh... Isso é bom. Não é? – A mulher não respondeu, o telefone tocava no mesmo instante e a moça o atendia, deixando o modelo sem resposta alguma.
                O jovem suspirou, dando as costas para seguir até a saída do prédio, pensando no que poderia fazer. Parecia que seria mais um daqueles dias trancado no quarto, repleto de doces e filmes, já pensava até no sabor de bolo e chocolates que compraria no caminho, chegava a sentir a boca salivar.
                Mas no caminho o moreno acabou, por acidente, indo de encontro a uma pessoa e fazendo com que esta acabasse derrubando os seus pertences, que eram alguns papéis e documentos. Logo que saía pela porta da empresa, não vendo a moça que seguia na mesma direção e acabando por bater contra a mesma sem querer, resultando em todas as folhas indo ao chão.
                - D-Desculpe! – Abaixou-se, ajudando a garota a recuperar e organizar a papelada. A moça, morena e de estatura bem menor do que a dele e tinha os cabelos soltos e trajes bem ajeitados, ainda por cima, ao contrário do esperado, ela sorriu, agradecendo pela ajuda mesmo que ele fosse o responsável pelo acidente.
                - Oh... – Segurando as papeladas em um dos braços, a morena apontou para Eunwoo, franzindo levemente o cenho. – Você não é o rapaz daquela campanha?
                - Ah... Acho que sim. – Riu sem graça, coçando levemente a nuca. – Lee Dongmin. – Estendeu a mão para ela, que retribuiu o gesto, lhe dando um aperto de mão como cumprimento.
                - Saeron. – Abraçou os papéis, sorrindo para o mais alto. – Bem, foi um prazer lhe conhecer.
                - Igualmente.
                Ambos sorriram um para o outro e despediram-se, mas seguiam na mesma direção. O silêncio constrangedor seguiu por mais um instante até que a garota voltasse a falar.
                - Onde vai?
                - Eu pensei em comprar algo para comer, terei o dia livre.
                - E eu estava justamente indo comer algo! O que acha de fazermos companhia um ao outro? – Sorriu, parecendo sinceramente animada com a própria sugestão. Era difícil negar algo para alguém com aquela expressão.
                - Eu adoraria.
                Acabaram entrando em uma cafeteria a poucos metros dali, e passaram o restante do tempo comendo e conversando, realmente era algo igualmente tão divertido quanto assistir comédias românticas no quarto de hotel.
                Durante o tempo em que conversaram ambos falaram sobre o que faziam para se distrair, coisas que gostavam, suas idades e o que faziam da vida, coisas do gênero. Saeron brincava com o talher sobre o bolo de morango que havia pedido antes de pegar uma colherada e levar até a boca, passando a língua entre os lábios antes de se pronunciar.
                - O que faz aqui na cidade? Como veio parar aqui?
                O mais velho engoliu de uma só vez o bolo de chocolate que mastigava, mesmo que não tivesse terminado o ato, e tinha de tomar um gole do suco que havia pedido logo atrás. Era óbvio que não poderia contar a verdade sobre como havia chegado até ali, mas também não queria mentir... No máximo iria omitir algumas verdades.
                - Eu sempre quis estudar no país. Então... Eu vim pra cá. Queria passar um tempo por aqui antes de vir definitivamente, por mais que tudo tenha ocorrido de um jeito, digamos, surpreendente. – Mordeu o lábio, tentando soar o mais natural possível, fazendo o máximo para ignorar a maneira como sua mente parecia girar para processar as informações e o coração acelerava ao lembrar-se de tudo o que havia passado até então. Queria evitar mais perguntas, então “passaria a bola” para a mais nova. – E você, o que faz na cidade?
                - Eu estou só de passagem, na verdade, vim visitar um parente meu. Mas, como ele é bastante ocupado, não tem muito tempo pra mim. E também, eu só tenho uma amiga aqui, e ela anda ocupada também. – Suspirou, parecendo chateada com a situação que havia acabado de descrever. – Estou feliz por passarmos este tempo juntos, me sinto menos solitária. – Sorriu sincera, ela parecia realmente satisfeita com a presença de Eunwoo, o clima entre ambos era agradável, não parecia que havia literalmente acabado de se conhecerem.
                O restante do tempo pareceu passar voando rápido enquanto conversavam, comiam e compartilhavam curiosidades, mas Saeron precisava ir. Antes que fosse, porém, trocaram seus contatos, assim ambos poderiam desfrutar da companhia um do outro caso estivessem se sentindo sozinhos ou entediados. Despediram-se, enfim, e cada um seguiu seu caminho.
                Eunwoo sentia-se bem com aquilo, parecia uma das poucas coisas boas que lhe aconteciam nos últimos dias, entre tanto estresse, turbulências e confusões, era sempre bom ter uma nova amizade com quem poderia contar.


Notas Finais


E aí, o que acharam do capítulo novo? O que tem a dizer sobre o Kangjoon, sobre a reação do Moonbin, e o que acharam da aparição da personagem nova, a Saeron? Espero que tudo tenha agradado vocês. Prometo me esforçar pro próximo capítulo sair logo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...