História Between God and the Darkness - Capítulo 44


Postado
Categorias Supernatural
Personagens Abaddon, Adam Milligan, Alex Jones (Annie Jones), Bobby Singer, Castiel, Charlene "Charlie" Bradbury, Chuck Shurley, Claire Novak, Crowley, Dean Winchester, Donald "Don" Stark, Dorothy Baum, Gadreel, Garth Fitzgerald IV, Hannah, Jody Mills, Kevin Tran, Lúcifer, Mary Winchester, Meg Masters, Michael, Miguel, Naomi, Personagens Originais, Rowena MacLeod, Sam Winchester, Samandriel
Tags Castiel, Crowley, Dean Winchester, Deus, Escuridão, Irmãs, Sam Winchester, Supernatural
Exibições 56
Palavras 2.143
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hello, hello minhas pudinzinhas!
Como estão meus amores?
Bem, vocês sabem que hoje é dia das crianças, então resolvi trazer um presente para vocês - Um não, dois - Um novo capítulo de Between God and the Darkness e Hells Angel
Espero que gostem e aconselho a prepararem seus corações kkkkk

Capítulo 44 - This is not you Isabella


Fanfic / Fanfiction Between God and the Darkness - Capítulo 44 - This is not you Isabella

POV Sam Winchester

- Precisamos ir atrás da Bells e do Dean, eles estão com problemas e dos grandes - A Samantha falou.

- O quê? Com o quê? - Nos levantamos do sofá.

- Não sei, mas vi um demônio lá e isso não é nunca bom.

- Vamos conseguir chegar a tempo? - Perguntei e a Samantha me encarou.

- Eu não sei - Ela andava de um lado para o outro quando parou e me encarou – Eu vou ter que usar meus poderes.

- Em qualquer outro momento eu diria que não é uma boa ideia, mas acho que não temos outra opção – Falei e ela assentiu – Vou pegar as armas – Fui me afastar, mas a Samantha me segurou pelo braço.

- Não precisa – E no instante seguinte não estávamos mais na cabana.

Estávamos numa estrada, estava escuro, mas ainda dava para ver onde estávamos. Vimos o Dean no chão e um homem – Que deveria ser o demônio que a Samantha falou – Próximo a Isabella.

- Relinquo vos consume in furore et educ Tenebrae – O demônio falou e uma luz fraca surgiu no peito da Isabella.

A Samantha levantou a mão na direção do demônio e o jogou para longe da irmã, ele bateu contra o carro – Que deveria ser dele.

- O que fez com ela desgraçado?! - A Samantha se aproximou dele e ele riu ainda preso contra o carro.

- A Filha de Deus, que prazer poder conhecê-la – Ele falou e a Samantha fechou a mão fazendo o demônio se contorcer de dor – Calma lá – Ele puxou o ar com dificuldade e a Samantha parou de torturá-lo – Ainda não fomos apresentados adequadamente.

- Quem é você, porque pelo que percebi, você já me conhece bem.

- Meu nome é Mark e pelo que você também percebeu – Ele piscou os olhos e eles ficaram pretos – Eu sou um demônio.

- O que você fez com a minha irmã? E sem enrolação, se sabe o que eu sou, sabe do que sou capaz.

- Calma pacifista, sei bem do que é capaz e não quero problemas.

- Meio tarde não acha? - Falei e o demônio me encarou.

- Winchester, prazer em conhecê-lo também – A Samantha apertou a mão e o demônio se contorceu de dor – Certo, certo, já entendi.

- Mais uma vez, o que fez com a minha irmã?

- Quer mesmo saber? Bem, eu não sou como os demônios que vocês passaram sua vida caçando, eu não me importo com as almas e nem nada dessas drogas de guerra de anjos e demônios. Sou de uma batalha mais interessante, sua batalha e da sua irmãzinha ali – Ele indicou a Isabella desacordada – No princípio éramos três guardiões da Primeira Batalha, um de cada espécie, um anjo, demônio e humano. Nós ficamos responsáveis por supervisionar vocês duas quando nascessem, deveríamos preparar as duas. Mas as coisas não correram como deveriam, graças aos Winchester's e a mania deles de alterarem o futuro, a história foi alterada e nós nos envolvemos numa guerra, uma que não era nossa e meus irmãos foram mortos. Fui o único que conseguiu fugir e se recuperar. Achei que todo o nosso tempo de preparação havia sido perdido, até que encontrei vocês duas.

- Como você nos encontrou? Nós evitamos ao máximo usar nossos poderes, nem os anjos conseguiram nos encontrar.

