História Beverly Hells (India Eisley, Shawn Mendes, Nash Grier) - Capítulo 53


Escrita por: ~

Visualizações 192
Palavras 3.120
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello people,
Não tenho muito o que dizer.
Obrigado pelos novos favoritos e comentários incentivadores 🌈

Ignorem erros e aproveitem o capítulo.
Boa leitura 📚

Capítulo 53 - Liliam Sykes


Fanfic / Fanfiction Beverly Hells (India Eisley, Shawn Mendes, Nash Grier) - Capítulo 53 - Liliam Sykes

"Você nem conseguiu me olhar nos olhos, quando você me deixou ir e depois me deixou morrer, mas não havia dúvida de que eu sobreviveria." Bohnes / Middle Finger.

— Senhoras e Senhores — Christian Smollwood dizia contra o microfone — Amigos e amigas, obrigado por comparecerem neste dia tão importante.

E este era o momento em que Lily e Shawn estariam tirando sarro do homem engomado que encontrava-se em cima do palco, enquanto abajulava as famílias nobres que ali estavam presentes.

Lily levou a taça de champagne aos lábios e bebericou o líquido. Ela estava sentada em uma das centenas mesas que ali se encontravam no enorme salão dos Smollwood.

A garota estava visivelmente entediada ao encarar o homem que tagarelava e contava piadas sem graça.

Lily tinha ambos os cotovelos apoiados encima da toalha branca da mesa. Em sua volta estavam sentados Laura e Marc, que prestavam atenção em Christian, diferente da garota.

Ela deixou o seu olhar seguir até onde Shawn estava. O rapaz aparentava estar tão entediado quanto ela, Lily não pôde evitar um pequeno sorriso. Neste momento eles estariam dando um jeito de sair dali e fazerem qualquer coisa interessante, como há dois anos atrás, quando eles picharam o banheiro dos Smollwood. A sorte deles era que Christian e a mulher eram dois babacões, mas Karen e Laura ficaram nervosas e os castigaram.

E o castigo deles sempre era um não poder ver o outro.

Lily franziu o cenho com aquele pensamento. Shawn sempre fora a sua maior fraqueza, mas também era ele quem lhe dava forças. Cada sorriso, toques e olhares, ele sempre fora o seu amigo, seu confidente.

O que a levara à um ponto, não era possível que Shawn não sentia falta dela como ela estava sentindo a falta dele. Não era possível que ele não sentisse como se aquele afastamento repentino fosse como um tipo de tortura psicológica. Não era possível que ele não a amava mais.

A garota foi tomada por uma onda de determinação naquele momento. Ela falaria com ele, diria a verdade sobre ter ido visitar Megan e falaria sobre os vultos e risos. Diria que ela o amava e jamais faria algo para magoá-lo.

Mas quando a garota preparou para se levantar, Shawn olhou para a entrada do salão, abrindo um sorriso caloroso em seu rosto.

Lily seguira o olhar dele, e viu o momento em que Lauren, seus pais e sua irmã, entravam.

Lauren estava linda dentro de um vestido vermelho de corte médio. Seus cabelos castanho escuro estavam levemente ondulados, fazendo Lily se sentir um trapo.

Lauren olhou ao redor e ao encontrar Shawn, ela sorriu do mesmo modo que ele sorria para ela.

Lily desviou o olhar daquela cena. Um tiro no peito doeria menos. Ela sentiu os olhos arderem.

Não posso chorar, não posso. — Lily dizia a si mesma mentalmente — ela não podia chorar.

Mas era tão difícil, tão desafiador. Todos os acontecimentos dos últimos dois dias martelavam em sua cabeça à deixando louca.

Lily à qualquer momento surtaria.

— Aproveitem o restante da festa — Louise Smollwood falara e todos aplaudiram e assoviaram.

Os convidados começaram a comer as refeições que os garçons traziam em cada uma das mesas.

Lily estava encarando a toalha e brincando com um pequeno fiapo solto, ela sentia-se aquele fiapo, fora de lugar.

— Melhore essa cara — Laura disse à garota.

— Não — respondeu sem olha-la.

