História Between two worlds - Min Yoongi fanfiction - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Min Yoongi, Rap Monster, Romance, Sobrenatural, Taehyung, Você
Visualizações 13
Palavras 1.609
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Científica, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - The life I once had


Fanfic / Fanfiction Between two worlds - Min Yoongi fanfiction - Capítulo 2 - The life I once had


Kim _____ pov's on 


Pelo caminho aparentemente interminável em direção ao apartamento, deitada com a cabeça encostada na janela, escutava os barulhos vindos do além enquanto refletia sobre como seria a minha vida dali para diante. De repente, fui acordada dos meus pensamentos pela voz de meu pai, apercebendo-me que havíamos chegado a casa. O sítio que avistei com o olhar, mal saí do carro, era com toda a certeza muito bonito. Apesar de termos chegado ao local relativamente tarde, no oriente, conseguia-se observar um alaranjado pôr do sol. Acabando de apreciar a paisagem ao meu redor, entrei na porta principal e encontrei o caminho até ao elevador. E de lá saí apenas no 4 andar, entrando na porta em que estava gravado “4D”. Ao passar pela mesma fiquei assustada da maneira como a minha mãe gritava ao telefone, aparentemente reclamando com a companhia que contratou para realizar as mudanças. “Não há sossego nunca, impressionante”, pensei para mim.


-- O que se passa mãe? Algum problema com assuntos da mudança.

-- Acreditas filha. Acabaram de me informar que a carrinha da companhia que contratamos se perdeu e só vai poder trazer a mobília e o resto das nossas coisas daqui a três dias!! Dá para acreditar?! - Disse minha mãe visivelmente enervada.

-- Não te preocupes mãe! A carrinha não demorará a chegar com toda a mobília. 

-- Esperemos que seja isso que aconteça. - disse ficando mais calma e aceitando o meu comentário reconfortante.


Eu estava diferente. Devido à morte do meu irmão, estava mais distante de tudo: não me abria com ninguém, porém não era por isso que iria ser desagradável com a minha família. Afinal eles sempre cuidaram de mim e eu apenas os podia ajudar e apoiar em qualquer momento. Era a minha única maneira de retribuir tudo que alguma vez fizeram por mim.

        Desde que ele morreu, sentia-me muito abalada e pensei não ter mais nada para fazer até que o conheci Park Jimin.


"FlashbacK on"


Passados alguns meses da lamentável morte do meu irmão, eu ainda continuava a sentir aquela dor insuportável no peito. Via-o em todos os lugares, desde nos meus sonhos à minha vida quotidiana. Apenas queria que tudo acaba-se. Inclusive, tentei acabar com a minha própria vida diversas vezes, mas sem sucesso.

Um dia estava na escola e no horário das aulas entrei na sala esperando pela professora. Quando tocou a campaínha anunciando o inicio das aulas, a professora entrou, porém reparei que não estava sozinha. Vinha acompanhada por um rapaz muito lindo por sinal. Ele tinha cabelos laranja sedosos, o seu rosto era destacado pela sua boca carnuda e muito convidativa. Ele não era muito alto, porém tinha um corpo bem definido e um bom gosto no que toca às roupas que usava.

 -- Prazer, sou Park Jimin! Eu sou um novo estudante transferido de Busan. Espero fazer muitos amigos e que todos cuidem bem de mim!- Diz sorrindo e abaixando a cabeça, aparentemente envergonhado.

Fiquei imediatamente apaixonada pela forma como o mesmo sorria. Parecia que tinha sido atingida por um anjo que caíra do céu. A partir daí só esperei que nos pudessemos dar bem.

-- Bom, Park Jimin, podes sentar-te ao pé da janela, na secretária onde está aquela menina.

No momento em que a professora apontou para mim fiquei envergonhada, porém tentei controlar-me quando vi que ele já se encontrava sentado do meu lado. Imediatamente, por não ser mal educada apresentei-me.

 -- Olá.. eu...s..sou a ___ - disse meio gaguejando e roubando uma risada dele.

-- Prazer! Agora que já nos apresentamos espero que possamos ser amigos! - Disse ele abrindo um lindo sorriso.

-- Cla...ro… - gaguejei mais uma vez 

-- Não precisas ficar nervosa. Afinal já somos amigos não é mesmo? - questionou levando suas mãos até minhas bochechas e apertando de leve 

Apenas concordei com a cabeça voltando a minha atenção para a professora que começava a passar matéria. Apontei algumas coisas no meu livro, mas só aí reparei que o Jimin permanecia quieto.

-- Jimin queres que partilhe o meu livro contigo? - perguntei recebendo a atenção do maior junto a um leve sorriso 

-- Se não te importasses agradecia que o fizesses! Iria ser mais fácil para mim já que tive um problema com os meus - afirmou ele.

Concordei. Passamos o resto das aulas assim, a partilhar os livros. O que se repetiu durante duas semanas, até á chegada dos dele.

Por esse tempo já estavamos próximos. Eu andava praticamente todo o tempo de escola com ele. Bem que toda a gente falava, mas eu nunca fui uma pessoa que se interessava por esses tipos de comentários e por isso continuei a ignorá-los. Desde a morte do meu irmão, eu havia afastado toda a gente de mim, incluindo as minhas amigas, contudo por algum motivo eu sentia-me bem estando perto de Jimin.

