História Between The Bars - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Vamps
Exibições 24
Palavras 3.248
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oii gente, mais um capítulo, me desculpem pela demora... Boa leitura .
Capítulo será editado .

Capítulo 4 - Glass room


Dou um beijo em Michael e corro para minha aula, já que estou atrasada. O professor me olha e eu me sento no fundo da sala e abro meus livros, um bilhete cai de dentro de um livro que eu estou lendo.

Olho a caligrafia de Michael,  o bilhete falava de como eu iria gostar de ler esse livro, já que foi Michael que me deu quando o semestre começou...

  

   - O que vocês acham de nos encontrarmos hoje, no bar?- Calum

-Que tal as oito? - Ashton

Concordamos 

-Onde está o Bradley? - Michael 

-Ficou no auditório para acabar uma letra- Calum 

Os meninos voltam a conversar sobre os festivais de música  que estão para começar na cidade, Ashton está mais animado do que o normal, enquanto eles falavam eu me recordava da manhã de hoje.

Quando acordei, Michael me olhava dormindo, ele sorriu e perguntou porque eu chorei a noite. Bom eu não chorei, mas ele sentou ao meu lado e me fez contar o que aconteceu. 

Se eu contei do beijo? Claro que não. 

Quando fomos para a sala, observei todos dormindo, a porta do quarto de Michael estava aberta e Bradley não estava mais lá. Perguntei para Michael onde ele estava, e o mesmo me alegou que Bradley acordou antes de todos e foi em bora, segundo Michael isso foi estranho pois ele nunca fez isso e não teria um motivo para fazer tal ato... Não teria? Ou teria? 

 

-Como estão os livros Mel?- Ashton

Olho para ele  sorrindo fraco.

-Logo, vocês terão uma amiga escritora - 

-Já temos- Hanna 

Ela me abraça 

-Eles voltam a conversar e eu avisto Bradley entrando na sala de teatro que ficava próximo ao refeitório.

Olho Hanna e ela sorri de leve.

-Por quê você não conta para ele sobre hoje à noite?- Hanna

Olho ela 

-Ninguém vai perceber se você sair agora -

Olho para Michael 

-Por quê eu faria isso?- eu 

-Porque está louca para falar com ele depois do beijo - ela fala baixo para apenas nós duas escutarmos.

-Hanna? - olho ela com os olhos arregalados - Você viu ?- 

Ela sorri 

-Não, eu dormi , mas agora você vai me contar, você beijou o Bradley, Mel!- ela sorrindo 

-Você não presta, e eu não beijei ele- 

-Você acabou de confirmar quando eu perguntei, agora você vai levantar e vai falar com ele-

-Hanna, não -

-Mel, ele precisa ver que você está bem, por quê você acha que ele saiu cedo da sua casa?-

-Você estava dormindo Hanna-

-Dessa vez eu estava acordada quando ele saiu- 

Olho para a porta do teatro e depois Michael rindo. Volto a olhar para Hanna.

-Tudo bem, você ganhou-

Ela sorri 

-Você acabou o próximo capítulo?- 

Reviro meus olhos e entrego meu Pen Drive para ela.

-Obrigada - ela 

Olho meu celular e vejo Hanna me observando.

Me levanto e olho ela, ela sorri e eu saio da mesa.

Caminho pelo corredor até me aproximar da porta do teatro, pude escutar ele conversando com o professor Holys...

- A melodia é boa, você tem um talento maravilhoso Bradley- Holys 

-Obrigada- Bradley sorri 

-Você nunca pensou em se apresentar no festival? Os premiados, levam para casa uma boa oportunidade para uma carreira-

-Acho que não é o momento senhor Holys -

-Suas músicas são boas, você tem um ótimo trabalho- 

Bradley sorri, o professor de despede dele e sai.

-Bom dia senhorita Clifford- ele sorri para mim.

-Bom dia senhor Holys- 

-Como andam as histórias?- 

-Surpreendentes- sorrimos 

-Bom eu tenho que preparar  minhas aulas, até breve - 

Sorrio e ele sai.

Olho Bradley sentado no palco com a guitarra olhando as folhas.

Respiro fundo e resolvo me aproximar dele.