— Viemos nos divertir — dizia Laura — Por que não se junta ao Shawn?

Lily usara todo o seu auto-controle para não chorar naquele momento.

— Estou bem aqui. — respondeu.

Laura franziu o cenho confusa, mas antes que pudesse dizer algo, a sua refeição fora posta na mesa à sua frente.

— Olá, Shawn — Marc dissera sorridente.

No mesmo instante Lily levantara a cabeça pela surpresa. Shawn sorriu sem mostrar os dentes enquanto colocava cada refeição sobre a mesa.

— Oi — respondeu o rapaz.

Ele olhou para Laura, e então para Lily. Dizer que seu coração não se machucou quando aqueles olhos castanhos vazios se encontraram com os dela, seria mentira.

— Onde está a sua mãe? — Laura perguntara.

— Está ajudando na cozinha — dissera — Você conhece a Dona Karen.

Todos riram, exceto Lily.

— Se me derem licença, preciso servir os outros convidados — ele se afastou com as bandejas vazias — Tenham uma boa refeição.

— Obrigado, Shawn. — disse Laura.

E sem olhar para Lily, o rapaz se virou.

Laura no mesmo instante dirigiu-se até a garota.

— Você e o Shawn brigaram? — perguntara sem hesitar.

Lily encarou a toalha da mesa.

— Não quero falar sobre isso  — dissera, e logo se apressara em comer a refeição posta à sua frente.

Enquanto comia, Lily podia sentir ser observada, ela olhou para o lado e pôde ver Logan.

O rapaz de belos olhos azuis a encarava descaradamente, era quase intimidador.

Ele ainda a encarava quando um corpo tampara a sua visão e Lily fora obrigada a olhar para cima encontrando uma Kim Yubin sorridente.

— Aí está você! — ela disse animada. — Oi, gente.

— Oi. — Lily queria responder na mesma animação, mas ela chegara ao nível em que nem ao menos se dava ao trabalho de esconder as suas emoções.

Yubin percebeu.

— Venha dar uma volta comigo. — disse já puxando Lily.

— Não saiam da propriedade. — Laura disse enquanto as garotas já se afastavam.

Lily passou por Daniel, que estava ao lado de outros seguranças. Ele a olhou, dizendo com o olhar para ela ter cuidado.

Yubin levara Lily para o jardim da mansão, parando na entrada do labirinto onde havia uma fonte, a coreana loira sentou-se na beira da fonte e Lily fizera o mesmo.

— O que está havendo, Lily? — perguntara, direta.

— Do que você está falando?

Yubin revirou os olhos castanhos puxados.

— Não se finja de idiota, Sykes. — disse. — Você faltou nas aulas, Louis não para de me mandar mensagem perguntando se eu estou falando com você, Shawn sentou na mesa da Lauren no intervalo e o Nash está estranho.

Lily suspirou.

— O Shawn me viu com o Nash e pirou.

Yubin arqueou uma sobrancelha.

— Você e o Nash? Vocês...?

— Não! — Lily a cortou. — O Shawn interpretou tudo errado. Como sempre.

— E por que você não explicou para ele? — perguntou perplexa por tanta enrolação e burrice.

— Porque ele está me ignorando e porque ele só vive com a Lauren agora.

— Não sei quem é mais idiota... — Yubin comentava enquanto analisava as suas unhas pintadas de pink, que combinava com o seu vestido rosa — ...Você ou ele.

— Ele. — Lily olhou para a entrada da mansão.

Estava de noite, então o brilho das luzes da parte interior, atravessava as janelas, quase dando a impressão que dentro da residência havia um sol.

O que não deixava de ser verdade. Sol é aquela estrela do nosso sistema solar, aquele que ilumina e emana calor, aquele que todos os planetas giram em torno dele. E dentro daquela mansão dos Smollwood estava Shawn, e ele era o sol de Lily, aquele que iluminava os seus dias nublados, o que a esquentava com apenas um toque, aquele que fazia o seu mundo girar em torno dele.

Quando foi que as coisas se tornaram tão inalcançáveis? Quando foi que Shawn se tornara um astro inalcançável para ela?

— Fale com ele. — Yubin disse, trazendo Lily de volta à realidade.

