História Bitch in da haus - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, Justin Bieber, One Direction, Trio Yeah
Personagens Personagens Originais
Tags 5sos, Justinbieber, Trioyeah
Exibições 48
Palavras 705
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 33 - Cry baby, cry baby!


Pov Laura

Todos dizem que o amor é uma das coisas mais belas da vida.

O destino coloca em nossos caminhos, coisas e pessoas, que irão muda-las, as quais podem ser boas, ou não, comprovando que nada é pra sempre, que tudo foi perda de tempo e foi mais uma história que você talvez queira não contar.

Hoje faz quatro meses de namoro com o Fiu, e eu não o aguentava mais. Como alguém pode ser tão irrelevante assim? Como eu pude cair nos braços de alguém tão encantador, a ponto de eu mesma não ter coragem de me soltar?

Lá estava eu, na sacada da varanda, observando ele dentro de casa, no sofá, fitando a televisão, como se nada tivesse acontecido. Estávamos brigando a mais ou menos uma semana, por coisas idiotas e inúteis, mas ele ainda me amava tanto. Como assim?

Sigo até a cozinha e abro a geladeira, pego um grande pote com sorvete de chocolate e vou para o quarto. Como toda mulher, vou chorar, me humilhar debaixo das cobertas e comer sorvete até engordar dez quilos a mais (se é que isso é possível).

− Ei o que houve? − Ele senta ao meu lado e me conforta. Grr! que fofo. − Foi por que você quis a Lamburguini e eu comprei a Ferrari? − Passa as mãos em meus cabelos e me abraça. − Mas você pode comprar a Lamburguini!

− Não é isso seu idiota! − Ele acha graça.

− Então o que é bebê? − Até quando vai parar de ser maravilhoso? Caio em um choro desesperado. − Não chora amor! − Ele diz me abraçando, depois se deita do meu lado e fica me consolando.

− Amor? − Ele faz um "hum" de quem estava quase dormindo. − Eu quero conversar...

− Sobre oque?

− Nós dois! − Se ajeita e fica de frente para mim.

− Nós dois? − Um silêncio de segundos.

− Foram quatro meses. Nossos momentos juntos foram os melhores, nosso amor era perfeito e eu faria tudo de novo se fosse preciso. − Ele me fitava querendo sorrir e eu pausadamente dizia meu discurso de término do shiper.  − Eu conheci e aprendi muita coisa com o nosso relacionamento, e descobri que não era isso oque eu queria. Vc não foi a minha alma gêmea, mas chegou tão perto que eu estou completamente arrependida de ter nadado até aqui. Fiu eu não quero mais, amor eu me sinto tão mal e... − Ele me interrompe.

− Você está querendo terminar? Eu não entendo, estávamos bem, estava tudo bem e você quer estragar com tudo bem agora? − Ele diz rude e meu coração dispara. − Laura é isso que você quer? Acabar com tudo que construímos?

− Amor...

− Não me chame assim. − Se levanta e me ancara. − Eu... Grr! Esquece. − Sai do quarto e desce pelas escadas. Que droga!

− Fiu! − Vou atrás dele. − Felipe espera... − Ele pega suas coisas (só as que estavam visíveis) velozmente e sai pela porta da frente, me deixando na escada, me derramando em lágrimas e fazendo aquele louco drama típico dos filmes de romance.

(...)

− Não fica assim, nós estamos aqui com você... − Anne dizia acariciando meus cabelos.

− É mesmo, até saímos correndo do trabalho, quer dizer, eu nem cheguei a acabar a intrevista... − Alicia trás um copo de água pra mim.

− Não gosto de te ver assim Laurinha! − Vitória me abraça.

Que fofuras! Eu fiz merda e elas ainda me apoiam. Isso que é ser best friend.

− Quer saber, vamos parando agora. − Anne se levanta e olha pra todas nós. − Laura você não pode ficar assim, por isso, anteciparemos a festa para amanhã à noite, e eu vou chamar o Calum! Topa? − Opaaa.

− Espera e o trabalho? − Vitória pergunta.

− Aii nossa! Acho que... Me Deuses! Estou com zica vírus! − Nós gargalhamos.

− Perfeito! − Digo. − Eu amo vocês meninas! − Abraço coletivo, seguido de um "owwn" sincrônico irritante.

Pois é, agora preciso seguir, passado é passado, mesmo ele sendo a uma hora atrás.

Adeus Fiu de vegas/Delicia/Gostoso da porra. Adeus pau grande.


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...