História Between Love and Hate - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Fairy Tail, Nalu
Visualizações 276
Palavras 2.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello!!

Boa noite..

Primeiramente queria agradecer a vocês pelo apoio, me ajudaram e muito. E pedir desculpas pela demora.

Espero que vocês gostem do capítulo.

Qualquer erro por favor me avisem.

Boa leitura.

Capítulo 13 - Capítulo XI


Capítulo XI

Anteriormente

_Lucy, Lucy, Lucy. _Ele falou bem perto do meu ouvido, fazendo eu me arrepiar. _Só um conselho: Quem brinca com fogo pode acabar se queimando.

Ele olhou para os meu lábios, e antes que eu pudesse fazer ou falar alguma coisa. Ele me beijou, tentei não retribuir mas eu não mandava mais no corpo. E minha mente parecia que tinha ido para o espaço.

E então nos beijamos sem dar tempo nem para respirar, como se não houvesse amanhã.

******

Sabia que o que nos estávamos fazendo não era o certo. Eu não conhecia mais o Natsu, não sabia no que meu ex-melhor amigo tinha se transformado, conhecia apenas o que as meninas me contavam. E foi com esse pensamento que voltei a realidade.

"Isso não esta certo!" Pensei comigo mesma enquanto o empurrava para longe de mim.

O olhei nos olhos uma última vez e sai correndo em direção a cabana, e dessa vez ele não tentou me impedir.

Abri a porta e fui para o quarto que eu dividia com a Levy, deitei em minha cama pensando em tudo o que tinha acontecido, quando levei minha mão na bochecha pude sentir ela molhada então notei que eram lagrimas, eu estava chorando.

_O que esta acontecendo comigo?! _Sacudi minha cabeça. _Agora não e hora de ficar pensando naquele idiota.

Aproveitei que as meninas não estavam e tomei um banho demorado, depois vesti meu pijama. Entrando debaixo das cobertas, pude ouvir o barulho da porta sendo aberta, elas tinham chegado, me virei para o lado não queria fala com ninguém e acabei pegando no sono.

O café da manhã foi animado como sempre, depois de todos com a barriga cheia fomos em direção ao ónibus pois nosso acampamento tinha chegado ao fim.

A paisagem era muito bonita, cheia de árvores para todos os lados e o lago no fundo dando um brilho especial ao lugar, a impressão era que estávamos em uma das histórias que eu lia nos livros.

_Lucy! Lucy! _ Olhei para o meu lado dando de cara com a Juvia estalando os dedos para chamar a minha atenção. _Esta tudo bem? Estou te chamando já tem um tempo.

_Ah! Esta sim. _Olhei para a paisagem mais uma vez. _ E que esse lugar é muito bonito. _Ela concordou acenando com a cabeça. _Parece até que estamos em um conto.

_Verdade.

Entramos no ônibus e como já estava bastante cheio, só tinha lugares na frente. Meus olhos foi em direção ao final do corredor onde estava a Levy sentada com o Gajeel "Ai tem coisa." Sorri com esse pensamento, Levy merecia ser feliz. Meus olhos foram de encontro com os do Natsu que estava sentando na última fileira, ele ficou me encarando e depois deu um sorriso de lado. "Cretino."

_Vai sentar não? _Juvia estava atrás de mim.

_Desculpe.

_Serio Lucy. O que esta acontecendo? Você esta... _Olhei para ela. _Estranha!

_Não é nada Juvia. Só estou um pouco cansada. _Tava na cara que ela não estava acreditando. _É serio! Estou bem, não precisa se preocupar.

 Abracei o seu braço em agradecimento por ter uma amiga tão legal.

_Juvia! Vem se sentar aqui. Guardei lugar para você. _Gray estava meio que gritando la do fundo.

_Valeu Gray. Mas vou ficar aqui com a Lucy. _Ela o respondeu.

_Você agora o chama pelo nome? _Perguntei fazendo hora com ela, que nunca falava o nome do mesmo.

_Cala a boca. _Ela fingiu estar brava e rimos juntas.

A volta foi até rápida, chegamos um pouco depois do horário do almoço. Pegamos um pequeno engarrafamento pelo caminho. O ônibus deixou cada um na sua casa, e eu dei sorte de ser a primeira a sair junto com o rosado. Peguei minhas coisas despedi das meninas e fui em direção a minha tão amada casinha, sendo que a mesma estava trancada.

