História Bite - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Jikook, Jimin!alfa, Jungkook!ômega
Exibições 648
Palavras 1.453
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shounen, Slash, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OOOOOLÁ

NÃO ESTOU POSTANDO DE MADRUGADA AÊÊÊ KJSDKJSKCJS

muito obrigada pelos comentários do cap anterior, amo vcs ♥♥♥

eu tive que mudar algumas coisas q irão acontecer na história n sei como ficou o cap
eu realmente n sei se essa segunda parte ficou do jeito q eu queria
ENFIM, espero que gostem :D
não revisei ><

boa leitura amores ;*

Capítulo 13 - Capítulo 13


Minhas mãos tremem e meu estômago dá algumas cambalhotas. Estou tão nervoso. Por onde começar? Nunca estive em uma situação como essa.

Não quero assustá-lo, não quero que ele pense que irei iludi-lo para usá-lo e depois ‘’jogar fora’’. Quero que acredite em mim, mas como falar sobre algo que nem eu acredito ser possível? Na verdade não sei em quê acreditar.

Aproximo-me do maior, pego suas mãos sentindo um choque elétrico passar entre elas novamente sem desviar o olhar. Jungkook não se move apenas suas bochechas ficam um pouco rosadas devido à aproximação.

-Semana passada quando Hoseok-hyung veio aqui ao meio dia, ele me perguntou se você era mesmo um ômega.

O mais novo arregala os olhos surpreso.

-Como assim?

-Ele sentiu apenas o cheiro do Tae.

-A marca! Por isso que os alfas no shopping se aproximavam de mim e perguntavam se eu era um beta! Na hora pensei que fosse por causa do cachecol enrolado no meu pescoço.

Faço uma careta ao me lembrar do dia.

-Eu sinto seu cheiro, era isso que meu hyung queria que eu te contasse. – Digo sem o encarar.

-Como a-assim sente?

Volto meu olhar para o ômega e respiro fundo.

-Lembra sobre o choque elétrico que Yeol e o alfa sentiram quando juntaram suas mãos porque eram almas gêmeas? – Jungkook afirma com a cabeça. – Não sei você, mas eu senti isso. – Sinto minhas bochechas e orelhas quentes, Jungkook também está corado e agora encara nossas mãos. – O seu cheiro me atrai desde o primeiro dia. Sinto que devo protegê-lo e cuidar de você; fico nervoso quando você está perto; sinto coisas que nunca senti antes e que ainda não consigo entender por ser tão repentino. – Vejo que continua com o olhar fixo em nossas mãos sem demonstrar uma única reação. – Não quero que pense que estou dizendo isso para tirar proveito de você, não quero que pense...

-Shh.. – Jungkook levanta seu olhar para mim e coloca um dedo sobre meus lábios.

Será que ele ficou ofendido?

O maior aproxima seu rosto do meu e leva a mão que antes estava com o dedo sobre meus lábios para minha nuca. Um arrepio percorre por toda minha espinha ao sentir seu toque suave. Sem quebrar o contato visual, coloco minha destra em seu queixo findando a pequena distância ao puxá-lo para mim. Meus lábios pousam suavemente sobre os seus, meu coração bate descompassado com o nervosismo. Seu cheirinho de morangos está tão bom. Coloco uma de minhas mãos em sua nuca ao abrir levemente minha boca e pedir passagem com a língua para aprofundar o beijo.

Jungkook não demora a corresponder e começamos um beijo calmo, cheio de incertezas e certezas. Incertezas com o que nos espera no futuro e certeza do momento, do agora, das sensações. Nossas línguas entram em sincronia, seu gosto é exatamente igual ao seu cheiro me deixando perdido.

Solto um suspiro ao sentir meus fios da nuca serem puxados levemente pelos seus dedos.

Interrompemos o beijo ao escutar um barulho de palmas ao nosso lado.

-Saímos por alguns minutos e é assim que vocês ficam?

-Fique quieto. – Falo para meu hyung sem deixar que Jungkook se afaste, juntando nossas testas. Sua respiração bate muito próxima de meu rosto, me perco em seu cheiro antes de me afastar delicadamente e olhá-lo nos olhos.

-O que você disse sobre se sentir atraído, sobre o cheiro e sobre o choque elétrico, eu também sinto o mesmo. – Jungkook diz em um fio de voz. Suas bochechas estão completamente coradas e a respiração descompassada. Não devo estar muito diferente.

-Sério mesmo que vocês vão ficar nos ignorando? – Tae chama nossa atenção.

Viro-me para meu primo mostrando a língua para ele.

-O beijo foi lindo, mas tem mais uma lenda para ler. – Hoseok informa e pega o livro abrindo em alguma página. – Pode deixar que eu leio, depois vocês continuam com os beijinhos. – Sorri malicioso me fazendo rir.

Junto minhas mãos com as de Jungkook recebendo um aperto nelas antes de prestar atenção em meu hyung.

 

 

Em uma tarde de primavera onde as flores davam vida a pequena casa de madeira do pequeno vilarejo de Yangdong Folk, a ômega Seugi estava escorada na janela da casa observando a cena deslumbrante da natureza enquanto lágrimas escorriam pelo seu rosto.

