História Bite - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Shawn Mendes
Tags Camren, Fifth Harmony, Shawn Mendes, Vampirismo
Visualizações 135
Palavras 3.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Buffy


Apesar de ter plena convicção do que viu na noite da festa em Satanbull, Lauren preferiu agir como se nada tivesse acontecido. Isso porque todos iriam lhe chamar de louca e iriam lhe zombar sem fim, e para evitar a fadiga, era melhor fechar o bico. Preferiu que iria investigar mais sobre Camila para ter a plena certeza sobre tudo o que pensava, e então assim, tomar alguma atitude.

O resto daquele final de semana foi de Lauren pesquisando na Netflix filmes e séries sobre vampiros para poder fazer uma maratona assim que tivesse tempo.

 

///

 

Na segunda-feira, as três amigas se levantaram cedo para irem à faculdade. Se arrumaram, pegaram o carro, passaram no Starbucks, compraram seus respectivos cafés e seguiram para a universidade, estacionando no mesmo local de sempre. Cada uma seguiu para sua aula e Lauren seguiu para o anfiteatro 5, onde Camila estava dando aula de Filosofia. Seria o primeiro dia de Filosofia desde que pedira permissão para Camila assistir a aula e o primeiro dia que ficaria cara a cara com a mulher que lhe salvou de um abusador. Não sabia como iria reagir ao lhe olhar nos olhos novamente, mas iria tentar manter a máxima calma possível.

Entrou no anfiteatro lotado de alunos, viu uma cadeira vazia e se sentou nela, entre um rapaz gordo e barbudo e uma garota que usava óculos quadrados enormes para seu pequeno rosto. Ficou esperando ansiosamente pela entrada da professora, o coração acelerava bastante em ansiedade. Ficava ligando o celular a todo o tempo para ver as horas, já que Camila ainda não aparecera na sala.

— Será que a professora vai faltar? — uma garota da fileira à frente de Lauren perguntou para a amiga ao lado.

— Não sei… ela não costuma faltar, será que aconteceu algo? — a outra perguntou, fazendo caretas.

— Espero que não… — a primeira respondeu.

Já estava dando 8h30 e nada de Camila aparecer. O burburinho pela sala sobre o motivo da professora mais pontual da universidade estar atrasada se fazia presente. Lauren começou a pensar que Camila estaria tentando lhe evitar por causa da noite em Satanbull mas logo desfez essa ideia. No mesmo momento, Camila apareceu como um borrão preto descendo as escadas do anfiteatro e se materializando no centro da sala.

— Desculpe, gente! Tive um problema pessoal a caminho daqui, me perdoem! — Camila parecia eufórica, respirando descompassadamente, como se ela tivesse corrido muito. Jogou sua bolsa e pasta em cima da mesa e ajeitou o cabelo enquanto ligava o projetor. Lauren notou que ela limpava muito a boca e passava muito a mão no rosto, como se estivesse limpando algo. — Por favor, abram suas apostilas na página 76, hoje iremos falar sobre a Fenomenologia de Husserl. — continuava a respirar com dificuldades e a limpar o rosto.

Como Lauren era novata e não tinha a apostila, levantou a mão.

— Desculpa… — disse em voz alta e todos lhe olharam, inclusive Camila. — Professora, sou novata na sua aula e não tenho uma apostila…

Camila encarou Lauren e apertou a ponta de seu nariz, fechando os olhos com força, depois fungou.

— Pegue a minha depois da aula e tire uma xerox lá no mezanino, mas agora você pede para ler com alguém do seu lado. — Camila disse enquanto abaixava o olhar e inseria o pendrive no notebook e o conteúdo projetava no quadro branco.

— Pode ler comigo, se quiser. — a garota dos óculos quadrados gigantes sugeriu enquanto empurrava a apostila para o lado de Lauren.

— Oh, obrigada…

E então a aula começava, onde Camila explicava detalhadamente o conteúdo mas Lauren não prestava atenção. Deixou a apostila de lado, se encostou na cadeira e cruzou os braços, olhando fixamente para Camila, só conseguindo pensar na noite em Satanbull, em sua boca suja de sangue e os olhos negros. Lauren pensava em como poderia existir esse tipo de criatura no mundo, se isso seria possível. Era para ser uma realidade só de ficção, de filmes, séries e livros... mas não algo real. Havia algo em Camila e no jeito dela que fazia Lauren se questionar bastante.

Do outro lado da sala, Camila explicava o conteúdo mas se sentia incomodada com o olhar penetrante de Lauren. Parecia que aqueles olhos verdes cor de esmeralda penetravam em sua pele e atingiam sua alma. Tentou evitar o contato visual pois tinha receio de se desconcentrar com aquele olhar.

A aula continuava seguindo com muitas explicações, slides, perguntas dos alunos e troca de olhares entre as duas. Ao fim da aula, os alunos se levantaram para irem embora e só Lauren permaneceu ali enquanto Camila arrumava suas coisas e desligava o projetor. A garota dos olhos verdes se levantou e desceu as escadas do anfiteatro, indo para perto da morena.

