História Between Two Worlds - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Ashley Marin, Emily Fields, Hanna Marin, Jason Dilaurentis, Jenna Marshall, Jessica DiLaurentis, Maya St. Germain, Melissa Hastings, Noel Kahn, Paige McCullers, Pam Fields, Personagens Originais, Peter Hastings, Spencer Hastings, Veronica Hastings, Wayne Fields, Wren Kingston
Tags Drama, Emily Fields, Hanna Marin, Lesbians, Pretty Little Liars, Spemily, Spencer Hastings
Visualizações 63
Palavras 4.288
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Orange, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heeeeeeey pessoas, como estão? Morrendo de curiosidade de saber o que vai rolar nesse capítulo?
Confesso que esse foi um dos capítulos mais difíceis que eu já escrevi. Cheguei até a chorar só de escrever e ler.
Não fiquem com raiva de mim depois de tudo isso que vão ler.
Espero que gostem e BOA LEITURA!

Capítulo 20 - A new beginnig


Meses depois…

    Spencer vai para o apartamento de Emily aos prantos e não saberia como dar a notícia para sua amada. Sua mente estava completamente confusa e o que ela apenas pensava era como contar tudo isso a Emily. Ela chega em frente ao prédio e demora para descer do carro. Peter foi totalmente contra essa decisão de Spencer, mas ela não poderia abrir mão de sua família num momento tão delicado como este. Spencer desce do carro e sobe para o apartamento de Emily sem ser anunciada. Seu coração estava acelerado, ela estava preocupada com a reação que Emily teria quando ela contasse a notícia e o elevador para no andar de Emily. A porta do elevador se abre e ela demora alguns minutos para tocar a campainha. Quando ela toca, Emily demora alguns longos segundos para abrir a porta e quando dá de cara com Spencer, estranha a situação que ela estava no momento.

— O que houve Spencer? Você está pálida! - disse Emily dando um abraço em Spencer

— Eu vim aqui para dar uma notícia ruim para você - disse Spencer começando a chorar novamente

— O que está acontecendo? Você está me deixando preocupada! - disse Emily se sentando no sofá com Spencer

— Emily, eu vou ter que ir embora de Los Angeles. Eu não sei se voltarei para cá algum dia ou me mudarei para sempre daqui - disse Spencer chorando mais ainda

— Como assim ir embora de Los Angeles? Isso não faz sentido Spencer! E para onde você vai? - perguntou Emily já chorando

— Eu não posso dizer. Eu só vim aqui para me despedir de você e dizer que eu te amo muito e que eu jamais vou esquecer a pessoa maravilhosa que você foi para mim - respondeu Spencer quase não conseguindo falar

— Spencer, por favor, eu preciso entender o que está acontecendo!? É por causa de sua mãe? - perguntou Emily aos prantos

— Não posso dizer Emily. De repente as coisas aconteceram e eu estou completamente perdida em tudo. Meu pai não sabe mais o que fazer, já tentou me ajudar, mas é algo que eu não posso largar assim - respondeu Spencer chorando mais ainda

— Não faz sentido você ir embora sem me dizer o que está acontecendo Spencer. Eu preciso saber! Você está há 8 meses comigo e simplesmente vai jogar tudo para o alto sem explicação alguma do que está ocorrendo na sua vida? - disse Emily brava

— Eu não tenho mais o que fazer Emily, ou é você ou a minha família! Você acha que eu estou feliz com essa minha escolha? É óbvio que não, mas eu tive que tomar uma decisão dura na minha vida para que tudo termine bem - disse Spencer em alta voz

— Ah já entendi. Você escolheu a sua família. Hanna tinha razão quando disse que você não era o que parecia ser, eu deveria ter escutado ela. Estou decepcionada com você Spencer, achei que seria diferente comigo. Por favor, vá embora! - disse Emily se levantando do sofá

— Posso pelo menos posso me despedir direito de você? - perguntou Spencer também se levantando

— Não Spencer, está tudo acabado. Espero que você seja muito feliz onde quer que esteja - respondeu Emily segurando as lágrimas

— Eu te amo Emily, estou fazendo isso por amor - disse Spencer chorando

— Se você me amasse de verdade, teria escolhido ficar comigo, daríamos um jeito e tudo ficaria bem. Se caso você resolver voltar algum dia, não me procure nunca mais. Não quero te ver nunca mais - disse Emily séria

