História Between God and the Darkness - Capítulo 45


Postado
Categorias Supernatural
Personagens Abaddon, Adam Milligan, Alex Jones (Annie Jones), Bobby Singer, Castiel, Charlene "Charlie" Bradbury, Chuck Shurley, Claire Novak, Crowley, Dean Winchester, Donald "Don" Stark, Dorothy Baum, Gadreel, Garth Fitzgerald IV, Hannah, Jody Mills, Kevin Tran, Lúcifer, Mary Winchester, Meg Masters, Michael, Miguel, Naomi, Personagens Originais, Rowena MacLeod, Sam Winchester, Samandriel
Tags Castiel, Crowley, Dean Winchester, Deus, Escuridão, Irmãs, Sam Winchester, Supernatural
Exibições 77
Palavras 1.911
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hello babys!
Como estão??
Espero que bem

Capítulo 45 - Easy now


Fanfic / Fanfiction Between God and the Darkness - Capítulo 45 - Easy now

POV Samantha McConnell

Tinha terminado de contar o que tinha lido sobre a placa e o que o demônio contou para mim e Sam. Eu estava abraçada no Sam no banco de trás do Impala, só precisava ficar quieta um pouco, o que tinha acontecido há uns minutos atrás me deixou muito mal.

Tudo bem que a Bells não é lá muito calma, mas não pensava que o feitiço fosse ser tão afetivo como quase foi. Eu fiquei literalmente a centímetros da morte e olha que não cheguei a brigar com a Bells, se por um mal entendido ela já se irritou àquele ponto, imagino o que pode acontecer se eu ou qualquer um a irritar de verdade.

Eu acho que agora sim precisávamos ainda mais daquelas férias que tínhamos falado, acho que dar um tempo em tudo isso pode realmente ajudar a passamos por toda essa situação. Acho que eu deveria deixar a Bells um pouco sozinha, deixar ela esfriar a cabeça por um tempo, não quero correr o risco de irritar ela outra vez.

Chegamos de volta a cabana do Rufus e por incrível que pareça, não havia nenhum anjo ou demônio nos esperando. Isso é estranho? Considerando que eles não nos deixam em paz a semanas, que eu e a Bells usamos nossos poderes várias vezes hoje, sim, é estranho.

- Você está bem? - Olhei para o Sam, ele estava fora do Impala e a Bells e o Dean já não estavam ali.

- Sim, sim, só estava pensando – Sai do Impala e encarei o Sam – Não acha estranho que nenhum anjo ou demônio tenha aparecido depois da Bells e eu usarmos nossos poderes? Antes fazíamos qualquer coisinha e eles estavam na nossa cola, e agora nada?

- Eu também pensei nisso, mas talvez eles tenham desistido ou alguma coisa. Talvez eles saibam que a profecia só pode ser cumprida se a sua irmã… - Ele parou de falar – Desculpe.

- Tudo bem – Sorri fraco – Acho que precisamos mais do que nunca de férias – Ele riu fraco.

- Nem me diga, vamos pegar nossas coisas antes que o Dean e a Isabella nos incomodem – Concordei e entramos na cabana.

Assim que pegamos nossas coisas, as colocamos nos carros. Eu iria com a Bells, seria bom para que pudéssemos conversar um pouco, tinha uma coisa sobre a nossa placa que não contei aos Winchester's, achei que seria melhor só eu e a Bells ficarmos a par disso.

- E então, vamos pra onde primeiro? - O Dean perguntou assim que terminou de guardar suas coisas no porta-malas do Impala.

- Não sei, um lugar mais quente ou frio? - O Sam perguntou.

- Frio – Eu e a Bells respondemos juntas e os irmãos nos encararam.

- O Parque Nacional de Yosemite é ótimo nessa época do ano – Falei.

- É, acho que já está decidido então, vamos logo – O Dean falou e fomos para os carros.

Durante boa parte da viagem, eu e a Bells não trocamos uma palavra sequer. Sabia que ela era orgulhosa demais – Assim como eu – E não ia falar nada, mas para minha surpresa ela começou.

