História Birthday Boy - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, Lay
Tags Atrasadatour, Chanlay, Chanxing, Happychanyeolday
Exibições 90
Palavras 3.243
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu deveria estar me concentrando em escrever as fics pro concurso, mAS VOCÊS VIRAM AQUELE PEDIDO DO CHANYEOL PRO YIXING???? NÃO ME AGUENTEI
Esse plot ficou me perseguindo até sair, e eu quase morri quando FINALMENTE eu terminei ele.

Estou na atrasada tour pelo aniversário do Happy Virus, mas a fic, querendo ou não se passa depois disso mesmo :v
É isso

Capítulo 1 - Capítulo Único


ChanYeol não pensou em momento algum que, um pedido tão inocente quanto o que tinha feito para o amigo, poderia desencadear algo tão grande quanto aquela situação.

Seu aniversário já havia passado há alguns, mas desde pequeno, ele sempre foi o tipo de pessoa que gosta de comemorar a data o mês inteiro. Cada ano ele planejava coisas diferentes, e ter vários amigos, como era o caso, ajudava na questão de ter várias opções de diversão.

Aquele ano ele resolvera que, na semana de seu aniversário, passaria um dia com cada amigo e consideraria isso seu presente pessoal de cada um. Ele se contentava em ligar na noite anterior para a vitima da vez e, com apenas uma frase informava que passariam o dia inteiro juntos e ainda dizia, calma e pausadamente um “me surpreenda”, que poderia soar deveras suspeito a qualquer um que ouvisse.

Foi assim com BaekHyun que, depois de muitos palavrões e ameaças que o mais novo não entendeu metade, concordou em levar ChanYeol  para sair mesmo que tivesse de desmarcar seu encontro com TaeYeon. Eles eram melhores amigos afinal, e sua namorada entenderia. Foram, então, a um restaurante que ChanYeol  sempre dizia querer poder entrar quando passavam em frente, mas que nunca tinha oportunidade ou apenas esquecia mesmo.

Aquela noite ChanYeol havia ficado extremamente feliz pelo amigo ter lembrado de tal fato, mesmo que ele próprio vivesse esquecendo, e comeu tanto que só voltou a se sentir confortável de novo quando já estavam no carro e ele pode, finalmente, folgar o cinto que segurava sua calça jeans no lugar.

A última vez, fora a vez de sair com SeHun. O mais novo decidiu por algo simples, mas que seria divertido para os dois, considerando que conhecia ChanYeol há tempo suficiente para saber que ele era uma criança num corpo grande. Os dois foram a um parque de diversões, onde passaram a noite praticamente inteira, em meio a risadas e busca por comidas.

ChanYeol ganhou algumas prendas de SeHun, como era o caso daquele urso de pelúcia rosa e gigante que agora ficava em cima de sua cama. Saíram para beber depois daquilo, e as risadas soltas viraram declarações de amizade, agradecimentos intermináveis da parte do mais velho, e algumas lágrimas de emoção e alegria que nenhum dos dois conseguiu conter quando se abraçaram apertado no final da noite.

Porém, aquele dia em questão seria, tecnicamente, o último que ChanYeol comemoraria seu aniversário. O único que seria celebrado depois de passar a data, e isto se devia ao fato de que o responsável por si aquela noite havia voltado de viagem há pouco tempo.

YiXing era, quase sem sombra de dúvidas, a pessoa favorita de ChanYeol em todo o mundo. Mesmo que não conhecesse o mundo inteiro, e não incluísse sua mãe e irmã mais velha na contagem, até porque elas eram sua família e seria injusto com todo o resto, ele tinha plena certeza de que jamais encontraria alguém como o chinês. YiXing era carinhoso, gentil, talentoso e extremamente bonito, e ChanYeol vivia fazendo questão de enumerar todos os motivos que o faziam admirar o mais velho, mesmo que este nunca acreditasse em uma palavra sua sequer.