As notas começam, e eu começo a me aproximar dele.

-Nada mal - 

Ele me olha e eu abro um sorriso.

-Mel !- 

Fico na frente dele e me sento na ponta do  palco com ele.

-Agora sei porque o Senhor Holys te admira - falo olhando as letras.

Ele sorri e um silêncio aparece.

-Os meninos querem ir no bar hoje à noite... Você vai ?- 

Ele me olha 

-Você vai ?- 

Olho as letras 

-Michael com certeza  irá então... -

Ele sorri 

-O lugar parece ser legal- 

-Um dos meus preferidos daqui - 

Ele me olha 

-Gostei da sua guitarra- ele sorri 

-Sabe tocar ?- 

-Não - eu rindo 

-Você é irmã de um futuro músico- 

Sorrimos 

-Michael nunca quis me ensinar e eu também nunca mostrei interesse em aprender - 

Ele sorri fraco e mais um silêncio começa ...

-Bradley - 

Ele me olha 

-Por quê você foi embora?- 

Ele me olha sério.

-Tem haver com o beijo não é? - olho ele 

-Eu peço desc...- 

-Não foi nada por causa do beijo,  Mel- ele me interrompe .

-Então ?-

-Não achei certo ficar - 

Ficamos olhando um para o outro.

-MEL- 

Olho para a porta e vejo Hanna.

-Te vejo à noite ?- ele 

-Nos vemos à noite!- 

ele sorri e eu retribuo.

-Tchau, Bradley - 

-Até, Mel - 

Vou até Hanna na porta.

- E então ?- ela fala intercalando o olhar em mim e Bradley.

-Você tem as piores idéias, e eu não sei porque vou atrás delas - 

Saímos pelo corredor e voltamos para as aulas.

 

Durante as aulas  meus pensamentos voavam para Bradley, será que estragamos nossa amizade ?  Se bem que nem somos tão amigos ainda... ótimo a amizade nem começou e eu estraguei ela. 

Mas... Como apagar da memória a cena do nosso beijo? O desenho na janela, nosso olhar... o beijo.

-Senhorita Clifford será que você pode me ajudar com a nossa interpretação? - 

Acordo dos meus pensamentos e olho para meu professor. Concordo e volto a me concentrar, se eu conseguisse.

 

 -Por quê saiu da mesa hoje na faculdade? -  Michael assim que eu tranco a porta da floricultura onde trabalho .

Ele me olha e fomos até o carro.

-Fui ao banheiro- 

-Mel, o que você está escondendo?- 

Olho Michael que me olhava com aqueles olhos verdes.

-Nada, não estou escondendo nada, e porque esconderia?- 

-Não sei- 

-Não tenho motivos para esconder nada de você Mike-

Ele sorri ao escutar isso.

Chegamos em casa e eu fui tomar banho, mais tarde vamos encontrar o pessoal no bar. 

Entro no banheiro de meu quarto e me olho no espelho. Depois de um bom banho, seco meus cabelos e vou até meu guarda roupa pegar alguma coisa para essa noite. Nisso meu celular toca.

- Oi Hanna- digo olhando minhas roupas 

-Mel, você vai!- 

-Claro, por que não iria?-falo sorrindo 

-Bom.. Será que você pode me ajudar?- 

-O que aconteceu?- 

-Preciso que você me ajude com a roupa- 

-Hanna... okay, te espero em dez minutos - 

-Obrigada-

Jogo meu celular na cama e volto a olhar minhas roupas.

Acho um vestido branco, soltinho  pela parte de baixo. 

Olho para a porta e vejo Hanna entrar.

-Como você apareceu tão rápido?- 

-Eu estava lá em baixo - ela sorrindo 

-Okay, o que você quer usar?-

-O que você tiver -

Olho Hanna e olho minhas roupas.

-Hanna, você tem roupas lindas, por quê quer minha ajuda?- 

Ela cora 

-Ashton vai estar lá e eu quero ... estar bonita -

Sorrio 

-Hanna, você não precisa das minhas roupas para ficar bonita-

Puxo ela até o espelho .

-Olha essa menina, ela é linda, esta vendo ela ? - 

Ela sorri e me olha .