— Professora… — Lauren se aproximou, ficando frente a frente com a outra.

Camila lhe olhou nos olhos com uma expressão séria, fazendo Lauren tropeçar nas palavras.

— A-a a apostila… — a voz saiu baixinho.

Camila nada disse e nem abaixou o olhar, apenas pegou a apostila em cima da mesa e entregou para Lauren, que pegou de sua mão rapidamente. Lauren notou que o olhar de Camila estava extremamente escuro, sem nenhum brilho, quase igual à noite em Satanbull.

— Estarei no departamento de Filosofia, tire a xerox e me devolva ainda hoje. — foi curta e grossa.

Lauren acenava com a cabeça freneticamente, repetindo “Sim” várias vezes, saindo de perto rapidamente e subindo as escadas do anfiteatro aos pulos. Sua respiração estava estranha, não tinha controle do seu corpo desde que vira Camila pela primeira vez na biblioteca. Como faria para se controlar? Não sabia.

Foi correndo para a biblioteca, onde lá tinha uma lojinha de reprografia e dava para tirar as xerox que precisava. A fila estava grande, com umas dez pessoas, respectivamente. Não queria ficar em fila, então foi dar uma volta no acervo, para passar o tempo enquanto a fila diminuía. Foi diretamente para as estantes de número 821, que indicavam os livros de literatura de acordo com a Classificação Decimal Universal, a CDU. Ficou algum tempo ali folheando alguns livros e os devolvendo à prateleira. Voltou para a loja de reprografia mas ainda tinha muita gente na fila, resolveu perambular pela biblioteca, até que nas estantes além das revistas periódicas e jornais, havia uma porta com um pequeno quadro negro com os dizeres: “Acervo de Ocultismo e Espiritualidade”. Franziu o cenho, nem sabia que a biblioteca da universidade tinha um acervo sobre isso. Como sua curiosidade era maior que ela, resolveu entrar. Abriu a porta e o ambiente daquela sala era extremamente frio e a luz era amarelada. Como decoração, havia uns quadros com pinturas de demônios e bruxas, alguns objetos como caveiras e bonecos de bruxaria. As estantes eram pequenas e os livros estavam classificados em assuntos como Teosofia, Bruxaria, Grimórios, Alquimia, Magia Negra, Magia Enoquiana, Misticismo, Espiritismo e Satanismo. Lauren estava arrepiada devido ao imenso frio ali dentro e ao medo que sentiu ao ler os títulos de alguns livros à sua frente. “Deus me livre!”, “Tá repreendido em nome de Jesus” e “Meu Deus!” eram frases que ela dizia a todo o momento. Estava travada, não conseguia se movimentar, essas coisas de ocultismo sempre a deixava morrendo de medo. Seu celular começou a vibrar, ela deu uma encolhida pelo susto que levou e resolveu sair logo dali, o lugar começava a lhe fazer mal.

Ao voltar para o acervo normal, ficou paralisada, não sabendo no que pensar e percebendo que seu coração batia forte e sua mente dando giros violentos em sua cabeça. Com muito esforço, foi para a fila da reprografia. Enquanto esperava na fila, as lembranças dos livros e dos objetos no acervo de ocultismo lhe perturbavam a mente, até que suas lembranças lhe levaram para a noite em Satanbull, em Camila com a boca suja com o sangue de Brad, os olhos negros sem vida e furiosos. Se arrepiou novamente, sua barriga começou a doer. fechou os olhos, respirando fundo até que uma mão lhe tocou os ombro, a fazendo se assustar novamente.

— Opa, desculpa, não quis te assustar… — um rapaz simpático sorriu. — É a sua vez. — ele apontou para o homem que trabalhava na reprografia, que estava com uma expressão brava, provavelmente por ter cansado de falar “Próximo!” para Lauren e ela estar perdida em pensamentos.

— Oh, desculpe! — Lauren fez uma careta para o rapaz simpático e deu passos à frente, entregando para o homem a apostila e pedir uma xerox.

Depois que a xerox foi tirada, Lauren foi para o Departamento de Filosofia atrás de Camila para lhe devolver a apostila e ao chegar lá, pediu informações para a recepcionista do Departamento e caminhou até a sala de Camila. Bateu na porta duas vezes, até que a professora abriu com uma cara nada boa. Lauren notou que a cor da íris de Camila estava num vermelho intenso e a pupila extremamente dilatada.

— Oi… — Lauren sorriu sem graça. — Eu já tirei a xerox… — entregou a apostila.

— Ótimo, agora você terá algo para ler ao invés de ficar me encarando durante a aula. — Camila foi sarcástica.

— Desculpe… — Lauren abaixou a cabeça. — É que a aula é interessante, você explica muito bem... desculpe se te encarei muito. — voltou a olhá-la, curiosa com os olhos vermelhos.