— Por favor Emily, não faça isso comigo! - disse Spencer segurando na mão de Emily

— E você acha certo o que está fazendo comigo Spencer? Eu estou aqui, sem entender nada e você ainda me pede para não fazer isso com você? Você está deixando o meu coração em pedaços Spencer, não vou mais conseguir viver, não vou mais conseguir amar alguém, não faria sentido eu ter que te dar uma chance. Por favor, vá embora, não quero mais te ver! - disse Emily num grito só

— Espero que um dia você ainda me perdoe por tudo isso. Meu voo está marcado para amanhã de manhã, se quiser aparecer no aeroporto, chegue até 9 horas. Te desejo boa sorte Emily - disse Spencer saindo e olhando pela última vez para Emily

 

Spencer fecha a porta e Emily cai no chão aos prantos. Ela fica completamente inconsolável naquele momento. Spencer volta para a casa de seus pais e Peter tenta consolar a filha, mas sem sucesso. Spencer chorava tanto que não conseguia falar. Peter apenas a abraça e fica com ela até que se acalmasse. Sua decisão foi tomada drasticamente e aquilo afetaria muito a sua vida. No dia seguinte, Hanna aparece bem cedo na casa dos Hastings para levar Spencer ao aeroporto porque ela não queria ir com a mãe e então Spencer pediu para que Hanna a levasse. Hanna sentia que estava traindo Emily com aquela atitude. Spencer entrega uma carta a Hanna para que ela entregasse futuramente para Emily quando tudo estivesse mais calmo. A primeira chamada para o voo estava sendo anunciada e Spencer se levanta para seguir para a sala de embarque. Ela abraça Hanna a agradecendo por tudo e Hanna insiste para que Spencer fique, mas sua decisão já estava tomada. Hanna se emociona ao ver Spencer entrando na sala de embarque e Spencer ainda estava com esperanças de que Emily apareceria para se despedir dela. Ela vira para trás, procura por alguém familiar, mas não há nenhuma semelhança. Ela entra na sala de embarque aos prantos e encontra seus pais sentados à sua espera. Verônica tenta abraçá-la, mas Spencer desvia o caminho. Suas vidas naquele momento estavam tomando um rumo completamente diferente. Spencer estava entregue às exigências de sua mãe e Emily abandonada, com o coração em pedaços. Será que Emily será capaz de amar alguém de novo?

1 ano e meio depois…

/Mensagem On\

— Emily, eu estava pensando de irmos jantar juntas hoje. Topa ir?

— Eu estou cheia de trabalho para fazer Hanna, ainda não consegui organizar as minhas coisas depois da viagem

— Eu preciso muito conversar com você, é algo que você vai gostar de saber e eu queria que você fosse a primeira a saber dessa notícia

— O que você não faz para me deixar curiosa né Hanna? Tudo bem, você venceu, vamos jantar no meu apartamento mesmo

— Uhuuuuul! Quando eu estiver saindo do trabalho, eu te aviso

— Ok Hanna Banana

/Mensagem Off\

    Emily durante esse tempo sem Spencer, namorou com Paige, mas era óbvio que o namoro não daria certo. Dois meses foram suficientes para que Emily chegasse ao limite. Elas brigavam muito por causa de Spencer. Todos da faculdade sempre se lembravam que Emily era “a namorada da Spencer”. Aquilo foi incomodando tanto Paige que na última briga, ela citou o nome de Spencer e Emily se enfureceu de vez. Emily atualmente está namorando com Rebecca, sua ex-chefe, que tempos depois viraram grandes amigas e assumiram o namoro. Fazia alguns dias que elas voltaram de uma viagem de férias na Austrália e Emily estava trabalhando como apresentadora de um canal de TV fechada. Ela era bem conhecida pelos cidadãos dos EUA e todo aquele assédio dos fãs, tanto nas ruas como na faculdade, deixava Rebecca um pouco enciumada. Depois do sucesso do programa, Emily comprou um apartamento maior mais próximo do centro de L.A., mas ainda não morava com Rebecca.

    Hanna manda uma mensagem para Emily dizendo que já estava saindo do trabalho. A loira conseguiu um estágio num canal concorrente ao que Emily trabalha e ao poucos foi ganhando espaço e fama assim como a amiga. Ela chega em frente ao prédio de Emily e assim que liberada na portaria, ela sobe para o apartamento. Emily estava terminando de arrumar a mesa quando a campainha toca.

