História Between The Royals - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Holland Roden, Magcon
Personagens Cameron Dallas, Holland Roden
Tags Cameron Dallas, Holland Roden, Magcon, Princesa, Principe, Realeza
Visualizações 262
Palavras 3.137
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁ GENTE, TUDO BOM? ESPERO QUE SIM.

Gente, o que houve com os comentários? Tivemos apenas 10 comentarios no capitulo anterior, se não tiverem gostado de alguma coisa, se tem algum conselho, não sei, me fale por favor para eu poder consertar.

Mudando de assunto, esse provavelmente um dos capitulos mais longos que eu já escrevi, mds ahsahsahsasha
Espero que gostem.

Boa leitura e até a próxima.

Capítulo 13 - Chapter Twelve


POV’s Catherine Price

 

Finalmente o dia da festa havia chegado. Eu estava nervosa, muito para ser franca, minhas pernas estavam bambas por apenas imaginar que eu poderia fazer algo errado e manchar meu casamento com Cameron. Tudo tinha que ser perfeito. Tão perfeito que não seria realidade.

Na verdade, esses últimos dias estão parecendo surreais. Eu e Cameron estamos super próximos e ele está sendo um verdadeiro príncipe comigo. Romântico, gentil, carinhoso, o que eu mais poderia pedir?

Só espero que tudo isso continue como está pelo resto das nossas vidas. Sempre nos contos de fadas, quando tudo está indo bem, um furação acontece e espero que minha vida esteja longe de ser um conto de fadas.

-Mar? – A chamo, mas nada – Alguém pode vir me ajudar?

Uma outra criada, Angela, veio me ajudar a prender o meu vestido na parte de trás. Segurei o ar enquanto ela apertava, precisava ficar nesse vestido até o final da noite e não sei vou conseguir aguentar. Quando ela acaba, calço meu salto alto prateado e caminho até o espelho.

-Espero que usar esse vestido apertado valerá a pena – Digo.

-Você está linda – Angela diz e eu sorrio.

-Obrigada.

-Irá passar maquiagem alteza?

-Sim, não muito exagerado, por favor – Peço gentilmente e ela assente – E quero uma sombra escura e minha boca apenas com gloss.

-Sem vermelho, alteza?

-Nada de vermelho, não quero manchar a boca do príncipe de batom – Sorrio maliciosa e Angela solta um riso divertido começando a passar maquiagem em meu delicado rosto.

Poucos minutos depois eu já estava devidamente pronta. Linda, delicada, e sexy. Tudo o que eu precisava estar para fisgar o coração do príncipe de vez e ele ser apenas meu.

-O que acham? – Pergunto para as minhas criadas e seus olhos brilham.

-Está muito linda, alteza.

Geralmente os nobres não se envolvem tanto com suas criadas e suas opiniões geralmente são banais para eles. Porém, eu gosto de tratar elas bem, já que fazem tanto por mim me proporcionando tudo o que eu preciso. Acho injusto ser grossa com pessoas que não fizeram nada para mim, então, tento tratar as pessoas os melhor possível.

-Obrigada – Sorrio – Tenho que ir, devo estar atrasada.

-Queres que chame o príncipe para te acompanhar?

-Não, ele já deve estar no salão com os pais.

-Mas irá entrar sozinha? – Outra criada pergunta curiosa.

Geralmente, as mulheres nunca entram em ocasiões especiais sozinhas, sempre acompanhadas por seu namorado, noivo ou marido. No entanto, não acho que eu precise disso, não preciso estar acompanhada de um homem, por mais que eu tenha um, em festas. Sou uma mulher independente e não preciso de algum homem para conseguir ser bem sucedida.

-Claro, sou uma mulher, não necessito de homem para tudo – Ela recua como se eu tivesse dito tenha soado como uma advertência – Não me leve a mal.

-Jamais, concordo totalmente com você, alteza.

-Assim que se fala – Sorrio – Por favor, se alimentem, tenho certeza que tem muita comida na cozinha.

-Não se preocupe com a gente, alteza – Mar disse – Estamos bem.

