História Beyond The Confusion - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camilacabello, Camren, Laurenjauregui
Visualizações 62
Palavras 1.419
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Ficção
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Capítulo 2 - Nada convencional



Camila Cabello POV

Sentada junto a minha família na nossa mesa de jantar, cheguei à conclusão de que não somos uma família nada convencional. Minha mãe Sinu como ela gostava de ser chamada estava com as pernas cruzadas em forma de índio, ela trajava um vestido verde onde a estampa dele era tomado por diversas folhas que segundo ela são ervas medicinais lê-se maconha. Na sua cabeça havia uma coroa de flores, internamente me perguntava aonde ela queria chegar com aquilo. Já meu pai como de costume estava sentado reto na cadeira com seu jeito sério e responsável, eu diria até tímido. Eles são completamente o oposto um do outro, ambos não conseguem se desgrudar, mas todas as vezes que estão juntos acabam brigando por coisinhas mínimas como duas crianças, o que sempre me arranca uma crise de riso. Mesmo com todo implicância os dois se encaixam perfeitamente, eles tem aquela relação estranha que no fundo todos querem ter.

- No dia que vocês duas parar de correr uma atrás da outra na rua, me avisem. - Ouço meu pai falando quando minha mãe termina de contar o acontecimento de mais cedo. Como minha mãe adora um drama ela aumentou a história dez vezes mais. - Ainda sobrou para uma moça, coitada!

- Ela supera. - Fala minha mãe dando de ombros como se acertar alguém aleatório na rua com um chinelo não fosse nada muito importante.

- Sinu poderia explicar essas flores na cabeça? E esse vestido com essas estampas de maconha? Tem duas crianças na mesa, temos que preservar elas desse tipo de coisa. - Gesticulando meu pai tentava ser sério em sua fala falhando, já que jamais ele conseguia falar algo tão sério com minha mãe por medo. Trouxa!

- Alejandro meu anjo. - Fala minha mãe com deboche, prendo o riso ao ver meu pai arregalando os olhos. - Só estou vendo uma criança aqui que é a Sofia. - Aponta para minha irmã que até então estava apenas observando tudo com um olhar sapeca. - Não é maconha, são ervas medicinais!

- Ah, bem. - Meu pai como sempre se limitou a assentir, ele sabia que era impossível ir contra minha mãe quando ela botava algo em mente. - Kaki tenho novidades! - Fala animado me olhando com um grande sorriso me deixa curiosa.

- FAMÍLIA CHEGUEI! - Ouço um grito mais do que conhecido vindo da sala, para em seguida um Shawn parecendo uma gazela saltitante de tanto rodopiar aparecer na cozinha. Em sua mão direita havia uma mochila pequena que ele não parava de balançar.

- Não vou nem perguntar o por que você está aqui, seu olhar já diz tudo! - Falo vendo ele olhar para a comida como se fosse a única coisa do mundo para ele. Revirei os olhos ao ver ele se sentar na mesa se servindo rapidamente.

Shawn não tinha nosso sangue, não tinha algum parentesco ou algo do tipo, mas faz parte da nossa família desde muito cedo. Nós nos conhecemos ainda quando criança, ele vem de uma família muito rica de dinheiro mas pobre de alma. É aquele famoso ditado "tem coisas que o dinheiro não pode comprar, caráter é uma dessas coisas." Muito diferente de seus progenitores, Shawn sempre foi o ser humano mais sensível que eu conheço, lembro-me nitidamente do dia que o conheci. Estava jogando bola com meus amigos do bairro, pés descalços, roupas simples mas a felicidade estava estampada em cada face. Quando ainda afastada avistei Shawn que na época tinha cerca de 10 anos, ele estava vestido muito bem, seu cabelo bem arrumado para trás, um verdadeiro filhinho de papai. Ele olhava tudo com admiração e curiosidade, como se aquele tipo de brincadeira entre crianças daquela idade fosse coisa de outro mundo. Para ele era. Logo fui em sua direção, chamei ele para se juntar ao jogo ele sem pensar duas vezes tirou seu sapato caro ao reparar em nossos pés sem qualquer tipo de calçado. A partir daquele momento tudo se resumiu em proteger um ao outro, independe de padrões ou de sua condição financeira, a cada novo dia laços eram criados até que tão rápido quanto possível fomos crescendo juntos, arrisco dizer que em todos esse anos ele mais morou aqui do que em sua outra casa.