— Ele não quer falar comigo, Kim.

A coreana bufara frustrada.

— Dane-se que ele não quer! — disse. — Diga tudo o que realmente houve e depois, se ele não compreender, então ele merecia a Megan e agora merece essa tal de Lauren.

Lily suspirou, dando-se por vencida.

— Prometo tentar. — disse.

— Essa é a minha garota — se levantou — Vamos entrar? Quero comer mais.

Lily riu.

— Pode ir — disse — Quero ficar mais um pouco aqui.

— Tudo bem — Yubin se virou — Nos vemos mais tarde.

A garota entrara na mansão e o silêncio predominou o ambiente.

Os grilos cantavam ao longe, era possível ouvir o som de uma música popular tocar dentro da mansão.

Lily se virou para a fonte e perdida em pensamentos tocara água, vendo o seu reflexo se remexer.

Então outra silhueta se refletira contra a água atrás dela.

Lily olhou assustada para a pessoa que usava roupas pretas, capuz preto e uma máscara da mesma cor, e em suas mãos enluvadas havia uma faca, uma grande e afiada faca.

Ele tentou atacar Lily, mas a garota foi mais rápida e correu para longe, molhando-se ao passar por cima da fonte, e devido o desespero, sem perceber que havia entrado no labirinto.

Merda! — Lily rosnou.

Ela ouviu passos e sem hesitar continuou a correr para longe, entrando em vários corredores do labirinto. Seria melhor se perder, do que ser esfaqueada até a morte.

Lily lembrava-se de já ter se perdido naquele mesmo lugar, há anos atrás. Em uma das primeiras festas que ela comparecera dos Smollwoods, em uma tarde ensolarada, Shawn e Lily brincavam de pique-esconde e a garota achara aquele um bom lugar para se esconder. Aquele dia foi desesperador, e ela achara que jamais sentiria algo igual, mas estava enganada, naquele momento ela se sentia mais desesperada ainda, pois era noite, a temperatura havia caído, e perdida novamente dentro daquele labirinto havia um assassino atrás dela, e ninguém a salvaria.

Lily continuava a correr sem saber para onde estava indo, até que se viu no centro do labirinto. A lua cheia iluminava o local e dava-lhe uma boa visão do lugar de parâmetro arredondado.

Aquilo parecia como um pesadelo, e era um pesadelo, vivido na realidade.

— Socorro! — Lily gritara. — Alguém me ajude!

E então ela se arrependera, pois o perseguidor a encontrara. Ele entrara ameaçadoramente no centro do labirinto, sua faca pendendo em sua mão direita.

— Quem é você? — Lily perguntou enquanto ele se aproximava em passos lentos — É você, Sofia?

Lily sabia que não era sofia, pois a pessoa era mais alta. Era um corpo masculino.

Ele levantara o dedo indicador em gesto de negação.

Mas isso não fazia sentido. O "perseguidor" era Sofia, que tentava se aproximar de Lily. E em momento nenhum "ele" havia tentado machuca-la.

Aquela pessoa à sua frente era outra, alguém que a queria derrotada, como dissera Megan.

Havia outro perseguidor, e este sim era perigoso.

A sua vida estava cada vez pior.

A pessoa se aproximou de Lily e ela tentou correr, mas ele foi mais rápido e a jogou contra o chão, fazendo os dois colidirem contra a grama.

Ele levantou a faca em direção ao coração de Lily, mas então ela o viu sair de cima dela.

Lily demorara alguns segundos para entender o que estava acontecendo, até que ela se apoiou em seus cotovelos e vira a cena que acontecia.

Logan e o perseguidor travavam uma luta corporal. Após uma breve distração, Logan conseguira pegar a faca do perseguidor.

Vendo que fora derrotado, o covarde fugiu. Logan fizera menção em correr até o possível assassino, mas o choro de Lily chamara a sua atenção.

E o garoto correra até ela, ajoelhando-se ao seu lado.

— Você está ferida? — perguntou ele.

— Não. — Lily balançara a cabeça em negação.

— Temos que sair daqui. — Logan disse. — E chamar a polícia.