-Soube que uma das criadas desmaiou por falta de alimentação há dois dias atrás, e bem, sei como é isso e não quero que ninguém tenha que passar fome – Me viro a elas – Então é uma ordem, quero que se alimentem e acho que não querem desobedecer minhas ordens.

-Não, alteza – Ela dizem juntas.

-Ok, boa noite para todas.

Saio do quarto com a cabeça erguida em meio ao corredor. Escuto alguns barulhos de pessoas falando, mas como muitas das pessoas que vieram para a festa terão que passar a noite do palácio, deve ser elas.

Quando chego à porta do salão, um guarda me pergunta se eu quero que chame o príncipe Cameron para nos anunciarmos juntos, mas acho desnecessário, como eu disse as minhas criadas, não preciso entrar acompanhada.

Assim que abrem a porta do salão e eu entro, todos os olharem são voltados para mim e eu me sinto maravilhosa. Sei que muito deles são de admiração por minha beleza estonteante nesta noite, outros podem ser de pura inveja, mas não ligo.

-Princesa – O rei da Espanha, junto com sua mulher, a rainha veio até mim e eu sorri gentilmente – Devo lhe elogiar, está linda está noite.

-Como sempre – A rainha concorda.

-Muito obrigada, majestades – Reverencio – Tenho muito prazer em recebê-los em meu palácio, espero que estejam sendo bem tratados.

-Está tudo maravilhoso.

-Fico feliz por isto, e se me dão licença, tenho muitas pessoas para cumprimentar.

-Toda alteza.

Continuo a caminha e a cumprimentar todos os reis, rainhas, duques, príncipes e princesa que estão no salão e fazendo pausas para que os fotógrafos tirem fotos, amanhã, meu rosto irá estar estampado em muitas revistas.

-Acho que nunca viram uma princesa tão graciosa como você – Escutei sua voz deliciosa atrás de mim e me virei abrindo um sorriso estonteante.

-E um príncipe tão maravilhoso como você.

-Acrescento que também acho que muitos príncipes presente hoje queriam estar no meu lugar – Brinca e eu rio.

-Mas nenhum chega a seus pés, Cameron.

-Espero que sim – Ele se aproxima de mim – Por que você é só minha – Ele sussurra ao pé do meu ouvido.

-Está orgulhoso disso, não é?

-Sim, irei relembrar isso a cada segundo.

-Percebi – Rio.

-Quer dançar? – Pergunta estendo o braço e eu aceito.

Vamos até o meio do salão com os olhos focados em nós dois. O casal da noite, destaque para todos. Vejo que Cameron estava certo que muitos príncipes queriam estar em seu lugar, por que muitos estavam me olhando com um desejo que poderia me deixar corada.

-Ei – Ele me chamou e eu olhei em seus olhos – Somos só nós dois aqui, lembra das aulas?

-Olhos nos olhos – Repito.

-Isso – Sorri.

Uma música lenta começa a tocar e começamos a dançar. Do mesmo que foi às aulas que nós dois tivemos, as aulas que deram inicio a uma relação mais próxima e agradável. Pouco tempo depois, eu não ligava mais para quem estivesse olhando para mim e o que sentia quando me olhava, era apenas eu e Cameron naquele momento.

-Não consigo parar de pensar em como está linda hoje – Ele me roda fazendo meu vestido se encher.

-Esse era o objetivo – Sorrio de lado.

-E eu queria tanto poder tirar esse vestido e fazer outras coisas – Ele diz baixinho para ninguém mais escutar – Estou vendo que um mês vai parecer uma eternidade.

-Logo já está na data do casório e depois poderemos fazer tudo o que quisermos.

-Assim espero – Sorri malicioso.

Continuamos dançando por um tempo, mas logo paramos por que quero recuperar o meu fôlego. Caminhamos até a mesa de bebidas e eu pego um ponche para mim, Cameron escolhe apenas uma água.

-Eu não vi seus pais hoje – Comento.

-Eles devem estar conversando com outras pessoas das realezas, sabem como é, querem parecer legíveis para todos – Diz e eu assento.

