História Between Revenges - Capítulo 106


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin Mahone, Barbara Palvin, Caitlin Beadles, Cameron Dallas, Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Pattie Mallette, Ryan Butler
Personagens Austin Mahone, Barbara Palvin, Cameron Dallas, Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette, Personagens Originais, Ryan Butler
Tags Criminal, Família, Justin Bieber, Romance, Sexo, Trafico, Vingança, Violencia
Visualizações 506
Palavras 1.417
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oe genteeeee
Sorry a demora.
Eu sei.
Mas é que o meu celular achou de quebrar, na verdade eu que dei conta de fazer isso né mas enfim, é por isso que eu demorei.
Vou tentar ao máximo postar capítulos e não demorar então me perdoem desde já.
Amo vcs
Sorry os errinhos
Sorry cap pequeno
Boa leitura

Capítulo 106 - Filho da Amanda


Clarke Bieber POV

Ele estava ali. Finalmente eu podia abraçar eu podia abraçar o meu marido mas ao mesmo tempo não podia exalar essa empolgação.

Eu estava feliz e o mesmo tempo não estava, ou melhor, não estávamos.

Era tanto sofrimento naquela sala que não me contive e tive que sair de perto, não conseguia ficar perto daquilo tudo sem me sentir culpada. Achei melhor ficar dentro de um quanto. Em um de hóspedes, é claro. Não me senti tão a vontade de entrar no do Justin ou no da Julie, muito menos tive coragem de entrar no do Louis.

Não podia acreditar que o Cameron estava morto, na verdade é impossível. O Chris não faz o tipo que mata, ele usaria o menino para alguma chantagem ou alguma coisa do tipo.

Eu sei que o Justin não engoliu essa história mas também sei que ele quer dar todo apoio ao amigo agora, o León não merece passar por isso sozinho. Ninguém merece.

Estava encarando as árvores através das janelas quando alguém entra no quarto tomando minha atenção.

Era a Julie.

- O Charles não está morto - diz com os olhos cheios de lágrimas.

- Ah filha - me aproximo - eu sei que não.

- Eu queria tanto que nada disso estivesse acontecendo, sabe, você voltou. A minha mãezinha.

A abraço.

- Eu te entendo Julie, eu juro que entendo filha. Não se preocupe comigo, teremos muito tempo juntas agora. Isso tudo vai passar.

- Você é do jeito que eu me lembrava. Calma, compreensiva e passar segurança para todos a volta.

- Vá descansar um pouco meu amor, logo teremos notícias do Cameron- sugiro.

- Você deveria fazer o mesmo.

- Não me entenda mal mas só vou conseguir dormir depois que ver o seu irmão…

- Ele está no quarto. Quer ir vê-lo agora?

- Acho melhor fazer isso com o seu pai.

- Então podemos ir fazer agora - Justin aparece na porta.

Suspiro tentando convencer a mim mesma que tenho coragem necessária para me apresentar ao meu próprio filho.

Ele tem só dez anos.

Cresceu acreditando que eu estava morta e do nada eu apareço? Tenho medo dá reação que ele pode ter.

Antes de sair Justin olhou para a Julie.

- Nós vamos ter uma conversa séria depois mocinha.

Ele segurou a minha mão e sussurrou que estava comigo e tudo ficaria bem.

Andamos pelo corredor bem devagar e de repente ele me para.

- Está agindo da mesma forma que agiu quando nos conhecemos, sem me olhar no olho.

Corei.

- É, acho que sim.

- Não precisa ter nenhum tipo de vergonha Clarke, essa é a sua família, sua vida, sua casa, seus filhos, seus amigos... Seu marido.

Não sabia muito bem como agir, querendo ou não eu voltei de paraquedas na vida do Justin.

Vai que ele tinha uma namorada ou algo do tipo?

Eu não o culparia se tivesse.

Ele se aproxima e segura meu rosto.

Se inclina diminuindo ainda mais a distância entre nós e junta nossos lábios. No começo o beijo foi um pouco confuso mas foi ficando cada vez mais calmo e tranquilizante.

Eu precisava daquilo.

Era como uma droga que me desse toda a coragem que precisava.

Encerrei o beijo e olhei para o lado, Julie estava encostada sorrindo para nós e enxugando as lágrimas.

- E quanto ao Cameron? - pergunto.

- Os meninos foram atrás de uma pista, vai ficar tudo bem, não se preocupe com isso.

Andamos mais um pouco e paramos em frente a porta decorada com algo que provavelmente veio de algum filme sobre galáxias e no centro o nome Louis.

Justin bateu na porta e não demorou nada até o menino abrir.

Ele abriu caminho para que nós dois passasse.

Justin me guiou e nós sentamos na cama em frente ao Louis.

- Então amigão, sabe o que está acontecendo aqui? - Justin inicia a conversa.

Louis não tirava os olhos de mim, nem por um segundo. Ele parecia me estudar de alguma forma.

- Você é ainda mais bonita do que nós vídeos.

Ele coloca a mão encima dos meus cabelos.

Sorrio.

- Eu estou bem feliz por finalmente ouvir a sua voz Louis - deixo uma lágrima cair - Esperei tanto por isso.

