História BFF'S Minha namorada de mentira (INTERATIVA) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Visualizações 20
Palavras 4.431
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Iai galerinha tudo bem com vocês eu espero que sim, eu sei, eu sei eu domorei muito para postar mais sabe como é o tempo é curto tem os trabalhos e as provas da facu então eu me viro como posso para postar, mais em fim eu termeinei o capitulo e eu espero que gostem lembrando que apenas uma vaga foi preenchida falta mais uma, e hoje tem perssonagem novo chegando a perssonagem Jenny Kalender da ~Chinchila_girl então continueem lendo para saberem mais dessa nova perssonagem maravilhosa boa leitura e beijinhos.

Capítulo 2 - Enxergando a realidade.


Fanfic / Fanfiction BFF'S Minha namorada de mentira (INTERATIVA) - Capítulo 2 - Enxergando a realidade.

 - quero que finja ser minha namorada

- Você bebeu Renn que maluquice é essa

- há, há é serio, não está sendo fácil esconder que sou gay, e não é uma ideia tão má assim.

- não é uma má ideia é uma péssima ideia.

- é só por um tempo, preciso resolver essa situação com meus pais e preciso esconder isso do resto da faculdade não vai ser bom nem para mim nem para o Noah  que as pessoas saibam agora, ainda existe muitas pessoas preconceituosas por ai.

- acha mesmo que alguém vai acreditar que somos um casal, sabe que não vai da certo.

- podemos pelo menos tentar? Eu realmente preciso da sua ajuda.

- tá eu vou ajudar você e vem cá tem mais alguma coisa eu tenha que saber por que hoje o dia foi de surpresas.

- não nada mais, descansa pequena boa noite ta ficando tarde.

- boa noite Renn.

Ela fechou a porta e se jogou na cama macia e espaçosa como disse Renn parecia uma garotinha que acaba de ganhar um doce, ela levantou-se e começou a guarda todas as suas coisas com um largo sorriso no rosto, depois de tudo pronto apenas caiu sobre a cama enrolando-se no edredom.

- se aquele Finn não fosse tão implicante poderia até gostar de viver no mesmo lugar que ele.

Ainda sorrindo Miumy afunda o rosto no travesseiro e logo em seguida adormece. Na manhã seguinte depois de tomado o café Renn avisa que não poder dar carona a ela até a faculdade pós vai fazer outra coisa antes ele pede que ela fale com Finn para que ele á leve, então mesmo de cara amarrada ela vai até o seu quarto e entra esquecendo-se de bater na porta. Finn estava pegando uma blusa para vestir quando notou sua presença ela estava parada o encarando sem nem piscar.

- você sabia que se bate na porta antes de entrar no quarto de alguém.

Miumy pisca os olhos três vezes voltando a si e balbucia algumas palavras

- é... Eu... Eu preciso de carona para faculdade.

- saia e bata na porta.

- que?

- você não ouviu?

- isso é serio?

- Saia e bata na porta!

- arg!

Ela saiu resmungando e fez o que ele pediu bateu na porta e pediu para entrar.

- pode entrar.

- pronto satisfeito.

- agora sim, o que você quer.

- eu tenho treino de tênis antes da aula pode me dar uma carona.

- me espera lá em baixo na garagem, e fecha a porta sem bater aqui não é a casa da mãe Joana.

Ela saiu de lá bufando odiava as suas provocações, no elevador do prédio ela desceu até a garagem e ficou o esperando lá, em poucos minutos ele chegou.

Finn

- vamos.

Ele abriu a porta para ela e depois entrou no carro e deu partida.

- que desamarrar essa cara

- é a única que eu tenho.

- tem que aprender bons modos sabia.

- como se você tivesse.

- tudo que eu vi você fazer até agora foi reclamar.

- e você só sabe implicar com tudo que eu faço.

- é porque você se comporta como uma garotinha.

Eles foram o caminho inteiro discutindo até chegar à faculdade Mi saiu do carro e bateu a porta.

- como se diz?

- obrigada.

Ele riu e foi estacionar o carro. Miumy entrou na faculdade e foi direto para quadra esportiva foi ai que ela percebeu os olhares sobre si, as garotas cochichavam por onde ela passava, na quadra os murmurinhos foram ficando maiores até ser parada por uma garota de sorriso falso Hillary.

- vejo que temos uma princesa pobre aqui.

