História Bitch-chan - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 15
Palavras 1.013
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mil desculpas pela demora. demora essa que me fez esquecer como se escreve :p
Espero que gostem e desculpem qualquer erro.

Capítulo 2 - Age of bitch-chan


Fanfic / Fanfiction Bitch-chan - Capítulo 2 - Age of bitch-chan

1 ano e meio atrás...

Aterrissei no tatame. Desequilibrei-me um pouco, o que me fez dar um pulinho para frente.
 Notei pelo canto do olho que Tetsuya Kento me observava com um leve sorriso em seus lábios. Olhei para frente tentando conter um risinho que se formou em minha boca.

Tetsuya-kun se preparava para iniciar sua série no cavalo de alças. Seus braços são musculosos, mas por ser asiático, não são tão grossos.
 “uma simples descrição para ele seria: Gatão ele.”

Ao finalizar seu treino Tetsuya-kun caminha em minha direção e meu coração acelera um pouco. Ele para ao meu lado. Pega uma garrafa d’água e se senta. Tento me concentrar em meus pés. 
Talvez seja a adrenalina, ou talvez eu só quisesse muito fazer isso há tempos.
Voltei meu rosto para ele, disposta a elogiá-lo ou algo do tipo, só pra iniciar uma conversa. Me assustei ao perceber que ele estava me olhando.
Minha boca estava entreaberta. Percebi que ele também levou um leve susto quando nossos olhos se encontraram. Não podia desistir agora.

- Parabéns pela série-“Jesus eu falei certo.”

-Obrigado...-Doce e glorioso silêncio constrangedor- vem treinar amanhã?
” Cê não me elogiou palhaço que audácia”

-Vou.

-Até amanhã.

-Até - “ me segura Jesus eu tenho um encontro”.

Treinamos juntos no outro dia. Só nós dois. Conversamos bastante. Sim. Fazíamos isso às vezes.

                                                                                                 ------x------

Nana se sentou ao meu lado na arquibancada.

-Ele está olhando pra cá- Me voltei para onde ela estava apontando. Tetsuya-kun estava de pé em frente a alguns garotos da equipe de ginástica.  Lancei um sorriso malicioso quando nossos olhos se encontraram. Ele retribuiu.

-Vai para festa hoje?- perguntou Nana quando me voltei para ela novamente.

-Claro. Mas não vou ficar muito tempo.

-Claro. 

                                                                                                 ------x------

         Estava no meio da pista de dança. Tetsuya-kun me puxou para mais perto dele. Ele mordeu a ponta superior da minha orelha.

-Vamos sair daqui?

-Meus pais não estão em casa.

-Ótimo.

                                                                                              ------x------

Chegamos na minha casa. Meus pais estavam trabalhando. Só chegariam amanhã. Fomos para meu quarto.

-Espere um pouco. - Fui até a escrivaninha. Abri a gaveta. Guardei meus brincos. Apertei o PLAY.

Me aproximei da cama, onde Tetsuya-kun já estava acomodado. Sentei com o joelho na cama fazendo com que suas pernas ficassem entre as minhas. Ele segurou minha cintura com uma das mãos e com a outra levantou minha camisa e beijou minha pele exposta.

-Por que não fazemos um jogo?-propus

- Que tipo de jogo?

-Damas.

-Damas?!

-É... Daquele tipo divertido- sussurrei beijando  seu pescoço.

-Tá.

Ele perdeu. Fui até a escrivaninha. Guardei o jogo. PAUSA. Fui para a cama onde ele estava deitado. Completamente despido. Sorri lembrando que a culpa era minha. Sentei sobre seu quadril. Ele levantou e beijou minha clavícula. Senti sua empolgação, separada de mim apenas por minha calcinha.
Seus dedos subiram pelas minhas costas chegando até o feixe do meu sutiã. Ele o abriu. Desceu as alças lentamente enquanto passava as mãos pelos meus braços. Meus pelos se eriçaram. Ele tocou levemente a ponta do meu mamilo com o dedo. Soltei um gemido fraco.
Coloquei as mãos em seus ombros e o empurrei para trás, deitando por cima do seu corpo. Beijei-o intensamente, sentindo suas mãos apertarem minhas nádegas.
Em um movimento rápido, ele mudou nossas posições e se colocou entre minhas pernas sem interromper o beijo. Suas mãos desceram por minhas coxas. Senti minha última peça de roupa ser levada. GAME OVER.

                                                                                               ------x------

Estava na sala de equipamentos. Já fazia uns 10 minutos que escutara o toque anunciando o fim das aulas. Nana estava sentada sobre uma pilha de tatames. Me acomodei entre suas pernas. Ela se inclinou para frente alcançando minha boca. Ela mordeu meu lábio inferior e eu apertei seu quadril.
Ouvi o barulho de algo caindo no chão. Voltei meus olhos em direção à porta e vi Tetsuya-kun nos encarando perplexo. Notei que o som foi causado por um saco de bolas de tênis que o mesmo acabara de deixar ao lado da porta.
Antes que eu pensasse em algo, Tetsuya-kun balançou a cabeça com a boca entreaberta e saiu do recinto em passos apressados, mas não correndo. Olhei boquiaberta para Nana.

- Vá atrás dele- disse ela apontando para a porta. Peguei minha bolsa e saí correndo.

Alcancei-o quase no portão de saída do colégio.

-Tetsuya-kun- falei segurando seu braço. Em um movimento brusco ele afastou minha bolsa. “Droga! Ela estava aberta”.

Fotos se espalharam pelo chão. Ajoelhei-me para pegá-las, mas Tetsuya-kun foi mais rápido.

- Mas o qu...- começa ele – então foi pra isso o jogo de damas!?- “ai meu deus, o que eu faço”.

Ele estava apontando a fotografia para mim. Devia ter percebido algo escrito atrás.

- Você iria vender?! Sério? Você é doida?!

- Olha, se eu fosse você não contaria a ninguém. Isto está salvo no meu computador. - falei enquanto me levantava. Ele jogou a foto em mim e foi embora.

                                                                                               ------x------

- Já faz três dias. Ele não falou nada. - falou Nana enquanto caminhávamos em direção à minha casa- aliás, você já se desfez das provas. Mesmo que ele conte, tá suave. - completou ela ao entrarmos na minha rua.
Vi dois carros. Um deles, identifiquei como pertencente aos meus pais.

- Então por que tem um carro de polícia na frente da minha casa?

- Foi bom te conhecer- falou Nana e saiu correndo. “ beleza, o que de pior pode acontecer? Eu só tenho 14 anos”.

                                                                                               ------x------

A viatura era de um amigo dos meus pais. Eu havia vendido as fotos de Tetsuya-kun a uma menina de outra escola. Por coincidência, “a vinhada” era vizinha dele. Armaram pra mim. “ Era cilada bino”.

Como punição meus pais me obrigaram a mudar para um colégio nos EUA, onde eu morarei em um dormitório.
Mas antes, me fizeram passar um semestre em um presídio. De verdade. Tá explicado a viatura. Nem preciso dizer que a experiência não foi uma das melhores. Acho que vou começar a ser mais colegial japonesa do que bitch-chan. É melhor que ser presa.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...