_Só pode estar de brincadeira comigo. _Olhei para a rua com a esperança de entrar no ônibus e ir para a casa de uma das meninas. Porém a sorte não estava do meu lado e o mesmo já tinha saído. _Que ótimo!

Peguei meu celular na bolsa e o meu queridinho estava descarregado. Me esqueci de colocar ele para carregar ontem a noite.

_Devo ter jogado jujubas e chiclete na cruz, só pode. _Me sentei na escada abraçando os joelhos e deitando a cabeça sobre os mesmo. _Não tem como ficar pior..

_Esta tudo bem?

Levantei minha cabeça de forma que minha franja saísse dos meus olhos, e me deparei com Natsu parado na minha frente.

_Porque eu fui falar. _Choraminguei. Isso não estava acontecendo comigo, eu nem era uma pessoa má, quero dizer pelo menos eu achava que não. Fiquei batendo a cabeça nos joelhos.

_Você realmente é estranha. _Natsu se encostou na viga da escada e cruzou os braços.

_O que você quer? _Me virei para ele.

_Nada. _Ele olhou para a porta da minha casa, que permanecia bem trancada. _Mas ao que parece você esta presa do lado de fora e precisando de ajuda.

_E porque você acha isso? _Ele me olhou com cara de: "Isso é serio?". _Esta tudo sob controle.

_Estou vendo. _Revirei os olhos. _Já tentou falar com o seu pai?

_Meu celular descarregou. _Então uma luz se acendeu na minha cabeça. Me levantei em um pulo, o assustando um pouco. _Me empresta o seu, ai posso ligar para o meu pai e avisar que eu cheguei, assim ele manda alguém trazer as chaves, ou ele vem embora, tanto faz. _Juntei as mãos em forma de suplica, e tentei fazer os olhos do gato de botas. _Me empresta seu celular, não vou demorar. Porfavorzinho?!

Ele me olhou e depois se virou para a rua.

_Ele descarregou no ônibus, enquanto eu ouvia música.

Abaixei a cabeça, hoje o dia esta ótimo.

_Você pode... pode... _Natsu estava gaguejando. "Estranho." _Pode ficar lá em casa. _O olhei desconfiada. _Até o seu pai chegar.

_Acho melhor não.

_Prefere esperar ele aqui fora? _Acenei que sim. _É perigoso, fora que você deve estar com fome.

Eu realmente estava com fome, mas não o diria.

_Eu sei me defender. _Agora foi a sua vez de revirar os olhos. _E não estou com fome. _Mas meu estomago não concordou comigo, pois ele resolveu fazer um barulho nada discreto me denunciando que era exatamente o contrario. Enquanto ele ria da minha cara.

_Acho que seu estomago não concorda com você. _Ele me disse com aquele sorriso de "Eu sabia." Queria enfiar minha cabeça em um buraco e chorar. _E vai chover.

_Não vai. _Olhei para o céu no momento que começou a cair os pingos da chuva. _Duvido que tem alguém mais azarada do que eu. Fala serio! _Já estava nervosa.

Vi Natsu pegar minhas coisas e ir em direção a sua casa.

_Vamos logo! Quero sair dessa chuva.

Não tive escolha a não ser o seguir.

Entramos dentro da casa dele, e ela se encontrava do mesmo jeito que eu me lembrava. Natsu colocou nossas coisas em um canto da sala pois as mesma estavam ensopadas e pegou minha mão me levando em direção ao seu quarto.

O quarto do Natsu estava todo mudado, onde tinha uma cama de solteiro agora se encontrava uma king, as paredes que eram cobertas por posteres de dragões e seus desenhos estavam lisas, as prateleiras onde ficavam seus brinquedos tinha mangás e cds de jogos. De frente para a cama tinha um hacker com uma TV e um Player Station 4. O quarto de garoto deixou lugar para o de um adolescente.

O vi entrando onde seria o closet e saindo logo depois com uma camisa em mãos.

_Peguei a maior que eu tinha. _Ele falou enquato me entregava uma camisa vermelha. _Você é baixinha vai ficar como um vestido. _Fechei a cara para ele. _Você pode ir tomar banho, não deve ficar molhada ou vai adoecer. Enquanto isso faço o almoço.

_Mas...

_Sem mas. Suas roupas estão todas molhadas na mochila. Tem toalhas limpas no armário ao lado da pia.

_E você? _Ele deu um sorriso de lado. _Pode... pode tirar esses pensamentos sujos da sua cabeça.

Ele riu alto, sua risada era gostosa. Sacudi a cabeça "Para Lucy!"