-Vamos te deixar linda, okay? - 

Sorrimos 

Começo a ajudar Hanna e o final foi...

Ela ficou linda. 

-Que tal ?- 

Ela se olha no espelho.

-Mel ?- Michael aparece na porta.

-Oi, pode entrar- Digo

Ele olha Hanna 

-Isso tudo é  pelo Ashton?- 

Ela cora 

-Mike- 

Sorrimos um para o outro .

-Vamos ?- ele 

Olho Hanna e assim fomos até o carro.

Chegando no bar eu pude ver uma rua escura onde os jovens assim como nós, estavam com seus amigos procurando diversão para uma sexta à noite.

Novamente a chuva começa a cair,  Mike e Hanna saem correndo até a entrada do bar, eles entram e fecham a porta me deixando para o lado de fora. 

Abro a porta e passo os olhos pelo local que tinha suas costumeiras músicas calmas. As pessoas conversavam e bebiam, procuro por meus amigos e os vejo em uma mesa perto da janela de vidro.

Olho Bradley de costas para a porta em pé, solto a porta e vou até eles, Hanna me olha sorrindo fazendo Bradley virar na minha direção. 

Um frio na barriga, ele me olhou nos olhos e deu um sorriso leve. Paro ao lado dele e nos olhamos.

-Oi- falo para todos 

-Oi Mel- Calum 

Ele me manda um beijo 

-Você está linda sabia ?- Luke 

Sorriu.

Pude ver Bradley me olhar, olho para ele, que estávamos em pé na ponta da mesa.

-Oi- eu 

-Oi- ele me da um beijo na bochecha me fazendo sentir seu perfume.

-Achei que você não iria vir- eu 

-Não pude perder -

Olho para Hanna ao lado de Ashton, ela me olha e sorri.

Um garçom anota nossos pedidos e eu me sento ao lado de Calum, minutos depois Bradley sentou ao meu lado . Ficando na seguinte ordem.

Encostados na janela de vidro 

Hanna, Ashton,  Mike . Do outro lado de frente para a janela . 

Calum, eu e Bradley . Luke na ponta da mesa ao lado de Hanna e Calum. 

O garçom volta com nossas bebidas e eu experimento a cerveja de Calum que me olha sorrindo.

Ficamos conversando e escutando as músicas. 

Olho Ashton tirando Hanna para dançar. Ela me olha nervosa e eu faço um "vai " com a cabeça. 

Logo só restou eu, Calum e Bradley na mesa.

Começamos a competir quem tomava mais rápido seu copo de cerveja, Calum ganhou seguido por Bradley. 

-Vou buscar mais - Calum 

Ele levanta quase derrubando os copos no chão o que me fez rir.

Olho para a janela e Bradley me olha.

-Então senhorita Clifford- 

Olho ele com um sorriso fraco nos lábios.

-me fale de você- ele 

-O que você quer saber sobre mim ?- 

ele da de ombros 

-Não sei, alguma coisa eu ainda não sei?- 

-Okay... Vamos ver-

Olho ele 

-Pretendo lançar meu romance, moro com Mike, e ... Acho que você já sabe de tudo isso - 

Ele sorri 

-Sim-

-Não tenho o que falar para você Bradley - 

Rimos 

-E você ? O que pode me falar?- 

-Eu ? Bom - ele se arruma ao meu lado - Sou dois anos mais velho que você, moro sozinho , tenho uma cachorra, faço música... -

-Você acabou a letra dos meninos?-

-Sim - 

Ele me olha 

-Você parece tanto com o Mike- ele 

Sinto minhas bochechas esquentarem.

-Você é linda - 

Sorrio 

-Obrigada, todos falam que sou a cara de Mike, puxamos nossa mãe- 

 Ficamos em silêncio .

-Posso te perguntar uma coisa?-

Ele toma sua cerveja.

-Claro -

Nos olhamos 

-O que aconteceu com seus pais?- 

Ele ganha postura ao meu lado e me olha sério.