Ela fala debochando de Miumy, Hillary está sempre armada com seu veneno na ponta da língua quando o assunto é Miumy, é daquelas garotas que pensa que detém todo o poder mundo só usando saltos de 15 centímetros, roupas com um numero menor que o seu para fingir um corpo que não tem e luzes loiras achando que vai brilhar mais que purpurina em carnaval.

- do que você esta falando.

- todo mundo já sabe que você é uma princesa pobre agora

As garotas que diziam ser suas “amigas” agora estavam rindo dela  junto com a Hillary, Mi olha para elas como se pedisse ajuda mas as três saem de lá como se nem a conhecessem.

- e a cinderela vira gata borralheira.

Sem saber como reagir Miumy apenas a ignora e vai foi para o vestuário em passos firmes irritada por não poder revidar os insultos, lá já havia duas garotas se trocando.

- não liga Hillary sempre foi uma megera.

- e quem são vocês

- eu sou Alice

Algo que se destaca em Alice são seus olhos claros e seu rosto fino e delicado, seus cabelos são loiros e sua pele é clara.

- e eu sou a Ivi

Ivi era uma garota alta seus cabelos negros volumosos sobre o ombro faziam par com seu tom de pele e seu corpo esbelto e cheio de curvas.

- somos do mesmo curso estamos na sua sala desde 1° período.

- desculpem acho que eu não havia notado.

Ivi

- já imaginávamos que não, é que nossa família não é tão rica nem muito conhecida.

- eu já estou cansada das pessoas me jugarem pelo minha condição social.

Alice

- bem vinda ao clube, mais é a pura verdade garotas ricas ainda são a maioria aqui e vocês só notam os seus próprios grupinhos.

- isso não é totalmente verdade.

Alice

- mais também não é totalmente mentira.

Ivi

- me deixa te pergunta quantas das suas “amigas” vieram ajudar você na quadra quando descobriram que está sem dinheiro?

Ela ficou sem reação um tempo mais respondeu.

- nenhuma

Ivi

- então? Essas garotas só te procuram quando você tem algo a oferecer as elas quando a fonte acaba elas te descartam e você agia como elas se não percebeu.

- não eu nunca reparei que tratava os outros assim.

Ivi

- isso é porque estava presa no seu próprio mundo, só enxergava o que queria ver.

- penso que foi até bom tudo que aconteceu comigo, agora eu posso enxerga o que eu não via antes.

Alice

- que bom, é sinal que está rompendo a bolha bem vinda ao mundo real.

Ivi

- pode ser que agora possa dar mais valor as pessoas e as coisas que estão ao seu redor.

- eu sempre as critiquei mais sempre fui igual a todas elas só não enxergava a realidade.

Alice

- mais em fim vamos treinar as competições tão chegando.

Pov. Renn.

Renn toca a campainha de um apartamento e um rapaz aparece, seus cabelos castanhos estavam meio bagunçados e estava vestido em roupas bem informais, além disso, era moreno claro e tinha um corpo bastante atlético, seus olhos claros e o modo como sorrir para Renn não passam despercebidos.

Noah

- porque estar aqui?

Renn

- eu vim buscar você, por que não posso?

Noah

- você não precisa vim me buscar todos os dias.

Renn

- eu queria te ver.

O rosto de Noah fica vermelho.

- gosto quando fica tímido

- está mesmo levando isso a serio

-se com “isso” você se refere aos meus sentimentos  então sim, e isso não é errado.

- eu não disse que era mais eu tenho medo do que as pessoas vão dizer se descobrirem.

- se descobrirem o quer que você seja gay? Você se importa de mais com a opinião publica e esquece que quem tem que se aceita é você e não os outros.

- tem razão mais já imaginou a reação do seu irmão quando descobrir, ele já levou tempos para aceitar que você era gay e todo esse tempo não tinha contado a ele quando ele souber do resto da historia vai surta.

Renn segurou suas mãos que eram um pouco grossas e as acariciou sorrindo.

- então vamos combinar uma coisa você vai parar de pensar no que ainda não aconteceu e vai deixar as coisas fluírem naturalmente promete.

- ta eu prometo que eu vou tentar.

Renn continuava sorrindo ele solta suas mãos e afaga seu rosto com carinho suas mãos eram um pouco mais suaves do que as de Noah ele aproxima seus rostos selando seus lábios em um beijo calmo, as mãos de Noah vão para a barra da sua blusa os aproximando ainda mais Renn se desprende de seus lábios em um breve selinho Noah fica olhando para o chão com as mãos no bolso quando o beijo acaba.

