História Between war and Love - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Interativa, Norminah
Exibições 218
Palavras 4.004
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Canibalismo, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello amores, como estão?

Voltei bem rapidinho dessa vez, já que provavelmente o próximo capítulo pode demorar um pouquinho para sair.

Temos novos personagens <3

Espero que gostem. Boa leitura!

Capítulo 3 - Start of confusion


Fanfic / Fanfiction Between war and Love - Capítulo 3 - Start of confusion

“Ter alguém para te ajudar não significa que você falhou, significa que você não está sozinha.”

Camila não sabia que horas que estava acordado, tudo que ela sabia, era que acordou com os barulhos da cama de Nicolas. Ela pensou em mandá-lo ir se foder, mas estava com tanto sono que mal estava conseguindo abrir os olhos direito.  Quando ela conseguiu se focar na imagem de Nicolas, ela franziu o cenho, vendo o garoto se debatendo na cama.

— Você está tendo uma convulsão? — Camila perguntou, passando a mão pelos cabelos bagunçados.

— Eu acordei com uma ereção matinal, isso é uma merda. Você sabe o quanto é difícil mijar de pau duro? — Nick questionou afobado, se levantando da cama e correndo em direção ao banheiro.

— Não, porque eu não tenho um pau. — Camila respondeu risonha, ouvindo Nick resmungar alguma coisa do banheiro.

A morena bocejou, notando que estava deitada de barriga para baixo, quando tentou voltar a ficar de barriga para cima, ela acabou se desequilibrando e caindo da cama. O barulho do tombo pareceu bem alto, já que Nick riu de maneira exagerada do banheiro.

— Você caiu da cama? Espera eu sair do banheiro e faz de novo, quero gravar isso. — Nick gritou, em um tom risonho, somente imaginando a cena de Camila caindo da cama.

Camila revirou os olhos, ainda caída no chão. Ela então se deu conta que era seu primeiro dia na faculdade, foi quando se levantou do chão e correu em direção ao banheiro, começando a bater na porta de maneira exagerada.

— Nick, sai do banheiro. Eu preciso me arrumar para a faculdade!

Não demorou muito para Camila começar a se arrumar para a faculdade, mesmo que ela não fosse do tipo que demorava horas para ficar pronta. Nicolas também não demorava muito, bem ele era mais do tipo que pegava qualquer coisa no caminho e vestia.

Em seguida os dois saírem do quarto, dando de cara com uma loira de cabelos platinados.

— Bom dia, Blair. — Nick cumprimentou, vendo a loira o olhar de maneira séria.

— Vai se foder. — Blair resmungou, passando por Camila sem ao menos olhá-la, enquanto Nick não parecia se abalar pelo humor da platinada.

— Ela é um amor de pessoa. — Nick disse para Camila, a puxando pelo pulso. Assim que desceram as escadas, foram em direção à cozinha, onde já tinha bastantes garotas reunidas.

— Quem é essa? — Uma das garotas perguntou, olhando em direção a Dinah.

— Camila Cabello, nova integrante da república. — Dinah explicou, de maneira animada, enquanto ia para o lado de Camila e passava o braço pelo seu ombro. — As loiras da casa são: Gabriela, Blair, Charlotte e Ramona. A morena você conheceu ontem, é a Hillary.

— Um prazer conhecer vocês. — Camila resmungou um pouco sem jeito, se sentando no meio de Nick e Dinah. — Espera, Nicolas é o único cara nessa república?

— Só para deixar claro, eu não sou gay.  — Nick disse de maneira rápida, fazendo as meninas rirem dele.

— Não é gay, mas vive perguntando para o meu irmão se ele acha você pegável. — Blair alfinetou, vendo todas olharem para Nicolas.

— Não me julguem, eu acho gays mais sinceros, qual é o problema disso? — Nick se explicou, fazendo as meninas rirem novamente, ao verem o quanto ele ficava engraçado tentando se explicar.

