História Bieber, The Joker - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Arlequina, Coringa, Joker, Justin Bieber, Possessivo
Exibições 171
Palavras 1.857
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hellooooo!
Gente, esse capítulo é o meu preferido então eu espero que vocês gostem dele!
O rumo da história vai mudar um pouco e eu espero que vocês gostem e PRECISO QUE VOCÊS COMENTEM, quero muito saber a opinião de vocês e isso também me incentiva muito então não esqueçam de deixar seu comentário quando terminar de ler.
Enfim, boa leitura!

Capítulo 11 - Quem mais pularia de um prédio por você?


Fanfic / Fanfiction Bieber, The Joker - Capítulo 11 - Quem mais pularia de um prédio por você?


P.O.V Bruce Wayne, O Batman.


Eu me preparei para assaltantes, assassinos, ladrões, criminosos cada vez mais extremos em seus métodos e personalidades. Mas nunca alguém como o Coringa. Não há informações sobre ele em nenhuma base de dados criminal. Pelo que há nos registros, é como se ele tivesse saído do nada. Ele é um psicopata engenhoso, com uma inteligência sádica, que tem prazer em causar o caos, destruição e sofrimento. Habilidoso com explosivos e armas de fogo. Tem traços de personalidade compatíveis com insanidade criminal. Sua capacidade de destruição irresponsável o torna uma ameaça a toda a cidade. Eu tenho que por fim nisso, ele deve ser detido.
Eu temia pelo o que iria acontecer com Bella. Não desejava que, o que aconteceu com Harleen Quinzel, acontecesse a ela. Então eu, o Batman, precisava salvá-la da mente doentia do Coringa. Está na hora de fazer uma pequena visita ao meu velho amigo.


P.O.V Bella Escobar 


-QUEM TE DEU A DROGA DESSE CELULAR? -Coringa gritou furioso e eu fiquei confusa. Achei que ele havia mandado me entregar o celular grampeado mas não consegui responder sua pergunta, os soluços escapavam de minha boca enquanto eu chorava assustada. 
-O que aconteceu? -Chaz apareceu ofegante na porta do quarto e com o cenho franzido, atrás dele estava o Brian que também estava sem entender nada. 
-Ela estava falando com alguém pelo celular! Eu não lembro de dar autorização para isso! -Bieber quase gritava enfurecido. 
-Desculpe, eu dei o celular para ela e grampeei e também impeço que seja rastreado. -Chaz falou um pouco hesitante. Bieber quase o matou com os olhos.
-SEU IMBECIL! VOCÊ ESQUECEU QUE EXISTE AQUELE FILHO DA PUTA DO BATMAN?! -Chaz encolheu os ombros e Bieber saiu do quarto soltando faíscas pelos olhos. Brian o acompanhou me deixando sozinha com o Chaz e, por incrível que pareça, Chaz sorrio aliviado. 
-Tomara mesmo que ele consiga te rastrear. -Disse ele sorrindo.
-O que?! -Indaguei surpresa e ele veio até mim me abraçando, eu retribui o abraço mesmo estando confusa. 
-Te dei uma chance de escapar, uma chance de fugir dele. Você não merece isso, Bella. -Ele sussurrou ainda me abraçando. Uma lágrima escapou e desceu preguiçosamente por minha bochecha. Eu não sei se eu queria ser salva. 
-Chaz, você tem noção do que fez?! O Coringa vai matar você! -Disse preocupada o abraçando mais forte. 
-Não! O Batman vai prender ele, eu sei disso, e nesse pouco tempo que ele estiver preso eu irei fugir e viver minha vida longe de Gotham. -Ele disse esperançoso.
-Não tem como fugir dele, Chaz. -O soltei e suspirei pesado. Isso vai dar merda. 
-Venham, nós vamos para um lugar seguro! -Disse o Bieber entrando no quarto sem nos olhar e logo após saiu. O segui junto com Chaz. 
-Para onde vamos? -Perguntei. 
-Para o meu covil. 


