História Between shots - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin Mahone, Barbara Palvin, Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Austin Mahone, Barbara Palvin, Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais, Ryan Butler
Tags Bebê, Criminal, Família, Justin Bieber, Romance, Sexo, Trafico, Vingança, Violencia
Exibições 586
Palavras 1.290
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


GALERO EU QUERO DIZER QUE ESTOU ESTUPENDAMENTE FELIZ POR TANTOS FAVORITOS E COMENTÁRIOS
EU AMOOOOOO VOCÊS
SOBRE O PARTO DESTE CAPÍTULO, EU NUNCA FIZ UM PARTO ENTÃO NÃO SEI COMO É E EU SOU RUIM EM CIÊNCIAS ENTÃO TUDO QUE EU CONSEGUI FOI INFORMAÇÕES DA INTERNET
ME PERDOEM PELOS ERROS E RELEVEM AFINAL ISSO É FICÇÃO ENTÃO NÉ
VÃO LOGO LER MINHAS AMORAS

Capítulo 34 - BABY JULIE


Justin Bieber POV

 - Nós temos que sair daqui - Falei pegando o celular.

 - Não Justin, eu não vou arriscar. 

- Amor a nossa filha vai nascer, temos que sair daqui - Comecei a discar o número do León, fiquei feliz em chamar ele? Não, mas isso não vem ao caso.

 Só precisou chamar uma vez e ele logo atendeu.

 - Ainda estou na rua de trás - Ele disse assim que atendeu. 

- León a bolsa da Clarke estourou, a Julie vai nascer. Preciso que você veja quantos atiradores tem.

 - Certo, me dê cinco minutos. Desliguei o telefone e me voltei para Clarke.

 - O médico avisou que caso a bolsa estourasse teríamos pelo menos dez horas até a dilatação chegar ao ponto, temos tempo - Ela disse afundando a cabeça no meu ombro, nem precisei a tocar para sentir a temperatura do seu corpo e a respiração descompensada.

 - Você está ardendo em febre, isso não é normal. 

 O celular tocou e pensei ser León mas era o Ryan.

 - O que houve? - Perguntei. 

- Eles armaram para a gente, a garota acabou de morrer. O médico disse que provavelmente foi envenenamento. 

- Droga! 

- O que nós vamos fazer agora Justin?

 - Fiquem onde estão, a Clarke está em trabalho de parto, quando conseguir chegar a um hospital com ela te mando o endereço. 

Assim que desliguei a ligação com o Ryan recebi a mensagem do León: 

 "Saia pelos fundos, só tem um homem na frente. Quando você conseguir entrar no carro com a Clarke saia dirigindo o mais rápido possível e eu o mantenho ocupado"

 - Vem amor, consegue subir as escadas? - Perguntei e ela assentiu iniciando a dolorosa subida - Mantenha-si abaixada.

 Ela fez o que eu pedi mas ainda gemendo de dor, meu coração estava partido em vê-la naquele estado mas eu precisava me manter forte e tentar pensar direito. 

 Ouvi dois tiro no lado de fora e mandei que ela ficasse atrás da mesa, me encostei na parede colocando o menos que podia da minha cabeça para fora tentando olhar o que estava acontecendo e vi os corpos no chão, um em particular estava agonizando e deduzir que seria o alvo dos tiros que tinha acabado de ouvir.

 Olhei para o lado e vi a loira alta segurando uma arma. Amy. Ela me viu e andou mais rápido em direção a casa, peguei a arma dentro da gaveta o mais rápido que consegui e assim que ela adentrou o escritório apontei para ela.

 - Eu vim ajudar - Ela disse colocando a arma no chão e em seguida levantou a mão lentamente.

 - E por que eu acreditaria nisso?

 - Porque eu estou disposta a ajudar, não se preocupe, eu sei que a minha irmã já está morta.

 - Como eu vou saber que não é um joguinho?

 - Sou sua única chance e a sua filha precisa nascer logo, olhe para Clarke, as duas irão morrer sem a minha ajuda - Disse apontando para a Clarke que estava muito fraca para conseguir falar alguma coisa. 

- O León está vindo.

 - O León pode ir ajudar o Ryan e a Emily os caras estão indo atrás dele também - Ela disse mas eu continuei na defensiva - Justin, você sabe que eu conheço bem a área médica e eu sei que qualquer segundo pode ter fatal para elas.

 - Vou pegar o carro. 

