História Between Revenges - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin Mahone, Barbara Palvin, Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Austin Mahone, Barbara Palvin, Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais, Ryan Butler
Tags Bebê, Criminal, Família, Justin Bieber, Romance, Sexo, Trafico, Vingança, Violencia
Visualizações 2.078
Palavras 1.884
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


GALEROOOOO EU QUERO COMER VOCÊS
SUAS LOUCAS EU TO MT FELIZ PELOS COMENTÁRIOS E FAVORITOS
ESSA CAPA TA TÃO FOFA❤
GOSTARAM?
CAPÍTULO FOFO PARA VCS
SORRY OS ERRINHOS
E
APROVEITEM BABYS GIRLS

Capítulo 35 - Um pouco de felicidade


Fanfic / Fanfiction Between Revenges - Capítulo 35 - Um pouco de felicidade

Emily Mallette POV

 - Será que vocês podem andar rápido com isso? A Clarke e o Justin vão chegar em vinte minutos - Falei para os meninos que estavam terminando de levar o berço da Julie para o quarto do casal. 

 Já tinham se passado cinco dias desde do parto, Amy tinha simplesmente desaparecido sem dizer a ninguém absolutamente nada sobre quem era o pai do filho. 

Chaz voltou de viagem assim que recebeu uma mensagem do Ryan dizendo que a Julie iria gostar mais dele porque ele tinha visto o nascimento dela.

 Consequência disso? Chaz estava na porta de casa no dia seguinte cheio de ursos, bonecas e coisas rosas e fez do quarto de hóspedes "O quarto do brinquedo", dizendo que a Julie nem iria lembrar do Ryan quando visse aquilo. Acho que ele ficou bem decepcionado quando viu a criança recém nascida que só sabia dormir e mamar.

Nós tivemos que arrumar todas as janelas da casa que foram atingidas pelos tiros e trocar os vidros por vidros blindados e contratar um batalhão de segurança, tanto para ficar no hospital esses dias que eles ficaram lá quanto aqui em casa. O Justin nem vinha mais em casa, era o pai mais bobo do planeta, quase quis bater no Ryan quando ele questionou o porque da Julie ter cabelo preto se não era a cor nem do cabelo do Justin e nem da Clarke. 

 E eu? Por mais que meu coração estivesse feliz por ter uma sobrinha linda e saudável eu estava confusa quanto os sentimentos do Ryan por mim e os meus por ele. Depois daquela noite nunca mais conseguimos nos olhar diretamente.

 - Ei Em - Ryan me chamou para o quarto depois que o Chaz saiu.

 - O que disse? - Olhei para ele me referindo ao "Em" 

- Eu só te chamei. 

- Do que você me chamou?

 - Em - Disse dando os ombros. 

- E o que é isso? - Perguntei.

 - Um apelido, o que mais? 

 - E por que? - Questionei. 

- Não sei, você não gostou do apelido? - Me olhou arqueando as sombrancelhas.

 - Pessoas próximas usam apelidos - Falei rapidamente. 

- Nós somos próximos? - Perguntou com aquela cara lerda. 

- Não sei foi você que me chamou de Em - Tentei agir normalmente mas já estava bem agitada com aquela conversa, se é que podemos chamar de conversa.

 - Adolescentes - Ele resmungou baixinho pensando que eu não ouviria mas estava errado. 

- Desculpe, o que foi que você disse? - Cheguei mais perto o encarando.

 - Droga Emily, você não melhora nada agindo assim. 

- Agindo como? 

- Feito uma criança. 

- Eu não sou uma criança - Falei quebrando mais a mínima distância que existia entre nós. Já conseguia sentir a respiração dele batendo no meu rosto. 

- Então - Ele encostou seus lábios nos meus - Prove. 

Comecei um beijo, é eu tinha feito isso. 

No fundo eu estava mesmo querendo sentir o gosto do beijo dele outra vez, suas mãos desceram para minhas pernas me dando impulso para subir em seu colo, ele me levou até a penteadeira da Clarke me colocando em cima da mesma deixando suas mãos livres para segurarem minha cintura. Passei meus dedos pela sua nuca o sentindo arrepiar, parei o beijo por um segundo rindo da reação que tinha provocado nele.

