História Between evil and good - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ação, Drama, Lutas, Magia, Revelaçoes, Romance, Sobrevivencia, Terror, Tragedias, Vampiros
Visualizações 10
Palavras 2.516
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Policial, Romance e Novela, Sci-Fi, Sobrenatural, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Linguagem Imprópria, Mutilação, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais um cap <3

Capítulo 31 - Playing with fire


Fanfic / Fanfiction Between evil and good - Capítulo 31 - Playing with fire

 

Acordei em uma floresta. Ouço os sons de passaros ao sobrevoarem o vasto céu.

Onde eu estou exatamente?Me parece ser a mesma floresta dos meus sonhos... 

E realmente é.

Continuei a caminhar até sentir um certo calafrio. Olhei para o lado e para o outro... 

Lá estava Jaden, correndo para algum lugar especifico. 

 

- Mas que merda é essa?Eu estou vendo ele mesmo?- comecei a me perguntar ao ainda avistá-lo correndo de alguém. Ele parecia bem nervoso. 

 

Mais rápido. Tanto que agora o que consigo ver é só o seu vulto ao passar dentre as arvores... 

 

- Jaden?!- gritei, para que ele pudesse me escutar. Ele parou e virou-se... Mas em segundos continuou a sua corrida. Eu fiquei ali, apenas observando....- Qual o problema dele?- sussurrei para eu mesma.

 

{...}

 

- Então, está sonhando com o Jaden, hein?- desperto-me com certas risadas inconfundiveis. Ao olhar para o lado, me deparo com Leo, Mila e Debbie rindo da minha cama.

 

- Por que estão me olhando assim?- perguntei incredula ao ver as três me olhando com um certo sorriso no rosto. Levantei da cama e fiquei olhando pela janela. Parece que está tendo alguma confusão por lá...

 

- Parece que você precisou hibernar por bastante tempo para repor suas energias. Além disso, teve alguns sonhos...- Escuto Leo dizer ao parar do meu lado, me olhando novamente com aquele olhar desconfiado. 

 

- Esqueça isso... Foi apenas um pesadelo.- resmunguei enquanto revirava os olhos ao escutar sua risada devastada pelo quarto. Debbie e Mila riam também.- O que está havendo lá fora?- perguntei.

 

- Ah... Faz um tempo que isso está acontecendo. Veja bem, ja é seis horas da tarde. O sol já está se pondo...- Mila respondeu ao apontar para o relogio de parede que emitia um som meio desagradável.

 

- Certo... Vocês foram lá ver?- nenhuma delas assentiram positivamente. Resolvi jogar agua em meu rosto, tomei um banho gelado e vestir-me adequadamente. Roupa bem casual e confortável. Fiz um coque em meu cabelo e decidi me olhar no espelho. Não havia nada... 

{...}

Continuei a escovar os dentes sem pressa alguma. Até escutar barulhos irritantes... No outro dormitorio é possivel ouvir alguém usando secador. 

 

- Estavamos pensando em ir lá, também.- Debbie sugeriu, assim que esticava seus braços para cima e levantava da sua cama já arrumada.

 

- Estamos indo na frente... Até mais.- Leo puxou Mila consigo e ambas sairam porta a fora, caminhando rapidamente em direção ao um dos jardins.

 

{...}

DARYL

 

Após ter despertado cedo e ter ido a academia, acabei escutando involuntariamente alguns sussurros em relação ao que aconteceu ontem.

O que eu fiz... Na verdade, nem me arrependo e, se eu pudesse, faria novamente, seja lá com quem for.

 

- Ficou sabendo, novato?- disse um dos caras que pegavam peso, enquanto soavam irritantemente.

 

- Sim... E acredite, não estou nada surpreso com o que aconteceu.- respondi, assim que pus minha toalha de rosto em meu ombro e seguir em direção ao vestiario, até ver Arik.

 

- Espero que não tenha nada a ver com isso...- ele sussurrou ao passar por onde eu estava. Apenas sorrir e reviro os olhos, nada tão surpreso com o que escutei. Ele parece ser um dos samaritanos por aqui. 