    — Finalmente lembrou que tem amiga - disse Emily abrindo os braços para Hanna

    — Você que ficou dois meses na Austrália e quase não falou comigo - disse Hanna abraçando a amiga

    — Eu estava quase desistindo de voltar para os EUA, aquele lugar é maravilhoso Hanna, você precisa conhecer lá - disse Emily dando espaço para a amiga entrar

    — Não fale isso nem de brincadeira! Não sei o que seria da minha vida sem você aqui - disse Hanna fazendo biquinho

    — É óbvio que eu estou brincando Hanna! Não troco EUA por nada - disse Emily se sentando no sofá

— E Rebecca? Vai vir para cá hoje? - perguntou Hanna

— Não, ela tem que preparar o roteiro do programa de segunda-feira, então ela disse que iria ficar em seu apartamento - respondeu Emily

— Eu tenho novidades. Eu estava esperando você voltar para contar pessoalmente - disse Hanna

— Diga logo! - disse Emily ansiosa

— Jason me pediu em casamento! - disse Hanna mostrando a aliança

— Não acredito! Que notícia boa Han! - disse Emily abraçando Hanna

— E eu queria muito que fosse madrinha do meu casamento - disse Hanna

— Com certeza! Eu fico honrada de poder fazer parte desse grande dia! - disse Emily

— Ainda vamos marcar a data do casamento e assim que o convite estiver pronto, vou fazer algo mais formal, com direito a jantar para os padrinhos - disse Hanna

— Nossa Han, estou muito feliz por você, sério. Desejo toda a felicidade do mundo para vocês - disse Emily abraçando Hanna

— Obrigada Em! Na verdade eu não vim aqui para dar somente esta notícia, eu tenho mais uma coisa que eu preciso te falar muito. Se você ficar muito brava comigo, eu vou entender e dou razão para isso, mas é que eu não posso mais esconder isso de você e seria muito pior se você descobrisse sozinha - disse Hanna saindo do abraço

— Diga logo Hanna, você está me deixando preocupada - disse Emily séria

— Não sei por onde começar, mas vamos lá. Durante esses quase dois anos, depois que você terminou com Spencer, eu ainda mantive contato com ela. Antes que você comece a gritar comigo, deixe-me explicar tudo. Foi eu quem a levei até o aeroporto porque ela não queria nem olhar para Verônica durante o caminho e ela me pediu que a levasse. Eu também estava sentindo muita raiva dela por ter feito essa escolha estúpida, mas depois que ela me explicou a situação, tudo começou a fazer sentido - disse Hanna sendo interrompida

— Hanna, como você pode fazer isso comigo sabendo de tudo o que estava acontecendo com ela? Eu estou me sentindo completamente traída por você. Eu não posso confiar nem mais na minha melhor amiga? - disse Emily deixando lágrimas escorrerem

— Calma Emily, deixe-me explicar! Não vai adiantar você ficar brigando comigo sem entender a situação. Verônica está com um problema sério no coração e eles procuraram os melhores cardiologistas dos EUA e todos disseram que o melhor tratamento seria na Alemanha. Depois disso, Verônica começou a pressionar Spencer para que ela fosse junto para Alemanha e deixasse tudo aqui para trás, inclusive você. Para falar a verdade, a mãe dela começou a colocar tanta pressão na cabeça dela em relação à doença que Spencer tomou uma decisão totalmente precipitada e acabou abrindo mão de você. Não tiro a razão de você estar com muita raiva dela e não querer mais vê-la, só que ela precisava fazer isso para que a mãe não morresse. E antes dela embarcar, ela me entregou esta carta para que eu entregasse a você depois de um tempo que ela já estivesse indo embora, mas eu nunca tive coragem de contar a verdade a você e desde então esta carta está comigo - disse Hanna entregando a carta para Emily

— Como você pôde Hanna? Você viu o quanto eu sofri quando Spencer foi embora e você simplesmente não me contou nada? Você acha que até hoje eu superei Spencer? Eu sofro todos os dias por não conseguir amar mais ninguém como eu a amava. Eu me sinto mal por estar enganando Rebecca, por fingir gostar dela e o pior de tudo, eu não consigo ter nenhuma relação com ela por causa daquela filha de uma puta que não teve um pingo de compaixão comigo e ter contado toda a verdade. Agora você vem dizendo todas essas coisas, te colocou no meio de algo que ela mesma poderia ter explicado e ainda pode acabar com a nossa amizade - disse Emily revoltada

