História Bicurios and the Innocent - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Scream (Série)
Personagens Audrey Jensen, Brooke Maddox, Eli Hudson, Emma Duval, Gustavo "Stavo" Acosta, Kieran Wilcox, Noah Foster, Zoe Vaughn
Tags Audrey Jensen, Bex Tk, Emrey, Scream
Exibições 145
Palavras 1.116
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Orange, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorei pra postar? Sim mas estava estudando, foi mal gente não me julguem😅 mas voltou, aproveitem.

Capítulo 6 - Golpes de Ódio


Acordo e fico olhando pro teto rindo a toa. Tenho motivos pra rir. Por um momento posso dizer que sou a pessoa mais feliz do mundo e a muito tempo eu não tinha motivos pra sair rindo. Levanto e me visto com algumas roupas que estão no chão e acabo botando uma blusa dela mas não ligo. Pego o celular e desço pra fazer o café. Vejo que tenho varias mensagens do Noah e ligo pra ele. No 5° toque ele atende com voz de sono.
- Audrey?
- Não, o entregador de pizza, claro que sou eu cara.
- Mandei mensagens pra você podia ter respondido, e se fosse ligar podia ter feito um pouco mais tarde,é sábado!
- Foi mal eu nao queria te deixar sem notícias mas as circunstâncias não deixaram eu dar notícias.
- Você ta feliz posso ouvir na sua voz, pode falar o que aconteceu.
- Sai com a Emma o dia todo, no final do dia ela me beijou e disse que me amava cara! - falo quase gritando e lembro que ela está desmaiada na minha cama. Eu gritando tipo uma garota mimada também não combina mas o motivo é bom então vou gritar mesmo.
- Nossa, sério?! Que ótimo Audrey! Viu não precisava sofrer ela ja te amava.
- Pois é pensei isso também, e sim eu to bem feliz.
- Posso imaginar - ouço ele rir - eu tinha algo pra te contar sobre isso também.
- Pode contando tudo seu virgem.
- Ex virgem, eu e a Zoe transamos finalmente - ele diz animado.
- Esse é meu garoto já tava na hora também.
- Tava mesmo.
- Então só liguei pra dizer mesmo que eu to viva e foi mal por te acordar.
- Sem problemas, fico feliz por você e pela Emma.
- Fico feliz por você e pela Zoe, e já adianto que vou ser madrinha desse casamento! Falo com você depois.
Ele ri.
-Pode deixar, até depois.
Eu desligo vou fazer o café. Não demora até que ela me abraça por trás me fazendo tremer.
- Dormiu bem? - ela pergunta e da uma beijo nas minhas costas.
- Dormi muito bem - me viro sorrio e beijo ela. Sempre quis isso mas agora que tenho, nem consigo acreditar que seja verdade.
Tomamos café juntas até que a mãe dela liga pra ela.
- Oi mãe...sim...na casa da Audrey...eu sei que devia ter avisado só tivemos uns contratempos...- eu não seguro o riso na parte dos "contratempos" e ela bate de leve na minha perna - tudo bem estou tomando café daqui a pouco chego em casa - ela desliga.
- "Contratempos" - continuo rindo.
Ela ri junto comigo.
- Era melhor que dizer "ah mãe eu estava transando com a Audrey me desculpa por não dar notícias".
- Como será que ela vai reagir quando a gente realmente contar?
- Minha mãe te ama, acho que só vai ser uma surpresa mesmo.
- Tem uma coisa que esqueci de fazer ontem então vou fazer hoje.
- O que? - ela pergunta surpresa.
Me aproximo dela.
- Quer namorar comigo?.
Ela faz uma cara triste mas em seguida sorri.
- Claro que eu quero - ela sorri e me beija. Eu retribuo e vejo que poderia ja estar tirando as roupas para um round 2 de ontem.
Ela termina de comer.
- Tenho que ir agora antes que minha mãe surte.
- Tudo bem, te vejo depois?
- Sim - ela me da um selinho.
- Manda um beijo pra sogra.
- Pode deixar - ela sorri e sai.
Sabe aquele momento que você quer sair gostando na rua o quanto está feliz e quer que o mundo saiba disso? Então essa sou eu. Não sei qual foi a última vez em que estive assim. Eu tomo um banho que estava precisando depois do "exercício" que fiz com a Emma ontem, boto uma roupa e saio andando com fones ouvindo a música bem alta. Não ligo se estou passando vergonha mas danço um pouco e canto enquanto ando até que de repente alguém me agarra por trás e me derruba com força no chão e coloca um saco preto na minha cabeça. Posso dizer que é um cara pela força mas quem é não sei. Sinto algo forte bater na minha cabeça e apago. Acordo ainda tonta com o saco na minha cabeça e sinto gosto de sangue. Meu lábio esta sangrando. Alguém tira o saco da minha cabeça e por mais tonta que esteja posso ver a pessoa claramente. Kieran. Estou sentada numa cadeira com os pés e as mão amarrados a ela.
- Jensen você me deu uma ótima surra - ele fala olhando diretamente pra mim com cara de quem está bem na situação - mas se você achou que aquilo ia ficar assim está bem enganada, você tirou a Emma de mim, estávamos indo bem mas você me impediu.
- Ta me zuando né?! Você ia abusar dela e eu tenho culpa?! Eu te impedi de fazer algo que ela não queria seu doente! Ela tá mais que certa pra não te querer mais! - cuspo as palavras junto com o sangue.
- É você tem um ponto, eu estava bem alterado, mas sabe, se eu não estivesse eu teria te dado uma bela surra - ele ri - que é o que vou fazer.
Eu estou nervosa, esse cara é imprevisível.
- Vai me bater seu covarde? Vem então e bate, isso bate em alguém indefeso porque eu tenho que estar amarrada pra você não sofrer...
Ele me acerta em cheio no rosto fazendo eu ficar muito tonta e o gosto de sangue aumentar. Nem consigo me recuperar que ele ja me bate de novo. Mais um. Eu cuspo sangue no lado que ela me bate. Ele me faz virar a cabeça pra ele.
- Acha que pode ter a Emma sua sapata filha da puta?! Ela precisa de um homem!
Ele me bate de novo e dessa vez não estou com bebida pra me ajudar a ficar forte. Tenho vontade de chorar mas não vou dar esse gostinho a ele.
- Se implorar eu posso te soltar - ele fala próximo do meu rosto rindo. Eu cuspo no rosto dele o fazendo recuar de nojo, nesse meio tempo eu já estava afrouxando as cordas e consigo me soltar pulando sobre ele e o enchendo de golpes mas estou fraca pelos golpes que levei e acabo sendo derrubada. Ela pega minha cabeça e da com ela na parede duas vezes que é o suficiente pra eu cair no chão e ficar com a cabeça rodando até desmaiar.


Notas Finais


Tadinha da Audrey pode ser feliz nem por um dia😫


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...