 

- Talvez eu esteja fortemente envolvido nisso.- comentei, ao mesmo tempo que ia para a '' cabine de banho'' fechei a pequena porta e fechei meus olhos, sentindo a agua em temperamento ideal. 

 

- Provavelmente você já é o suspeito numero um.- Daniel respondeu ao aparecer em outra cabine, deixando sua toalha de rosto na divisão. 

 

- Isso não é problema. Eu sempre sou o numero um em tudo. Na verdade, gosto disso.- retruquei, me divertindo com a situação. Fechei a torneira e enrolei a toalha em minha cintura, fui em direção a meu armario e peguei a roupa limpa que havia deixado.  Daniel e Arik sairam, me olhavam quietos... Como se conversassem entre si só desse jeito. 

 

 

É possível que eles se afastem agora e que, para a infelicidade de ambos, tem de conviver comigo. De fato, esse lugar realmente despertou o meu interesse eu pretendo ficar aqui por um bom tempo... Eles querendo ou não.

{...}

Sair da academia e fui direto para o dormitório e no caminho pude ver muitos saindo correndo. Que diabos está acontecendo? Quem se importa?

Ao chegar no dormitorio, noto que há algo estranho... 

 

 

- Ah... Você, de novo?- disse, assim que vi a tal Amber sentada na cama do Andrew, provavelmente esperando por alguém.- Aposto que ficou bem decepcionada com o que está vendo agora.

 

- É você mesmo que eu estava esperando.- ela contou, assim que levantou-se, deixando um dos livros de lado. Provavelmente é um dos meus... - Onde estava ontem?- perguntou

 

- Isso não é da sua conta.- vociferei irritado, no exato momento em que ela ousou a pegar em minha capa de violão, que nada mais é que um '' disfarce'' para minha espada. Na verdade, não pretendia esconde-la... Mas achei que assim seria legal.

 

- Foi você, não é? Você matou eles...- ela disse, enquanto vinha em minh direção logo após a ter empurrado para longe da capa.- Por que fez isso?O que eles fizeram a você? 

 

- Eu já disse! Não é da sua conta!- gritei irritado e ela apenas deu risada. Se aproximou mais uma vez, pousou sua mão delicada em meu rosto e sorriu.- O... O que está fazendo? O que pensa que está fazendo, garota?- perguntei, ao retirar sua mão e ela ter colocado do outro lado.

 

- Ah... Você se acha tanto assim o conquistador, mas não aguenta um toque de uma garota?- ela sussurrou em meu ouvido, lentamente aproximando sua boca na minha nuca, causando-me leve arrepio. Por um momento, quase me deixei se levar, mas eu a empurrei há tempo.

 

-Atrapalho alguma coisa?- Drew apareceu na porta, com seus braços cruzados. Suspirei aliviado ao saber que era ele. A garota apenas deu risada da minha reaçao e saiu, logo acenando.- O que foi isso?- ele perguntou ao se aproximar.

 

-Como vou saber? Essa garota é maluca...- respondi, desviando a minha atenção e indo até minha cama. Olhei para o teto e pude ouvir a sua risada de deboche.

 

{...}

AMBER

 

Tenho que admitir, Daryl é um gato... Mas tão ingenuo ao mesmo tempo. Não pensei que ele fosse ser tão vulneravel assim a um toque meu, de fato isso me intrigou. Mas não é algo importante...

Fui em direção ao refeitório e tive a sorte de encontrar quem eu queria.

Jane estava sentada em uma das mesas afastadas do balcão, olhando para o nada enquanto tentava provar da sua taça.

 

- Ainda não se acostumou ao seu novo lar?- perguntei ao surgir de repente. Ela me olhou um pouco receosa e até sorriu, voltando a olhar para a taça dourada.

 

- Não é isso... É só que... Todos me olham estreito.- Jane comecou a dizer, ainda encarando a sua taça, desabando na mesa.- Eu só queria que todos soubessem de que eu não estou mentindo! É tão dificil?

 

- É natural que todos tenham receio de se aproximar de você. Dito que é uma caçadora... O mais bizarro é saber que eles terão de conviver com você. Então, querendo ou não, tem que mudar algum dia.- comecei a dizer, sentando ao seu lado e deixando a minha taça ao lado da dela.- Aliás... Acredito em você.

