História Big Bad Wolf (Camren) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Norminah, Trolly, Vercy
Visualizações 347
Palavras 1.098
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Orange, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HOLA AMIGOS!
COMO ESTÃO? TRANQUILOS?

Então, essa é a minha primeira long fic, eu já escrevi uma one shot, não é sobre camren, mas é sobre o lado colorido do mundo também HUASHAUSH Link nas notas finais.
Se é que me entende
BTW
Eu estou realmente ansiosa para saber a reação de vocês com essa fic, porque eu realmente amei a ideia dela e gostaria que fosse adiante <3
Entretanto, se eu não tiver tanta motivação, como comentários, favoritos e etc...
Acho que vou acabar parando e apagando mesmo :/

Enfim, boa leitura, esqueçam os erros e amo vcs <3

Capítulo 1 - The Accident


Fazia Sol em New York, e como fazia, o calor estava quase insuportável, entretanto, minha pequena irmã quis sair para “caminhar”.

Sofia Cabello, a caçula da família e minha irmã, com seus 12 anos de idade, ela já era bem esperta para sua idade, percebia as coisas rapidamente, infelizmente, meus pais reclamavam que ela só largava o celular quando estava comigo.

Hoje só era mais um dia normal, nós sempre fazíamos isso, quando estava muito calor saíamos por aí, entre parques e ruas movimentadas, entre risadas e sorrisos, nos divertindo, apenas nós, apenas duas irmãs se divertindo.

- Kaki!- Sofia deu um aperto mais forte em minha mão, me chamando- Quero um daqueles!- ela apontou para um carrinho de balões

- Não está muito grandinha para balões?- perguntei risonha caminhando na direção do carrinho dos mesmos

- Não existe idade pra querer balões, principalmente, se forem de gás hélio!- ela sorriu

- Certo...- dei uma risada de sua animação- Olá, bom dia.- cumprimentei o senhor

- Bom dia, senhorita.

- Um balão, por favor.

- Alguma cor especifica?

- Rosa!- Sofia gritou fazendo eu me assustar e o senhor sorrir

- Rosa será então!- respondeu animado entregando um balão à menor

- Kaki, vou sentar ali.

- Certo, tome cuidado que eu já vou.- peguei minha carteira para pagá-lo e pedi uma garrafa de água

- Aqui, seu troco e sua água.- ele me entregou e sorriu em minha direção

- Obrigada.- sorri em sua direção e me virei

No segundo seguinte, eu nem parecia respirar, meu corpo entrou em estado de choque, e quando me dei conta, as moedas do troco e a garrafa de água estavam no chão, enquanto minhas pernas se moviam em direção ao que eu presenciava.

- SOFIA!- gritei pela menor

Ela se virou em minha direção e foi então que tudo piorou, ela parou, simplesmente, parou em meio a uma avenida movimentada.

Seu balão voava para longe, mas eu só conseguia pensar no carro se aproximando em alta velocidade em sua direção.

Minhas pernas reclamavam por eu forçá-las tanto, eu corria, corria como nunca corri na minha vida, mas me via não chegando a tempo de salvá-la.

- SOFI SAIA DAÍ!- foi o que eu consegui dizer antes de um vulto me segurar no lugar e gritar

- Espere aqui!

E eu o fiz, parei no lugar e vi o vulto avançar numa velocidade que você ficaria surpreso.

Era uma pessoa, com um moletom azul escuro nesse calor, inclusive com o capuz na cabeça, a calça jeans escura e os coturnos pretos no pés.

Em menos de segundos ela alcançou Sofia, a segurou pela cintura e a puxou para si, se impulsionando para fora da pista depois, o carro passou na frente delas, sem nem ao menos diminuir a velocidade.

O estranho soltou minha irmã, se abaixando em sua direção e lhe estendendo o balão que eu não vi quando ela o pegou, me aproximei a passos rápidos com minha respiração alterada.