Lily entrara em alerta. Eles não poderiam chamar a polícia, eles fariam perguntas à garota e Lily de sentiria intimidada, ela não poderia falar com a polícia.

— Não! — disse a garota em tom firme, os olhos azuis de Logan a fitaram em confusão evidente. — Não chame a polícia.

— Acabaram de tentar te matar! — disse indignado. — E podem tentar novamente. — então algo se passou pela mente do rapaz. — A não ser que você conheça o agressor.

Lily desviou o olhar para o chão.

— Só não conte a ninguém o que aconteceu aqui.

Logan abriu a sua boca para protestar, mas aquela escolha era somente de Lily. Então ele apenas deixara suas escolhas por ela mesma.

— Quer que eu te leve para a sua casa?

Lily olhou novamente para o garoto.

— Só me tire daqui e me leve de volta para a mansão.

Logan assentiu e a ajudou a se levantar. O corpo de Lily tremia, devido a adrenalina e o medo, fazendo com que a garota se apoiasse em Logan para não cair.

— Tem ceteza que não quer ir para a sua casa? — perguntou o garoto. — Você ainda parece estar em choque.

— Tenho — Lily disse decidida e se endireitou. — Vamos sair daqui logo.

Juntos, os dois caminharam por entre os corredores do labirinto, ora ou outra se assustando com o som de seus próprios passos contra a grama.

E então eles estavam do lado de fora do labirinto, em frente à fonte, e novamente era possível ouvir a música dentro da mansão.

Uma onda de alívio passara por Lily.

Ela se virou para Logan, para agradecê-lo, mas então seus lábios pronunciaram uma perguntou diferente.

— Como você me encontrou?

— Ouvi os gritos de socorro e corri para ajudar.

— Como não se perdeu no labirinto?

— Eu tenho prática em labirintos — explicou-lhe — Longa história.

— E o que fazia aqui fora? — arqueou uma sobrancelha, desconfiada.

— Eu havia saído daquela festa chata para fumar. — dera de ombros.

Lily franziu o nariz.

— Fumar é nojento. — observou.

— Me acalma. — dera de ombros.

A garota fizera um gesto com a mão, não era problema dela se ele não prezava pelos seus pulmões.

— Obrigado por me salvar.

— Você faria o mesmo. — respondeu rapidamente.

— Como sabe? — perguntou enquanto eles andavam em direção à entrada.

— Você tem fama em Beverly Hills. — dizia. — Megan, Lauren, Troye e outras pessoas sempre falam sobre você. O como é destemida.

— Não sou tão destemida. — disse ao abaixar a cabeça.

— Você é. —disse-lhe. — Ouvi também que você é corajosa, Sykes. Não deixe que nada te abale, nunca.

Lily somente assentiu. Logan lhe oferecera o braço e juntos entraram na mansão.

A música ficara mais alta assim que eles adentraram no ambiente, e o cheiro de comida infiltraram-se por suas narinas. Mas Lily estava estranhamente enjoada, e sua situação piorou quando ela viu Shawn e Lauren sentados juntos, conversando animadamente e rindo.

Ela quase morrera há minutos atrás e seu namorado estava todo aquele momento com aquela garota.

Pegue a surpresa, soma com a indignação, subtraia com a paciência e multiplique com a raiva, então teremos como resultado uma Liliam Sykes revoltada e descontrolada, soltando-se de Logan e caminhando com passos pesados em direção à mesa dos Mendes. Naquele momento não havia mais ninguém ao redor, não havia música, só havia um Shawn prestes a ser assassinado.

— Opa. — disse Yubin deixando sua refeição de lado ao observar a cena ao longe.

Logan ficara estático enquanto via a garota transtornada andar por entre as mesas, até parar em frente ao "casal". Lauren levantou o olhar e seu sorriso desapareceu, dando lugar à cara entediada que ela sempre tinha, então Shawn seguiu o olhar da morena, encontrando Lily que o fuzilava com os olhos claros.

— Estou atrapalhando o casalsinho? — Lily perguntou em tom alto de deboche e ironia.

Karen, Aaliyah e a Senhora Arendse, que também estavam naquela mesa, olharam no mesmo momento para Lily que parecia soltar fogo pelos olhos.