 

- Acredita em mim?- ela me olhou incredula por um momento. Ficou paralisada com as minhas palavras, mas logo esboçou um sorriso  timido.- Eu não esperava por essa... Estou aliviada.... 

 

- Não se sinta tão sozinha, Jane.- eu disse, ao beber um gole do sangue que havia na taça. Ela me olhava tranquila, mas posso sentir que ela está tremula.- Eu disse que acredito em você... Mas... Isso pode mudar. Sabe, Arik ainda não engoliu essa sua história, Debbie nem se importa... Ela superou. E Mila, bem, ela já se resolveu com ele.- comecei a dizer.- O que realmente aconteceu?

 

- Bem... O começo você já sabe. Eu acreditava que meus pais estariam vivos, portanto, faria tudo que me mandavam fazer. Foi então que, encontrei Willow em uma noite qualquer, ela comecou a contar sobre a prisão... E disse como poderia ir para lá sem ser vista... Ela até me ajudou. Eu estranhei, é claro... Mas eu só queria vê-los e poder conversar, tentar explicar, então resolvi não questionar nada.- ela disse, pausando e olhando para os lados. Não havia ninguém para nos atrapalhar.

 

- E o que aconteceu depois disso?A garota te ajudou a ir para a prisão e a ver Fred e Minzy?- perguntei e ela apenas afirmou. Respirou fundo e resolveu tomar um pouco do que havia na taça.- Assim que cheguei lá, pude ver a real situação... Eu estava errada, eu havia cometido um erro tremendo e eu pensei que poderia consertar há tempo.... Mas sem pressa. Dias se passaram e eu os visitava como podia. Até que, um dia, os guardas foram apunhalados... E... È claro que fiquei espantada com o que havia acontecido, Willow me disse que estava tudo bem e que eu teria a chance de ir embora com eles... Nós nem pensamos duas vezes.

 

- Que ingênua... Mas isso dá a entender que você é uma boa pessoa, no fim das contas.- comentei e ela esboçou um sorriso fraco, ficando cabisbaixa.- Continue, por favor... Temos muito tempo ainda, antes de que todos aparecem.

 

- Era de madrugada e não havia muita segurança... Estava tudo indo bem conforme o plano. Nós conseguimos escapar. Sim, fui bem ingênua... Mas eu achei que poderia ajudá-los... Que eu poderia nos salvar.- Jane calou-se de imediato assim que a porta foi aberta. Era Lalise com o Gray. 

 

- Ora, ora, ora... Mais um de seus interrogatorios, Amber?- Lalise comentou, logo após a aparecer na nossa frente com o Gray do seu lado.- Desista... E deixe-a em paz.

 

- Está tudo bem... Eu aceitei isso. Eu quero contar o que aconteceu, Lise.- Jane interrompeu e ela ficou incredula com o que disse. Seu sorriso sumiu naquele momento. 

 

- Não, você não tem que contar nada!- Lalise respondeu, fazendo com o que Jane parasse por um momento e a olhasse fixa, sem entender tal reação. Comecei a dá risada.

 

Como ela mudou dos tempos de Mierigar School... Impressionante.

Assim como Daniel disse, ela está tão diferente...  E isso me assusta um pouco.

De fato, Gray a manipula muito bem, por sinal. E eu não irei interferir nisso... Não somos amigas.

Observei Jane meio acanhada pelo sermão da Lise e Gray me olhando indiscretamente. 

Sorrir e fui em direção aos meus amigos que já me esperavam.

 

- Onde está o Daryl?- perguntei, olhando ao redor e não o vendo. Escuto algumas risadas e ignoro completamente ao ver que ele apareceu. Todos o olhavam com desprezo. 

Eu irei ver ate onde ele pode ir... Irei testar seus limites... 

E é claro que, o que eu fiz, provavelmente vai deixa-lo confuso e furioso ao extremo.

 

- Você, vem comigo.- ele disse, me puxando com força e ignornado os olhares que recebia, inclusive do Drew que levantou-se para impedi-lo, mas Arik ficou em seu caminho.