O rapaz estava ansioso por poder passar aquele dia com YiXing. Era a primeira vez em meses que sairiam, e só os dois ainda por cima, aquilo era realmente um fato raro e que por si só já se tornava memorável. Ele ainda se lembrava dos arrepios que subiram por sua nuca quando o mais velho o ligou na noite anterior, resmungando com a voz arrastada o quão injusto ChanYeol era por ainda não ter passado um dia que fosse consigo em motivo de seu aniversário, e o mais novo não teve como argumentar quanto a viagem do chinês quando este disse que o esperaria em seu próprio apartamento no dia seguinte.

Talvez ele estivesse se arrumando demais para ficar no apartamento de YiXing, mas era inevitável visto que a ansiedade em rever o mais velho, junto com a expectativa do que ele poderia ter planejado para aquela noite, o faziam ficar ainda mais agitado que o normal. ChanYeol queria, acima de qualquer coisa, agradar YiXing, por mais tolo que aquilo pudesse parecer.

 

 

 

ChanYeol sentia suas mãos suarem, e aquela sensação de palma úmida e dedos pegajosos o davam agonia, então com uma freqüência incomoda ele esfregava as mãos nos jeans que usava. Todo o caminho até o apartamento de YiXing fora angustiante, levando em conta que a cada esquina que o táxi dobrava, ele sentia que estava cada vez mais perto de ter um ataque cardíaco.

Agora estava ali, sentado no sofá da sala, enquanto aguardava o mais velho que havia dito precisar buscar uma coisa na cozinha. Ele não conseguia ver o chinês de onde estava, mesmo que ainda conseguisse ouvir a voz dele cantarolando uma música animada, de forma abafada e um pouco distante, por causa das paredes que dividiam os cômodos.

Se antes ChanYeol achava que havia exagerado na hora de se arrumar, agora ele se arrependia de não ter ficado alguns minutos a mais em frente ao espelho avaliando melhor as opções de roupas que tinha. Quando chegou ao apartamento do mais velho, ele quase sentiu a própria alma largar-lhe o corpo e correr em círculos pelo hall de tão absurdamente bonito YiXing estava aquela noite.

Claro que o rapaz já era naturalmente bonito, mas ter viajado, claramente, lhe fez bem. Ele estava com um ar mais saudável, sem as preocupantes olheiras que vezes sem conta ChanYeol já havia visto lhe marcando o rosto, e o cabelo naturalmente escuro e mais curto nas laterais ajudavam a dar a impressão de delinear seu rosto. O mais novo se sentia sem ar observando o chinês lhe sorrir de forma afável e mostrando as covinhas que possuía nas bochechas, enquanto estava usando aquela camisa branca que deixava parte de suas clavículas a mostra.

ChanYeol achava que YiXing era a contradição em pessoa.

Seus pensamentos saíram das coxas do mais velho, que estavam tão bem marcadas no jeans escuro que usava, delineando os músculos firmes e fazendo suas mãos formigarem na vontade de poder apertá-las, e voltaram para o presente momento quando ouviu YiXing falando mais claramente conforme se movia em direção a sala. Em uma de suas mãos ele carregava um pequeno cupcake com uma única vela acesa em cima e, na outra mão, trazia o que parecia ser uma garrafa de soju.

Ótimo, porque a última coisa que ChanYeol precisaria agora seria ficar bêbado perto da pessoa de quem gostava, com o detalhe de não ter mais ninguém para que pudesse distraí-los quando o clima ficasse estranho demais.

- Bem, como não vou conseguir te levar para sair – o mais velho começou falando pausadamente enquanto colocava as coisas que carregava na mesinha de centro, e se sentava no chão indicando que o maior fizesse o mesmo – me deixe ao menos te dar um bolo, já que não pude estar aqui no dia do seu aniversário.

- Não precisava. – YiXing sorriu, e o maior desviou o olhar para o cupcake que estava na sua frente – Agradeço só por ter me chamado para vir aqui.

- Certo. Agora faça um pedido, acho que eles ainda valem mesmo depois da data. – eles riram um pouco e logo ChanYeol fechou os olhos para fazer seu pedido de desaniversário. Logo que assoprou a velinha, o mais novo sentiu os lábios cheios de YiXing em seu rosto num selar demorado.