_Você sabe o que eu estou pensando? _Fechei a cara. Ele levantou as mãos em rendição. _Não se preocupe vou tomar banho no outro banheiro. _Ele me olhou nos olhos. _A não ser que você queira que eu esfregue a suas costas.

Tinha certeza que estava vermelha como um pimentão.

_Idiota. _Peguei a blusa de suas mãos e fui para o banheiro batendo a porta logo em seguida. Pude ouvir ele saindo do quarto, podendo assim respirar mais facilmente.

Peguei minha bolsa para ver se tinha alguma calcinha reserva, minha bolsa era grande pois eu sempre carrego um livro comigo. E como eu estava abençoada uns dias atrás sempre levava uma reserva comigo. E melhor andar prevenida.

Tomei um banho demorado enquanto uma lembrança de quando eramos crianças me veio a mente.

Eu e Natsu estávamos brincando no quintal lá de casa de guerra de balão. Cada um correndo de um lado enquanto tentava acertar o outro. Depois de muito correr e brincar nos deitamos no chão enquanto riamos.

_Isso não tem graça. _Falei enquanto cruzava os braços.

_O que você quer dizer?

_Você me deixou ganhar de novo. _Me virei para ele. _Achou que eu não perceberia? _Notei que ele ficou com as bochechas avermelhadas. Apertei as mesmas. _Você é muito fofo.

Ele tirou minhas mãos.

_Eu não sou fofo. _Ele cruzou os braços. _Sou um garoto,e vou fazer oito anos mês que vem. E garotos não são fofos.

Eu comecei a rir, e não demorou muito ele me acompanhou.

_Natsu, você vai ficar sempre do meu lado né? _Perguntei enquanto olhava para céu cheio de nuvens.

Ele se sentou e me ajudou para ficarmos de frente um para o outro.

_Lucy! Vamos ficar juntos para sempre. _Ele falou olhando bem fundo nos meus olhos.

_Você promete?

_Prometo. _Ele nem piscava.

_De dedo mindinho? _Ele acenou que sim. _Promessa de dedo mindinho não pode nunca ser quebrada, você sabe né?!

_É claro que eu sei. _Ele fez o sinal do mindinho e antes que eu pudesse fazer, ele já estava entrelaçando nossos dedos em uma promessa. _Eu prometo ficar ao seu lado para sempre.

Esse foi um dos dias mais felizes da minha vida. Eu realmente acreditava que íamos ficar juntos sempre.

Voltei a realidade com o som da chuva na janela que parecia ter engrossado. Desliguei o chuveiro e me sequei vestindo logo em seguida a camisa do Natsu, e como ele disse ficou que nem um vestido bem curto. Sai do banheiro secando meus cabelos. Fui em direção a prateleira de mangás e tinha de admitir, ele tinha bom gosto. E teve uma saga que chamou muito minha atenção Shingeki no Kyojin, peguei para saber do que se tratava.

_Você tem bom gosto. _Dei um grito de susto. Natsu estava na porta secando seus cabelos. _Desculpe.

_Tudo bem. _Notei que o maldito estava apenas com uma calça de moletom.Com uns pingos de seu cabelo molhado escorrendo por seu abdômen.

_Se você quiser eu te empresto. _Olhei para ele sem entender. _Estou falando do mangá. _Acenei que sim. E ele riu. _Mas já te aviso, tem sangue e tripas para todo lado. Mas a história é muito boa.

_Quem sabe um dia. _Falei enquanto o colocava no lugar, e voltei a secar o meu cabelo.

Natsu pegou uma camisa em cima da cama e vestiu. Quando o olhei de novo percebi que não tirava os olhos das minhas coxas que estava bem a mostra.

_Perdeu alguma coisa? _Falei enquanto tentava puxar a camisa mais para baixo.

_Ah.. O almoço esta quase pronto. Pode descer quando terminar.

Ele me deu mais uma olhada e saiu fechando a porta logo em seguida. Ele estava estranho.

Olhei para a janela e a chuva não dava nenhum sinal que estava querendo ceder.

_Isso é ótimo! _Falei com uma gota.

Se eu não for embora logo, sinto que as coisas vão ficar complicadas.

_Pai é melhor você chegar logo...

 

Eu estarei lá até as estrelas deixarem de brilhar
Até os céus explodirem e as palavras não rimarem
E sei que quando morrer, você estará em meu pensamento
E eu te amarei, sempre.

Bon Jovi


Notas Finais


Obrigada por acompanharem a fic e não abandona-la.

Tentarei não demorar no próximo.

Até mais..... ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...