Renn

- já te disse como você fica lindo tímido moreno.

Noah

- e você ta me deixando ainda mais tímido.

Renn

- aprenda a receber um elogio meu caro, vamos? Eu não quero te atrasar mais.

Noah

- tá tudo bem eu só tenho a segunda aula.

Noah cursa fotografia ele está no quarto período, foi no começo do semestre passado que seus sentimentos por Renn começaram a mudar mais eles só começaram a se envolver esse semestre.

Pov. Miumy

O treino de tênis começou a esquentar quando colocaram a megera da Hillary como minha dupla, ela cursa moda, mas para minha infelicidade os cursos desse bloco se misturam nos treinos de tênis, parecia que ela estava disputando comigo e não com as nossas adversarias da partida e praticamente me empurrou quando deram o saque e a bola veio para nossa direção com a consequência do empurrão eu cai em cima do meu pé.

- ai, meu pé acho que machuquei.

- deixe de drama garota eu mal toquei em você.

Alice

- não minta eu vi quando você a empurrou.

- como se sua opinião tivesse alguma importância.

Ivi

- ignora ela, você ta bem Miumy, consegue andar.

Mi

- não, ta doendo muito acho que torci.

Alice

- se apoia na gente vamos te levar na enfermaria.

Ivi e Alice levaram Miumy na enfermaria, lá a enfermeira pediu que a sentassem na maca.

- o que aconteceu.

- estávamos jogando uma partida de tênis e cai sobre o meu pé.

- me deixa dar uma olhada.

Ela tirou o tênis e colocou a perna sobre a maca.

- eu vou tocar em algumas regiões da sua perna e você vai dizer onde dói mais.

- tudo bem.

Ela começou dando pequenos toques da coxa até o calcanhar e a ponta do pé.

- ai, é ai ta doendo muito.

 - hum não ouve fratura, nem torção apenas um distensão leve no pé, mais não pode praticar nenhum esporte durante umas duas semanas.

- não de jeito nenhum eu tenho um campeonato de tênis nesse fim de semana.

- querida você distendeu um nervo, se você cai novamente pode fratura um osso ou pior romper uma ligação ai não vai ser só duas semanas serão meses sem praticar nenhum esporte.

Alice

- ela tem razão acho melhor você fica longe das quadras esse fim de semana, você pode se machucar feio.

Mi

- eu trenei muito para isso eu não posso deixar de não participar.

- eu vou passar um creme para aliviar a dor, mais você só vai poder fazer atividades simples com andar e caminhar de maneira alguma você poder correr, saltar, pular, nadar ou qualquer coisa que possa piorar a lesão.

Mi

- tudo bem

- coloque gelo de hora em hora e alterne entre compressas frias e quentes, pode fazer atividades domesticas leve mais tente não ficar se movimentando de mais, e se puder manter a perna suspensa serio ainda melhor.

Mi

- tudo bem obrigada.

- tenha mais cuidado daqui para frente, acho melhor você ir para casa.

Mi

- tenho que esperar meu amigo, ele vai me dar uma carona.

- tudo bem se cuide.

Alice

- que ajudar para andar.

- não precisa a dor já aliviou mais.

Miumy foi para o vestiário trocar de roupar lá as garotas contaram á ela sobre o jogo de basquete de hoje.

- já deve ter começado vai ser na quadra de basquete.

- eu não sou fã de basquete alias não entendo nada.

- não vamos pelo jogo é que o Finn está jogando.

- o que vocês veem naquele mauricinho.

Ivi

- na verdade nada, mais adoramos ir aos jogos e ver aquelas garotas se matando pela atenção dele parece até coisa de colegial.

Alice

- as suas ex-amigas praticamente se jogam em cima dele.

Mi

- pensando bem acho que eu vou com vocês pelo menos vou dar boas risadas.

Ivi

- mais e o seu pé pode se machucar com aquelas histéricas nas arquibancadas

- não se preocupe com isso, mais ele é um tosco nem sei como essas garotas gostam dele.

- não tenho ideia no que se passa na mente dessas garotas estranhas mais dizem que só uma garota tem atenção dele a megera da Hillary ouvi dizer que eles estão juntos.

Mi

- acho até que vou vomitar depois dessa.

Ivo

- no meu ver apesar dela babar por ele, Finn não parece dar muito atenção a ela.