— Me perdoe Emily, eu só queria ajudá-la. Ela estava com a vida acabada e ela não tinha outra alternativa. Não estou querendo defendê-la, mas você não tem noção do quanto ela está sofrendo longe de você. De todos os e-mails que ela mandou, eu sentia na pele o quanto ela está sofrendo em um país que detesta americanos, que discrimina os homossexuais e que ela não possa ser livre. Spencer te ama Emily e ela já pensou em fazer de tudo para fugir daquele lugar horrível e até mesmo em se matar porque não aguenta mais toda aquela pressão social que ela sofre todos os dias. Apenas me perdoe por tudo - disse Hanna chorando diante de Emily

— Hanna, me desculpe. Não posso te ajudar, eu não quero ver Spencer nunca mais na minha vida. Ela não foi mulher o suficiente para chegar em mim e dizer toda a verdade. Você acha que isso não me doi em saber que ela está em um lugar que todos a discriminam? E pensar que um dia ela tentou se matar por conta disso. Hanna, já pensou se ela tivesse se matado mesmo? O que seria da minha vida sem ela para sempre? - disse Emily quase não conseguindo falar com a voz embargada

— Dê tempo ao tempo Emily, você está com uma mágoa muito grande e tenho certeza que depois que você ler a carta, você vai entender melhor tudo. Ah e ela também me mandou um vídeo na semana passada contando algumas coisas que acontecem lá e pediu para que eu te mostrasse - disse Hanna pegando seu notebook

/Vídeo\

Oi Hanna, como está? Espero que muito bem com tudo de bom acontecendo na sua vida. Hoje eu resolvi fazer este vídeo porque eu queria que você visse a situação que eu estou vivendo aqui na Alemanha. A cidade é muito bonita estruturalmente falando, porém muito conservadora e por consequência, muitos nativos não concordam com certas mudanças extremas na sociedade. Para você ter noção, esses dias eu estava andando na rua e uma menina apenas abraçou a amiga, pelo o que me parecia, essa menina estava chorando e uma senhora se aproximou delas e falou alguma coisa que eu não faço a mínima ideia do que seja e simplesmente brigou com as meninas por estarem se abraçando em público. Já não bastasse isso, eu sou completamente isolada nesse mundo porque ninguém gosta de americano por aqui. Na escola onde eu faço as aulas de alemão, quando eles sabem que sou americana, eles me olham feio, se afastam de mim como se eu fosse uma doença extremamente contagiosa e desde então eu tenho sofrido muito com essa diferença. Tem dias que eu acordo que não tenho vontade de levantar da minha cama com receio do que possa acontecer comigo nesse lugar completamente estranho. Ainda bem que os médicos que a minha mãe se trata, não são alemães, são noruegueses e eles são muito atenciosos com ela. Falando nela, anteontem ela passou por uma terceira cirurgia e graças a Deus ocorreu tudo bem com a cirurgia, ela já está no quarto para ficar em observação médica e espero que tenha alta em breve. Eu estava pensando em fugir daqui assim que a minha mãe receber alta. Ela vê o quanto eu sofro aqui e o quanto eu estou me acabando com tudo isso. Desde que viemos para cá, nunca falamos na possibilidade de voltar para os EUA. Meu pai praticamente está vivendo em função da minha mãe, ele mudou muito comigo depois que viemos para cá e então eu quase não falo com ele. Ele ficou muito chateado ao ver que eu fiz uma escolha que ele sabia que iria causar muitos problemas para mim. Ele já sabia como era a Alemanha e o quanto eu desejaria me matar por estar nesse lugar. Minha irmã evita de tocar no assunto sobre Emily, mas às vezes eu sinto a necessidade de falar sobre ela com alguém. Se eu pudesse voltar atrás e ter uma nova chance de escolher, com certeza eu não pensaria duas vezes em escolher ficar com Emily. Hanna, você não tem noção o quanto eu sofro a cada dia só de pensar que eu poderia ter dito não para a minha mãe e continuasse vivendo a minha vida normalmente com Emily, mas minha mãe soube usar as palavras certas e eu acabei me deixando levar pelas emoções. Eu agradeço muito a você por estar me ajudando a me manter viva neste lugar infernal e só de saber que Emily está bem, é um bom combustível para me fazer levantar todos os dias, me olhar no espelho e não pensar em me matar. Às vezes eu me pergunto como as pessoas que vivem aqui, não se matam… Para ser sincera, quando você me contou que Emily estava namorando com Rebecca, eu pensei seriamente em me matar. A partir daquele momento meu coração despedaçou mais do que já está e perdi completamente as esperanças de uma nova chance com ela. Pelo jeito elas estão bem firmes e até passaram as férias juntas, se divertiram bastante. Agora o que me resta é desejar que ela seja muito feliz e que ela mostre de verdade a pessoa incrível que ela é para Rebecca. Desculpe estar chorando na sua frente assim, mas é que me emociona lembrar dela e o quanto ela me fazia feliz. Ela superou todos os obstáculos comigo e nunca me abandonou. Se um dia você mostrar este vídeo para Emily, diga a ela que… eu a amo muito e que assim que eu conseguir fugir daqui, vou fazer de tudo para reconquistá-la. Bom Hanna Banana, vou precisar desligar porque amanhã eu tenho que ir para a aula cedo. Um grande beijo e obrigada por tudo.