Ela havia chorado por horas. Sua dor era tão profunda que o jardim com vida que seu appa plantara não parecia mais belo aos seus olhos. Sem seu appa e seu irmão mais novo tudo perdia sentindo, tudo perdia cor. A dor em seu coração era horrível. O mundo para ela havia acabado. Como viveria sem sua família? Como viveria nessa casa, sem escutar as risadas contagiantes de seu irmão ou ter as brigas que tinha com seu appa? Ela perdera tudo, não tinha ninguém. Nem mesmo sua omma que falecera há alguns anos.

Na noite do dia anterior, a ômega estava sozinha em casa a espera de seu appa e de seu irmão que tinham saído para acampar.

As horas passaram. A comida que tinha feito esfriara. E nada de eles chegarem em casa.

Seugi acabou cochilando na sala até escutar batidas fortes vindo da porta. Aprumou seu vestido que ficara desarrumado, ajeitou seus cabelos e fora atender quem estivesse batendo. Ao abrir a porta, encontrou um homem de terno e gravata segurando um envelope.

‘’-Sinto muito, senhorita. – O homem estendera o envelope para que a ômega o pegasse. ’’

Suas mãos estavam trêmulas, seu coração estava acelerado e um pressentimento muito ruim apoderou seu ser. Respirou fundo tentando controlar seu nervosismo pegando o envelope estendido.

Sem delongas, abriu o envelope retirando o conteúdo de dentro. Eram duas fotos. As piores fotos que já vira em toda sua vida. Largou-as no chão e soltou um grito de dor. Começara a chorar descontroladamente. O tempo passava e a dor que sentia só piorava. Não viu o momento em que o homem fora embora.

Aquelas fotos mostravam os corpos de seu appa e de seu irmão sem vida. Seu appa estava com marcas roxas no pescoço e manchas de sangue no peito. Seu irmão estava no mesmo estado. Foram brutalmente assassinados.

 

 

Dois anos se passaram. Seugi se mudara para a capital da Coréia do Sul e lá tentou recomeçar sua vida. Agora adulta, dividia um apartamento com um ômega que fizera amizade facilmente e cursavam juntos a faculdade de Artes. Fora difícil para Seugi seguir em frente, mas com o tempo a dor foi sumindo restando apenas as boas lembranças.

‘’Você é forte querida, lembre-se disso. – Foram as ultimas palavras de sua omma antes dela falecer. ’’

Certo dia ao chegar ao apartamento, sentiu um cheiro forte de canela. Inspirou algumas vezes o cheiro delicioso e foi para a cozinha pensando que seu amigo estivesse cozinhando algo.

Encontrou a cozinha vazia. O cheiro ficava mais intenso indicando vir da parte de trás do cômodo, onde ficavam os quartos.

Parou na frente da porta de seu quarto e ao entrar no mesmo, encontrou um rapaz alto vestindo roupas pretas virado de frente para si segurando um porta-retratos.

-E-eu v-vou chamar os guardas! – A ômega ameaçou gritar por ajuda.

-Oh! Desculpe, estou esperando pelo meu primo, o Chan. – O rapaz largara o porta-retratos em cima da cama assustado.

Ao analisá-lo, a ômega sentiu suas pernas fraquejarem. Que lindo. De cabelos pretos, seus olhos tinham a tonalidade de um azul claro, sua pele era morena e seu cheiro era indescritível. Canela.

-Eu sou Seugi, divido o apartamento com o Chan. – Conseguira dizer sem falhar a voz.

O alfa sorriu para a ômega e estendeu a mão.

-Zhang, não sei se meu primo avisou, mas vou passar esse fim de semana aqui. – A ômega o cumprimentou e logo soltou o aperto por sentir algo incomum passar entre suas mãos, como um choque.

 

 

Hoseok para a leitura.

-Só? – Pergunto esperando o desenrolar da história.

-Na verdade tem a continuação, só que é óbvio o que acontece. – Meu hyung dá de ombros e coloca o livro em cima da mesinha de centro.

-Como óbvio? – Tae pergunta sem entender.

-Os dois são almas gêmeas por se sentirem tão atraídos pelos cheiros um do outro. O choque que sentem é um sinal de que as almas se encontraram e como o alfa vai ficar no mesmo lugar que Seugi, é óbvio que irão se apaixonar e ficar juntos e que ele será a nova família dela. Fim.

-Que insensível. – Taehyung nega com a cabeça me fazendo rir dos dois.

-Hyung, você acha que eu e Jimin-hyung somos almas gêmeas? – Olho para Jungkook e vejo que espera uma resposta de Hoseok.

Meu hyung coloca uma mão no queixo como se fosse difícil pensar.

-Eu não acho. Eu tenho certeza.


Notas Finais


TEVE BEIJO CARALEO HAHAHAHAHAHAHAHAHA
FOI SÓ UM BEIJINHO MAS ACHEI LINDO *----------------* e sim, as coisas entre eles POR ENQUANTO, serão calminhas, JK ainda ñ tá mt legal pelo oq aconteceu com ele :/

gente, eu pensei q o lemon ia demorar muuuuuito pra chegar, BUT, pelo oq eu mudei na história (tive umas ideias diferentes 8D) o lemon ñ irá demorar TANTO assim, msm q ainda tenha algumas coisas para acontecer

ATÉ O PRÓXIMO!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...