— Quem cozinhou?  — Camila perguntou, olhando para as meninas.

— Charlotte normalmente é quem cozinha. Está maravilhoso, não é? — Ramona respondeu, sorrindo para a loira ao seu lado, antes de selar seus lábios em um selinho rápido.

— São namoradas?  — Camila voltou à pergunta, vendo as meninas rirem dela.

— Não, somos amigas. — Charlotte respondeu, sorrindo de maneira educada.

Camila pode notar que os olhos da garota tinham cores diferentes, sendo o esquerdo azul e o direito verde.

— Eu tenho heterocrômica. — Charlotte disse, vendo o olhar curioso de Camila sobre ela.

— É um charme, não? — Hillary perguntou, sorrindo de leve.

— Você sabe que a maioria das garotas aqui gostam de meninas, né? — Dinah questionou, vendo o olhar confuso de Camila. — Você pesquisou alguma coisa antes de resolver morar em uma república?

Camila fez uma careta, sendo o suficiente para Dinah saber que ela não tinha pesquisado nada sobre aquelas repúblicas.

— A maioria aqui gosta de mulheres ou pelo menos dos dois lados. — Gabriela se manifestou pela primeira vez, olhando de maneira atenta para Camila. — Não tem problemas com isso, certo?

— Nenhum problema. — Camila respondeu rapidamente.

— Eu notei que você tem uma bunda bem avantajada. Nasceu aonde? — Ramona perguntou de maneira curiosa.

— Eu sou latina. — Camila respondeu, vendo as meninas se olharem.

— Isso é quente. — Charlotte disse, fazendo as meninas rirem.

— Eu espero que a senhorita mantenha suas mãos bem longe dela. — Dinah disse, olhando de maneira brincalhona para Lotte.

— Longe dela ou da bunda dela? — Blair questionou, vendo o olhar de confusão que Camila tinha no rosto.

— Eu me sinto em The L World. — Nicolas resmungou, fazendo uma careta engraçada, enquanto as meninas riam dele. — Suas safadas.

[.....]

— Algo está acontecendo. — Ramona resmungou, fazendo com que Camila a encarasse de maneira confusa.

Estava quase na hora de irem embora da faculdade, mas no momento todos estavam lanchando. Camila estava sentada com Nicolas e Ramona, mas também não deixou de ficar com Tiffany. Na verdade, as duas realmente tinham se dado bem, no fim elas até conversaram durante o intervalo, antes de cada uma ir se sentar com os integrantes de suas repúblicas. Porém, Dinah tinha sumido há uns cinco minutos, e Ramona tinha acabado de soltar aquela fala, o que deixava Camila ainda mais confusa sobre o que estava querendo dizer com aquilo.

Só ficou ainda mais confuso, quando Camila viu Luna vir em sua direção.

— As líderes estão juntas, você sabe o que isso significa. — Luna disse, colocando as mãos sobre a mesa e encarando Ramona de maneira séria.

— Alguma ideia do que está acontecendo? — Nicolas perguntou, olhando de maneira atenta para Luna.

— Não, mas boa coisa não é. — Luna resmungou, mordendo o lábio.

As coisas ficaram meio estranhas quando Camila pode ver os alunos começaram a sussurrar coisas entre eles, a ponto de que todas as vozes se misturavam. Foi quando Camila notou Dinah passando pelo corredor próximo dali, a questão é que ela não estava sozinha. Camila se deu conta que o alvoroço todo era porque todas as três líderes estavam juntas, literalmente andando uma do lado da outra.

— Ela é uma vadia. — Dinah resmungou, consigo mesma. Ela notou como Lauren estava séria, o que nunca significava algo bom, e Allyson também não estava tão diferente.

— Só não vamos deixar elas nos intimidar. — Allyson ditou, olhando para as duas garotas em sua frente. Nenhuma delas bateu na porta, simplesmente entraram no que todas chamavam carinhosamente de covil da cobra.