Narrador On 


Ao chegarem no covil do Coringa, Bella ficou boquiaberta. Era um parque de diversões velho e enferrujado, com aparência abandonado mas os brinquedos funcionavam. A montanha russa estava ligada e o carrinho descia, subia, fazia curvas perigosas e até ficava de cabeça para baixo. Havia cabeças de palhaços gigantes que abriam e fechavam a boca soltando gargalhadas também havia um carrossel entre outros brinquedos infantis e, no centro do parque, tinha um sorriso gigante que, um dos dentes, era uma porta que dava para a sala dos espelhos. E tinha o trem fantasma que também era um prédio bem alto, foi para lá que seguiram o Bieber. Em cada canto daquele parque de "diversões" tinham grupos de capangas do Coringa, cada um portava alguma coisa; armas de fogo, facas, taco de beisebol e até garrafas quebradas. Todos estavam prontos para receber o convidado especial: O Batman. 
O Coringa, Bella, Brian e Chaz entraram no trem fantasma que estava com o carrinho quebrado e então seguiram caminho pelos trilhos enferrujados andando mesmo, ao fim, chegaram a uma porta dupla que em cada lado havia um desenho de um coringa, perto da porta havia uma máquina que deveria ser colocado uma senha para que conseguissem abrir a porta, Bieber o fez: colocou a senha que só ele sabia e então abriu as portas seguindo em frente, calado. Chegaram a algum tipo de salão com paredes pichadas fazendo referências ao Coringa e ao Batman, tinha uma sacada que, de lá, com certeza daria para ter a visão de todo o salão, na sacada tinha cortinas vermelhas que pareciam pesadas impedindo de ver o que tinha além delas. Eles (Chaz, Brian, Bieber e Bella) subiram algumas escadas, entraram por algumas portas (umas com senhas outras não) e no fim chegaram a algum tipo de escritório bagunçado, nele havia uma mesa de madeira com alguns papéis e armas em cima, uma cadeira vermelha e empoeirada logo atrás da mesa e papéis estavam espalhados pelo chão, também tinha outras duas poltronas empoeiradas. Em alguns cantos do escritório havia robôs segurando balões coloridos e televisões engoliam suas cabeças, em outro canto do escritório havia uma cortina vermelha então Bella deduziu que ali desse para a sacada. 
Ao lado de fora estava planando, naquele céu escuro, o Batman. Ele observava o local e via ali aqueles homens armados e prontos para atacar. O Batman sabia que seria fácil afinal eram lutadores de rua e não profissionais, então ele desceu e atacou o grupo de cinco homens que estavam perto do carrossel, ele acabava com os capangas com uma rapidez absurda contra atacando as tentativas de ataque surpresa deles. Em mais ou menos um minuto ele já havia acabado com todos eles, alguns estavam encolhidos no chão reclamando de dores e sem forças para lutar, outros nem se quer falavam, estavam desmaiados. Aos poucos Batman havia acabado com quase todos os grupos de capangas espalhados pelo parque, só lhe restava um que estava perto da montanha russa e então ele foi pra lá pegando o capanga, que estava com arma, de surpresa com um chute planado e então todos foram para cima do Batman e ele começou a golpea-los e contra atacar, por fim o Batman só deixou um homem de pé, ele segurou o homem pelo pescoço e o levantou. 
-Onde está o Coringa? -Batman perguntou com sua voz grossa e rouca, era assustadora. 
-Vai se ferrar. -O homem se atreveu a dizer. 
-Não tenho tempo pra isso. -Disse o Batman. -Me diga onde ele está. 
-Não vou te dizer, cara. -Batman estava um tanto quanto surpreso com a ousadia daquele homem. 
-Mais um pouquinho de força e eu estouro sua laringe. -Ele fez uma leve pressão no pescoço do homem o deixando assustado.
-Tá bom, tá bom, eu falo. -Disse o homem desesperado enquanto segurava as mãos do Batman tentando, em vão, se livrar do aperto. -Ele está no escritório, fica no fim do trem fantasma. Duvido que você consiga chegar lá. -Ele não deveria duvidar.
-Prometo que você terá uma boa noite de sono. -Batman acertou sua cabeça com um soco e largou o corpo desmaiado do homem na neve.
