História Big Bang - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Tags Baekyeol, Chanbaek, Exo, Nãoseioquetôfazendo, Oneshot
Visualizações 11
Palavras 1.628
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Drama (Tragédia), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá bicho

Podem comentar me xingando se a estória ficou muito apressada. Eu, particulamente, achei bem apressadinho ;( porem, e a vida que segue

Capítulo 1 - Explosão.


Chanyeol sentia uma explosão ao seu redor toda vez que via Baekhyun. Não, ele não ficava estático, muito menos paralisado - mas porque se esforçava para não bancar o idiota em sua frente. Ele apenas.. sentia como se seu próprio mundo fosse um novo toda vez que o via. Era um amor, na visão do Park, não correspondido. Mas, como todo principal de um filme de romance, ele tinha medo do Byun não corresponder aos seus sentimentos, então nunca ousou tocar no assunto com o amigo.

Isso é agonizante; é doloroso; é horrível. Um amor não correspondido, é horrível. Mas ele nem sabe se é ou não correspondido, por que sofrer tanto internamente? Mas não estou aqui só para narrar o problema amoroso de nosso principal, por parte, eu na verdade estou.

- O quê?! - Indagou. Chanyeol estava completamente perplexo.

- Sim, Chanyeol.. quando terminamos esse último ano, eu vou fazer intercâmbio. - Baekhyun também não portava um semblante alegre, aliás, quem portaria ao saber que teria de se distanciar de seu melhor amigo para um ''ensino melhor''?

- Mas.. por que seus pais querem isso? As universidades daqui também são muito boas. - Chanyeol queria não acreditar, tentava negar com todas as suas forças. Aquilo realmente não poderia estar acontecendo, tinha que não estar.

Seu melhor amigo aka crush indo embora daqui pouco tempo? Isso era inadmissível na visão do Park!

- Sim, eu sei. - Soltou um suspiro, amaldiçoando-se mentalmente por ter inventado de contar logo no meio de uma aula. - Porém, meus pais acham que é melhor assim. - Olhou por cima dos ombros para Chanyeol. É, ele realmente estava incrédulo.

- Mas é você? O que 'você acha? - Deu um grande ênfase no você. Claro, nesse momento Chanyeol concerteza estava matando Baekhyun mentalmente. Baekhyun nunca teve muita voz com os pais, ele na verdade nunca tentou "bater de frente" com os pais. Ele admitia, era um completo covarde ao se tratar disso, então sempre seguia tudo de cabeça baixa.

- E.. - E antes que pudesse terminar quaisquer frase, o sinal foi ouvido, indicando que a última, e cansativa aula, estava acabando.

Baekhyun estava se detestando por vários motivos. O principal era por ter aceitado aquele absurdo de cabeça baixa, outro era não ter anotado os resumos do assunto das últimas provas.

- Não precisa me responder, eu já sei o que você acha sobre. - Chanyeol jogou todo seu material de qualquer jeito em sua bolsa, logo a pegando. Ele saiu apressado, sentia uma vontade enorme de chorar.

Baekhyun arregalou os olhos. Foi a primeira vez que Chanyeol não havia o esperado.

 

(...)

 

Ele estava triste; magoado; abismado. Seu mundo havia explodido, como um Big Bang ao contrário. Seu mundo estava sendo desfeito.

Jongin estava sentado ao lado de Chanyeol na cama, sabia que o amigo estava horrivelmente triste.

- Sério?! Cara, ele vai embora e você nem se declarou pra ele.. Acho que você deveria agir.

- Sim, deveria, mas ao mesmo tempo não deveria. Ah, quem iria enganar? Não havia contradições, Chanyeol só estava às inventando para não encarar o amiguinho "amor" e se soltar.

- Não posso.. - Encarou o amigo. Sua vontade de chorar só aumentou mais, pois o mesmo havia lembrado do relacionamento estável do amigo.

 

Ah, como ele o invejava.

 

- Pode sim. Você vai mesmo deixar o amor da sua vida escapar? - Jongin franziu o cenho. Chanyeol era realmente um idiota!

- Bem, literalmente, sim. Acho que deveria, isso não daria certo mesmo... de toda forma, acho que nem o amo. É só uma vontade carnal. - Chanyeol sorriu, estava tentando se enganar.

- Chanyeol, só uma vontade? Você daria seu fígado a Baekhyun se ele pedisse! - Jongin fingiu indignação. Chanyeol preferiu profanar silêncio. Ele tinha dois meses. Uma semana para as provas, mês nenhum para se confessar. Até porque, ele não pretende isso.

 

(...)

 

- Ainda temos um mês até eu me mudar.. - Sim, havia se passado um mês. Um mês e Chanyeol não tinha se confessado. Idiota! Um mês inteiro, onde ocorreu provas, testes, resultados.. várias coisas, menos uma confissão.

- Por que precisa ir tão rápido assim? - Juntou as sombrancelhas.

- Ainda tenho muita coisa pra resolver na América. - Baekhyun começou a balançar seus pés em forma infantil, estavam em cima de uma árvore. Uma árvore no qual consideravam só sua, já que a inicial de ambos estavam cravadas ali desde pequenos.

- Ah.. quer fazer mais lembranças até lá? - Sorriu forçado.

- Claro. - Baek também reprimia uma vontade de chorar. Chanyeol era uma das pessoas mais importantes para si, isso o machucava muito.

- Então, quer maratonar Star Wars pela décima vez? - Pulou de cima da árvore, que era consideravelmente baixa para uma árvore no meio do parque.

