História Bitche's In The Beach - J-Hope - Hot - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope
Tags Bangtan Boys, Bts, J-hope, Jung Hoseok
Exibições 124
Palavras 2.905
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - National Bitch


National Bitch

 

Lua de mel, em um campo de batatas. Bem... eu xinguei, chorei, reclamei... mas no fim das contas eu só olhava para minha cestinha pensando em quantas batatas fritas teríamos para comer até o fim de nossas vidas.  

Eramos um casal cômico. 

- Hoseok eu estou com fome. - resmunguei puxando uma batata do chão caindo na terra úmida. 

- Estamos em um campo de batatas, coma uma. - rolei os olhos. 

- Tem terra Oppa. - resmunguei manhosa sabendo que ele cederia logo em seguida – Pela amor, JUNG HOSEOK anda logo! - briguei acenando com as minhas luvas azuis sujas e ajeitando meu chapéu de palha.  

- Foi você quem quis parar pra pegar isso aqui, aish... não sei como é que eles te deram autorização. 

- Você sabe que sou uma mulher adorada, amável... sexy. - dei um soquinho leve em sua barriga e puxando sua jaqueta de couro e beijando suas bochechas fofas e deliciosas mordendo em seguida. 

- Olha eu me casei com você e não confirmo nada disso. - se afastou rindo quando dei alguns tapas em suas costas. 

- Só por causa disso é você quem vai lavar e tirar a casca. - ele resmungou baixo e jogou mais algumas batatas em nossa cestinha. 

- Ah.... Dongsaeng eu estou cansado. - passou o braço pela testa suada, a camisa branca se colando suavemente em seu corpo.  

- Se você não tivesse fritado todas as nossas batatas por Tae, pro Namjoon e aquela coisa bocuda chamada Kim Seokjin eu não estaria colhendo batatas! Tinha batata pra 5 meses! 

- Não tinha não. - o olhei atravessado e ele apenas deu um sorriso envergonhado passando as mãos pela lateral de meu corpo apertando minhas nádegas.- Me dá um beijo querida.  

- Tá louco Hoseok? - questionei baixo o afastando com o tapa olhando ao redor e vendo algumas dezenas de mulheres colhendo os vegetais.  

- Ah. - resmungou baixo negando com a cabeça e logo sorriu pegando nossa cestinha enquanto acenávamos de longe para as mulheres que nos responderam com um aceno.  

Retirei as luvas colocando onde havia as pegado e logo fiz o mesmo com o chapéu de palha, bati as mãos contra o short folgado que usava e ajeitei minha jaqueta enquanto seguíamos em direção a moto laranjada que nos aguardava.  

Olhei as pernas musculosas do mesmo contraírem quando ele passou uma perna por sobre a moto e a montou após guardar algumas poucas batatas no bagageiro. Peguei a cestinha e a coloquei entre nós e ele deu a partida após colocarmos os capacetes.  

Apesar de pequena e fina era um saco ter que disputar espaço com ela, e a velocidade que ele usava apenas me irritava mais ainda, ele parecia querer garantir que eu não iria cair com aquele pequeno empecilho entre nós dois e eu realmente não acreditava que isso iria acontecer, até que em 40 minutos de viagem durante uma curva, algumas de nossas pequenas batatas escaparam pela pequena tampa.  

- Hoseok! - gritei batendo em seu ombro e o mesmo parou imediatamente. 

Eu não passei 3 horas catando batata pra elas rolarem barranco abaixo.  

- O que foi? - ele desceu correndo atrás de mim carregando a moto e a deixando escondida entre o mato e eu deslizei com minha cestinha em direção a algumas batatas que encontrei pelo caminho. 

- O que foi é que estamos em problemas. - desci as colocando na cesta e ajeitei as mangas de meu casaco enquanto a fina chuva caia sobre nós.  

- Dongsaeng... esposa querida... saia da chuva.  

- Não. - resmunguei baixo, era apenas mais uns 15 minutos de moto até o hotel que estávamos hospedados. - Me ajuda.  

Ele resmungou baixo  e me ajudou, passei a mão na testa vendo seu sorriso sempre brilhante enquanto os fios de sua franja colavam se a sua testa. O mesmo segurou minha mão direita e a beijou logo tornando a subir o pequeno barranco enquanto puxava minha mão, segurei a sua com firmeza e vi o mesmo deslizar pela grama cortada se virando em minha direção a tempo de abraçar minha cintura e escorregar por debaixo de mim evitando que eu me machucasse.  