- Olha Sah, antes de qualquer coisa, desculpa pelo que aconteceu antes, eu não queria e nunca vou querer te matar, você sabe disso certo? Mas é que a raiva que eu estava, eu não sei, foi mais forte que eu, e olha no que quase acabou. Por favor, não fica brava comigo, você é minha irmã e minha melhor amiga, a pessoa mais sensata que já conheci, bem, até conhecer o Sam – Ri fraco - Você entendeu não é?

- Sim Bells, e me desculpa também, não sabia que aquele feitiço poderia ser tão forte assim, mas tenho uma coisa que não contei.

- Como assim?

- Quando eu li a placa, tinha uma espécie de observação, meio que um “em caso de emergência”.

- Mesmo?

- Sim, isso meio que controlaria nossos poderes, faria eles voltarem a ser como no início, fracos, porém, não chamariam atenção e nos deixariam mais longe de cumprir a profecia.

- Mas?

- Mas pra isso você deveria estar “banhada no sangue dos inocentes” - A Bells me encarou alguns instantes e depois voltou a olhar a estrada.

- Oh, espera aí, quer dizer, que pra controlar os poderes e essa coisa toda da profecia, eu tenho que matar pessoas?

- É o que parece.

- Não, não – Ela riu fraco – Já fiz isso uma vez e não quero repetir a dose, lembra-se do bar? Quando achei que tivesse te matado e tudo mais? Não, obrigada, prefiro me controlar sozinha, posso dar conta disso.

- Eu sei que pode Bells, só queria te avisar – O Dean estacionou num posto de beira de estrada e a Bells o seguiu.

- Avisar para caso eu surtar e matar uma dúzia de pessoas, ai usar essa droga de feitiço?

- Avisar porque você é minha irmã, você merece saber o que tinha naquela droga de placa e o que falava sobre nós.

- Desculpa Sah, mas passo qualquer feitiço, o último que usaram em mim quase te matou – Agora eu já estava ficado sem paciência.

- Não foi o feitiço que quase me matou, foi você Bells, hora ou outra vai ter que começar a assumir a responsabilidade por seus atos, a culpa não é toda do feitiço – Sai de dentro do carro e fui na direção dos fundos do posto, lá não tinha ninguém e poderia esfriar minha cabeça um pouco, precisava ficar longe da Bells.

- Droga! - Estava irritada com aquilo e falei sem pensar, odeio quando faço isso – Como fui idiota! - Disse que a culpa era da Bells, eu sei que não é, mas na hora saiu. Dei um soco na parede e uma dor lacerante percorreu meu braço, segurei minha mão, ela estava sangrando e latejando.

- Samantha? - Olhei para o lado e o Sam estava ali.

- Oi Sam – Tentei limpar minha mão para que ele não visse, mas ele a encarou e depois veio até mim.

- O que houve? O que você fez? - Ele pegou minha mão e depois me encarou.

- Eu dei um soco na parede – Ele me encarou confuso – Eu falei uma besteira para a Bells, fiquei com raiva e soquei a parede.

- O que você falou?

- Disse que a culpa de eu quase morrer hoje não era do feitiço e sim dela, e também que ela hora ou outra ia ter que assumir os atos dela. Eu sei, foi muito idiota da minha parte.

- Não foi idiota, você está nervosa e preocupada, tudo está ajudando a piorar, a profecia, a placa de vocês e o incidente de hoje, tudo está deixando vocês duas nervosas e com os nervos a flor da pele.

- Mas Sam…

- Vamos lá, respire fundo – O encarei séria e ele insistiu – Vamos lá – Respirei fundo – Agora solte o ar devagar – Suspirei – Agora, de novo – Inspirei e expirei, realmente aquilo ajudava – Melhor?

- Sim, obrigada – Sorri fraco.

- Acho melhor você ir com o Dean agora, melhor deixar você e a Isabella se acalmarem até chegarmos em Yosemite – Assenti e lhe dei um beijo.

POV Dean Winchester

Paramos em um posto na beira da estrada, precisava abastecer a baby. Eu e o Sam vimos a Isabella e a Samantha conversando, ou melhor, discutindo no carro. A Samantha saiu e bateu a porta com tudo, olhei para o Sam.