-Desculpa-  eu 

-Não gosto de falar deles, mas não tem problema - ele sorri 

-Eu perdi eles a pouco tempo, em um acidente de carro enquanto estávamos em Londres. Minha mãe ficou em coma por duas semanas já meu pai morreu na hora. Eu sai vivo. Depois disso eu resolvi me mudar e aqui estou, conversando com você-

-Sinto muito pela morte deles- 

-Mel, acho que eu me mudei para poder recomeçar, se eu ficasse naquele lugar eu iria ficar preso nas lembranças- 

-Eu sei como é, acordar e olhar para o espelho e ver o reflexo da minha mãe... Mike fala que eu estou mudando, mas eu sei que ele está falando para eu não me sentir mal- sorriu 

Nisso uma música calma começou a tocar.

-Sempre chove !- ele 

Olhamos a chuva 

-E suas namoradas ?- 

Ele me olha sorrindo 

-Longas histórias - ele 

Tomo um gole de meu copo e ele me olha.

-Temos a noite toda - eu  -Adoro histórias - 

Ele sorri 

- A primeira se chamou Livia, durou dois anos, ela me deixou por que ela teria que se mudar então achamos melhor terminar. Logo depois na época do colegial ....- ele sorri - muitas mas nenhuma em especial- 

Fico olhando ele .

-Minha ex namorada, deixei ela em Londres, ela está junto com as coisas que eu não quero lembrar, deixei meu passado todo lá e resolvi fazer meu presente aqui, então... sem namoradas- sorrimos 

-E você, aposto que o Michael já espantou muitos rapazes- 

Sorrimos 

-Ele só quer me proteger de ter um coração partido e as vezes eu vejo que ele tem toda razão. E sobre namorados, sim teve um rapaz que ganhou Michael - 

Bradley gargalha 

-Quem foi o guerreiro - 

-Eu não tenho mais contato com ele a muito tempo, antes de nossos pais morrerem, depois tive um as escondidas então ... Creio que esse  não  se conta- sorrimos 

-Dois namorados ?- 

-Dois!-

-Você se priva de quebrar seu coração ou por motivos que o Michael te protege de mais?- 

Olho ele 

-Acho que os dois, nunca fui de chorar por algum rapaz, provavelmente por ter Michael comigo, e sim ele me protege de todos- 

Ele sorri 

-Uma vez, Calum entrou no meu quarto e eu estava dormindo,  Michael pegou ele dormindo comigo, as coisas não acabaram muito bem, por esse motivo, nenhum deles tenta alguma gracinha comigo - 

-Ele cuida muito de você, nunca pensou em fazer alguma coisa sem ele por perto ?- 

Olho Michael com uma menina e volto a olhar Bradley.

-Eu sempre deixei ele livre, mas por se mais nova ele...

Sorrio 

-Que tal uma aventura então ? Agora?-

Ele levanta 

-Oi?- 

-Vem, ele nem vai reparar que saímos-

Olhamos ele conversando com a mesma menina de antes.

-Bradley a onde ....

-Vem comigo -

Caminhamos até a porta e quando eu abro o vento da chuva se faz presente fazendo Bradley passar a mão em meus braços na intenção de esquentados.

-Meu carro esta do outro lado da rua, vem -

Olho o bar e saímos correndo até o carro, entramos rindo pelo banho que tomamos.

-A Onde vamos ?- eu 

Ele começa a dirigir pelas ruas e elas vão ficando desertas.

-Brad ? A Onde você está indo ?-

Ele me olha sorrindo.

-Olha só - 

Ele aponta para o vidro onde as gotas de chuva batiam e escorriam.

Ele abriu o vidro e aumentou a música no rádio.

-Agora sinta a chuva e feche os olhos-

Nos olhamos e antes de fechar os olhos me aconchego na janela.

Ele aumenta a velocidade fazendo meus cabelos voarem e os pingos de chuva chegarem em meu rosto, a música calma fez minha mente desligar e eu apenas sentir a chuva em mim junto com o vento.

Abro os olhos e vejo ele me olhando, ele volta a olhar a estrada e eu a chuva.

fecho o vidro e olho ele .

-Estamos chegando - ele 

Olho para as árvores e a estrada que cortava uma montanha.

Ele para o carro perto de uma entrada de árvores e me olha .

Saímos do carro e ele me guia pelas árvores até chegarmos a uma casa.

A casa era pequena e ao seu redor as árvores tapavam todos os vestígios dela.