— Voltem, batam na porta e esperem que eu deixasse vocês entrar. — A diretora ditou de maneira dura, vendo as três voltarem e baterem na porta. — Quem é?

— Jesus. — Lauren respondeu, entrando na sala em passos duros e se sentando na cadeira a esquerda, Allyson se sentou no meio e Dinah na direita. Elas sempre sentavam assim quando tinham que estar juntas, mesmo que nenhuma ficasse feliz com o encontro entre elas.

— O que você quer? — Dinah perguntou, soando de maneira grossa.

Martha Sullivan, não poderia ser considerada uma boa pessoa. Estava bem longe disso, a diretora não passava de uma cobra pronta para dar o bote, e as presas dela, sempre seriam as três líderes.

— Acho que vocês não souberem dos casos que estão ocorrendo ultimamente. — Martha começou a falar, notando como as garotas a olhavam de maneira dura. — Estão rolando boatos de que algum garoto anda dopando as meninas e as abusando sexualmente.

— Isso é horrível, mas não sabemos aonde quer chegar com isso. — Allyson disse, sorrindo de maneira cordial, mesmo que odiasse a mulher a sua frente.

— Eu só acho engraçado esse acontecimento começar assim que os meninos entraram nas suas repúblicas.

— Está querendo dizer que um dos nossos garotos está fazendo isso? — Lauren perguntou, soltando uma risada debochada, enquanto mantinha uma olhar frio. — Os meninos não tem nada a ver com isso. Sabemos que é louca para fazer as repúblicas serem banidas, afinal, se não existir mais repúblicas aqui, talvez você se livre das festas, do quanto às repúblicas são até mais procuradas do que sua faculdade, talvez você abra uma república por si mesma. Afinal, isso é tudo por dinheiro. Você sabe que se nossas repúblicas existirem, a sua nunca teria chance alguma, ainda mais sabendo que iria comprar para morarem lá. Também sabe que não pode expulsar nenhuma de nós, afinal, sabe muito bem de quem somos filhas. O único jeito é nos fazer ser expulsas!

— Você está insinuando que sou interesseira, Sr. Jauregui?

— Não, ela está afirmando mesmo. Você tem problema de audição?  — Dinah questionou, sorrindo de maneira debochada.

— Você sabe que nunca vai conseguir acabar com a gente. — Allyson concluiu, sorrindo de maneira convencida, vendo Lauren e Dinah concordarem com ela.

— Caso não me provem que nenhum dos seus meninos tem algo a ver com isso, informarei a polícia sobre os casos, e tenho certeza que vocês terão que cair fora. — Martha despejou a informação, vendo as meninas a olharem com mais raiva ainda.

— Você não devia mexer com a gente assim. — Lauren informou, vendo a diretora a olhar com superioridade. — Você por acaso encontrou as garotas que possam ter sido abusadas?

— Não, mas encontrarei.

— Você é suja! Não está se importando com essas garotas, está somente aproveitando do ocorrido para se livrar de nós. — Lauren soltou, sem se importar se aquela mulher era a dona de onde ela estudava.

— Não se preocupe, diretora. Nós provaremos nossa inocência! — Allyson informou, soando de maneira cínica, antes de se levantar da cadeira.

— Nos vemos por ai, vadia. — Dinah cantarolou, saindo da sala, sendo acompanhada pelas outras duas.

As três pararam em frente à sala, ficando em silêncio por um momento, antes de se olharem.

— Sabe o que temos que fazer, não sabem? — Allyson perguntou, vendo as duas garotas assentirem.

Em qualquer outra situação, nenhuma delas estaria conversando ou sendo tão pacientes, mas elas sabiam que teriam que se unir. A diretora está querendo derrubá-las a mais de dois anos, nunca eram coisas tão sérias como agora, elas sabiam que esse ano ela estaria mais determinada ainda em mandá-las embora. Mas o que a mulher não sabia, é que separadas elas são fortes, mas juntas: Elas são imbatíveis.