-Os meus não são muito diferentes.

Digo isso por que desde que eu cheguei, não havia conversado nem com meu pai e nem com minha mãe e isso me incomodava um pouco. Parecia que eles estavam falando que as outras pessoas eram mais importantes do que a filha, mas relevei essa questão.

-Tucker – Cameron chama meu primo que se aproxima junto com sua esposa, Bea.

-Cameron – Ele cumprimenta da mesma forma, com um tapinha nas costas.

Meu primo me cumprimentou com um beijo na bochecha e sua esposa com uma reverencia, fiquei irritada com isso e a puxei para um abraço, por que agora somos praticamente da mesma família.

-Por favor, não faça mais reverencia, você é da nossa família – Digo para Bea que ainda não está tão acostumada do fato de seu marido fazer parte da realeza.

-Desculpe-me, é que mesmo depois dessas duas semanas aqui, eu não consegui me acostumar.

-Entendo, é completamente normal.

-Catherine contou que está grávida, meus parabéns – Cameron puxou assunto e Bea sorriu.

-Obrigada, estamos muito felizes por esse bebê – Ela abraçou meu primo que retribuiu o sorriso.

-E já sabem se é menino ou menina?

-Ainda não, quando voltarmos, saberemos.

-Já falei para Tucker que eu quero ser a primeira a saber em – Sorrio.

-Pode deixar, garantirei que ele te conte – Bea disse sorrindo.

-Quem sabe nossos filhos cresçam juntos – Cameron fala e praticamente engasgo com minha bebida.

-Nossos filhos?

-É, quero ter uns três.

-Vixi – Bea gargalha – Boa sorte Catherine, ter um já é difícil, imagina ter três.

-Vamos ter que conversar sobre isso depois – Falo para meu marido que ergue as sobrancelhas.

-Não quer ter filhos?

-Quero, mas não agora, vou fazer dezoito anos, quem sabe com vinte.

-Já é esperar de mais minha prima – Tucker fala e eu fico inconformada.

-Mas gente, tenho muito que aproveitar até ter filhos.

Eles dão de ombros e mudam o rumo da conversa enquanto eu continuo tomando meu ponche. Fico impressionada com Cameron de quem pela primeira vez que viu meu primo ficou com um ciúme tremendo e agora estão conversando como se fossem melhores amigos.

Sussurro para Cameron que vou conversar com meus pais assim que eu os avisto do outro lado do salão, ele pergunta se eu quero que ele me acompanhe, mas eu nego com a cabeça. Começo a caminhar até os meus pais, mas sou barrada com uma morena na minha frente. Ela abre um sorriso gigante que chega me assustar, bem, eu não me lembro de conhecê-la.

-Olá alteza, é um prazer conhecê-la – Ela diz se reverenciando.

-Obrigada – Abro um sorriso gentil.

-Sou Allison – Ela se apresenta – E você é claro, a princesa da Inglaterra.

-Acho que podemos descartar essa parte da apresentação – Rio.

-Claro, fico muito feliz que você e o príncipe Cameron, de meu país, estejam prestes a se casar – Não sei se é de minha desconfiança, mas ela parece estar nervosa e suas palavras não saem tão convincentes.

-Obrigada, e você também é da Suíça? – Pergunto curiosa.

-Sim, claro, sou de uma família de nobres, uma das mais importantes para ser sincera, e muito próxima a do rei e da rainha.

-Então imagino que conheça Cameron.

-Conheço muito bem para ser verdade – Ela bebe um gole de sua bebida olhando por cima dos meus ombros, onde Cameron está conversando com Tucker e Bea.

-Pode ser mais especifica? Não compreendi bem o que disse.

-Ah sim, eu e Cameron crescemos juntos, sempre foi um amor de pessoas e vamos concordar, sempre teve uma queda por mim.

Não sei se Allison estava dizendo aquilo de propósito ou estava inventando aquela história, só sei que meu sangue começou a ferver, estou com muitos ciúmes.

-Interessante que meu noivo nunca se referiu ao seu nome em nenhuma vez – Observo e seu sorriso vacila.