Abrimos a porta e tudo o que se viu foi uma escada para os andares de cima.

Olho Bradley que está molhado assim como eu.

-Vem - ele me puxa para as escadas

-Onde você está me levando ?- 

-Quero te mostrar uma coisa- 

Nos olhamos por um minuto e começamos a subir as escadas.

O segundo andar era como o primeiro e assim como o quarto. No quinto, a escada acabava em uma porta, ele me olha e da passagem para mim passar. 

Abro a porta e o que eu começo a ver, faz meu coração acelerar.

Era um quarto, todo de vidro, as gotas da chuva batiam nos vidros e se você deitasse na cama podia ver elas caindo e na altura que estávamos algumas estrelas eram visíveis.

Me aproximo da parede de vidro e olho o penhasco em nossa frente, a ponta dos pinheiros e a cidade toda iluminada.

Ele para ao meu lado e me olha.

-É... lindo - eu 

Ele sorri.

-Vou pegar uma toalha para nós -

Concordo e ele me deixa sozinha no quarto.

Olho o teto de vidro e as gotas escorrendo por todos os lados, o barulho das gotas...

Bradley volta com uma toalha e eu passo ela em mim e em meu cabelo.

Nos sentamos no canto do quarto onde podia se ver o penhasco, ele se encosta no vidro e me olha.

-o que achou ?-

-sem palavras... Como você achou esse lugar ?- 

-Luke- 

Sorrimos 

Olho o penhasco.

O barulho das gotas de chuva no vidro estavam me fazendo ficar com sono . 

-Você pode vir aqui quando quiser sair um pouco da zona de proteção do Michael-

-Não me importo com isso Brad- 

Ele sorri pelo "Brad" 

 Devido a altura e algumas janelas pequenas que tinham no vidro o vento entrava e saia do quarto deixando um ar gelado por onde passava.

-Agora você pode me falar de você, sem ninguém te olhando - 

Ele se aproxima de mim.

-Já contei, e aliás não tenho muito o que falar -

Ele me olha nos olhos.

-E suas histórias? Onde vem tanta inspiração?- 

Olho ele nos olhos.

-Acho que das coisas que eu já passei, ou que outras pessoas passaram - 

-Você pensa em publicar?- 

-Não, não acho que elas merecem virar um livro , não tem um sentimento nela, não tem uma história - 

-Então você não tem motivos para escrever uma história assim ?- 

Ele me olha nos olhos .

-Não, acho que quando alguém coisa acontece de ruim, isso pode te inspirar para criar assim como as coisas boas- 

- Elas precisam de uma base-

-Isso, precisam de um fato- 

-E você pretende escrever sobre o que ?- 

-quero um romance mas até agora... Não consigo sair da capa- 

-Eu posso te ajudar ?- 

-Como ?- 

Ele se aproxima de mim.

- te dando os fatos de uma paixão para você escrever- 

Ficamos nos olhando e eu sinto meu ele pegar minha mão.

-Já sentiu o que está ao seu redor?- 

-Não - falo baixo 

-Feche o olho - 

Ele fala levantando, vejo ele abrir a janela e o som da chuva e alguns trovões se fazerem presentes.

Ele volta a se sentar do meu lado e pega minha mão.

-Fecha os olhos- 

Fecho meus olhos e tudo fica em silêncio, o som da chuva era o que se escutava, o vendo batendo em meu corpo, os relâmpagos clareando o quarto.

-Já amou alguém Bradley ?- 

Olho ele que estava me olhando 

-Uma vez - 

-Doeu quando vocês se deixaram?- 

-Um pouco - 

Olho as árvores 

-Mel ? Algum problema?- 

Olho os olhos dele.

-Me abraça ?- 

Ele me olha confuso mas deixa eu me aconchegar nos braços dele. Os ventos continuavam mas ali eu estava protegida.

Ele me olha enquanto eu me aconchegava nele.

-Você vai ter o que escrever- 

Olho ele

Fomos nos aproximando até eu sentir ele me puxar para um beijo.

E foi ali no meio do quarto de vidros, escutando a chuva, que passamos a noite e eu senti meu coração acelerar em meu peito.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...