[.....]

— Como foi seu primeiro dia na faculdade? — Anabel perguntou, sorrindo de maneira meiga para Tiffany. Elas estavam voltando juntas da faculdade, apesar de não terem se visto durante o dia inteiro.

— Meio cansativo, mas sabemos que isso é normal. — Tiffany respondeu, sentindo alguém passar o braço pelo seu ombro.

— Você é a garota nova, certo? Eu sou Samuel, muito prazer.

— Sam, não seja intrometido. — Anabel brincou, tirando o braço do garoto do ombro de Tiffany, enquanto o via rir. — Onde estava ontem à noite?

— Estava conversando com o Eduardo, nada demais. — Sam respondeu dando de ombros. — Brooklyn, me espera.

Sam gritou, correndo em direção ao garoto ruivo e se jogando nas costas do mesmo, vendo o ruivo soltar uma risada com aquilo.

— Pode fumar aqui? — Tiffany perguntou para a loira ao seu lado, indicando com a cabeça o garoto de ontem à tarde.

— Eu vou dizer a ele que é proibido. — Anabel informou, vendo Tiffany assentir e caminhar para dentro da república, sendo acompanhada pelos dois meninos.

Anabel caminhou em direção ao garoto tatuado, mantendo seu caderno grudado ao seu peito, enquanto o apertava com força. Ela sentiu seus cabelos voando por conta do vento, enquanto seu rosto parecia corar. Ela pensou em dar meia volta e esquecer o que pretendia fazer, mas então o garoto finalmente pareceu notar ela. Ela queria dizer alguma coisa, mas sua voz parecia presa, e o olhar do garoto não ajudava em nada.

— Vai ficar me encarando como retardada ou dizer alguma coisa? — O garoto perguntou, mas conhecido como Bryan Edwards, um dos bad boys da república Lua.

— Você sabe que é proibido fumar aqui, certo? — Anabel questionou, vendo Bryan a olhar de maneira estranha, antes de tragar o cigarro novamente.

— Você sabe que não me importo, certo? — Bryan indignou, vendo a garota parecer sem jeito, mantendo as mãos agarradas ao caderno. — Tente não segurar o caderno com tanta força, seus dedos estão ficando vermelhos.

Anabel assentiu, diminuindo o aperto do caderno. Ela pensou em dizer que já estava indo embora, quando uma das garotas da Lua apareceu.

— Lauren quer todo mundo reunido. — Kit informou, notando a loira bem ali. — Você também vem, parece que todas as repúblicas vão se reunir.

— Qual é o motivo disso? — Bryan perguntou, jogando o cigarro no chão e o pisando logo em seguida.

— Boa coisa não é. — Kit resmungou, dando de costas para os dois.

Bryan começou a andar em direção a sua república, até se dar conta de que a garota loira não estava acompanhando eles. Ele se virou, vendo a mesma recolher o resto de cigarro e jogar na lixeira, mesmo que tenha feito uma expressão de nojo ao pegar no cigarro.

— Quem é você mesmo? — Bryan perguntou, vendo a garota sorrir de maneira tímida, antes de colocar uma mexa do cabelo atrás da orelha.

— Sou Anabel.

Bryan assentiu, voltando a caminhar. Nada mais foi dito até que chegassem à república da Lua. 

— Que merda esta acontecendo aqui? — Camila perguntou, sentando ao lado de Tiffany, logo em seguida Nicolas se sentou ao seu lado.

— Dava para rolar uma social com a quantidade de pessoas aqui. — Nicolas comentou, dando um pulo para o lado, quando um dos integrantes da Lua se sentou perto dele.

— O que esta fazendo? — Tiffany questionou de maneira confusa.

— Esse garoto me da medo. — Nicolas resmungou, fazendo as duas meninas rirem.

— Ele é bem menor que você. — Camila notou, olhando em direção ao garoto.

— Mas ainda parece assustador.