- Esse sorriso já diz tudo. - Apontou para seus próprios lábios, que se entortavam em um sorriso sereno. Baekhyun era realmente perfeito, pensará Chanyeol.

Baek também desceu da árvore, logo sendo abraço de lado por um Chanyeol animado. Foram assim para a casa do Park, era costume esse abraço. Alguns olhares significativos eram lançados para si sempre, mas eles não ligavam. Nunca ligavam quando se travavam deles, porque ninguém os atingia em seu próprio mundo.

 

(...)

 

- Ah, e como sempre, foi uma honra maratonar com você, jovem padawan! - Chanyeol encarou o amigo, que sorria ao seu lado.

- Eu sei, é sempre uma honra fazer tudo comigo. - Permitiu-se a fazer um bico convencido.

- Não se gabe, não deixo todo mundo maratonar algo comigo. - Chanyeol se aproximou mais do rosto de Baekhyun. Era uma aproximação perigosa de mais.

- Então eu sou especial? - Um sorriso de canto se formou em seus lábios, e logo Baek também se aproximou um pouco. Só então o Park notou o quanto aquilo estava perigoso, se afastando de supetão. Ele corou, mas deu graças a Deus Odin por não ser perceptível, já que as luzes estavam apagadas.

- Hm.. Baek.. - Chanyeol coçou a nuca, estava nervoso de mais. Com medo de mais. O moreno o encarava atentamente. - Eu..

 

Uau, ele realmente estava fazendo aquilo.

- Meninos, querem um lanche? - A mãe de Chanyeol entrou repentinamente no quarto. Aquilo só poderia ser um sinal. Um maldito sinal de que ele não deveria se machucar!

- Sim. - Respondeu rapidamente, ignorando a cara confusa de Baekhyun.

 

(...)

 

Os dias se passaram rápido de mais, o incomodo no peito de Chanyeol crescia rápido de mais. Amanhã seria o dia no qual Baek iria viajar, no qual sua vida iria mudar completamente, e também, no qual Chanyeol chegaria no aeroporto com olhos inchados e olheiras de tanto chorar.

Ele teve enormes chances de se declarar, mas não fizera. É, caros leitores, ate eu mesma estou indignada com isso. Ele não deveria ter criado mais lembranças, não mesmo. Seu amor por Baek só aumentou. Só aumentou ao lembrar do bico emburrado, porém fofo, do amigo; só aumentou ao lembrar de que nunca mais discutiria sobre coisas idiotas, como o outro é melhor como support do que como ADcarry e vise versa. Chanyeol estava arrasado.

Ele podia sentir a depressão vindo, e com a depressão, a coisa mais idiota que ele pudera fazer também. Se confessar hoje. Justamente hoje.

Chanyeol estava do lado de Baekhyun a tempos, esperando o avião do menor decolar. Em um ato de coragem, ele começou.

- Baek.. - Falou meio receoso. -

Huh? - Baekhyun o encarou, ainda não entendia o motivo do amigo estar de óculos escuros.

- Eu te amo. - Chanyeol tirou os óculos. Baekhyun arregalou os olhos, não esperava aquilo. Alem de ser recíproco, estava sendo errado. Seria torturante se os dois namorassem mas um morasse longe. Seria mais torturante do que todos esses anos redimindo esse sentimento.

- O quê? Chanyeol, você está péssimo.. - Baekhyun encostou os dedos gélidos e tremulos na bochecha de Chanyeol

. - Eu te amo, Byun Baekhyun. Não contei antes por medo, medo que se afastasse depois disso. Mas eu percebi, percebi que talvez eu não tenha outra chance. - Suspirou. - Sei que estou me magoando, e que talvez isso nem seja recíproco.

- Chan.. - Baekhyun não pode terminar, Chanyeol o interrompeu.

- Você acredita na teoria do Big Bang? Bem, eu não. Mas.. as vezes eu penso que, quando alguém se apaixonada, ocorre um Big Bang único ao redor da pessoa. Tipo, criando um mundo novo.. mais apaixonado; essas coisas. - Sorriu. - Baekhyun, você foi a primeira pessoa a me fazer sentir uma enorme explosão ao meu redor. Uma pequena explosão no qual refez meu mundo, porque eu me sinto mais feliz. Porque eu me sinto mais completo.. porque.. porque você ainda está aqui. E mesmo que meu mundo se desaba em uma grande explosão também, eu queria ao menos falar isso. - Soltou o ar no qual nem sabia que estava prendendo.

Baekhyun queria sorrir, chorar e gritar. Porém, seu voo foi chamado. E Baekhyun percebeu: Não daria certo. Não era unilateral, ambas partes iriam se machucar.

Baekhyun levantou de sua cadeira, não queria demonstrar que amou aquelas palavras. E sem olhar para trás, começou a andar. Chanyeol ficou estático, esperava pelo menos algo do menor.

- Baekhyun?! - Ele se levantou, segurando no pulso do mesmo.

- Me solte. - Tirou a mão de Chanyeol do seu pulso.

- Não posso perder o voo. - E começou a andar, mas antes, em um sussurro inaudível, ele suspirou um "Eu também te amo".

Ambas partes demoraram de mais para perceber que já tinha passado a hora de se confessar. Ambas partes sentiram um Big Bang pessoal acontecer, aonde ambas partes sentiram seu mundo explodir.


Notas Finais


Bem, é a primeira vez que tento escrever assim só.

Espero que não achem tão vergonhoso como eu acheikkkkkkkkkkkkkkk

mas, iai, gostaro?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...