Passados alguns meses tornamo-nos inseparáveis. Já lhe havia contado sobre os acontecimentos que me haviam assombrado durante semanas, o que o fez estar ainda mais próximo de mim. Defendia-me quando os outros gozavam comigo e me maltratavam, porque eu sendo muito bondosa, estudiosa e ainda por cima por meu irmão ter morrido, era mal compreendida. Eu só queria voltar a ter uma vida normal e pouco a pouco Jimin foi-me ajudando a alcançar isso.

"Flashback off"


Definitivamente o que mais me deixou triste, foi largar tudo o que construí com ele ao mudar-me para Silent Hills. Sinto-me arrependida, por que talvez se ficasse mais tempo, nós poderíamos ser mais que amigos. Mas a vida está cheia de decisões difíceis e só ultrapassando estes momentos, é que nos tornamos pessoas mais fortes.

Bem, depois desta reflexão decidi finalmente ir para o meu quarto tentar organizar as minhas coisas, o que iria ser um pouco difícil de fazer devido às complicações com a companhia. Mas eu certamente iria dar um jeito de fazer com que tudo desse certo.

Logo após subir a grande escadaria, cheguei ao quarto e estendi o saco de cama que a minha mãe havia preparado para mim. Saco que iria utilizar enquanto não chegasse o camião que continha a nossa mobília. De seguida, abri a minha mala que continha dois compartimentos: um com as minhas roupas, produtos de beleza e higiene e o outro possuía todas as armas que conseguiu suportar, de entre estas o meu arco, a arma que mais adorava usar em treinamento. A mudança para Silent Hills não mudou o facto de termos que esconder o que somos de verdade, para a proteção de todos seria o melhor a se fazer.

Quando tudo estava pronto dirigi-me à cozinha e para o jantar comemos a pizza que minha mãe incomendara, a única coisa que se conseguiu arranjar nesta hora tardia. Já cansada, quando terminei fui para o meu quarto e adormeci, mesmo no chão duro e frio. Acredito agora naquilo que dizem “ Quando se tem sono dorme-se em qualquer lugar”.

Kim ____ pov's off 


Min Yoongi pov's on 


Como um dia normal, lá estava eu deitado na minha cama a refletir ao mesmo tempo que ouvia música, coisa que sempre me acalmou desde pequeno. Os meus pais sempre haviam pensado que eu era um filho normal, contudo não era isso que acontecia. Eu fora deixado à porta deles e como a minha mãe não podia engravidar, eles adotaram-me pensando que eu era a criança ideal. Mas a verdade é que eu nasci fruto de uma maldição que jamais poderá ser revertida. Eu sinto-me um monstro. Aposto que pensavam que eu era aquela pessoa que dormia à noite e que se divertia de dia. Não é fácil ser o que sou e ainda mais ter que o esconder das pessoas que amo. A sede por sangue, por vezes fala mais alto e eu perco o controlo.

Sendo um híbrido as únicas pessoas com quem eu me relaciono são os meus melhores amigos e a minha namorada Kim Yerim. De entre eles Hoseok é um lobisomem, Jin um feiticeiro e Jungkook um vampiro enquanto que a minha namorada era uma Kitsune. Pode parecer estranho mas nós realmente existiamos, vindo de famílias ou até mesmo de maldições.

Enfim era complicado viver uma vida assim de segredos e mentiras porém era a minha própria e eu apenas tinha que aceitar. Hoje já me havia alimentado, bebendo sangue animal às escondidas que o Jungkook me fornecia. Não era tão bom como sangue humano, porém dava-me energia suficiente. O problema era mesmo ter que fingir estar a adorar a comida que a minha mãe preparava com tanto carinho para mim e ter que ir rapidamente vomitar em seguida. Isso trazia-me dor no coração porque eu sabia os esforços que os meus pais adotivos tinham feito por mim.

Fui despertado dos meus pensamentos quando senti o meu telemóvel vibrar na minha barriga. Peguei e vi que se tratava de Yerim.


"Chamada on"

-- Oi amor! Tudo bem contigo?! Já te alimentaste?! - perguntou ela num tom de preocupação um tanto quanto forçado.

-- Calma! Sim, já bebi o sangue que o Jungkook me trouxe mais cedo. Agora se me dás licença preciso de desligar, que hoje estou com uma tremenda dor de cabeça. - disse calmamente - Amo-te muito! Beijos e boa noite princesa!

-- Também me vou deitar … Boa noite...amor. - disse ainda com um tom forçado.


Yerim pov's on 

Yoongi, que pessoa mais burra, ele está a cair direitinho na minha armadilha e o melhor é que ele não desconfia de nada. Só preciso continuar com isto por mais algum tempo e depois vou largá-lo e destruir a sua vida, como ele fez com a minha.


Yoongi pov's on 

O tom de Yerim parecia diferente, desisti de pensar no assunto e me deitei confortavelmente na cama. “Amanhã é um novo dia”- pensei e com isto acabei por adormecer.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...