História Between Loves and Pains (Jimin) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Angst, Canon, Darkfic, Jimin, Miguxês, Ooc, Pov
Visualizações 27
Palavras 1.086
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Slash
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!🍁

Capítulo 7 - Cap--6 Malditas Lembranças



Algumas lembranças podem lhe assombrar por toda sua vida. Pode você querer esquecê-las. Tentar de todas as maneiras, álcool, drogas, remédios, etc. Até perceber que pode nunca esquecê-las, pois, querendo ou não, elas fazem parte da sua vida.

Acho que a única razão de sermos tão apegados a memórias, é que elas não mudam. Mesmo que as pessoas tenham mudado. Sempre vai ter uma lembrança para tirar aquele sorriso bobo do seu rosto.

Certas vezes, atiramos o passado ao abismo, mas não nos inclinados para ver se está realmente morto.

A triste verdade é que todos nós sentimos falta de alguém. E ficamos na esperança de que onde quer que se encontrem, estejam sentindo nossa falta também.




                P.O.V HANA



Certas vezes eu acho que a vida olhou para mim e falou, você está destinada a viver uma vida em que o sofrimento e a mágoa iram lhe perseguir até seu último suspiro nesta sua mísera existência. Bom, não duvido.

"Ah, mas você tem tudo o que qualquer um quer, você tem beleza, dinheiro, tudo aos seus pés... Como pode falar que foi destinada viver uma vida triste?"

Trocaria toda a beleza que as pessoas veem em mim, esse maldito dinheiro que só trouxe infelicidades para minha vida e todas as coisas demais... Por amor, ter uma vida em que a felicidade seja verdadeira e não uma que as pessoas veem, mas você sabe que não passa de uma encenação, onde a protagonista que sempre tem que estar com um sorriso forçado no rosto seja você. Poder me olhar no espelho e ver algo a mais do que só uma alma vazia e sem luz. Poder sair nas ruas e não sentir medo de ser quem você é.

Em certos momentos me questiono... Por que ainda existo?

(...)



              AUTORA ON


Hana se encontrava nesse momento, andando pelas ruas gélidas da cidade, sem rumo.

A garota havia acabado de sofrer uma das piores recaídas que já tivera em toda sua vida. Quando as lágrimas grossas insistiam em descer. Quando seu cérebro sempre a insentivava a fazer o que ela sabia que era errado. Quando o aperto em seu peito ficava impossível de suportar, que ficava a um passo de pegar uma de suas navalhas guardadas e passar fortemente sobre seus pulsos e tirar toda a sua dor e de 'quebra a vida. 

Havia acabado de fazer tal ato. Não pensou em nada, apenas queria acabar com aquele sentimento que a perceguia de uma vez por todas, porém, seu plano de abandonar de uma vez por todas essa mísera vida, havia falhado. 

A garota tinha acordado fraca, estirada no chão de seu banheiro, com uma poça de sangue ao seu lado. Mais uma vez seus planos falharam. Será que estou destinada mesmo a viver deste jeito? Nem a morte me quer...

O clima da cidade parecia estar mais gélido do que o normal, para o azar de Hana. A mesma havia saído de casa com a 'roupa do corpo', que consistia em apenas uma simples camisa fina com mangas compridas, - as quais cobriam a faixa enrolada fortemente sobre seu pulso recém cortado - uma calça jeans despojada e um tênis casual.

Caminhava pelas vielas da cidade, cambaleando vez ou outra. Seu corpo estava fraco, mal se sustentava sobre seus pés. Afinal, a garota havia perdido uma boa quantidade de sangue, mas não se importava. Não aguentava mais ficar em sua casa sozinha, por esse motivo saiu desnorteada para fora de sua casa, sem se importar com o frio que fazia ou se sua aparência estava apresentável. Queria um alívio, e iria buscar, só não sabia onde.

Pessoas que passavam ao seu lado, a encaravam com estranheza. Veja bem, todos estavam devidamente vestidos( casacos grandes, gorros, luvas, etc) por causa do clima exageradamente frio e a garota estava trajando roupas que não conviam ao clima. Sua afeição, olhar frio e modo de andar estava ataindo olhares.



— Olha só o que temos aqui. - foi puxada para uma rua de pouca movimentação, por um desconhecido — Nunca te falaram que é perigoso andar por ruas desertas sozinha menininha? - questionou, sorrindo amarelo, um sorriso malicioso.


— Me solta! - tentou puxar seu braço. tentativa falha, pois o homem que a segurava era com toda a certeza mais forte que ela.


— E se eu não soltar? - a encarou — O que você vai fazer? - a emprenssou na parede atrás de si.


— SOCORRO! - tentou gritar. Porém o homem a calou diferindo um tapa em seu rosto e pondo sua mão suja em sua boca, abafando o som.


— Se tentar gritar ou fugir vai ser pior garota! - congelou, assim que sentiu algo pontiagudo em sua cintura — Isso! Quietinha ou... - a encarou. Um olhar medonho que daria medo em qualquer um.


— O-Oque vai fazer comigo? - tremeu, assim que o homem apertou seu pulso cortado.


— Acho que você não é tão burra assim... - escorregou as mãos pelo seu braço. Arregalou os olhos assim que se deu conta do que o homem queria.


— N-Não, p-por favor... - entrou em desespero. O homem sorriu maldoso e a jogou no chão, ficando em cima da garota — N-NÃO TOQUE EM MIM! SOCORRO! - se debateu. 


— CALADA! - socou seu rosto. Logo após segurando seus pulsos e os apertando fortemente.


— AAH - gritou assim que sentiu o aperto do homem sobre seu pulso machucado, que voltou a sangrar.

O homem vendo que o local a causava dor, apertou novamente, só que com mais força. A garota já chorava. Aquela dor era insuportável, chegava a doer mais do que quando o corte foi feito. Aquele homem era um perfeito monsto.


— P-Por favor... Me s-solta... - implorou soluçando. Não tinha mais forças para nada, nem mesmo para falar, sentia que mão ficaria muito tempo acordada.


— Tão fraca, tão inútil... Por que ainda vive? - a olhou com desprezo — Vou lhe fazer um favor e terminar o que você começou... - pôs suas mãos em volta do delicado pescoço da garota, apertando-o com força. Em poucos segundos a visão da garota começava a ficar turva. Aquele seria seu fim então?


— SOLTA ELA, DESGRAÇADO! - e como num filme, o herói chega para salvar a donzela em perigo. Só que não era nenhum herói e sim Jimin, o garoto cujo a garota começava a conhecer. Jimin empurrou o homem de cima de Hana, passando a destribuir socos e mais socos no homem que em um curto tempo já estava desacordado.


— Ji... Jimin... - foi a última palavra que a garota pronunciou antes que sua vista escurecesse por completo.



























Notas Finais


Hello pessoas...
Cap bostinha, eu sei... TT
Tô tentando fazer meu melhor, juro!👐

Capa nova ein😁

Espero q tenham gostado, se n lhe agradou... I'm Sorry.
Até o próximo 👋👋💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...