Mi

- vocês estão me dando umas ótimas ideias agora, pelo menos ele vai me servi para me vingar dessa megera.

- não entendi, do que está falando.

- deixa para lá depois vocês vão entender.

Ela começou a andar de pressa mesmo castigando.

- ai

- cuidado com esse pé, olha o que a enfermeira falou.

Ivi

- seu pé tá inchando acho melhor você não força muito, eu já tive umas torções e é uma dor terrível.

Mi

- e ainda tá doendo muito mais dar para suportar.

- não acha melhor fica por aqui mesmo.

- não tá tudo bem vamos.

Elas foram para a outra quadra, Mi foi apoiando nas meninas para andar mais rápido, quando chegaram lá a arquibancada estava tomada por garotas gritando pelo Finn, as meninas ajudaram Mi a sentar, ela ouvia vários comentários sobre Finn das garotas ao seu redor.

- Vocês veem como ele é lindo.

- muito lindo, ele é tão fofo e educado.

Lara e Juliana as garotas que fingiam ser amigas dela estavam em pé atrás da Mi gritando por ele.

- acho que se o Finn fala-se comigo eu teria um infarto.

- ele é muito fofo não é.

- com certeza, mais eu ouvi que a Hillary ta ficando com ele.

- ela tem tanta sorte, por que todos os garotos bonitos tem que ter namorada.

 - pois é.

Era divertido para Mi ver todas aquelas garotas agindo como colegiais por um cara.

- tem razão isso é divertido como alguém pode ser chegar a esse nível, ficar gritando, correndo atrás de um cara como uma desesperada.

- parece até que ta faltando macho no mundo.

Nesse minuto parece que Finn notou sua presença lá ele fixou o olhar nela sorrindo e depois voltou a jogo.

- que foi isso.

- que?

- o Finn olhou para cá.

- claro com o escândalo desses.

- não foi por causa delas me pareceu ser um olhar bem especifico

- é ele estava olhando para você e mais ele sorriu.

- impressão de vocês.

Mi que não estava prestando atenção no jogo começou a prestar atenção mais especificamente no Finn. Com uns minutos depois Finn fez uma cesta e a garotas começaram a gritar, ele vez em quando direcionava seu olhar para ela o time de Finn estava na frente do outro time por 15 pontos. Depois que o jogo acabou ela ia falar com ele mais a megera da Hillary grudou nele então ela foi sentar na praça de alimentação da faculdade com as meninas.

- para quem não gosta de basquete nem do Finn, você prestou bastante atenção no “jogo”.

- imaginação de vocês.

- sei.

- vocês viram a megera só faltou se subir nele só para se amostrar.

- e falando no diabo lá vem ela.

Hillary vinha em sua direção com o mesmo sorriso falso de sempre o veneno escorria de sua boca e ela estava acompanhada de Lara e Juliana.

- ai está à gata borralheira.

- o que você quer.

- vejo que já arranjou outra tribo.

Juliana

- desceu baixo em andando com essas sem classe.

Lara

- esqueceu que agora ela é uma princesa pobre é tão sem classe quanto elas.

Hillary

- pobre e agora manca né.

Elas começaram a rir

Ivi

- desparece garota antes que arranque esse seu aplique loiro mal botado.

- ignora Ivi pelo menos você não é duas caras.

Lara

- acho que ela ficou irrita Jú

Juliana

- há, há você pode uma pobretona no nosso grupo.

Nesse minuto Finn aparece atrás delas com feições.

Hillary

- oi Finn.

Ela fica toda derretida quando ele ta perto.

Finn

- vai demorar muito ai tinha que me encontrar a cinco minutos atrás.

Hillary

- too indo.

Finn

- não estava me referindo a você Hillary, estou falando com a Miumy, você vai vim ou não, eu tenho que passar em outro lugar ainda e não gosto de atrasos.

Hillary

- vocês se conhecem

Finn ignora sua pergunta e se vira para sair.

Miumy

- desculpa meninas a minha carona está com pressa.

As três estão de boca aberta, Hillary está fumaçando ela não pode conter a raiva que está sentindo.

Miumy

- espera Finn, eu machuquei o meu pé no treino de tênis e não too conseguindo andar.

Ela fala com uma voz dramática

Finn volta imediatamente até ela e podia se ver a preocupação em seu rosto.