— Ele parece uma gracinha para mim. — Tiff resmungou, vendo Camila concordar com ela.

— Uma vez perguntei se ele me achava atraente, ele não me respondeu, só perguntou se eu queria morrer. — Nicolas contou em sussurros, matando as meninas de rirem, da forma exagerada dele. — Óbvio que eu não queria morrer.

— Eu estou do seu lado, eu posso ouvir. — O garoto se manifestou, fazendo Nicolas dar outro pulo de susto.

— Logan, como tem passado? — Nick perguntou para o garoto, fazendo Camila e Tiffany rirem de maneira alta, enquanto Logan olhava para Nicolas como se ele fosse um retardado completo.

— Todos estão aqui? — Allyson perguntou, olhando atentamente para cada rosto. Ela e as outras duas líderes estavam em pé, paradas em frente a todos, enquanto mantinham uma expressão séria.

— Por que estamos aqui? — Normani questionou de maneira confusa.

— Aquelas duas ali são Normani e Katherine, são melhores amigas da Lauren. — Nicolas sussurrou no ouvido de Camila, vendo a mesma parecer curiosa em saber mais sobre quem são as pessoas ali.

— Como a maioria aqui sabe, a diretora odeia as repúblicas, obviamente esse ano as coisas não seriam diferentes. Ela acabou de informa sobre o caso de que um dos estudantes tem dopado as meninas e abusado sexualmente delas, só que ela acha que o garoto pode ser um de vocês. — Lauren explicou, vendo a cara de interrogação no rosto de todos os meninos.

— Isso é brincadeira? A gente chegou nem tem um mês. — Benjamin, o outro garoto considerado bad boy da republica Lua, se pós a falar.

— Infelizmente não é uma brincadeira. Vocês sabem que só nos reunimos quando as coisas são mesmo sérias, então a maioria aqui sabe que termos que nos unir e dar um jeito de encontrar o garoto. — Dinah concluiu, vendo todos se olharem.

 — Isso é insano. Sabem quantos garotos existem na faculdade? Como diabos vamos descobrir quem é esse idiota. — Katarina perguntou, revirando os olhos e afundando mais no sofá.

— Precisamos de um plano muito bom. — Luna resmungou, chamando a atenção de todos.

— Oh gente, vocês são burros ou o que? Vamos dar uma festa. — Courtney sugeriu, vendo todo mundo a olhar de modo reprovador.

— Por que daríamos uma festa, idiota? — Blair perguntou, olhando de maneira séria para a outra loira.

— Festas atraem meninos, ainda e o melhor ambiente para um cara dopar uma menina. Vamos dar uma festa, fazer o cara tentar dopar uma das nossas meninas, e pegarmos ele. — Courtney concluiu, sorrindo de maneira convencida.

— A patricinha tem razão. — Edwards, outro menino da república Lua, comentou de maneira séria.

— Não acho que vai ser tão fácil assim, milhares de garotos podem tentar dopar uma garota, como vamos saber qual é o certo? — Camila perguntou, atraindo os olhares para si mesma.

Ela notou o olhar de Lauren sobre ela, mas não se sentiu intimidade por isso. Na verdade, Camila correspondeu o olhar da líder, mantendo uma expressão confiante.

— Então começamos a parte dois do plano, algumas das meninas podem tentar chamar a atenção dos garotos na festa, depois que já tivermos pelo menos alguns suspeitos, a gente pode tentar descobrir coisas sobre o mesmo ou entramos em seu quarto e vasculharmos as coisas. — Thomas sugeriu, vendo todos prestarem atenção nele.

— Invadiremos o apartamento do tal garoto? — Anabel perguntou, vendo todos assentirem.

— Depois temos que descobrir quem foram às garotas que ele abusou, levarmos a polícia e terminamos o caso. — Melina concluiu, tentando sorrir de maneira calma.