- Ah... é sempre assim. - rolou os olhos e eu engoli a risada encostando minhas mãos em sua camisa molhada, beijei sua bochecha quentinha e senti suas mãos grandes apertarem minhas nádegas com firmeza por debaixo de meu short; 

O mesmo forçou suas mãos para frente em um pedido silencioso de um beijo. Encostei meus lábios nos seus sentindo a temperatura quente de sempre e o abri com os meus invadindo delicadamente com minha língua sentindo logo a sua a minha espera.  

Toquei a base de seu pescoço afastando a gola da jaqueta e movi meus lábios sentindo o beijo aprofundar, o gosto suave de uma bala de morango que ele havia chupado ainda estava presente em sua boca. Senti seus dentes arranharem suavemente o meu lábio enquanto o mesmo baixava lentamente meu short e puxava minha calcinha junto. 

- No mato, na chuva?  

- E tem lugar pra transar com Jung Hoseok? - o mesmo deu uma piscadinha pra mim rindo de minha cara perplexa.  

Era só o que me faltava.  

Senti suas mãos apertarem minha pele exposta e o mesmo se posicionou lentamente sobre mim, seu corpo cobrindo o meu enquanto suas mãos retiravam as peças inferiores de minha roupa. Levei minhas mãos até seus braços puxando as mangas de sua jaqueta escura de couro e a retirei, meus dedos arranhando sua pele por sobre a camiseta úmida que mostrava seu leve abdômen.  

- Isso é um Parque Nacional.- falei baixo, eu não queria ser um alvo de algum treco do mato.  

- Eu te protejo.  

- Você não cuida nem de você.  

- Eu te distraio. - senti seu dedo passando levemente pelo meu clitóris e o vi levantar rapidamente e retirar a calça apertada junto da camiseta branca, o mesmo não se intimidou com a possibilidade de sermos vistos e retirou o roupa intima sem nem mesmo hesitar me dando um sorriso aberto logo em seguida.  

 - Se você diz. - mordi o lábio olhando seu membro levemente ereto.  

O mesmo apenas riu e se ajoelhou se inclinando sobre mim, o rosto seguiu em direção ao meu pescoço e o beijou levemente enquanto o mesmo agarrava minha jaqueta e me puxava em sua direção logo a retirando junto de minha blusa molhada. 

Fui colocada de volta sobre a cama sentindo o grama fria e molhada em minhas costas e fechei os olhos ao sentir seus lábios doces contra os meus, as mãos pesadas massageando levemente meu seios enquanto sentia sua glande se arrastar pelos lábios me provocando um leve arrepio.  

Seus lábios pararam em meu queixo e desceram lentamente pelo meu pescoço, desceu pela minha clavícula e mordeu meu seio com força antes de dar uma risadinha e descer as fracas mordidas pelo meu corpo até chegar ao monte de vênus mordendo com mais força e esfregando sua língua levemente esbarrando por entre os lábios em uma leve provocação, o mesmo me olhava com desafio, os fios escurecidos levemente jogados para o lado.  

- Abre as pernas para o Oppa... Hum? Como vou trabalhar direito sem te ver? - sua voz saíra rouca e maliciosa o suficiente a ponto de nem ao menos tentar fazer um charme. 

Atendi seu pedido abrindo ao máximo que consegui e vi o seu sorriso aumentar de tamanho enquanto o mesmo passava a língua por entre os lábios, a respiração se tornando levemente ofegante ao observar de forma indiscreta. Sua língua quente entrou em contato com meu clitóris se misturando as gotas geladas da chuva e me provocando um espasmo. Mordi o lábio encarando seus olhos escuros e rebolei diante de seu rosto sentindo sua língua fazer movimentos circulares antes dele me prender em seus lábios e sugar suavemente.  

Arranhei seus ombros musculosos vendo as pequenas gotas escorregaram pelo seu corpo pálido e sorri quando o mesmo passou novamente a língua pelo local, dessa vez com tamanha vontade que fez com que eu me retorcesse, seus movimentos se tornando mais fortes e intensos assim como as sugadas que faziam com que minhas costas se desprendessem do chão. 

Gemi alto ao sentir seus dedos quentes escorregarem suavemente para meu interior e o olhei vendo o brilho divertido em seu olhar, nem parecia o homem tímido que eu havia conhecido anos atrás.  

Sentia seus dedos habilmente entrarem cada vez mais rapidamente e apertei meus seios sentindo meu orgasmo aproximar, Hoseok os retirou de dentro de mim sem parar o seu oral maravilhoso e assistiu com prazer quando comecei a me retorcer embaixo de si, o mesmo passou as mãos por de baixo de minhas coxas e as agarrou com força me impedindo de me mover enquanto eu pressionava sua cabeça contra mim. Meus gemidos pareciam apenas o aguçar mais ainda já que o mesmo intensificou seus movimentos enterrando seu rosto mais ainda entre minhas pernas. 