- você ta bem o que aconteceu

- ta tudo bem mais ta doendo muito, eu cai no treino de tênis e distendi o nervo do pé.

Ela fala com voz melancólica, as três estavam se mordendo de raiva.

- vem se apoie em mim eu levo suas coisas, você em sempre tão descuidada.

- obrigada Finn.

Ela se apoia nele e ele leva as coisas dela, Miumy olha para trás e dar um sorrisinho vitorioso para Hillary. Ele a leva até seu carro e a ajuda a sentar no banco e depois entra e dar partida.

- se em porta em passarmos em lugar primeiro eu tenho um compromisso e não posso atrasar

- não, tudo bem.

Eles foram todo o caminho em silencio foi Mi que quebrou o silencio.

Mi

- sabe hoje eu descobrir varias coisas sobre mim que eu mesma não sabia, eu achei que tivesse amigas mais eu estava errada.

Finn

- isso se chama choque de realidade Miumy

Mi

- e eu só tomei conhecimento das coisas quando todas as minhas “amigas” me viraram as costas.

 Desse ponto eles se calaram até Finn estacionar em frente a um abrigo de animais.

- o que estamos fazendo em um abrigo de animais.

- na verdade é um abrigo para cães e gatos eu sou voluntario aqui todos os dias depois das aulas.

- nunca ouvi falar desse abrigo

- ai é que tal o problema ninguém conhece, por isso estamos com tanta falta de voluntários.

- hum.

- tenho que fazer umas coisas, mas não vou demorar, vai entra?

- sim, claro.

- eu te ajudo.

Ele a ajudou a sair do carro e a abriu a porta para ela entrar no abrigo. Lá dentro era um lugar pequeno tinha um balcão na entrada uma sala de espera pequena  e uns armários de lado.

- Jey, cheguei você está ai.

- aqui.

Ele me guiou por um corredor estreito até uma salinha pequena onde uma garota de costas para nós examinava um gato preto que estava deitado em uma mesa, ao seu redor havia uns armários de medicamento.

- sempre pontual Finn.

- quase sempre.

- Miumy essa é Jenny ela voluntaria aqui junto comigo.

Jenny

- oi

Miumy

- oi eu sou...

Jenny

- eu sei quem você é, alias quem não sabe.

Jey tem lindos cabelos platinados e olhos azuis claros, sua pele é clara, e um corpo com curvas mais não exagerado.

Finn

- e como vai o Anu

Jenny

- a ele já esta muito bem não é Anu, já esta pronto para ganhar um novo lá.

Finn pega o gato no colo.

- eu sabia que você ia ficar bom garoto, Anu essa é a Miumy.

Miumy

- ai ele é muito lindo, eu adoro gatos.

Ela pegou ele no colo e ficou acariciando seus pelos

Jenny

- vou ter que fazer hora extra no café hoje então talvez  eu tenha que sair mais cedo hoje.

Miumy

- Café?

Jey

- é o lugar onde eu trabalho, ao contrario de algumas pessoas aqui eu não tenho um papai rico que me der tudo nas mãos.

Finn

- tudo bem, Jey.

Jey

- vou para ala dos cães agora.

Mi

- é impressão minha ou ela não gosta muito de mim.

Finn

- que nada, ela é assim mesmo, com um tempo você se acostuma, Jey faz faculdade de fotografia ela sempre foi alguém muito independente seus pais são um pouco ausentes e ela sempre teve que se vira sozinha pode parecer meio grossa mais é uma garota legal, você vai se dar bem com ela.

Mi

- hum. Você disse que o Anu está esperando adoção eu posso ficar com ele.

Finn

- não sei se tem espaço suficiente para ele no nosso apartamento.

Mi

- por favor.

O gato se espreguiçou no colo dela e mio.

Finn

- acho que ele gostou da ideia, tá bom, tá bom você pode ficar com ele, ficar na sala de espera eu vou olhar os cães e já volto.

Mi

- tudo bem.

Mi foi para sala de espera e fim seguiu por um corredor até uma ala com uns cercados onde havia vários cães dentro.

Jey

- o Jr precisa trocar o curativo da pata.

Finn vai até um dos armários e pega uma luva.

Finn

- vem cá amigão vamos olha essa pata, você foi muito grossa com ela Jey.

Jey

- por que ela está aqui.

Finn

- ela ta morando comigo e com meu irmão esta aqui porque ta me esperando para eu levar ela.

Jey

- por que essa garota ta na sua casa.