— Todo mundo aqui sabe que planos sempre dão errados na hora da execução, certo? — Eduardo perguntou, vendo alguns o olharem de maneira torta.

— Infelizmente ele esta certo. — Nicholas, mas conhecido como Allen, se manifestou.

— Vamos pensar positivamente, a primeira parte é organizamos uma festa, e algumas das meninas terão que serem as iscas. — Felicity informou, fazendo uma careta adorável.

— A bunduda pode ser uma. — Charlotte disse, apontando para Camila.

— Não vestida assim. — Courtney disse, fazendo uma cara de nojo. — Eu vou dar um jeito nas garotas e fazer com que elas brilhem na festa.

— Eu não acho seguro colocar as novatas nisso. — Lauren disse, olhando em direção a Allyson e Dinah, que também pareciam concordar com isso.

— Então pode ser a Charlotte, Ramona, Katherine e Normani. — Valentina sugeriu, vendo as mesmas concordarem com isso.

— Camila, Courtney, Luna, Katarina e Tiffany serão as responsáveis por verificar as coisas dos principais suspeitos. — Dinah disse em seguida, apontando para as respectivas meninas.

— Ela sabe meu nome? — Tiffany resmungou para Camila e Nicolas.

— As coisas voam por aqui. — Nicolas respondeu de maneira rápida.

— Algumas das meninas ficaram responsáveis em arrumar a festa, os meninos serviram mais como segurança das garotas na festa, e vamos torce para que nada saia do controle. — Allyson disse, respirando de maneira funda, e tentando ser manter positiva.

— Quando daremos a festa? — Hillary perguntando, atraindo a atenção das líderes.

— Se possível, amanhã mesmo. Precisamos ser rápidos, então já comecem a planejar as coisas. — Dinah instruiu.

— Em dia de semana? As pessoas vão a festas assim? — Tiff perguntou de maneira confusa, vendo que Camila tinha a mesma dúvida que ela.

— De onde vocês vieram? — Katarina perguntou, usando um tom ácido.

— Elas são pobres. — Courtney contou, fazendo todo mundo a olhar com uma careta.

— O que elas serem pobres tem a ver com isso? Dinheiro não significa nada. — Benjamin comentou, olhando de maneira séria para Courtney.

— Eu sou rica e bonita, não me importo com sua opinião. — Courtney alfinetou, vendo Ben revirar os olhos.

— Vocês não deveriam brigar agora. — Brooklyn interferiu, de maneira calma.

— Vocês sabem o nome do ruivo ali no canto? — Logan perguntou, se inclinando sobre Nicolas.

— É o espaço pessoal? — Nicolas perguntou, recebendo um olhar ameaçador de Logan. — Fique a vontade, pode até se sentar no meu colo se quiser.

— Tem certeza que não é gay? — Camila perguntou risonha, vendo Nicolas a olhar de maneira torta.

— O nome dele é Brooklyn, somos da mesma república. — Tiff respondeu a Logan, vendo o mesmo sorrir de lado.

— Sabe se ele é gay? — Logan voltou à pergunta, vendo Tiff fazer uma cara confusa.

— Você não gosta de gays? — Tiffany questionou de maneira ingênua, enquanto Camila e Nicolas a olhavam de maneira estranha.

— Não, ele é gay, ele quer comer o outro. — Nicolas despejou, vendo Tiffany arregalar os olhos, e Camila franzir o cenho.

— Eu acho que o Brooklyn comeria o Logan. — Camila sussurrou, enquanto Logan olhava para os três de maneira surpresa.

— Vocês estão realmente falando da minha vida sexual como se eu nem estivesse aqui? — Logan questionou, vendo Camila e Nicolas sorrirem sem jeito.

— Eu pensava que os meninos todos se conheciam. — Camila comentou, olhando para os dois garotos.

— Não, só existiam duas repúblicas masculinas e elas não ficavam uma perto da outra. A maioria foi morar em algum apartamento quando as repúblicas inundaram afinal quase todos eram ricos, alguns preferiram continuar vivendo em repúblicas e as meninas acabaram nos deixando viver aqui. — Nicolas contou, vendo as meninas assentirem.