Meu corpo inteiro estremecia e mesmo que eu já puxasse seus fios para trás tentando dar um fim ao orgasmo extremamente longo que me atingia, o mesmo se recusava prolongando ainda mais a onda de prazer me fazendo encolher e gemer mais alto ainda ficando minhas unhas nas minhas próprias pernas. 

- Para. - pedi tremendo quando eu já estava sensível demais e o mesmo se afastou ofegante com os lábios avermelhados e molhados.  

Fiquei jogada na grama molhada enquanto o mesmo se inclinava para trás ajoelhado, sua mão esquerda apoiada no chão enquanto o mesmo levava até seu membro rosado e grosso que pulsava visivelmente. O moreno piscou pra mim e mordeu o próprio lábio jogando a cabeça para trás, as gotas de chuva caiam por sobre seu corpo bem trabalhado enquanto vagarosamente o mesmo movia a mão, seu membro aumentando cada vez mais de tamanho, os arfares baixos logo se tornaram mais intensos quando o mesmo tornou a me olhar ainda me encarando de pernas abertas e ofegante. 

- Vem aqui querida. - pediu jogando a cabeça para trás e vi quando vagarosamente seu quadril passou a se mover para frente lentamente, seus olhos pesando sobre mim – Vem me chupar Dongsaeng. - pediu novamente e eu me inclinei indo em sua direção. 

Toquei seu membro com a ponta de minha língua e vi seu corpo se contrair, senti sua glande geladinhas e me aproveitei disso a rodeando lentamente antes de o deslizar pela minha boca sentindo a leve ardência devido as temperaturas diferentes.  

- Ah querida. - gemeu alto – Sua boca está tão quentinha. - sussurrou passando a mãos pelos meus fios e segurando minha cabeça, o quadril se moveu mais uma vez estocando em minha boca com calma mais algumas poucas vezes, o aquecendo até que se sentisse confortável, suas mãos logo largando se afastando de mim e me permitindo dominar a situação.  

Por pura provocação levei minhas mãos geladas ao seu membro o retirando de meus lábios e dei uma risada baixa ao o ver morder os lábios com força, seu rosto se avermelhando assim como o pescoço.  

- Não faça isso... - implorou movendo o quadril contra minha mão e eu sorri levemente ao ver sua glande se tornar avermelhada, as veias pulsando levemente antes que eu me inclinasse novamente prestes a o colocar em meus lábios novamente, quando o mesmo me parou e me encostou contra uma pequena parede coberta por grama levemente inclinada. 

Hoseok se inclinou sobre mim e eu abracei seu corpo molhado sentindo suas costas geladas, dei um sorriso fraco em sua direção e fechei os olhos sentindo seu membro pulsante abrir caminho enquanto me invadia. O mesmo parou por um breve momento, seus olhos fixos nos meus enquanto ele parecia se divertir ao ficar imóvel, apenas me fazendo sentir a leve tortura que era o ter quente e pulsante dentro de mim sem nem o mesmo se mover.  

Eu já o encharcava completamente e isso apenas parecia o animar mais ainda, o olhei de cara feia antes de me inclinar e passar a ponta de minha língua em seu lábio inferior o mordendo e puxando enquanto movia o quadril em sua direção sentindo-o estremecer.  

- Anda logo. - resmunguei enfiando minhas unhas em sua costas e o arranhando até seu quadril sentindo o arrepiar.  

- Mandona. - resmungou baixo movendo-se contra mim, sua pele fria chocando-se contra meu clitóris levemente, nossos corpos contraindo quando o mesmo me atingiu profundamente, entrando tão fundo que ao olharmos na direção de onde nossos corpos se juntavam, víamos apenas nossos quadris. - Eu gostei dessa posição.  

O olhei confusa antes de ouvir sua risada e ele sair por completo para logo me invadir com força provocando mais um intenso choque entre nossos corpos, o mesmo nem ao menos tardou em se mover com mais velocidade ainda, os quadris fortes e ritmados batendo contra meu corpo e me estremecendo, seu membro que parecia deslizar facilmente dentro de mim que o apertava a cada nova investida, os dentes marcando levemente meus seios, puxando meus bicos, os sugando e os arranhando de leve enquanto as mãos firmes me puxavam cada vez mais contra si. 

O mesmo parou os movimentos e me encarou brevemente dando um leve tapa em minha coxa.  