 Ryan apenas sacudiu a cabeça e voltou a me beijar, agora mais intensamente, ouvi algumas coisas caírem no chão por conta dos movimentos que fizemos e então…

 - Eu sabia. 

Porra Chaz. 

- E o prêmio de estraga prazeres vai para… - Ryan disse apontando para ele. 

Provavelmente eu estava vermelha de vergonha. 

- Eu vou ver se a nova empregada fez tudo certinho na cozinha - Falei em uma tentativa falha de me livrar das prováveis brincadeirinhas do Chaz.

 - Ah queridinha, não pense que vai ser fácil pegar o meu homem - Ele disse afeminando a voz e alisando o peitoral do Ryan. 

- Você não tem jeito Chaz - Ri e fui a cozinha. 

 A nova empregada se chamava Beth, ela era uma graça, deveria estar na fase dos 39 anos e tinha uma filha que estava estudando moda, eu acho. 

- Como vai a comida Beth? - Cheguei alegre perto dela.

 - Só falta as pessoas para comer - Ela disse retribuindo minha animação. F

inalmente estava perto de ter a minha sobrinha em casa. 


 Clarke Hudson POV 


 - Justin para com isso - Falei enquanto ele olhava toda hora para trás, dizendo ele que era para checar se estava tudo bem.

 - Tem certeza que ela está confortável nessa cadeirinha? - Perguntou voltando a atenção para a rua.

 - Ela está dormindo - Falei olhando para a pequena na minha frente, era a coisa mais linda do mundo. O bebê com mais cabelo que eu já vi na vida. Parecia um algodão doce, toda rosa. 

Eu estava tão feliz, mas a situação com a Amy me intrigava e ainda tinha a Pattie e o Jeremy que ao quê tudo indicava tinham saído da cidade porque abusaram das autoridades. Mas poderia ser mentira. 

- E os seus pais? - Perguntei.

 - Parece que saíram mesmo da cidade, mas nós estamos preparados caso eles voltem ou tentem alguma coisa. 

- E a Amanda? 

- Não temos notícias dela, de todo jeito, pare de me lembrar de coisas ruins - Ele disse desviando o olhar para nós novamente.

 - Justin! - Alterei um pouco a voz e acabei acordando a Julie. 

- Aí tá vendo, acordou ela - Diz balançando a cabeça.

 - Ande logo, só mamando de novo para ela dormir.

 Resumo? Ela dormiu antes de chegar em casa. 

 O lugar do corte ainda doía para andar e ficar em pé mas tinha aliviado bastante do que ficou no segundo dia.

 Entramos na casa com o Justin segurando o Julie e sorrindo que nem bobo, olhei as janelas e estavam todas intactas, quase não parecia que tinha acontecido um tiroteio ali. 

 - Ai meu Deus eles chegaram - Emily se levantou do acento do piano e veio correndo até nós estendendo os braços para pegar a Julie mas Justin negou. 

- Uau que fora - Ryan riu e ela mostrou o dedo do meio para ele. 

- Posso usar o meu para fazer coisas melhores com você - Ele disse em resposta.

 - Acho que a minha filha vai ter uma ótima educação morando com vocês - Falei me sentando no sofá. 

- Nossa amor, nossa filha - Diz Justin me corrigindo e se sentando ao meu lado, me virei para ele e fiquei alisando a cabeça da minha bebê. 

De repente, o Chaz apareceu com uma fantasia verde e um cabide com a mesma só que de um tamanho bem menor. Foi impossível segurar a risada mas até para rir doía. 

- Ok, por que verde? - Justin perguntou enquanto os outros, menos Chaz, riam. 

- Se lembra da salada que a Clarke comeu sozinha? Deveria ser a Julie, então eu deduzi que a comida favorita dela seria salada e uma alface gigante seria o mais adequado.

 Antes mesmo de ele terminar Ryan já estava rolando pelo chão de tanto rir. 

- Eu acho que a Clarke está com fome não é gente? Vamos almoçar - A Emily disse parando de rir.

