História Bitch, I'm Jauregui (Camren e Laurinah) - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Ashley Benson, Austin Mahone, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Babycamren, Babylaurinah, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane, Lauren Jauregui, Laurinah
Exibições 843
Palavras 1.328
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hei era pra eu ter postado ontem no embalo, mais ficou capitulo alvo no pc do trabalho. Espero que gostem desse...

La em baixo tem link de uma fic que comecou agora mais ja amo pra caralho, é da mesma escritora de Ascencion, espero que gostem pq quero gente pra pirar comigo lendo ela.

Capítulo 40 - Dívida


Camila

 

Sai do banho e olhei rápido pelo quarto percebendo que Verônica não estava, assim como imaginei. Fiquei feliz por perceber que ela era igual a mim e que com certeza teríamos mais momentos desse em breve. Percebi um pequeno bilhete e algumas notas e não deixei de sorrir ao perceber que eu não teria de ir a procura dela, pois ela deixou seu numero.

 

Sai do quarto pegando minhas coisas e logo ligando pra um taxi, afinal minha noite ainda não tinha acabado e eu precisava ir pro bar pegar meu carro e quem sabe ainda encontrar outra companhia já que mesmo que Verônica tenha me cansado, eu estava a muito tempo sem sexo e precisava por isso em dia.

 

Mal cheguei no bar e vi outra garota bem interessante, mais assim que olhei mais de perto percebi ser ninguém mais que Keana, rolei os olhos quando percebi que ela vinha em minha direção.

 

Pelo seu andar percebi que ela já estava meio ligada e pedi logo a bebida mais forte, afinal eu precisava de muito álcool pra aguentar ela ao meu lado. Logo ela chegou próxima a mim e se jogou em meus braços, tive de ser rápida pra me equilibrar ou íamos pro chão.

 

- Camila, eu achei que não ia mais te ver, você nunca me procurou, que sorte a minha te achar aqui.

 

- Olá Keana. Eu estava um pouco ocupada esses dias. Realmente foi uma sorte. – Falei tentando esconder toda minha ironia, afinal eu não estava com saco pra ver ela desde aquele bendito dia.

 

- Mas agora que eu te encontrei, você não me escapa Camilinha...

 

Antes que eu respondesse algo ela atacou meus lábios e senti o gosto de álcool forte, no entanto por mais que ela beije bem eu realmente não estou no clima, mais correspondi, afinal ela é muito gostosa e isso não posso negar.
 

Nos beijamos por algum tempo e vez ou outra percebia ela tenta algo mais me tocando e esfregando seu corpo ao meu, desgrudamos nossos lábios e ela avançou em meu pescoço dando algumas mordidas mais meu corpo não regia de maneira alguma, a afastei um pouco de mim colocando um sorriso falso no rosto.

 

- Acho melhor pararmos, eu tenho de ir embora, amanha, ou melhor mais tarde tenho de trabalhar. – Ela me olhou de maneira estranha e deu sorriso cínico que eu não gostei nada.

 

- Oh Camila, não precisa se fazer de difícil nem de santa, ambas sabemos que você é igual a mim, não venha dar uma de puritana, você quer me comer desde que me viu não adianta negar.

 

- Eu não te dei intimidade pra falar assim de mim Keana, acho melhor você esquecer que eu existo pois é isso mesmo que eu vou fazer, passe bem. – Me virei pra me afastar, no entanto ela segurou em meu braço me puxando de volta.

 

- Você não é a Jauregui pra se fazer de difícil Camila, e como eu te disse, até aquela vadia metida a santa caiu nos meus encantos, então abaixa essa bola e vamos logo fazer o que temos vontade.

 

Eu não sei o que me deu, só sei que no segundo seguinte a minha mão tinha acertado a sua cara e ela me olhava com uma cara incrédula, minha respiração estava desregulada e logo ela avançou encima de mim e acabamos caindo no chão.

 

Sua mão veio em direção ao meu rosto e logo estávamos no meio de uma troca de tapas e puxões de cabelo, eu não ia deixar essa vadia me bater e ela parecia pensar o mesmo pois seus tapas eram tão fortes quanto ao meu, logo algumas pessoas a tiraram de cima de mim e mãos fortes me seguraram longe dela.