-Ele é um pouco tímido em relação a mim, depois que descobriu que iria casar com uma desconhecida, tudo ficou mais complicado.

Neguei para mim mesma que ela estava quase jogando na minha cara que teve algum tipo de relação com Cameron. Não poderia ser verdade, deve ser só um ataque de inveja e que está inventando tudo isso para me machucar.

-Allison – A voz de Cameron soou um tanto irritado quanto preocupado – O que está fazendo aqui.

-Conversando com a sua gentil noiva – Ela sorri para ele e eu quase colei sua boca com cola bonder para não ter que ver seu sorriso impecavelmente branco – Ela é um amor Cam, não poderia ter sido mais sortudo.

-Cam? – Pergunto bem baixinho e olho para Cameron sem entender o que está acontecendo em minha frente.

-Catherine é um amor mesmo, mas não sei por que você esta conversando com minha noiva, acho que deixei bem claro...

-O que? – Pergunto alto dessa vez.

-Não é nada, linda – Ele me acalma e Allison dá uma gargalhada.

-O que tem de eu conversar com a anfitriã da festa – Ela se virou para mim – De verdade, tenho que te agradecer por ter nos convidado e deixado passarmos a noite aqui, o voo é só amanhã pela tarde.

Dou de ombros, não fui eu que a convidei e se soubesse que é tão assanhada, nunca terei convidado. Que ela ficasse em seu país enchendo a paciência de outra pessoa que não seja eu.

-Quero conversar com você  - Cameron rosna puxando o braço de Allison – Fale com seus pais – Diz para mim antes de sair com Allison do salão.

A morena, impecável por sinal, olha para mim com um sorriso vencedor em seus lábios e me arrependo de eu realmente não ter colado seus lábios. Relevo o que aconteceu agora e lembro-me de conversar com Cameron sobre isto quando estivermos a sós.

Acho meus pais novamente e vou até eles. Como esperado, estão conversando com o rei e a rainha da França, o qual uma tensão estava envolvida, mas pelo grau da conversa, sei que agora está tudo bem.

Acho os dois uma simpatia, mesmo sendo muito sérios. Com minha felicidade estonteante, consigo tirar de seus lábios um riso breve e fico feliz por isso, sei que meus pais também ficarão. Continuamos conversando e meus pais me apresentam para outras pessoas, as quais eu apenas cumprimentei, sem uma conversa mais profunda.

Eu estava contente com a festa de hoje, com certeza foi bem mais agradável do que a festa de boas vindas da família real da Suíça. E falando neles, onde será que está Cameron? Olho para os lados, mas não tenho nenhum sinal e eu começo a ficar um pouco preocupada.

-Paris – Chamo minha amiga quando vejo uma garota loira e alta, ela se vira a mim sorrindo – Você viu Cameron?

-Não, dá ultima vez foi quando ele saiu com uma garota morena do salão.

-Eu também vi isso – Suspiro.

-Cat, eu preciso te contar uma coisa.

-Agora não Paris, eu preciso acha-lo.

-Ma sé importante... – Ela tenta, mas eu a interrompo.

-Amanhã, certo? Tenho que acha-lo para me tranquilizar, até mais.

Sei que provavelmente vou me arrepender de não ter escuta-la, mas agora estou focada em achar o meu noivo e tirar ele de perto daquela Allison. Na verdade, estou torcendo para que agora eles estejam bem longe um do outro, aquela garota já testou minha paciência por hoje.

Começo a vagar pelos corredores, chamando seu nome e perguntando para guardas se eles viram o príncipe, mas nada. Ele tinha praticamente sumido, mas como esse palácio é gigante, deve estar por um dos cantos.

Enquanto caminho pelo corredor que sei que é de seu quarto. Escuto uns barulhos estranhos e chego à porta bem devagar. São barulho de... Beijos?

Meu estomago embrulha de apenas imaginar que isso é verdade, não pode ser. Abro a porta bem devagar, só um pouco para não perceberem minha presença e vejo Cameron deitado na cama enquanto Allison está por cima dele, e eles estão se beijando.