- Shawn Peter Raul Mendes! - Vociferou minha mãe ao ver Shawn levar a comida em direção a boca. - Eu ainda não fiz a oração, vamos todos dêem as mãos. - Fala em um tom de decreto me fazendo revirar os olhos, lá vem ela... - Ô grande terra, estou fazendo essa humilde oração, agradecemos a mãe terra por todos os frutos até as sementes. Ensina-nos mãe terra no seu sol sagrado, nós recebemos mãe medicina. Arrow.

Ainda de olhos abertos me perguntava o que estava acontecendo naquela mesa e que tipo de oração era aquela. Olhei para Shawn que estava com a testa franzida, com apenas um mover de boca mudo ele perguntou "o que é isso?." Apenas neguei com a cabeça em um pedido mudo para não comentar sobre. Toda semana minha mãe criava um personagem diferente, segundo ela cada dia é dia de uma nova descoberta, ninguém ousa se meter nisso.

O jantar passou como sempre em um clima descontraído, cheio de assuntos e piadinhas. Observei meu pai me olhar sorrindo para logo em seguida com as pontas dos dedos empurrar um envelope branco em minha direção, olhei para minha família vendo expectativa no olhar de cada um. Peguei o envelope em mãos arregalando os olhos ao ver o nome do remetente.

"Avenue The World School"

Abri o envelope tão rápido que quase chegou a rasgar tudo por completo, já com a folha em mãos comecei a ler apenas passando os olhos pela folha, arregalei os olhos ao chegar no final da folha. Levantei a cabeça vendo pares de olhos me olhando com curiosidade, eu estava desacreditada.

- Eu fui aceita. - Disse com um grande sorriso ainda levemente desacreditada.

A Avenue é uma escola que tem a função de forma alunas com a mentalidade elevada que possam trabalhar em uma empresa, em qualquer parte do mundo ou qualquer profissão que cada aluno tenha em mente. Geralmente nessa escola só estuda filhos de pessoas ricas e bilionárias, as vagas para uma bolsa de estudo são bem disputas. Já é difícil uma bolsa em uma escola desse porte, tendo uma baixa renda familiar comparada aos demais alunos fica mil vezes mais difícil, o que me deixa descrente que em meio a tantas pessoas eu fui selecionada.

Shawn estuda na Avenue, diariamente ouço ele falar como as pessoas de lá são metidas aquela típica história de pessoas que se acham por causa do dinheiro de seus pais. Isso é o de menos, pessoas desse tipo não me afeta em nada. Não é todo dia que se recebe oportunidades do tipo, durante muito tempo tiver que ficar apenas observando meu pais se lamentando por não ter como melhorar nossas vidas. Ainda que eu insista em trabalhar para ajudar nas contas, eles apenas negam e me proíbem.

- Mas... - Faço uma linha fina entre meus lábios ao lembrar de um detalhe, lá eles usam uniformes o que significa que eu não poderia comprar, se fizer as contas um uniforme daquele compra tanta pizza que eu não quero nem imaginar, olho para Shawn que me estende a mochila pedindo para que eu pegue. Abro ela tirando de dentro um sacola que contém algo macio. Rasgo com delicadeza a sacola vendo um moletom e uma blusa na cor vermelha, a direita no peito tinha o símbolo da escola.

- Nem vem, nem adianta recusar senão eu compro mais dez e ainda faço você usar tudo junto! Não vão nem te ver de tanta roupa que vai te cobrir, vai ficar parecendo um projeto de pinscher em miniatura. - Antes mesmo que eu possa protestas Shawn fala despreocupado olhando para suas unhas fingindo interesse.

- Você acabou de me chamar de cachorra, como estou muito feliz vou deixar passar. - Fui na direção dele o abraçando.

- Parabéns filha! - Minha mãe fala vindo em minha direção dando pulinhos, olho para meu pai que tinha Sofia em seu colo com os olhos marejados. - Abraço em família. - chama minha mãe abrindo os braços logo em seguida já estávamos todos esmagados um aos outros, entre abraços e beijos, tenho a certeza que eles são minha casa o meu lugar preferido no mundo todo.


Notas Finais


Eai meus anjos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...