Seus olhos se fecharam de novo, mas agora com mais força que antes, e sua pele começou arrepiar de levinho quando os lábios de YiXing foram de sua bochecha para o maxilar sem tirar o contato com sua pele, apenas diminuindo a pressão e causando certa cócega com sua respiração quente. Uma das mãos de ChanYeol, que estava em cima da mesinha, procurou a do mais velho que ele lembrava estar ali mais cedo e, quando a encontrou, ele não soube dizer de quem fora a iniciativa de entrelaçar os dedos.

O nariz de YiXing encostava na divisa entre seu rosto e o inicio do pescoço, sua boca soltando a respiração, tão quente e úmida, de encontro com a parte que a camiseta do mais novo não cobria fazendo os arrepios aumentarem de intensidade. A mão do mais velho, que não segurava a de ChanYeol, foi levantada até os cabelos deste na altura da nuca e deu leves puxões, numa espécie de carinho estranho, e ele voltava a selar o rosto do maior incontáveis vezes, ameaçando descer para o pescoço dele.

- YiXing. – o maior falou, mesmo que não tivesse nada para falar exatamente, e apertou mais forte a mão do chinês como se para provar para si mesmo que aquilo era real, e não apenas sua cabeça lhe pregando peças.

- Adoro seu cheiro. – o chinês falou e, mesmo que notasse certo riso na voz dele, ChanYeol ainda soube que ele falava sério. Suas testas se encostaram e ele pode ver de perto o sorriso que o outro mantinha nos lábios, tão rosados e bonitos com o contorno bem feito, deixando os olhos do maior pesados pela aproximação e por estar, também, tão concentrado em um ponto especifico. Seu nariz se encostou ao de YiXing, numa leve caricia que fazia seu estômago revirar e o leve sorriso do mais velho ir sumindo gradativamente.

ChanYeol achou que, aquele seria o momento perfeito para quebrar a distância que ainda existia entre eles e deixar que os lábios se encostassem, como muitas vezes ele já havia fantasiado. Ele sentia sua garganta seca e o aperto da mão de YiXing em seus cabelos aumentar gradativamente, e tudo ali conspirava a favor do seu próximo movimento, mas foi se mover para mais perto do chinês, quase sentindo o toque leve de seus lábios, que este virou o rosto fazendo com que ChanYeol encostasse a testa em um de seus ombros enquanto ria amargurado.

Toda vez era igual. Era estar perto de YiXing, sentindo o toque úmido de sua respiração contra seus lábios e quase o beijando, que o chinês se afastava e mudava de assunto, muitas vezes rindo constrangido ou apenas dizendo que aquele não era o momento, que os outros poderiam ver ou porque estavam em um local público. Mas naquele momento, estando somente os dois na sala de estar do mais velho, ChanYeol não entendia o porque de não poder fazer tudo o que sempre quis e acabava ficando frustrado consigo mesmo, principalmente por não conseguir acalmar aquela palpitação irritante no coração.

- Quero te dar um presente de aniversário. – o mais velho falou baixo pela aproximação dos dois, e ChanYeol não pode deixar de querer rir da própria desgraça por ter YiXing desviando o assunto deles novamente. O mais alto esfregou a testa contra o tecido da camisa alheia e aproveitou para sentir o cheiro que desprendia da pele do outro, logo resmungando qualquer coisa antes de voltar a erguer a cabeça e perder qualquer contato que tinha com YiXing – Então faça um pedido do que quer, e eu tentarei conseguir.

Havia muitas coisas que ele gostaria de pedir, mesmo que insistisse em dizer que não queria e nem precisava de nenhum tipo de presente, material ou não, internamente ele era apenas mais uma criança grande demais que adoraria ser mimada. Porém, aquele momento, todos seus sentidos estavam tão inundados pelo mais velho que, tudo o que ele conseguia pensar envolvia YiXing, seu toque, seu cheiro e até seu gosto. Ele sabia que não poderia pedir nada que fosse muito além dos limites do outro e, pensar que apenas por estar perto do chinês ele já se sentia pleno, o pedido saiu de seus lábios sem que pensasse muito.