- Eles acabaram com os pneus de todos os carros, temos que ir no meu - Eu decidi não hesitar em mais nada, peguei a Clarke no colo e a coloquei no banco traseiro, Amanda se sentou do lado dela e eu fui dirigindo.

 No caminho mandei León ajudar o Ryan e continuei dirigindo o mais rápido que podia. 

- O corpo dela está muito quente, se apresse mais Justin, ela não pode ter uma convulsão agora - Ela disse se ajeitando e levantando o vestido da Clarke, vi minha mulher recuar mas estava desorientada demais para conseguir impedir algo. 

- Ela não está dilatando, e o pulso está fraco - Amy murmurou analisando ela. 

- E o que isso quer dizer? - Perguntei. 

- A bebê não está recebendo o oxigênio necessário - Depois de ouvir aquilo comecei a correr mais ainda. 

 Depois de três minutos chegamos na clínica que a Clarke fazia o acompanhamento, a peguei no colo e adentrei o hospital gritando o doutor, Amy veio atrás de mim e puxou a primeira enfermeira que estava na nossa frente. 

 - O bebê pode não estar respirando o suficiente pelo cordão umbilical - Ela disse e naquele instante a mulher começou a acionar um código e vários funcionários vieram ver a Clarke, logo em seguida o médico dela chega com a maca. 

 - Sala de parto agora - Ele praticamente gritou com todos em volta.

 - Eu preciso do Justin comigo - A Clarke disse segurando forte a minha mão. 

- Vá vestir uma roupa própria e esterilizar suas mãos.

 Uma enfermeira me ajudou com as roupas e depois me levou para a sala que a Clarke estava.

 - Vai ficar tudo bem amor - Cheguei perto dela enxugando as lágrimas que escorria. 

- Quero os batimentos da criança - O homem de branco disse e logo os outros trouxeram um aparelho, até para mim era visível que os batimentos não estavam no normal. 

Houve um silêncio e a Clarke foi fechado os olhos.

 - Doutor - Chamei a atenção dele.

 - Os aparelhos não estão resolvendo - Ele resmungou e então voltou a falar alto com todo mundo - APARTIR DE AGORA A SITUAÇÃO É DE PERIGO FETAL, CHAMEM O ANESTESISTA, A PACIENTE VAI FAZER O PARTO CESARIANA. ENTUBEM ELA PARA ESTABILIZAR A RESPIRAÇÃO. 

 - Senhor vou precisar que se afaste - Uma enfermeira me puxou para longe da cama.

 Levei minhas mãos a cabeça, tinha mais de cinco pessoas ao redor dela. Logo um cara passou pela porta e tiveram que vira-la de lado para injetar alguma coisa nas costas dela.

 Não sei quantos minutos passaram depois que o médico disse que os batimentos da Julie já estavam voltando ao normal e já estava na hora de nascer. 

Comecei a suar frio, a enfermeira disse que agora ficaria tudo bem e me chamou para assistir de perto o nascimento da minha filha. 

De repente, do outro lado do vidro Ryan, Emily, Amanda e León aparecem. Ryan sorriu para mim e gesticulou que estava tudo bem do lado de fora. Emily chorava que bem boba e a Amy mantinha a expressão séria junto ao León.

 O médico começou a cortar a barriga da Clarke o que me deu um pouco de agonia mas continuei assistindo, ele cortou os tecidos mais uma vez e então eu comecei a ver o corpinho da minha pequenina saindo. 

Não segurei o choro, primeiro as pernas e depois o resto do corpo, a enfermeira segurou ela e o médico cortou o cordão umbilical.

 - Essas duas são umas guerreiras - A mulher com minha filha no colo a levou para um lugar e começou a limpa-la, eu estava ansioso para pegar aquele corpinho pequeno no colo. 

- Já podem tirar o tubo dela, agora só falta terminar aqui e dentro de alguns minutos ela irá acordar - O médico disse fechando o corte da barriga. 

- Pronto papai já pode pegar sua pequena - A enfermeira me entregou a garotinha.

 Falar dos meus sentimentos naquele momento seria como escrever várias poesias de amor. 

- Seja bem vinda princesa - Deixei a lágrima cair e a levei para perto da Clarke, a mesma abriu os olhos devagar e me olhou orgulhosa. 

Aquele era o melhor sentimento do mundo!


Notas Finais


Amy boazinha?
Finalmente baby Julie chegou, já dando um trabalhinho hein?!
COMENTEM O QUE ACHARAM
PS: próximos capítulos pode ter passagem de tempo de alguns meses então coloco uma foto da baby Julie depois.
Beeeeijoooos de luz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...