- Vira pra mim querida. - o atendi prontamente sentindo seus olhos queimarem em minhas costas e me firmei agarrando a grama a minha frente enquanto sentia meus joelhos deslizarem, o mesmo segurou firme em meus quadris e me invadiu por completo me fazendo arfar, seus quadris batendo contra minhas nádegas enquanto eu tentava me estabilizar.  

Seu corpo se inclinou contra o meu e senti seus lábios capturarem o lóbulo de minha orelha e morder de leve, logo em seguida seus beijos desceram pelo meu pescoço me fazendo rir levemente ao sentir as cócegas e me encolher contra ele que me acompanhou.  

Suas mãos agarraram meus seios com firmeza enquanto o mesmo aumentava a velocidade, a posição favorecendo que entrasse por completo enquanto eu o comprimia em meu interior devido a posição. Suas mãos se moviam fervorosamente enquanto o mesmo soltava gemidos baixos em minha orelha, seus fios gelados vez ou outra deslizando pela minha bochecha molhada. 

Os sons de nossas peles se chocando aumentaram quando o mesmo passou os braços em volta de meu corpo me impedindo de me movimentar, suas investidas se tornando cada vez mais intensas, de baixo da chuva gelada eu podia sentir seu corpo ferverem minhas costas, assim como o meu. Levei minhas mãos para nossas costas e agarrei suas coxas as arranhando suavemente, era simplesmente maravilhoso as sensações que aquilo me provocava.  

Senti o moreno estremecer levemente e seu hálito soprar contra meu pescoço, o mesmo aumentando seus gemidos e arfadas e a medida que eu deslizava e me inclinava mais para frente mesmo contra sua vontade, encostei meu rosto na grama e empinei mais ainda meu quadril arrancando o gramado ver enquanto me comprimia ao seu redor o sentindo estocar mais intensamente, Mordi o lábio ao sentir minha intimidade aquecer e fechei os olhos sentindo-o entrar e sair de mim com mais intensidade devido a minha lubrificação. Seus dedos apertaram meus quadris grosseiramente me puxando contra ele, olhei para trás vendo seus olhos e lábios apertando fortemente enquanto seu tórax ficava em um tom de vermelho intenso, o mesmo gemeu baixo e logo se desfez dentro de mim.  

Senti seu peso em minhas costas e o moreno logo rolou para o lado, a chuva a essa altura havia cessado, os pingos haviam sido fracos, mas nossas roupas estavam completamente encharcadas ao nosso lado. 

- Vamos dormir. - pediu me abraçando, mas eu me afastei logo lembrando de nossa situação. 

Olhei para Hoseok vendo seu peito subir e descer rapidamente, os olhos fechados enquanto o mesmo tentava regular sua respiração, o corpo magro e bem trabalhado jogado na grama verde, sua pele pálida com pequenas manchas vermelhas.  

- Temos que ir... Não vou dormir pelada no meio do mato cheio de cobra. - resmunguei me levantando e ele riu embora eu visse o leve brilho apavorado em seu olhar.  

- Está brincando né? - perguntou sorrindo enquanto ouvia o terror em sua vez.  

- Não Hobi.  

- Então... não é só inseto que tem aqui? - ele nem ao menos esperou responder, apenas jogou minha roupa em minha direção e vestiu a sua extremamente rápido.  

Subimos em direção onde estava a moto e eu vi a tensão em seu corpo e seu rosto sério, os lábios repuxados para baixo enquanto o mesmo tentava manobrar a moto. Ele tentou uma, duas e três vezes, mas não aconteceu nada.  

- Ah... Dongsaeng... - resmungou me olhando enquanto eu segurava minha cestinha tremendo devido as roupas molhadas.  

- Quê? 

- Nós vamos caminhar um pouco. - apontou em direção a estrada de terra que se mostrava a nossa frente, na realidade, era pura lama – Em meio as cobras. - o vi engolir em seco. - Acabou a gasolina. 

Como é que a gente só se ferra? 

- Bem... - ironizei com um sorriso maldoso – Pelo menos temos batata. - meti os dentes nela comendo crua e levei ela em sua direção vendo-o me encarar sério.  

- Bem... é melhor do que fritar com o óleo da moto. - deu de ombros mordendo enquanto conduzia a moto em direção a cidade.  

Fazer o quê né?


Notas Finais


Frustração da vida, amar tudo que tem lactose, e ser intolerante a lactose.
Aaaah. :(
Gente vida badalada, nunca achei que teria uma. Mas da forma que eu não queria, tipo... dormindo 1:30 por dia pra conseguir fazer os trabalhos.
Não dá.
Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...