- Quero que dance pra mim.

YiXing não respondeu, apenas sorriu de lado e concordou com um aceno de cabeça enquanto ficava em pé e mandava o mais novo se sentar no sofá. Ele retirou o que tinha posto em cima da mesinha de centro e a empurrou para o canto da sala, a fim de deixar o centro livre para que pudesse fazer os movimentos sem que quebrasse nada. ChanYeol voltou a se sentir ansioso, pois ele não pensava que o mais velho fosse realmente acatar seu pedido, já que imaginava que ele apenas riria de si e diria para que parasse de brincadeiras e falasse a serio o que queria.

Seus olhos seguiam a silueta do mais velho a cada movimento que ele fazia até o interruptor da sala, ajeitando a luz para que ficasse mais baixa, e dali para o rádio com o intuito de escolher a música apropriada para o momento. ChanYeol sentia seu estômago revirar e o ácido lhe subir pela garganta deixando sua boca amarga e, mesmo que tentasse a todo custo controlar a ansiedade que lhe acometia pelo momento, era inevitável que o nervosismo se fizesse presente apenas por cogitar receber uma apresentação particular daquele que tanto admirava.

A música começou a preencher o ambiente, lenta, ritmada e um tanto sensual. YiXing se virou de frente para ChanYeol, o olhar sério e concentrado mesmo que um sorriso leve se desenhasse em seus lábios. O mais velho se posicionou no centro da sala e começou a mover o corpo junto com a batida que ressoava pelas paredes da sala, os passos fluidos e marcantes deixando o maior encantado com o que via. Sempre que tinha a oportunidade de ver YiXing dançando uma soma de sentimentos diversos lhe invadia, mas aquela vez era como se tudo se tornasse muito mais intenso, e o sentimento era recíproco dos dois lados.

A velocidade dos movimentos variava, indo de ágeis para extremamente lentos e provocativos, mais vezes do que ChanYeol poderia contar. Seus olhos não conseguiam se fixar em somente uma parte do corpo a sua frente e, a cada segundo que passava, ele se sentia ainda mais desconfortável dentro da própria pele. Estava tudo muito quente, e as roupas que usava apenas pioravam tudo, deixando-o sufocado e a situação para si mesmo apenas piorava a cada movimento de quadril que YiXing fazia de forma precisa.

O mais não havia bebido uma gota de álcool sequer, mas a presença do mais velho o embebedava e deixava sua mente nublada, e tudo só piorou quando ele se aproximou de si, ainda dançando, e colocou uma das pernas apoiada ao lado da coxa de ChanYeol. O joelho do mais velho, ao lado de sua perna, afundava o estofado e causava uma fricção com o corpo do maior a cada movimento cadenciado que ele ainda fazia.

Perto da forma que estava, ChanYeol conseguia sentir o cheiro que desprendia dele, e visualizar as pequenas gotas de suor que se acumulavam nas têmporas do mais velho pelo esforço que ele fazia. Apesar de não estar se movimentando em absoluto, o maior se sentia suar pela excitação que lhe subia em ondas de calor até que seu rosto estivesse afogueado, e isto causasse um riso em YiXing, que ainda dançava como se nada estivesse acontecendo e ele não tivesse notado a forma bagunçada que estava deixando o mais novo.

As mãos do chinês se apoiaram nos ombros de ChanYeol quando ele apoiou o outro joelho no sofá, ficando completamente acima do mais novo, mas ainda a uma distância considerável para que conseguisse manter os movimentos cadenciados que fazia anteriormente. Seus dedos se perderam nos cabelos rubros do maior e o fez apoiar a cabeça no encosto do sofá, enquanto sua boca encostava no pescoço dele em um beijo úmido e seu quadril se encostava ao dele, tanto pelos movimentos da dança quanto pelo ato de ter-se sentado em cima dele.