— Como eu te interrompi com o Grier? — Shawn cuspiu as palavras.

— Interrompeu o quê? — gritou, agora atraindo a atenção de todo o salão. — Não aconteceu nada entre mim e ele, seu imbecil!

Shawn se levantou no mesmo momento irritado, ficando cara a cara com a garota.

— Então o que você estava fazendo naquele carro abraçada com ele? — perguntou irônico.

Lily revirou os olhos claros pedindo paciência.

— Ele foi o único que aceitou ir comigo ver a Megan! Foi isso o que fomos fazer! Foi por isso que eu estava naquela droga de carro!

Troye e a família Sharbino que estava na mesa ao lado a olharam surpresos.

— Você ficou louca?

— Não tanto quanto você por me trocar por essa vadia! — apontou para Lauren que abriu a boca ofendida.

— Não fale assim da minha filha, sua desequilibrada — a Senhora Arendse disse ao se levantar e olhar Lily com nojo e desaprovação.

Tomada pela porcentagem de zero paciência e cem porcento de imprudência, Lily pegara um copo com algum líquido aleatório que estava na mesa e jogou o conteúdo no rosto da mãe de Lauren.

Todos no salão arquejaram surpresos, alguns riram, entre eles Troye, Yubin e Logan.

— Não se intrometa aonde não é chamada. — Lily disse e se virou de volta para Shawn. — E você, divirta-se com a sua nova namorada. Eu agora vejo que o Nash sempre foi melhor opção do que você.

E dito isto ela se virou e marchou para longe, deixando um Shawn com cara e tacho para trás.

Enfim o surto de Lily chegara ao ápice, e ela estava claramente fora de si.

Lily viu quando Laura se apressou até ela.

Não, agora não — Lily pensou.

Ela passou por Laura, ignoranda-a completamente e saindo do salão.

— Liliam! — Laura a chamava visivelmente irritada. — Que show foi aquele que você deu lá dentro? — Lily não parava de andar em direção ao carro de Daniel, Laura tentava alcança-la — Aquilo foi uma vergonha!

Marc e Daniel saíram da mansão ao ponto de ver Lily perder completamente o último resquício de controle que vinha tentando reprimir aquela noite toda, aqueles últimos dias todos, aquele mês todo.

Ela se virou abruptamente para Laura.

— Você vem falar de "vergonha" para mim?! — esbravejou. — Logo você, Emma?

Laura congelou no mesmo instante.

— O-o que você disse? — gaguejou.

— Isso mesmo o que você ouviu, Emma — repetiu o seu verdadeiro nome, vendo a mulher a sua frente empalidecer — Eu sei de tudo!

— Tudo, o quê? — perguntou com lágrimas nos olhos verdes.

— Eu sei que você é a minha mãe! — disse com amargura. — Eu sei que o meu nome não é Liliam Sykes! Eu sei que eu não sou Liliam Sykes!

— Lily — disse se aproximando — Eu posso te explicar, contariamos tudo quando você completasse dezoito anos...

— Não tente se justificar! — interrompeu-a. — Você sabe o quanto eu odeio mentiras, você sabe o quanto eu queria uma mãe e o quanto eu te amava!

— Você não entende! — Laura estava desesperada. — Não é tão simples quanto parece.

Lily respirou profundamente.

— Tudo é simples, vocês são quem complicam tudo, sempre!

Então, como uma benção divina enviada para ela, Lily viu Logan sair da mansão e andar em direção à uma moto.

Lily correu em direção ao rapaz, sem se importar com Laura que a chamava.

Logan levantou o olhar ao ver a garota se aproximar.

— Vou aceitar aquela carona. — disse.

O rapaz sorriu.

— Sobe aí. — entregou o capacete dele para ela, então os dois montaram no veículo.

— Para onde te levo? — perguntou ao ligar a moto.

— Para a casa do Nash Grier. — disse-lhe.

Então o rapaz tomou impulso para frente e conduzira a moto em direção às ruas, a cada vez que se afastavam, fazia a voz de Laura chamando pelo nome de Lily diminuir, até sumir por completo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...