-Ah Cameron – Ela geme enquanto se esfrega nele – Como eu senti falta disso.

Eu quero vomitar. Não consigo ver aquela cena e sinto que irei desabar a qualquer momento, como isso é possível?

Tento manter a minha calma e respiro fundo. Lágrimas saem dos meus olhos sem eu mesmo perceber, e segundos depois, estou em prantos. Ver Cameron com outra garota era a coisa mais chocante do mundo, pois eu não esperava uma coisa dessas vindo dele.

-Allison... – Ele começa, mas eu sinto que preciso fazer alguma coisa, mas o que eu apenas faço é puxar a porta com força e sair correndo em direção ao meu quarto.

Fico surpresa como eu consigo ter um enorme equilíbrio em cima desses saltos altos enormes enquanto eu corro o mais rápido que eu consigo. Passo por alguns guardas que perguntam urgentemente o que está havendo, mas em meio a lagrimas, o ignoro.

Entro no meu quarto e me jogo em minha cama, me acabando em lágrimas. Não consigo acreditar que Cameron, o cara que eu mais amo, conseguiu fazer isso comigo, ele acabou de quebrar meu coração em mil e um pedaços.

Ele que me disse nessas ultimas semanas o quanto que me ama e quanto desejo sente por mim, posso ver que ele não reserva esse sentimento por mim. Minha ficha acaba caindo e vejo que o que Allison estava me falando é a verdade, então ela estava fazendo ele não querer se casar comigo, os dois sempre tiveram envolvidos.

Não, não pode ser verdade, Cameron não estaria com outra pessoa no mesmo momento que estava comigo, seria imperdoável. Agarro meus joelhos e continuo a chorar, eu quero sumir nesse exato momento. A noite que eu planejava ser perfeita acabou de se transformar na pior noite de minha vida.

Levanto da cama e ameaço a sair do meu quarto. Eu quero tirar essa questão a limpo e se possível, arrancar cada fio de cabelo daquela garota impura, mas eu mudo de ideia e acabo pegando um vaso caríssimo e o despedaçando assim que ele alcança a parede com tanta força de meu arremesso.

A porta atrás de mim se abre e pego outro vaso pensando que é Cameron, se fosse, eu quebraria em sua cabeça. Mas é apenas Mar, que recua com medo de minha ação por estar com o vaso em minhas mãos. Eu o largo no chão, o fazendo quebrar. Não consigo fazer outra coisa além de voltar a chorar e minha criada fecha a porta e vem me abraçar.

Agora vejo que meu bom tratamento com todas elas vale a penas. Mar sempre foi a melhor criada que a tive e sei que posso contar com ela em todo momento, e agora ela está aqui para me reconfortar.

-Sinto muito – Ela diz.

-Sabe o que aconteceu? – Pergunto preocupada.

-Não, mas quero que saiba que tudo vai ficar bem.

Não tenho a mesma certeza que ela tem. Só vai ficar bem quanto eu nunca mais tiver que olhar para o rosto daquele cara que me iludiu esse tempo todo.

-Nada vai ficar bem – Resmungo enquanto ela continua abraçada comigo.

-Tudo fica bem, um dia, talvez, mas tudo voltará ao normal.

-Como soube que eu...?

-Paris – Adianta – Ela disse para seus pais que estava passando mal e que queria passar o resto da noite em seu quarto, depois ela me procurou para ver se estava bem, e eu tive sorte de chegar aqui antes que a senhorita quebrasse seu quarto intero.

-Eu não faria isso, ele não vela a pena.

Não, Cameron não valeria a pena. Não quebraria meu quarto por aquele cara que eu tanto pensei ser o homem certo para mim e agora vejo que está longe disto.

-Vou preparar um banho quente, isso vai fazer você relaxar.

Assinto e enquanto ela prepara meu banho, sento no chão encostada a minha cama e volto a chorar. Queria acreditar que tudo isso é apenas um pesadelo, mas não é, é a pura realidade. E o meu conto de fadas infelizmente não terminará com um final feliz.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...