 

{...}

 

AMBER

 

Chegou a hora do show. Eu irei deixa-lo bem irritado a ponto de saber o que ele está tramando e até possivelmente algo em relação a história dos vampiros amigos do Arik...

Ele ainda não me contou tudo que eu queria saber, apesar de que, já sei a maioria das coisas... pela Jane.

Pode ser que eu me divirta com isso... E que ele queira ir embora do instituto de uma vez. É isso.

Ele havia me puxado para o corredor, na frente de todos.

 

- Dá para me soltar? Está me machucando desse jeito!- eu disse, tentando me soltar de sua mão que apenas me segurava mais forte pelo braço.

 

- Fica quieta e apenas me acompanhe.- ele respondeu, parecendo bem apreensivo e me guiando.

 

- Por que esta tão nervosinho? Ah! Já sei... Eu acabei com a sua diversão?- comentei sorrindo vitoriosa assim que sentir o impacto da minha costa ao ser prendida na parede.

 

- O que pensa que está fazendo?- Daryl questionou, me olhando furioso assim que parou de caminhar. Seus olhos, desta maneira, estariam bem vibrantes... E é impossivel não notar o quanto são incriveis. Ele tem uma '' anomalia'' que é bem peculiar. Seu cabelo estaria todo bagunçado em um louro escuro.- Que direito tem de se intrometer onde não deve?- ele perguntou.

 

- Isso não é da sua conta...- comentei, lembrando claramente de suas palavras e as pronunciando tão bem que eu pude escutá-lo rosnar feito um cão raivoso. 

 

- Realmente disse isso? Não acredito no que estou ouvindo...- ele respondeu, rindo de nervoso.- Você está correndo um sério perigo se continuar a agir desse jeito... - Daryl murmurou ao aparecer na minha frente como no piscar de olhos antes que eu pudesse me afastar. - Você quer o mesmo destino que aqueles vampiros insignificantes?- ele perguntou. Foi então que sorrir.

 

- Então... Eu realmente estava certa sobre isso.- disse, enquanto dei risada da sua cara. Ele me olhou confuso e novamente me segurou firme. Pude sentir uma leve pressão.- Não importa agora... Na verdade, você poderia me agradecer, não é?! 

 

- Te agradecer? Pelo quê exatamente? Por está me irritando?- ele perguntou, me olhando fixamente sem piscar.

 

- Eu disse  a diretora Zandora que fui eu. 

 

- Você disse... O quê?- seus belos olhos se arregalaram no mesmo instante em que eu acabei dizendo. Apenas dei risada.

 

- Isso que acabou de ouvir! Falei que agir por um colapso... E, bem, para sua sorte, ela acabou acreditando. 

 

-Por que diabos assumiu a culpa por algo que não fez?- ele rebateu, alterando a sua voz para uma bem mais grave. Parecia que não era ele... Uau.- Você só pode ser maluca mesmo! Puta merda...- ele dizia, andando de um lado para o outro.

 

- Sim, eu sou! Muito maluca mesmo!- comentei ao empurrá-lo para a parede mais proxima.- Mas eu fiz isso porque eu quis! E o que vai fazer? Me matar?- aproximei-me de seu ouvido e pude sussurrar- Sei que você não vai conseguir. 

 

Não tenho a minima ideia do que me deu em ter ido procurar a diretora, ter feito um belo teatro, inventado desculpas para dizer que me encontrei com os amigos do Terry e dizer o que eu supostamente fiz. Na verdade, eu não discordaria em dizer que sou maluca. Mas eu também quero me divertir e sei que, se todos soubessem que ele matou... Haveria um caos no instituto. E eu não darei a ele esse gosto triunfal.

{...} Daryl estaria a minha frente, como se encarasse sua presa. Ele fez menção em me atacar, mas apenas me olhou confuso ao abaixar sua mão em seguida. Me olhou profundamente nos olhos e até mesmo eu fiquei ressentida com esse tipo de olhar. Ficamos nos encarando por alguns segundos, até sentirmos que alguém poderia aparecer. Foi então que ele sumiu....

Ok, isso eu não esperava. Que covarde...!


Notas Finais


perdão pelos erros!
:)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...