- Não chora - ele me abraça.

Eu poderia pedir mais que isso?

- Só não morre mais, eu quero te conhecer mais.

Começo a ri e chorar ao mesmo tempo.

Justin se junta ao abraço.

Meu coração parecia explodir de felicidade.

Uma garotinha ruiva aparece na porta.

- A tia Clarke é igual ao meu irmão - fala - Os dois estavam mortos e os dois voltaram.

Ela sorri.

Terminei rindo do comentário.

Só poderia ser filha do Chaz.

Atrás dela a ruiva mais bonita do mundo aparece.

Brianna.

Que saudades.

Me levanto e vou abraça-la.

- Você estava em uma prisão e ainda continua tão em forma assim? - ri - Que inveja.

- Estava com saudades de você.

- E de nós? - Chaz aparece junto com o León, Ryan e Ingrid.

Um garotinho ruivo também estava com eles, deveria ser o Noah.

Todos eles vieram me abraçar.

Ah, como isso era bom.

- León, eu… sinto mui…

- O meu filho está bem, aliás, o seu genrro está bem. Ele aponta para abaixo das escadas na sala.

Julie estava abraçada a um garoto.

O Cameron.

Assim que León disse isso Justin apareceu para ver.

- Ok, agora que sabemos que o seu filho está vivo… posso eu mesmo matar ele?

Rimos.

Isso era mesmo real?

Estava tudo bem?

Não era um sonho.

Meu Deus.

- Como vocês conseguiram? - Ingrid pergunta.

- Na verdade entregaram ele para nós - Ryan responde.

Pelo que eu percebi eles estavam meio distantes.

Espero que não seja influencia da Emily.

- A família reunida novamente - Chaz diz olhando para nós.

- Falando nisso, alguém viu o Charles e a Sara? - Ryan pergunta.

- Eles não são família tio.

Julie diz subindo as escadas com o Cameron.

- O quê? - Justin sobressalta.

- Foi ele. Charles foi quem entregou o Cams para o Christian.

- Do que você está falando Julie? - Ryan a encara.

- Crianças, por que vocês não vão ver o que tem de bom na cozinha? - Brianna sugere - Passe livre para bolo de chocolate.

Em segundos nenhuma delas estavam conosco.

- Que história é essa filho? - León pergunta.

- Foi ele pai.

- Estão me dizendo que o Charles está trabalhando para o Christian? - Ingrid pergunta.

- Por que a surpresa? - León fala - Filho de peixe, peixinho é. A mãe dele sempre foi uma traíra.

- Não fala assim do meu filho - Ryan se exalta.

- Ah, desculpa. Aliás ele não tem culpa nisso não é? Ele só tentou matar o meu filho.

- JÁ DISSE PARA NÃO FALAR DELE ASSIM.

- Ou ou ou - Chaz para no meio dos dois - Se acalmem.

- Não pode ser - Brianna sussurra.

Justin estava confuso.

- Ele fez isso tio - Julie se intromete - Na verdade ele deixou escapar algumas coisas enquanto falava comigo essa tarde, eu já desconfiava.

- Não. Meu filho não é culpado enquanto se processo o contrário.

- A Sara não atende - Ingrid fala segurando o celular - Ela nunca ficaria contra o Justin ou o Ryan, ela tem verdadeira fascinação por eles, mas…

- Mas o que Ingrid? - pergunto.

- Deixei ela ir com o Charles e alguns seguranças na casa do Dylan.

Todos ficaram em silêncio.

- Agora vão considerar o meu filho um sequestrador também? - Ryan nos encara.

- Não Ryan, estamos considerando o filho da Amanda um sequestrador.

Alana Hudson POV

- Vai finalmente falar os motivos pelo qual você a ajudou? - Anthony pergunta.

- Claro, a Julie tem que me pagar o favor que fiz a ela.

- Vai ser rápido?

- Ah querido, você realmente ama a minha sobrinha não é? Deus! O que essa garota tem?

- Tem coração, diferente de você Alana.

- As mulheres desta família são como lobo em pele de cordeiro, tome cuidado. Quanto mais com a Julie, ela é jovem, tem espírito aventureiro e vontade de conhecer o proibido, vontade e ter o mundo ao pés dela.

- Ela não é sua filha Alana, relaxe!

Suspiro.

- Vou leva-la amanhã mesmo, tenho que ser rápida, logo o Justin descobre que eu voltei e teremos problemas.

- Não vá machuca-la Alana, deixe que ela faça a escolha.

- Escolha? - ri - Julie não tem escolha, ela me deve e vai pagar. Além do mais, tudo que eu preciso é a medula dela - olho para ele - E você sabe que não posso me dar o luxo de demorar mais, meu filho precisa de mim.

- E A Clarke também precisa da filha.

- Ela teve tudo no meu lugar Anthony, não é justo que ela também possa ter dois filhos e o único que eu consegui ter morrer.

Não é justo.

Clarke nunca me serviu para nada mas deu a luz a uma coisa que irá me servir muito.


Notas Finais


Comentem pq deu trabalho para escrever isso.
Vcs nem imaginam.
Amo vcs
Bjao


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...