- Acho melhor eu falar com ela.

- Cuidado pra ela não te bater de novo – Ele me encarou sério e ri.

- Idiota – Ouvi a Isabella reclamando, ri fraco e fui até ela, ela estava sentada com as mãos no rosto.

- Já te falaram que você fica linda quando está mal humorada? - Ela baixou as mãos lentamente e me encarou séria.

- Não falaram porque normalmente quando estou mal humorada as pessoas morrem.

- O que vocês discutiram dessa vez?

- Sobre o que não discutimos? - Ela suspirou.

- Eu não sei o que ela te falou e eu não médium ainda pra adivinhar.

- Ela disse que a culpa de ela quase morrer era minha e não da profecia.

- Ela falou exatamente isso?

- Bem, não...

- Olha Isabella, vocês duas estão irritadas e nervosas, eu entendo, acredite, eu e o Sam já passamos por algumas coisas assim.

- Claro – Ela respondeu sínica.

- Eu e o Sam fizemos parte de uma profecia, éramos cascas de arcanjos – Ela me encarou – Miguel e Lúcifer para ser específico. Nós tínhamos que dizer sim para os dois e deixar eles realizarem o Apocalipse. Todos nos disseram que não tínhamos escolha, que nós íamos cumprir a droga da profecia, mas adivinha? Nós fizemos nosso próprio destino, lutamos contra os filhos da mãe com asas e chegamos até aqui.

- Acha que realmente exista um jeito de parar a profecia? - Ela perguntou baixo.

- Eu não sei, mas não vou descansar até descobrir – Ela sorriu e me puxou para um beijo.

- Dean – Ouvi o Sam chamando e fui me levantar, mas bati com tudo no teto do carro da Isabella, ela riu e a encarei.

- Engraçado é?

- Claro – Ela riu e fui até o Sam, a Samantha estava encostada contra a baby.

- O que houve agora?

- Acho melhor a Samantha ir com você, deixar as duas esfriarem a cabeça.

- Essa é uma boa ideia – Encarei a Isabella no carro – Vê se conversa um pouco com ela, você é melhor com isso, Doutor Phil.

- Claro, idiota.

- Vadia – O Sam foi para o carro da Isabella e voltei até a minha baby – Vamos? - A Samantha assentiu e entrou na baby.

POV Isabella McConnell

O Dean conversou com o Sam, ele veio até o meu bebê e se sentou no banco do carona.

- E essa invasão no meu bebê?

- Vou ir com você no resto do caminho – O encarei séria.

- Se foi a Sah ou o Dean que pediu…

- Não foi nenhum deles, eu dei a ideia.

- Ah, bom, bem, vamos lá então.

Voltamos para a estrada, eu e o Sam estávamos quietos, era estranho não ter a Sah ali comigo, provavelmente essa hora estaríamos falando sobre alguma besteira.

- Você quer conversar? - O Sam perguntou e o encarei por alguns instantes, logo voltando minha atenção para a estrada.

- Sobre?

- Você e a Samantha talvez.

- Não sei se é uma boa.

- Você sabe que o que ela te falou antes foi da boca pra fora não é? Ela sabe que a culpa não é sua pelo que aconteceu.

- É, mas ela está certa em parte – Ele me encarou – Durante um tempo fugi das minhas responsabilidades, como pessoa e irmã, eu deixei a Sah sozinha.

- Ela nunca falou disso – Ri fraco.

- Ela nunca fala disso, bem, nenhuma de nós sequer toca nesse assunto.

- Mas o que houve? Por que deixou ela sozinha?

- Desculpa não consigo te ouvir – Liguei o rádio e começou a tocar um rock bem alto.

O Sam não tentou desligar o rádio, apenas suspirou e ficou com os braços apoiados na janela do meu bebê. Eu não gostava de falar sobre aquilo, bem, nunca falei com ninguém sobre isso, nem mesmo a Sah, nós duas apenas enterramos isso no passado, mas acho que nem tudo fica para trás realmente.


Notas Finais


Por hoje era isso meu amores, espero que estejam gostando
Até o próximo pudinzinhas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...