História Between Two ♥ - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Vampire Diaries
Personagens Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Enzo, Jeremy Gilbert, Katherine Pierce, Matt Donovan, Personagens Originais, Stefan Salvatore
Tags Damon Salvatore, Defan, Delena, Elena Gilbert, Klaroline, Os Originais, Stefan Salvatore, Stelena
Exibições 29
Palavras 1.017
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Diário


Fanfic / Fanfiction Between Two ♥ - Capítulo 3 - Diário

-Jeremy?-o chamo ao entrar em casa e deixo minha moxila encima do sofá. Olho o chão do tapete e vejo algumas garrafas de bebidas vazias. Além de vários cigarros. 

-Eu estou aqui. -ele diz saindo da cozinha. Está usando roupas velhas, seus cabelos negros estão bagunçados,  cobrindo um de seus belos olhos castanhos que agora estavam vermelhos. Provavelmente por ter usado drogas.  Ele também está com bastante olheiras e muito pálido. 

-Meu deus Jeremy! Onde você esteve?-digo o abraçando aliviada por ele está ali. 

-Como você é chata em. Estava com meus amigos.-diz se afastando de mim. Ele nem me abraçou. 

-Amigos? Jeremy olha pra você. -digo o olhando ele revira os olhos. 

-E daí? Isso é problema meu Elena. Devia se preocupar mais com você ao invés de ficar bancando a minha mãe. Se me permite lembra-la nossa mãe morreu, então pare de tentar me controlar porra!-diz praticamente gritando e pega um cigarro que estava no chão. Ele acende o mesmo e o fuma.

-Eu...odeio te ver assim.-seguro o choro. 

-Ótimo então apenas finja que nem estou aqui.-ele sai subindo pelas escadas e se tranca no quarto. Limpo lágrimas que escorriam pelo o meu rosto. Me sinto tão inútil em não conseguir salvá-lo. Não sei mais o que fazer...

A casa fica em silêncio. Não vi minha tia Jenna. Ela deve ter dado uma ida a farmácia buscar remédios de dormir para o meu irmão.  Pego minha moxila e saiu novamente de casa. Preciso ficar sozinha. Só eu e meus pensamentos. Então sigo para o lugar que considero como o meu refúgio. A um cemitério. Sei que é bem estranho mas me sinto bem lá. 

(...)...

Sento-me escorada em uma das árvores ao lado das lápides do cemitério. Está ventando e fazendo muito frio. Ainda bem que estou de casaco. Abro minha moxila e pego meu diário dentro da mesma. Minha mãe me deu quando tinha apenas dez anos de idade. Desde então, eu o carrego para onde eu vou. 

"Querido Diário. Devo ter dito: "Estou bem, obrigada" pelo menos 37 vezes. E não foi verdade em nenhuma delas. Mas ninguém percebeu. Eles realmente não querem uma resposta.  Eu não poderia estar mais errada. Eu pensei que eu pudesse sorrir e acenar. Fingir que tudo estaria bem. Mas não consigo. Eu não sei fingir."

Paro de escrever ao me assustar com o barulho de um corvo, que estava encima de uma das lápides. 

-Você me assustou passarinho.-digo entre um riso e me levanto junto com minha moxila. Já está escurecendo, e eu sequer percebi que se formava neblinas ao redor da lápides, deixando aquele lugar meio assustador então eu caminho indo em direção a saída.

No mesmo instante em que levo o maior susto ao esbarrar com alguém. 

-Opa.-diz me segurando e eu dou um passo para trás. 

-Stefan.-o olho completamente suspresa e ele abre  aquele doce sorriso. 

-Elena.-diz me olhando. 

-O que... faz em um lugar como esse?-pergunto.

-Te faço  a mesma pergunta Srta.Gilbert.-diz entre um riso sem graça.

-Tenho parentes aqui. Só isso. -explico. 

-Eu também.-afirma. 

-Claro...porque mais seria não é?-sorrio para ele.

-Vai saber. Vai que sou um serial killer que acaba de trazer sua vítima para cá

-Você não é. -rio achando graça. 

-Ae como tem tanta certeza que você não é a próxima vítima?-pergunta rindo para mim. Ele é divertido.  Gosto de falar com ele. Me sinto tão bem que até esqueço dos meus problemas. 

-Você não me avisaria se fosse um.-concluo.

-Muito esperta Srta.Gilbert. Te vejo na aula amanhã?-pergunta  me olhando com aquele doce olhar. 

-É claro Sr.Salvatore.-abro um sorriso e ele sorri de volta.  Saiu em seguida indo de volta para casa. Pensei que ele me acharia louca por me ver em um cemitério. 

(...)...

Preparei o jantar e comi com minha tia Jenna. Jeremy sequer desceu para comer. Ainda está trancado no quarto. Tentei levar algo para ele mas ele nem abriu a porta. Apenas gritou para que eu o deixasse em paz e mais uma vez fiquei mal por vê-lo assim se acabando aos poucos.

-Um psicólogo poderia o ajudar.  -sugere tia Jenna sentada no sofá. 

-Não aceita ajuda nem da família. Por que aceitaria de um estranho?-pergunto me sentando ao seu lado.

-É verdade. Mas vamos devagar com ele. Já vou subir preciso dormir e você também. Tem aula amanhã cedo querida.-diz dando um beijo no meu rosto.

-Eu sei. Boa noite tia.

-Boa noite.-ela sobe em seguida para o seu quarto. Permaneço na sala procurando algo para assistir na tv e sou interrompida ao ouvir batidas na porta. Quem será a essa hora? Vou até lá e a abro.

-Boa noite.-diz Stefan me olhando.  O olho de volta com um olhar de surpresa. 

-Stefan.-digo.

-Você esqueceu no cemitério. -diz estendendo uma de suas mãos que segurava o meu diário. Eu esqueci lá e sequer dei falta dele. 

-Obrigada. -digo o pegando de suas mãos. 

-Não se preocupe eu não li.

-Não? Qualquer um teria lido. -acho graça. 

-Eu não ia gostar que lessem o meu. -ele sorri docemente. 

-Sério? Você também tem um diário?-pergunto surpresa. 

-Sim acho importante. Pois há muitas coisas lá que não quero me esquecer.

-Entendo. Desculpa fui muito mal educada. Você quer entrar?-pergunto e ele me olha por alguns segundos antes de entrar na minha casa. Agora que me dei conta que estava de pijama.

-É uma bela casa.-ele olhava ao redor com um olhar de avaliador. 

-Obrigada. Quer beber algo?-pergunto.

-Apenas um copo d'água por favor.-diz se virando para mim. 

-Claro.-vou até a cozinha, pego um copo de água e levo para ele. Ele toma enquanto eu o observo. 

-Você mora aqui só com o seu irmão?-pergunta.

-Não. Eu moro com a minha tia Jenna também. Ela praticamente nos criou  depois que perdi meus pais. -explico me sentando. 

-Sinto muito. 

-Tudo bem. 

-Mesmo?-pergunta me encarando. 

-...Estou ttentando seguir minha vida Stefan. Apenas isso.

-Melhor eu ir. Está ficando tarde e você tem que dormir.-diz indo até a porta e eu o acompanho.

-E você também. Boa noite.-digo sorrindo e ele sai no mesmo instante sem olhar para trás. Tranco a porta, apago as luzes e subo para o meu quarto levando o meu diário junto. Me jogo na cama e adormeço logo em seguida.











Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...