- Depois que meus irmãos guardiões morreram, adquiri seus dons, eu sou uma espécie de híbrido de três seres agora. Então vocês acharam a primeira Palavra de Deus e sei que quando você a tocou, ouviu um som tremendamente alto, tão alto que fez com que apagasse. Aquilo serviu como um farol para mim, sabia que meu trabalho e de meus irmãos não estava perdido e que tinha mais uma chance. Então comecei a segui-los cidade após cidade até aqui. Você já leu a placa não é? - Ele perguntou e ficou encarando a Samantha – Sabe como a profecia tem que acontecer, sua irmã, ela é quem vai te matar.

- Isso não vai acontecer, não vou deixar, passamos por muita coisa e nunca tivemos problemas.

- Sempre tentando ser otimista Samantha, isso ainda vai acabar te matando – Ele ficou sério – Essa profecia vai acontecer, queira você ou não.

- O que você fez com a Bells?

- Como?

- Aquelas palavras em latim, o que eram?

- Como você sabe? - Ele parecia realmente surpreso.

- Responda – Ela apertou a mão e o demônio se contorceu de dor.

- Já te disseram como você fica maravilhosa quando está com raiva? - Senti meu sangue ferver, ele bate no meu irmão, faz sabe-se lá o que com a Isabella e ainda vem com essa pra cima da Samantha, não, não.

- Responde logo o que ela perguntou – Falei e ele me encarou sorrindo.

- Calma Winchester, não quero brigas – Ele voltou a encarar a Samantha – Como eu disse, sua irmã é quem vai ter que te matar para que a profecia se cumpra e como eu ando observando vocês, percebi que do jeito que estão, isso vai demorar demais. Então apenas auxiliei no processo, quebrei o vínculo que vocês tinham.

- O quê? - Perguntamos juntos e o demônio riu fraco.

- Vocês dois são muito parecidos hein – A Samantha foi levantar a mão e o demônio falou – Certo, calma, não precisa fazer isso. Vocês tinham um vínculo muito forte, isso bloqueava as emoções da Amara, eu apenas usei um feitiço para libertar essas emoções.

- O que esse feitiço falava?

- Reliquo vos consume in furore et educ Tenebrae – Ele falou – Deixo-vos consumir em raiva e trazer a Escuridão.

- Escuridão? Não é para trazer as emoções da Amara, a irmã de Deus? - Perguntei.

- Ela tem vários nomes, assim como Deus, vocês o chamam Altíssimo, Criador, Jeová, Rapha, Raah e tantos outros, por que a irmã dele seria diferente?

- Mas por que nunca é mencionado esse nome para ela? Nem na Palavra de Deus esse nome é usado.

- Pensem comigo, tudo no Universo vive no mais perfeito equilíbrio, vocês dois por exemplo, são calmos para equilibrar seus irmãos. Então se Deus é a mais pura luz, criador de todas essas coisas bonitinhas, o que será que a irmã Dele deveria ser?

- A Escuridão, destruição e o mais puro caos – A Samantha falou e o demônio assentiu.

- Agora vocês já estão a par de tudo, bem, quase tudo.

- Quase tudo? Ainda tem mais o quê? - Perguntei.

- Existe outra forma da Escuridão ser libertada, sem ser pela profecia.

- O quê?

- Só é preciso… - O demônio começou a falar, mas não conseguiu porque… A faca dos curdos o matou?

POV Isabella McConnell

Senti uma dor estranha no peito e acordei puxando o ar com dificuldade. Olhei para o meu peito e vi uma luz vermelha bem fraca, ela tinha um formato estranho na minha pele, mas não pensei naquilo. Olhei para o lado e vi o Dean jogado no chão, por Deus, ele estava muito machucado. Fui até ele e o coloquei no meu colo.

- Dean, Dean, pelo amor de Deus, fala comigo – O balancei um pouco e ele continuava com os olhos fechados – Desculpa ser tão idiota, isso foi minha culpa – Ele começou a resmungar baixo e a abrir os olhos lentamente.

- Ainda bem que foi você que começou pedindo desculpas – Ele falou e tive que rir.

- Idiota, mas não esquece que parte da culpa foi sua.

- Onde... Onde está o demônio? Ele ia fazer alguma coisa com você – Olhei para perto do carro que era do demônio e vi a Sah e o Sam ali parados, eles pareciam estar conversando com ele.

Uma onda de raiva percorreu meu corpo naquele instante, nunca tinha sentido tanta raiva na minha vida como naquele momento. Vi a faca dos curdos jogada mais adiante, aquele demônio não ia se safar, não depois de tudo que ele fez. Me levantei e fui até a faca, a peguei na mão e usei meus poderes, não me importei se eles iam chamar a atenção de mais algum anjo ou demônio, eu queria aquele desgraçado morto.