 - Para de dar desculpas para ir comer sua gorda - Ryan falou jogando algumas coisa minúscula que não deu para identificar nela. 

- É melhor você correr - E eles saíram correndo para a cozinha.

 - Justin coloque ela no berço - Mandei depois de depositar um beijo na testa da Julie. 

- Tá bom - Ele me obedeceu fazendo cara feia. 

- Não esquece de pegar a babá eletrônica - Falei me levantando com dificuldade para ir em direção a cozinha.

 Na cozinha estavam a moça que deveria ser a nova empregada e os três patetas.

 - Senhora Clarke, fico muito feliz em finalmente conhece-la - Disse a moça vindo até mim. 

- Ei, sem o senhora. Espero que sejamos amigas - Ri para ela e a mesma retribuiu o sorriso. 

- Clarke, por que sua barriga ainda tá grande? - Chaz perguntou, minha barriga estava mesmo grande, parecia que tinha seis meses de gravidez.

 - Que indelicado - Emily murmurou.

 - É uma boa pergunta Chaz, devem ter esquecido algum bebê aqui dentro - Ri e eles me acompanharam. 

- Não é justo ela ficar lá sozinha e nós aqui - Justin apareceu com a Julie no carrinho. 

- Que babão - Ryan riu e novamente estavam todos nós rindo juntos, me surpreendi vendo como esses momentos eram bons. 


 […] 


 O resto do dia abrindo os presentes do Chaz, Ryan e Emily nós rimos bastante com o tipo de coisas que ele compraram. 

Julie ficou acordada a tarde inteira e chorou pelo menos umas cinco vezes e só ficava calma depois de mamar e ir para o colo do Justin, acho que ela tinha só acostumado(ler-se inveja). 

 Um dos seguranças bateu na porta e entregou um presente que tinha junto uma carta. 

- É da Amanda - Falei vendo o nome da garota. 

- Leia logo - Justin disse me incentivando. 

- Querida Clarke, você foi o mais próximo de amiga que eu tive mas eu não me arrependo de ter transado com seu marido e nem de ter feito o que eu fiz, o Jeremy estava com a minha família e eu só estava tentando protege-los. Infelizmente eu falhei com eles, não estou me afastando por medo de vocês e nem do Jeremy e sim porque eu não quero mais fazer parte disto, vocês são a causa de toda a minha infelicidade mas em parte toda essa situação me deu uma coisa boa, meu bebê. Não, ele não é irmão da Julie, ele é seu irmão. Não quero que me procurem, não ache que tem algum direito sobre o meu bebê porque provavelmente você nunca irá convence-lo e uma última coisa: Eu não era a carta na manga do Jeremy, ele tem alguém mas eu não sei quem é. Tenham uma boa vida.

 Depois de ler a carta todos nós ficamos chocados e eu nem consegui raciocinar o que tinha acabado de ler, um irmão.

 De qualquer maneira tratei de limpar essa bagunça da minha mente, ela não queria saber de nós e eu teria tempo bastante para decidir o que fazer sobre ter um irmão e se iria querer ir atrás disso.

 Eu estava deitada na cama e recostada na parede dando mamar para a Julie quando o Justin saiu do banheiro apenas de toalha amarrada na cintura, era para me torturar mesmo? Ok Clarke, 40 dias. Se controle.

 Ele vestiu a roupa e veio até nós duas. 

- Você está bem amor? - Ele me pergunta acariciando meu cabelo. 

- Só um pouco cansada - Resmunguei baixinho.

 - Sobre a Aman… - Ele ia tocar no assunto mas eu o cortei.

 - Não vamos falar disso, vamos ter um pouco de felicidade - Falei e ele assentiu - Ou melhor, vamos aproveitar nosso pedacinho de felicidade - Falei olhando para a bebê que mamava tão rápido que parecia que não fazia isso há dias.

 É, o nosso pedacinho de felicidade.


Notas Finais


Vou gritar arco-iris com essa última parte❤
Até eu gostei hajshus
Espero que vcs tmb
Chaz é uma graça❤
Emily e Ryan hein safadinhos ajshyshsg
COMENTEM O QUE ACHARAM
AMO VCS AMORAS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...