História Between Truth and Lies - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camila G!p, Camilag!p, Camren, Lauren Jauregui
Exibições 425
Palavras 1.226
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 19 - Nineteen


Aquilo era um pesadelo e a qualquer hora eu iria acordar.

Eu sentia a mão de Camila sobre a minha e aquilo me deixava ter a certeza de que tudo não passava de um sonho ruim. Um sonho muito, mas muito ruim.

Mas para minha completa infelicidade, aquilo não era um pesadelo.

Levantei minha cabeça e olhei fixamente para arma que estava na mão da Ariana.

Ela tinha feito com que Camila e eu nos sentássemos no sofá enquanto apenas olhava para nossa cara, sentada na poltrona ao lado do sofá. Qualquer mínimo movimento era motivo dela apontar a arma para minha barriga, ameaçando matar o bebê primeiro antes de nos matar.

Ela estava completamente desequilibrada. Era horrível olhar para Ariana. Você poderia ver todo o ódio e rancor que ela guardava dentro do peito. Aquilo me fazia lembrar como eu era amada pelos meus pais, coisa que provavelmente Ariana não foi. Um motivo de ela ser tão mimada e egoísta como era.

E mais uma vez ela estava pretendendo acabar com a minha felicidade e com a minha família. Ela não iria desistir enquanto não me matasse por querer tanto Camila ou matasse ela, para que ninguém pudesse tê-la.

Camila me abraçou, puxando-me para ela, prendendo em seus braços como se pudesse ler meus pensamentos e entender todo sentimento de pânico que me dominava.

Ariana percebeu o movimento e mais uma vez apontou a arma para minha barriga.

— Isso aqui está muito calado. – ela sorriu malignamente. – Já que vocês não falam, eu vou falar.

Apertei-me ainda mais a Camila, como se pudesse me fundir a ela. Pelo menos dessa vez ela estava ao meu lado.

— Aposto que vocês querem saber como eu entrei aqui. – ela brincou com a arma, rondando-a entre os dedos. – Bom... É muito fácil usar um grampo de cabelo para abrir a porta. – ela riu e olhou de mim para Camila, seu sorriso se fechando aos poucos ao notar nossa proximidade. – É tão lindo ver um casal junto. Pena que vocês não vão durar muito.

— O Frankie acha que eu sou idiota. – ela balançou a cabeça e estalou a língua. – Eu sabia que ele iria fazer a boa ação do dia depois de ouvir a conversa atrás da porta do meu escritório. Sim, eu sabia que ela estava ouvindo, eu só estava a fim de ferrar o Ashton mesmo, ele estava me enchendo o saco. E não sai de casa enquanto ele não ligou para a Camila dizendo que sua linda mulher tinha sido sequestrada e que eu estava louca. Vocês foram muito bobinhos por pensarem que eu desistiria fácil de vocês. Eu segui vocês durante essas três semanas depois que Lauren saiu daquela merda de cativeiro. Eu via tudo de longe. Observava e esperava o melhor momento para dar o bote. Fiquei com muita raiva de Ashton quando ele atirou em Camila. Minha vontade era de matá-lo com as minhas próprias mãos, mas não queria sujar minhas unhas recém feitas com o sangue daquele imundo, então pedi para um amigo meu fazer o serviço dentro da cadeia mesmo. – ela sorriu debochada parecendo lembrar-se de algo.

Eu sinceramente não sabia mais o que esperar daquela mulher. Ela estava louca, completamente desequilibrada. Olhei fixamente pra ela. Ariana era tão bonita. Tinha uma vida inteira pela frente e se autodestruía a cada minuto com aquela arma na mão e a vontade de vingança. Eu queria ajudá-la. Algo humano dentro do meu peito pedia por isso, mas eu não podia. Ela nunca deixaria isso acontecer.

— Por que você faz tudo isso Ariana? O que você vai ganhar?

Engoli em seco quando vi o olhar de ódio que ela lançou na minha direção, mas me mantive erguida. Essa não era hora de fraquejar.

— Sabe por que eu faço isso, Lauren? – ela cuspiu meu nome com desdém e minha vontade – quase insuportável – foi de voar no pescoço dela e encher sua cara de tapa, mas eu não me arriscaria levar um tiro. – Porque eu não aguentava ver você desfilando ao lado de Camila, posando de boa esposa e você conhece aquela famosa frase? “Uma mulher é perigosa quando deseja algo.” O que eu desejo é Camila.

— Você está completamente desequilibrada. – Camila disse sacudindo a cabeça, olhando Ariana com nojo. – Você não consegue entender que nem morto eu ficaria com você? Você não é a pessoa que eu quero para ser mãe dos meus filhos, para poder cuidar dos meus netos, mimá-los. Não quero você do meu lado para o resto da vida e sabe por quê? Porque você não é a Lauren. Você não tem um pingo de sentimento nesse coração, você é oca por dentro.

Sorri para Camila, tentando demonstrar todo meu amor por ela, pelo olhar. Logo depois desviei meu olhar para Ariana esperando a hora que ela iria gritar e atirar em mim sem dó nem piedade. Mas nada veio e me surpreendi com o que vi.

Ela estava chorando. Chorando como uma criança que se perde da mãe. Uma coisa que nunca, jamais, imaginei que poderia acontecer. Seus ombros se sacudiam com os soluços que estavam aumentando cada vez mais. Foi nessa hora que eu percebi que tudo que ela precisava era de carinho, mas foi nessa mesma hora que eu percebi que era tarde de mais pra isso.

Ariana se levantou e apontou a arma para sua cabeça e fechou os olhos. Por impulso, Camila e eu também nos levantamos. Ouvi o barulho da arma sendo destravada e foi naquela hora que meu papel de mãe falou mais alto, eu não queria que isso pudesse acontecer com o meu filho, então não desejaria que Ariana morresse. Avancei em sua direção, me distanciando de Camila, mas não fiquei muito perto dela.

— Ariana, por favor, não faz isso. Não acaba com sua vida por tão pouco. Você é linda, tem uma vida inteira pela frente. – ela abriu os olhos e me fitou, aquilo era um bom sinal. – Eu não denuncio você, nem Camila. Nós deixaremos você livre. Não faremos nada. Você poderá recomeçar sua vida em outro lugar.

Ariana continuou me olhando e... Riu. Riu como se visse a coisa mais engraçada do mundo ali na sua frente.

— Você acha que eu faria isso comigo mesma e perderia toda a diversão de ter a Camila só pra mim? – ela riu mais alto e depois olhou pra mim como se estivesse sem paciência com uma criança. – Você é muito idiota mesmo, Lauren. Diga adeus a Camila, pois essa será sua última palavra dirigida a ela. – ela sorriu e apontou a arma par minha cabeça.

As coisas aconteceram muito rápido. Ouvi o barulho da porta sendo aberta com força e indo contra a parede, logo depois um tiro, fechei os olhos e segundos depois senti minha cabeça bater contra o assento do sofá. Mãos fortes me envolveram e eu soube que era Camila. Abri meus olhos e dei de cara com os angustiados de Camila.

— Você está bem? Não aconteceu nada com você e nem com o bebê, não é? Lauren fala comigo, pelo amor de Deus.

— Eu estou bem, Camila, mas como... O que...?

Camila olhou em direção a porta e eu segui seu olhar e sorri ao ver quem estava na porta, com uma arma na mão e um sorriso de deboche no rosto.

— Já comentei com vocês que ninguém faz minha irmãzinha sofrer?
 


Notas Finais


A fic está acabando, só tem mais dois capítulos e o epilogo. :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...