A faca levantou no ar sem grande esforço e fiz com que ela fosse voando na direção do demônio, ela o acertou em cheio no peito fazendo o desgraçado morrer agoniando. Se não me conhecesse, diria que estava saboreando aquilo ao máximo.

- Bells! - A Sah falou e a encarei – O que você fez?!

- Fiz o que você deveriam ter feito quando apareceram, matar aquele desgraçado de olhos pretos.

- Ele estava nos contando sobre a profecia! Ele ia falar sobre um outro jeito, fora da profecia que poderia acabar trazendo a Amara de volta.

- Sah ele era um demônio, demônios mentem!

- Bells ele não era só um demônio, ele era um guardião da nossa profecia, ele sabia muito, mas agora ele está morto – Meu sangue estava fervendo cada vez mais, eu e a Sah discutíamos algumas vezes e às vezes ela era muito teimosa, mas parecia que hoje era para testar minha paciência, que não é lá muito grande.

- Então a culpa é minha? Oh desculpe, na próxima vez eu espero você terminar o interrogatório.

- Eu não disse isso, eu disse que poderíamos ter algumas respostas.

- E a culpa por não termos é minha?

- Você está sendo infantil Bells, não está pensando direito – A Sah falou e aquilo foi a gota d'água, levantei a mão na direção da faca dos curdos e a arranquei do peito do demônio e fiz com que ela fosse na direção da Sah, a parei a centímetros do pescoço da Sah.

- Eu estou sendo infantil?! Não estou pensando direito?! Quem é que há algumas horas surtou com uma placa e quis se matar?! Claramente não fui eu!

- Isabella, abaixa essa faca – O Sam falou.

- Não Sam, pensa comigo, você é quem é racional certo? Diga se estou errada!

- Não, não está e a Samantha também não está, as duas estão certas, mas isso não é motivo para colocar uma faca no pescoço da sua irmã, pense um pouco, essa não é você. Olhe seu peito – O encarei sem entender – Olhe – Olhei e vi que havia uma marca em vermelho vivo brilhando no meu peito, não sei de onde aquilo surgiu, mas não gostei nem um pouco – Isso é uma das coisas que o demônio nos contou, ele usou um feitiço que faz com que as emoções da Amara fiquem mais fortes para que você possa cumprir a profecia, para que você possa matar a Samantha.

- Mas… - Parecia que um peso havia caído sobre mim naquele instante – Como… - Abaixei a faca que ainda estava próxima ao pescoço da Sah – Eu…

- Não é sua culpa Isabella – O Dean falou e colocou a mão sob os meus ombros, olhei para a Sah, eu sabia quando alguma coisa estava errada com ela, podia ver aquilo nos olhos dela.

- Vamos voltar para a cabana, lá decidimos o que vamos fazer – O Sam falou e assentimos.

- Primeiro – A Sah pôs a mão sob o ombro do Dean e os machucados dele começaram a sumir gradativamente.

- Obrigada pacifista – Ela riu fraco e me encarou.

- Sah…

- Quieta – Ela colocou a mão sob o meu ombro e me curou também.

- Obrigada – Ela sorriu fraco e foi para perto do Sam.

Sabia que tinha alguma coisa a incomodando ainda, mas sabia que forçar ela a falar não ia adiantar. Peguei a faca dos curdos e olhei mais uma vez para a marca no meu peito, ela tinha uma forma parecida com uma foice com dois riscos ao lado do que seria o cabo.

- Isabella? - O Dean falou me tirando dos meus pensamentos.

- Já estou indo – Fui até o Impala e vi que o Sam tinha ficado no banco de trás com a Sah, acho que ela tinha pedido para que ele ficasse com ela.

Me sentei no banco do carona e o Dean entrou no carro. Em parte eu entendo a Sah, eu sou irmã dela e coloquei uma faca no pescoço dela, fiquei a centímetros de matá-la e cumprir a maldita profecia que estamos destinadas. Olhei pelo retrovisor a Sah e o Sam no banco de trás, a Sah já estava me encarando. Ela apoiou a cabeça no ombro do Sam e ele a abraçou.

- Então casal nerd, o que o demônio contou pra vocês? - O Dean perguntou.

- Acho que é melhor falarmos disso depois – O Sam falou.

- Não, agora é um bom momento – A Sah falou – Querem saber tudo que ele falou sobre a profecia ou o que eu li sobre a profecia?

- Os dois – Falei e ela me encarou pelo retrovisor.


Notas Finais


Era isso meus amores
O que achararam?
Querem me matar por quase matar a Sah? kkkkk
E a Bells agora com a marca de Caim?
Como será que vai ficar a relação das irmãs depois disso?
Até o próximo pudinzinhas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...