    Emily o tempo todo chorou ao assistir o vídeo, assim como Hanna. Spencer estava muito diferente de quando saiu pela última vez daquela porta no apartamento antigo. Seus olhos estavam fundos, estava muito mais magra e ela não tinha mais aquele brilho no olhar. Emily chegou a pensar até que Spencer estava usando drogas, mas Hanna logo tirou essa ideia de sua cabeça. Emily ficou alguns minutos olhando para a tela do notebook que estava com uma imagem de Spencer sorrindo no final do vídeo. Ela não conseguia conter as lágrimas e então Hanna a abraça em forma de solidariedade com a amiga. Emily abre a carta, mas quase não consegue ler por estar chorando muito. Ela estava em um momento de desespero por ver a situação que Spencer se encontrava, mas seu orgulho e sua dor do passado, não a deixavam se levar muito pelas emoções.

    Hanna precisava ir embora e elas se despedem com um abraço demorado. Emily estava precisando saber como Spencer estava e ver aquele vídeo, foi o maior presente que Hanna poderia ter lhe dado naquele dia. Ela havia guardado numa caixinha todos os presentes e fotos que ela tinha com Spencer e depois de todo esse tempo, ela a abriu. Seus olhos se encheram de lágrimas quando viu aquelas fotos e sua aliança guardadas. Emily então pega as fotos e começa a olhar uma por uma. Ambas sorriam em todas as fotos e aquilo mostrava o quanto elas eram felizes. Algumas lágrimas escorriam por seu rosto, as boas lembranças daquela época vinham nítidas em sua mente e um leve sorriso era esboçado em seu rosto. Havia um foto em que Spencer tinha escrito uma frase para Emily, mas ela nunca havia lido que dizia “Te amarei por toda a eternidade. Feliz 6 meses de namoro!” e Emily pensa consigo que hoje ela poderia estar feliz com Spencer, mas ela foi covarde em recusar de se mudar para sempre de Los Angeles.

    Emily vai até a sala e pega novamente a carta que não conseguira ler anteriormente, mas percebe que tem outra carta dentro do envelope e a tira para ler também. Ela não aguentava mais chorar e ela criou coragem para começar a lê-las.

 

/Primeira carta\

Querida Emily,

Já devem ter se passado alguns meses que eu fui embora e muito provavelmente você deve estar seguindo a sua vida normalmente. Eu não sei como começar a escrever esta carta. Você com certeza deve estar sentindo muita raiva de mim e eu sei que você não vai mais querer me ver para sempre, mas saiba que eu não tive muita escolha. Eu expliquei tudo a Hanna e pedi a ela que contasse toda a verdade a você. Me perdoe por ter a usado e por muitas vezes pensei que você iria acabar com a sua amizade com ela por conta disso, mas não faça isso, Hanna só quis me ajudar e eu sei que se eu estivesse na sua frente agora, você não estaria ouvindo uma palavra do que eu precisaria te dizer.