- SOFIA CABELLO!- gritei

- K-Kaki...- minha irmã gaguejou

- O QUE PENSA QUE ESTAVA FAZENDO?!- perguntei já em sua frente

- Hey, já passou, não grite com ela desse jeito.- uma voz... feminina? Me chamou colocando uma mão em meu ombro

Me virei para a voz, encontrando uma feição feminina, lábios carnudos e vermelhos por conta do batom, sobrancelhas feitas com cuidado e perfeição, mas o que realmente me chamou a atenção foram o olhos verdes, ou seriam azuis?

Não... Eles com certeza eram verdes, mas era estranho encará-los, na minha percepção, eles mudavam de cor constantemente, saindo do verde acinzentado para o verde fluorescente.

Saindo de um calmo chuvisco à grande tempestade.

- Foi você quem a salvou, não é?- consegui dizer

- Acho que sim.- seu olhar não desviava do meu

- Obrigada, não sei o que teria acontecido se você não tivesse aparecido.- comentei sincera trazendo Sofia para perto de meu corpo e a abraçando

- Não há de que.- se afastou dando de costas

- Posso saber seu nome?!- perguntei com ela já longe

- Kaki! Ela até pegou meu balão!

Não obtive resposta da morena, mas continuei a observá-la, até ela sumir no mar de pessoas.

- Puta merda, Sofia.- a apertei mais contra mim- Nunca mais faça isso, entendeu? Nunca mais!

- Desculpa... É que o balão escapou e eu corri atrás deles...- tentou explicar

- Shhh.- a calei- Está tudo bem, só não faça de novo, por favor.

- Desculpa, Kaki.

- Está tudo bem.

Ficamos mais alguns minutos no gramado, sentadas, com Sofia quase em meu colo, eu me recusava a soltá-la, fiquei apavorada com a possível cena da menor sendo atropelada.

Mas também, um certo par de olhos esverdeados não saia de minha cabeça, eles eram tão hipnotizantes, tão bonitos, eu queria vê-los outra vez, na verdade, eu queria vê-la outra vez.

Depois de um tempo, conseguimos nos recuperar, eu a levei para a casa de nossos pais e lhes expliquei toda a história.

Eles se assustaram, abraçaram Sofia, choraram, para só então lhe dar um belo sermão.

A garotinha não parava de falar na estranha que havia salvado sua vida, e mesmo não querendo admitir, minha mente trabalhava incessavelmente na morena também.

Meus pais perguntaram se eu estava bem antes de ir embora, Sinuhe e Alejandro Cabello não me deixaram partir em direção à minha casa sem lhes garantir que estava realmente bem.

Entrei em meu carro, dirigi em direção ao meu apartamento, dei oi para o porteiro e para meu vizinho do andar de baixo que encontrei no elevador, mas quando cheguei em casa, foi estranho.

- Por que está me cheirando, Nina?- perguntei a gata branca que me cheirava dos pés a cabeça

Aparentemente, depois de concluir alguma coisa, ela se afastou tão rápido quando chegou perto de mim, assoprando em minha direção, e eriçando os pelos do corpo.

- Não estou com um cheiro amigável, huh?

Fui para meu quarto e tomei um belo banho, mas porra, mesmo assim, eu ainda pensava nela, em seus olhos, em sua boca, eu pensava na tal morena misteriosa.

Ela exalava poder, confiança, e até mesmo um pequeno temor no fundo de seus olhos, mas nem por um segundo enxerguei algo sociável nela.

Provavelmente, ela era alguém muito importante, repugnante diante de seus empregados, aquele tipo de chefe que pega no seu pé, pois ela com certeza não seria alguém submissa a outro alguém, não com aquela pose.

Tudo nela gritava PERIGO.

Tudo nela gritava PROBLEMA.

Mas como nem tudo são flores...

Tudo em mim.

Gritava por saber mais dela.


Notas Finais


Gostaram ou nem?
Bom, comentem e favoritem que isso me ajuda a continuar <3
Até mais!

Link da oneshot: https://spiritfanfics.com/historia/shes-my-princess-7785061


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...