 

- Você me paga Camila, eu vou acabar com você.

 

O cara que me segurava folgou o aperto e só percebeu quando eu peguei a garrafa de sua mão e acertei a cabeça dela, a fazendo desmaiar nos braços de quem a segurava. Me seguraram mais forte e percebi dois policiais vindo em nossa direção, eu sabia que eu estava lascada, mais foi melhor sensação do mundo.

 

Xxxx

 

 

Estava na cela fedida de uma porcaria de delegacia, por ter acertado aquela garrafa na infeliz da Keana, eu não me arrependia em minuto algum o que fiz, afinal eu não sou de engolir sapo e ela estava em minha lista desde dia que falou aquelas merdas, no entanto não imaginava que iria parar atrás das grades por conta disso.

 

Eu precisava sair daqui o quanto antes, no entanto até o momento eu não tinha tido o direito da minha tal ligação ou algo assim. Claro que iria ligar pra Lucy, afinal ela é minha advogada e não vai demorar a me soltar. Eu já estava cansada de esperar quando vejo um guarda vim em minha direção. Ao menos agora eu poderia ir pra casa.

 

- Senhorita Cabello, o delegado liberou pra fazer sua ligação, me acompanhe por favor.

 

Dei sorriso enorme, afinal agora já poderia em embora em paz. Ele apontou pra um aparelho que havia próximo a cela e logo tratei de ligar pra Lucy. Chamou varias vezes e nada dela atender, fiquei irritada e liguei novamente e pra meu azar nada aconteceu.

 

Olhei pro guarda que me olhava entediado e resolvi ligar pro Austin, ele com certeza viria me ajudar. Pra meu azar o dele deu direto na caixa postal e percebi o policial vim ate mim.

 

- Melhor voltar pra cela e tentar após o almoço mocinha, é bom que aproveita a noite pra pensar no que fez.

 

Fiz máximo pra não rolar os olhos, afinal eu precisava que ele fosse legal comigo, não estava afim de passar o resto da minha noite em uma cela.

 

- Oh por favor, me deixe tentar só mais uma vez e prometo que se não conseguir eu volto pra cela sem reclamar. – Fiz minha melhor cara inocente e ele apenas acenou a cabeça em concordância, tão fácil enganar os homens.

 

Não me restava outra pessoa a ligar e mesmo que eu poderia me dar muito mal não tinha algo a perder não é mesmo? Liguei pro número já tão conhecido por mim e esperei que que ela atendesse, já estava perdendo a esperança quando uma voz rouca deu sinal do outro lado da linha.

 

- Oi é a Camila, eu preciso muito da sua ajuda...

 

Xxxx

 

Ouvi barulho de salto e logo levantei da porcaria que chamam de cama, ela me olhou de cima a baixo e fez uma carreta ao ver meu estado que não estava dos melhores. Seu sorriso insolente pairou no rosto e acabei revirando os olhos, era só o que faltava ela ainda debochar de mim sendo que eu já havia me humilhado pra ela vim aqui.

 

- Nossa, você realmente está acabada, espero que tenha deixado ela ao menos pior que você.

 

O guarda abriu a cela e logo o segui pra pegar meus pertences com ela em silencio atrás de mim. Assinei os papeis assim que peguei meus objetos e vi que ela já estava na porta da delegacia me esperando, eu sabia que tinha de agradecer, no entanto meu orgulho era grande, andei em silencio até seu carro e indiquei o caminho do bar onde meu carro havia ficado.

 

Logo chegamos a frente do local e após ela estacionar, abri a porta do carro saindo em seguida. No entanto antes de fechar virei em sua direção e fechei os olhos pra ter coragem de falar enquanto ela me olhava intrigada.

 

- Bem... eu.. uh.. droga.

 

Ela sorriu mais uma vez e percebi que ela estava se divertido com isso, engoli em seco e disse tudo de uma vez.

 

- Obrigada Dinah, eu te devo uma.

Não esperei uma resposta apenas bati a porta do carro e fui em direção ao meu, essa noite definitivamente vai entrar pra uma das mais loucas da minha vida...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...