Meu pai não está falando comigo direto desde que eu escolhi ir para a Alemanha com eles e o que ele menos queria é que eu me separasse de você. Não sei como as coisas serão a partir de agora, vou ter que começar a minha vida do zero e torcer para que tudo dê certo por lá, mas eu sinto medo por não ter mais você para me proteger e o mesmo com você. Eu me sinto impotente porque eu não posso ter a chance de voltar atrás e poder reconstruir tudo o que eu destrui. Não sei mais se eu vou conseguir viver sem você e sem a alegria de amar alguém. Você para mim é tudo Emily, mesmo que você sinta raiva de mim e lhe dou razão para isso, não vou desistir de você. Se um dia eu voltar para Los Angeles, não vou ter medo de te procurar e de poder te reconquistar de novo. Te desejo toda a felicidade do mundo e se lembre que eu estarei sempre com você.

Com amor, Spencer Hastings.

 

/Segunda Carta\

Querida Emily,

É com grande alegria que escrevo esta carta e agradeço muito a Hanna por estar sempre me mandando boas notícias sobre você. A última notícia que tive de você foi que conseguiu realizar seu sonho de ser apresentadora de TV e eu estou muito feliz com isso. Me lembro quando você me dizia sobre esse sonho e olha onde você chegou. Infelizmente aqui na Alemanha não passa nenhum programa americano, eles são extremamente contra americanos aqui e eu sofro todos os dias por conta disso. Tem dias que eu tenho medo de não voltar mais para casa e ser morta no meio da rua por algum alemão nazista. Eu queria muito poder te acompanhar todos os dias, mas quando soube da notícia, já procurei alguns vídeos do seu programa e estou muito orgulhosa de você. Eu sempre acreditei que você tinha esse talento para ser apresentadora e hoje vejo que tudo isso é realidade.

Hanna também me disse que você está namorando e que está muito feliz com essa pessoa. Ela não quis me dizer quem era, mas eu acabei descobrindo sem querer. Rebecca parece ser uma pessoa legal e espero que ela te faça muito feliz. Sempre achei que ela gostasse de você por já ter feito tantas coisas boas a você. Aqui onde eu moro nunca vi um casal de gays ou de lésbicas andando na rua, acredito que o dia que acontecer isso aqui, essas pessoas serão queimadas em praça pública, então desde que eu cheguei aqui, nunca fiz nada, só conheço uma pessoa, o nome dela é Amelie que está me ajudando em tudo.

Minha mãe passou pela segunda cirurgia no coração e está se recuperando aos poucos. Ela está com uma falha em uma válvula do coração e os médicos estão tentando de tudo para que ela ainda viva alguns anos. Meu pai agora vive em função dela e quase não o encontro em casa. Minha irmã conheceu um cara e está namorando com ele já faz um tempo e praticamente mora com ele porque ela quase não está em casa também e então eu moro a maior parte do tempo sozinha e é essa vida que eu estou levando aqui. Eu passo por alguns apertos, mas Amelie sempre está do meu lado para me consolar nas horas difíceis. E não, ela não é a minha namorada se foi isso o que você pensou (risos), ela é um anjo na minha vida que veio me ajudar a superar toda essa pressão da sociedade. Não consigo amar ninguém como eu amo você, então não há nenhuma chance de alguém roubar o seu lugar no meu coração.

Bom Emily, te desejo muitas felicidades na vida e no namoro (mesmo não concordando, mas quem sou para dizer algo), muito sucesso e até breve.

Com amor de sua eterna Spencer Hastings.

   Emily estava confusa em relação aos seus sentimentos com tudo o que ela havia lido nas cartas. Spencer pareceu tão compreensiva quando falou sobre seu namoro com Rebecca e com todas as coisas que provavelmente Hanna tenha contado a ela. Já era de madrugada e Emily estava deitada em sua cama olhando as fotos de seu passado esperando o sono chegar.

    Será que Emily perdoará algum dia Spencer por tudo o que já aconteceu? Será que essas cartas farão com que Emily mude de ideia e a faça dar uma segunda chance à Spencer?


Notas Finais


E aí pessoas, gostaram? Espero que não desistam de mim depois desse capítulo! A história ainda continua e já vou adiantando que depois disso ficará muito melhor.
Spencer estava numa situação difícil de escolher entre sua família e Emily, mas isso não justifica ter que simplesmente largar Emily, virar as costas e não dar nenhuma satisfação direito sobre o que está acontecendo.
Eu quis dar essa revira-volta na história porque eu achei que estava um pouco parada e muito clichê, mas relaxem que muita coisa boa e ruim está para acontecer.
Espero que tenham gostado, deixem seus comentários para eu saber o que acharam desse capítulo e até o próximo capítulo! ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...