Então o Batman seguiu para o trem fantasma e no fim dele viu as portas duplas que estavam trancadas e então ele viu a pequena máquina ao lado das portas, Batman pegou seu aparelho de sequência de criptografia e hackeou, ele passou pelas portas e seguiu até o escritório do Coringa. Mas, ao entrar lá, ele não viu ninguém. 
-Bats, Bats, Bats...Que bom te ver, amigo! -Ao ouvir aquela voz Batman se virou e olhou para as TV's que estavam encaixadas em corpos de robôs e então ali estava a imagem do palhaço. -Se decepcionou? Aposto que sim! -Coringa gargalhou. -Não se preocupe, amigo. Eu estou te esperando aqui no topo do prédio. Tenho uma surpresinha pra você. -Ele disse em tom divertido e então as TV's desligaram. 
-Alfred, preciso que mande policiais para o covil do Coringa, você já sabe as coordenadas. -Batman se comunicou com o seu velho companheiro. 
-Sim, senhor. Pode deixar comigo. -A voz desgastada do Alfred soou pelos ouvidos do Batman. 
Batman olhou a seu redor e viu uma tubulação de ar um pouco a cima da mesa daquele escritório, então ele mirou a batgarra que acertou a pequena grade e puxou até arranca-lá, ele escalou até a tubulação e começou a andar por ela agachado de uma forma desconfortável mas não para ele que já estava acostumado. No fim da tubulação ele chegou em lugar com portas duplas que dessa vez não estavam bloqueadas então ele abriu e deu para a cobertura do prédio. Assim que ele abriu a porta deu de cara com vários capangas, deveriam ser 14 homens, e então o Batman foi para cima deles. No topo do prédio havia um pequeno poste de ferro  onde o Coringa estava se segurando e dando gargalhadas enquanto incentivava e ameaçava seus homens, caso o Coringa soltasse aquela barra de ferro ele iria cair do prédio que era uma altura gigantesca e assim que batesse no chão, estaria morto. Quanto mais caras caiam no chão mais apareciam, mas o Batman não parecia cansar e não demonstrava que iria desistir da luta. Mas então, ao fim, estavam todos no chão e então chegou um helicóptero jogando ondas fortes de ar contra o Batman porém ele se mantinha com os pés firmes no chão. A porta do helicóptero se abriu revelando o Chaz que lançou uma granada em direção ao Coringa e depois fechou a porta saindo rapidamente dali. O Coringa começou a cair em queda livre dando gargalhadas e o Batman não pensou duas vezes em se jogar em sua direção e então ele agarrou o corpo do Coringa o protegendo, eles caíram no chão, Coringa não sofreu com o impacto pois foi protegido pelo corpo do Batman e o Bruce também não sofreu nenhum dano, protegido pelo traje. 
Batman levantou-se rapidamente puxando o Coringa para cima e o algemou, o empurrou para baixo obrigando-o a ficar de joelhos e então a polícia chegou e apontou as armas para eles. 
-Parado, aberração! -Gritou um policial armado. Coringa gargalhou e olhou para o Batman.
-Acho que estão falando com você. -Disse irônico, Batman ignorou e lançou sua batgarra para cima logo desaparecendo sob a noite fria de Gotham. 
Um policial andou até o Coringa e o obrigou a ficar de pé, então foi puxando ele até um carro de polícia sendo seguido por outros policiais, ao chegar lá ele empurrou o corpo do Coringa contra o carro de forma bruta.
-Para onde o Batman foi? -Disse o policial tentando intimidar. Coringa riu.
-E como é que eu vou saber?! -Respondeu irônico. 
-Ele é seu parceiro, não é?! -Disse o policial irritado pela ironia do palhaço. 
-Meu parceiro?! -Coringa começou a gargalhar. -Porque você acha que ele é meu parceiro? -Perguntou ainda rindo.
-Quem mais pularia de um prédio por você?! -E então Coringa continuou gargalhando e o policial viu que não conseguiria respostas dele então o jogou dentro do carro e fechou a porta com força. 
-Quem pularia de um prédio por mim?! -Coringa disse ainda gargalhando e então olhou para o topo do prédio e cessou as risadas. -Eu me pergunto a mesma coisa...
 


Notas Finais


E aí?
Gostaram? Comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...