Finn

- me passava o curativo, você sabe o quanto Renn gosta da Miumy e é impossível dizer não a ele.

Jey

- e você gosta dela não é.

Finn

- me passa a gaze, nada haver ta, ela só ta lá em casa por causa do Renn.

Jey

- toma, me engana que gosto.

Finn

- ela só precisa de alguém que a ajude a ser mais independente mais madura tipo você.

Jey

- você tá maluco me tira fora dessa, ela é uma garotinha mimada não temos nada a haver.

Finn

- a vai lá, por favor, Jey.

Jey

- não, não e não sem chance, já viu como ela se comporta parece uma criança e olha que temos a mesma idade.

Finn

- vai lá eu sei que pode fazer isso.

Jey

- esta bem, mais se ela encher muito a minha paciência eu mando essa patricinha pastar rapidinho.

Finn

- mais uma coisa, eu dei Anu para ela.

Jey

- QUE! Coitado do Anu.

Finn

- Jey!

Finn coloca o cão no cercado com os outros.

- prontinho amigão você vai ficar bom logo.

Jey

- eu já vou indo, tenho ir que para o café.

Finn

- até amanha e tenta ser mais legal com a Miumy.

Jey

- não prometo nada.

Finn riu, ele tirou as luvas e as jogou na lata do lixo e voltou para sala de espera.

Finn

- eu já terminei podemos ir, como está seu pé.

Mi

- ainda ta doendo um pouco mais na enfermaria da faculdade a enfermeira disse que era só colocar gelo.

Finn

- que bom então vamos.

Em casa Finn tinha ajudado Mi a chegar ao apartamento acho que esse foi o maior tempo que eles passaram sem brigar.

Finn

- seu pé ta ficando muito inchado acho melhor colocar um gelo nele e logo.

Mi

- obrigada por me ajudar, eu vou tomar um banho e trocar de roupa depois eu coloco o gelo.

Finn

- então vai lá quando terminar eu te ajudo a colocar gelo nisso ai

Mi

- ta.

Finn

- e cuidado você ainda é a garota mais desastrada que eu conheço.

Mi

- Renn sempre diz isso e falando nele, eu não o vi o dia todo.

Finn

- e vai se acostumando a um tempo ele vem dando esses sumiços, não diz mais para onde vai, chega tarde e tem vez que nem dormi aqui, acho que que tem garoto nessa  historia só não sei quem.

Mi

- eu também não faço ideia.

Ela falou olhando para os lados.

Finn

- por que fez essa cara

Mi

- que cara.

Finn

- essa cara de quem sabe alguma coisa que eu não sei.

Mi

- você deu para imaginar coisas agora.

Finn

- você fez a mesma expressão que Renn faz quando está tentando esconder algo de mim.

Mi

- me deixa ir tomar meu banho que é melhor.

Finn

- esses dois estão aprontando alguma coisa.

Pensou Finn vendo Mi escapar da conversa indo para o quarto como um raio, Ele também foi para o seu quarto e Mi foi tomar seu banho, durante o banho ela escuta a campainha tocar ela espera ele ir atender mais parece que Finn não ouviu já que a pessoa na porta continua a tocar a campainha sem parar então Mi enrola-se na toalha e vai atender.

Mi

- já vai, já vai.

Então ela abre e a sua frente a encarando está Hillary ela olha para Miumy com uma expressão de interrogação no rosto.

Hillary

- mais o que você está fazendo aqui garota e de toalha.

Mi

- Eu too morando aqui e não que seja da sua conta mais eu estava tomando banho.

Hillary

- você o que.

Hillary

- ta surda garota, eu estou morando aqui.

Hillary ainda parecia bastante surpresa e ainda tinha uma expressão de interrogação nos rosto.

Hillary

- cadê o Finn.

Mi

- Finn, Finn tem alguém atrás de você.

Gritou Mi enquanto Hillary estava lá parada feito uma estatua a encarando.

Finn

- que foi Miumy para que essa gritaria, tava tomando banho.

Hillary

- an? Voc... Vocês.

Finn

- Hillary o que está fazendo aqui.

( autora: acho que alguém ficou pensando besteira)


Notas Finais


E ai o que vocês acharam, só eu too achando que a bruaca da Hillary fcou pensando besteira, lembrando que tem vagas abertas para mais um perssonagem e aficha está no primeiro capitulo, beijinhos e até mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...