História Bipolar Boss|Park Jimin| - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin
Visualizações 440
Palavras 888
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aqui está mais um imagine, dessa vez com o nosso ChimChim. Espero que gostem. Favoritem e comentem o que acharam que a girl aqui vai ficar muito feliz.
Obrigada @SavePataJoyce pela capa do imagine, ficou linda.

⚠Autoria de Pequeno Mundo das Armys//tenho permissão para postar aqui, se você começou a ler essa fic agora, leia esse aviso ou a sinopse inteira⚠


Boa leitura♡

Capítulo 1 - I-Primeiro


Fanfic / Fanfiction Bipolar Boss|Park Jimin| - Capítulo 1 - I-Primeiro

Primeiro-l

S/N on.

Está na hora de você trabalhar. Precisa arrumar um emprego. Precisa ser alguém na vida.


Essas são as típicas frases de pais.


Até certo ponto, eles estão certos, mas em outros não.


Sempre dá aquela preguiça de procurar um emprego, saí enviando tudo que é currículo e quando chega no final. Ainda continua sem emprego.


Sempre queremos tudo em nossas mãos, mas chega um ponto em que temos acordar para a vida.


Meus pais não ligaram muito por eu está desempregada, pelo menos não à dois dias atrás.


Existe aquela frase. "Se quer bem feito, faça você mesmo".


Até ontem eu não acreditava muito nisso, até meus pais chegaram dando uma notícia "maravilhosa".


-Arrumamos um emprego para você!-diz meu pai contente.


-O seu chefe tem a mesma idade que você. Ele é lindo, fofo, rico e lindo novamente.-em seguida fala minha mãe pulando de alegria. 


E sempre tem aquela reação.


-O quê!?-digo desacreditada.


E no final das contas você acaba aceitando de tanto que insistiam. Lógico. Depois de umas brigas ali e aqui, no final está tudo resolvido.


-Vocês sabem muito bem que eu não quero trabalhar agora.-o que era fato, ainda não estou preparada para uma enorme responsabilidade. 


-Você precisa ser alguém na vida.


-Eu sou alguém na vida.


-Não é não. Prepara sua mala que você vai viajar junto com ele.-ela só pode está ficando louca.


-O quê? Viajar? Pra onde?-Meus pais não pensam direito na hora de me arranjar um emprego. 


-Coréia do Sul!-e o país  no outro lado do mundo. Escolheram muito bem.


-Viajar com o meu chefe sendo que ainda não é meu chefe.


-Sim. Conversamos com ele hoje e disse que a partir de hoje você trabalha pra ele.


-E ele é o quê?


-Esquecemos de perguntar isso à ele.-ok, fica calma  S/N pra não falar nenhuma besteira. 


-Não acredito. E se ele for um traficante de mulheres?-era meu fim.


-Ele me deu esse cartão. Liga e vê aonde ele trabalha.-diz minha mãe me dando o cartão com seu número. 


Peguei o cartão da mão dela e comecei a discar.

-Empresa BueWater, o que deseja?-acho que é  alguém na recepção. 


-Qual é o ramo da empresa de vocês?


-Jogos.


-Quem é o dono?


-Park Jimin.


-Obrigada.


Desligo e encaro meus pais que me encaravam de volta.


-Então, ele trabalha com o quê?- pergunta minha mãe curiosa. 


-Ele é dono da BlueWater.


-Aquela empresa de jogos na Coréia?-questiona meu pai.


-Sim.-afirmo.


-Arruma sua mala e vai encontrar seu novo chefe.-que amor em, vou me lembrar disso depois.


•••


Depois de alguns minutos, minha mala já estava pronta e eu já estava no aeroporto. Sai a procura desse tal Park Jimin até que finamente o achei.


-Você deve ser a garota cujo os pais imploraram tanto para eu conseguir um emprego a você.-diz meu chefe Jimin.


- Infelizmente sim.


- Você será minha secretária q partir de agora.


-Certo.


-Mas antes você precisa passar por um teste.-estava bom demais para ser verdade. 


-E qual seria?


-Seja útil. Anote tudo o que eu falar que é para anotar. Busca tudo o que mandar. Se fizer alguma coisa errada está demitida.


-Certo.


-E só fale quando eu mandar.-credo, que homem mais chato.


- ...


-Entendeu?


-...-Não respondo.


-Por quê não vai me responder?


-Por quê não me deu permissão pra falar.


-Eu mereço. Vamos logo.


Comprei a passagem e ficamos esperando até o embarque.


Ele se sentou ao lado da janela e eu precisei sentar junto à ele.


Naquele momento eu comecei a suar frio. Nunca gostei de avião pelo simples fato deles caírem. 


-Não podemos ir de carro pra lá?-pergunto com medo.


-Não tem como.


-Não tem outro meio?-não perca as expectativas S/N, diga que sim por favor.


-Não, por quê?


-Nada.


-Não me diga que tem medo de voar?-droga!


-Eu? Imagina, amo voar.-sou péssima para mentir.


Quando o avião começou a andar, agarrei no assento e fiquei apertando com toda minha força.


-Eu sou chefe, preciso saber dos seus medos.


-Pra quê? Pra falar o quanto sou fraca?


-Pra te ajudar a superar.-cadê aquele moço chato de agora a pouco?


Ele estendeu a sua mão e eu fiquei encarando sem entender nada até que ele disse para segura-la.


Logo que o avião levantou vôo, Jimin soltou minha mão e começou a ler alguns papéis.


-Deve ser cansativo pra você.-puxei assunto com ele, só não sei se foi o certo. 


-Por quê?


-Ainda é jovem e precisa ter responsabilidade para gerenciar uma empresa, ainda mais uma famosa.


-Nascemos para seguir a carreira dos nossos pais, então dês de criança somos obrigados até responsabilidade.


-Acha chato?


-Não. Tive sorte de meu pai trabalhar em uma empresa de jogos.


-Gosta de jogos?


-Sim, principalmente da Nitendo.


-Mesmo assim, não prefere seguir seus sonhos?


-Meu sonho é esse. Quem deu permissão de você falar?-e voltou o Jimin de antes.


Ele é bipolar?


-Eu?


-Vai buscar um suco pra mim.


-Certo.


Peguei um suco e depois dei a ele.


Ficou lendo e relendo aqueles papéis e só de olhar já estava ficando com dor de cabeça.


•••


Como não tinha muita coisa pra fazer, fiquei olhando em volta até que começamos a passar por uma turbulência.


-Eu vou morrer!-dei um grito.


Fechei os olhos e apertei o assento.


Sinto uma mão em cima da minha e quando abro os olhos percebo que era a dele.


Ele segurou minha mão e o trajeto inteiro ficamos assim.


Com certeza ele é bipolar.


Não sabia por qual motivo, mas ficar de mãos dadas a ele me acalmou muito.



Continua...











Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...