Ao sentir o peso do mais velho sobre o próprio corpo, ChanYeol abriu os olhos que não havia percebido ter fechado, e os focou no mais velho que ainda rebolava sobre si. Suas sobrancelhas estavam franzidas em concentração, mesmo que há muito ele tivesse perdido o ritmo da música que ainda tocava em um looping sem fim, os lábios entre abertos soltando a respiração quente em golfadas como se estivesse em uma maratona, e os dedos que ainda mantinha nos cabelos do maior puxavam os fios deste, como se ele não conseguisse mais conter o sentimento que o assolava tanto quanto ao mais novo.

ChanYeol se ajeitou no sofá, desta forma deixando o corpo mais próximo ao do mais velho, sua própria respiração ofegante o suficiente para que ele já começasse a ficar zonzo com a troca de ar carbônico. Suas mãos se fixaram nas coxas do mais velho e, com um apertão que rendeu um resmungo meio miado vindo do chinês, o ajeitou em seu colo logo começando por si mesmo a movimentar-se numa espécie de dança cadenciada. Nenhum dos dois sabia mais o que estava fazendo, a única coisa clara entre os dois sendo a vontade de querer mais um do outro, até que estivessem completamente satisfeitos.

- Me beija. – a voz do mais novo saiu mais rouca que o normal quando falou contra os lábios de YiXing. Uma de suas mãos agora na cintura do mais velho, auxiliando-o nos movimentos que ainda fazia, e a outra que permanecia na coxa dele dando-lhe apertões constantes apenas para sanar a vontade que sempre teve de ter tudo do mais velho.

YiXing não respondeu com palavras, mas inclinou o rosto em direção ao de ChanYeol e prendeu o lábio inferior deste entre os dentes puxando-o até que lhe escapasse, logo então beijando-o da melhor forma que conseguia. Sua boca era quente e ágil, como todos seus movimentos, mas era gentil ainda que o desejo fosse palpável entre eles. ChanYeol se sentia vibrar por finalmente estar sentindo o gosto do mais velho na própria língua como há muito desejava, e o ter tão perto e entre seus braços, era o melhor presente que já pensara poder receber aquele ano.

Suas mãos apertavam a cintura de YiXing por baixo da camisa dele e o puxavam mais para seu corpo, mesmo que eles já estivessem com os peitos colados e ChanYeol estivesse praticamente deitado no sofá para acomodar melhor o corpo do mais velho acima de si. Seus lábios se separaram com alguns selos, apenas para que não se afastassem de uma vez, quando a música parou o que causou estranhamento no mais velho, já que ele havia programado o rádio para que continuasse tocando. Ele sentou-se novamente, fazendo ChanYeol reclamar pela falta de contato, e olhou em volta constatando que tudo estava em completa escuridão, causando-lhe um riso por notar que a luz havia acabado.

Estava tão entretido em ChanYeol que não perceberia jamais o que se passava ao seu redor se a música não tivesse parado. E, se a luz não houvesse acabado, YiXing não queria pensar até onde iria com o mais novo considerando o tamanho da excitação dos dois. Ele riu mais um pouco, logo sendo acompanhado pelo maior que, agora que havia passado todo o calor do momento, sentia-se ficar constrangido por ser tão responsivo quando se tratava de YiXing mesmo que uma alegria sem tamanho ainda lhe invadisse o peito, fazendo um sorriso cheio de dentes manter-se quase intacto em seu rosto.

- Feliz aniversário, ChanYeol.

YiXing disse, rouquinho e manso como somente ele sabia, e deitou a cabeça no ombro do mais novo apenas para aproveitar mais um pouquinho do calor do outro. Talvez algo, finalmente, surgisse depois daquilo tudo e ele torcia internamente para que sim. 


Notas Finais


Nunca escrevi nada assim e to me tremendo de medo de ficar ruim TuuT
Se floppar a gente finge que não houve nada e vida que segue.
Edgar, espero que tenha suprido suas expectativas kkk

Até a proxima


PS: MUITAS PALAVRAS DX


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...