— Logan, você viu minha câmera? — Uma garota loira de traços asiáticos, se sentou ao lado de Logan, enquanto tinha uma expressão fechada.

— Não vi, melhor perguntar a Kit, ela sempre sabe onde as coisas estão. — Logan instruiu, vendo a menina assentir e ir em direção a Kit.

— Quem é ela? — Tiffany perguntou de maneira curiosa.

— Kim Taeyeon. — Logan respondeu, saindo de cima de Nicolas e se sentando de maneira normal.

A conversa parou, assim que se deram conta que todo mundo tinha voltado a ficar em silêncio, já que Lauren tinha um olhar frio.

— Agora os que não moram aqui, caiam fora. — Lauren ordenou, ouvindo algumas reclamações, mas todos saírem de sua casa.

Camila sentiu Tiffany puxar sua mão, mas em algum momento acabaram se soltando, enquanto Camila tentava procurar o celular que parecia ter entrando no sofá.

— Só pode ser brincadeira. — Camila resmungou, ficando de joelhos em frente ao sofá para tentar encontrar o celular.

— O que esta fazendo? — Luna perguntou, se aproximando de Camila.

— Meu celular caiu dentro do sofá. — Camila informou em um tom choroso, enquanto Luna soltava uma risada dela.

— Oh Luna, será que pode vim me ajudar aqui? — Katarina perguntou, olhando de maneira rápida para Camila, mas logo se voltando para Luna.

— Eu acho que você abusa demais da sorte. — Luna comentou, dando de costas para Camila e seguindo Katarina em direção à cozinha.

Camila bufou, notando que tinha sido deixada para trás, antes de deitar a cabeça no sofá. Ela só queria entender que merda tinha acontecido em um único dia, sem contar que ela tinha chegado ontem, mas sentia como se estivesse fazendo parte do FBI.

— Eu tenho certeza que não pertence a minha república.

Camila suspirou, levantando a cabeça e se encontrando com aqueles olhos verdes.

— Você é bem inteligente. — Camila disse de maneira debochada, notando o olhar da outra ficar mais rude.

— Eu acabei de dizer para saírem, o que pensa que esta fazendo aqui? — Lauren questionou, mantendo o tom de voz frio.

— Meu celular caiu dentro do sofá. — Camila respondeu, vendo o quanto estava parecendo idiota por dizer aquilo.

Camila se assustou com a súbita aproximação de Lauren, mas a mesma apenas segurou seu braço e a levantou do chão. Camila pensou em pergunta o que ela estava fazendo, mas a de olhos verdes apenas puxou o braço de Camila a levando em direção à porta da república.

— Você ouviu o que eu disse? Meu celular esta ai. — Camila gritou, vendo que Lauren não estava se importando com isso. Seu braço foi largado e Lauren a empurrou para fora da república.

— Depois mando alguém procurar e devolver a você, mas aprenda uma coisa: Se eu digo para sair, então você sai.

— Você não manda em mim. — Camila debochou, vendo Lauren sorrir de lado.

— Aprecio sua coragem, mas não se meta comigo. — Lauren ditou, mantendo o tom de voz baixo, para que apenas Camila a ouvisse.

Antes que Camila pudesse dizer algo mais, a porta foi fechada na sua cara, a deixando ainda mais irritada com tudo aquilo. Ela não conseguia acreditar que aquela morena podia ser tão idiota assim, sem contar que Lauren realmente exercia certo tipo de superioridade, o que fazia qualquer pessoa se sentir intimidada. Mas Camila não era qualquer pessoa.

O problema é que Lauren não sabia o quanto Camila podia ser teimosa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Quais são suas apostas, o plano vai dar certo ou não? Hahaha

Espero que tenham gostado. Comentem o que acharam e beeijos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...