— Pelo menos indica que você estava prestando atenção, certo? Pois bem, leia o capítulo sobre Fenomenologia que na próxima aula quero debates. — disse.

— Sim senhora.

— Sugiro que faça fichamentos de cada texto lido e debatido em aula, pode te ajudar na prova final.

— Ok… — continuava perdida olhando para os olhos vermelhos, querendo perguntar o motivo deles estarem daquele jeito fora do normal para um humano.

— Até a próxima aula. — Camila percebeu e deu um passo para trás, fechando a porta na cara da aluna.

Lauren ainda ficou ali, parada. Os olhos de Camila não estavam da cor normal de um ser humano e isso foi mais um detalhe que ela percebeu que faziam de Camila Cabello uma pessoa enigmática… ou uma vampira. Puxou o celular de dentro da bolsa e digitou “vampiro” no Google, entrando em seguida na página do Wikipédia e leu:

 

“Vampiro é um ser mitológico ou folclórico que sobrevive se alimentando da essência vital de criaturas vivas (geralmente sob a forma de sangue), independentemente de ser um morto-vivo ou uma pessoa viva”.

 

De repente, como um estalo, lembrou-se do acervo de ocultismo da biblioteca e resolveu ir correndo para o local novamente. Voltou a se arrepiar de frio e medo ao entrar no acervo e ver os objetos e quadros bizarros que tinham ali. Foi na classificação de Misticismo e lembrou de uma cena de Crepúsculo onde a personagem Bella pesquisa sobre um ser em específico. Pegou seu celular novamente, digitou no Youtube “Bella descobrindo que Edward é um vampiro” e um vídeo apareceu. Ao ver Bella pesquisando sobre um tal de “Apotampkin: The Cold One” e resolveu procurar pelo mesmo no pequeno acervo mas não achou, então, resolveu pegar todos os livros à vista que se tratavam sobre vampiros e criaturas semelhantes. Foi para o balcão de Atendimento ao Usuário e Mia franziu o cenho ao ver a melhor amiga de sua ficante vindo com um bocado de livros em sua direção.

— Lauren! — sorriu ao deixar o celular de lado e a encarar. — A devoradora de livros! — zombou.

— Pois é! — Lauren sorriu sem graça, colocando os livros em cima do balcão. — Quero fazer empréstimo desses livros.

— Sim senhora… — Mia pegou um livro e leu o título “Drácula”, do autor Bram Stoker. Colocou o leitor de códigos no código do livro, fez o empréstimo e foi fazendo isso a cada livro. “Entrevista com o vampiro”, “Vampiro Lestat”, “A hora do vampiro”, “Vampyre”, “Laços de Sangue”, “Vampirologia - a verdadeira história dos anjos caídos” e “Vampirismo, o assédio invisível” eram os títulos que Lauren pegou. Mia achou estranho e franziu o cenho, soltando logo uma piada: — Qual é, Lauren? Está obcecada por vampiros agora?

— Talvez…

— Vampiros estavam na moda lá em 2008, quando Crepúsculo estava no auge…

— Estou interessada no assunto agora. — cortou.

— Vai caçar algum vampiro? — Mia arqueou uma sobrancelha, seu tom era de puro deboche.

— Vou sim. — respondeu no mesmo tom de deboche.

— Ok então, dona Buffy-A-Caça-Vampiros…

 

Lauren Jauregui 12:37

Vero, está indo pra casa agora?

 

Vero Iglesias 12:40

Aham! Tô aqui no subsolo e já estou indo para o estacionamento.

 

Lauren Jauregui 12:41

Me espera, tô carregando um monte de livros pesados.

 

Vero Iglesias 12:45

Beleza.

 

Keana Issartel 12:50

Não precisa me esperar, vou embora mais tarde com a Mia.

 

Lauren Jauregui 12:51

Estou com ela aqui agora, fazendo empréstimo de alguns livros.

 

Keana Issartel 12:53

Manda um beijo pro meu bebexinho <3

 

Vero Iglesias 12:55

“Bebexinho” MEU CU :)

 

Lauren Jauregui 12:56

HAHAHAHAHAHAHAHA

 

— Prontinho, Lauren, tudo emprestado. Toma aqui seu recibo. — Mia lhe entregou um papel amarelado.

— Não sabia que a biblioteca tinha um acervo de ocultismo… — Lauren comentou. — Peguei esses livros lá.

— É, pois é, temos. Uma comunidade católica aí descobriu sobre esse acervo e fez uns protestos para destruir o acervo pois não era coisa de Deus e “invocava o demônio”... — Mia fez aspas no ar. — Apesar de bizarro, o acervo é super enriquecedor, tem vários pesquisadores que vêm aqui e adora entrar lá…

— Entendo… bom, vou indo. Keana mandou um beijo pra ti, estávamos conversando agora no whats.

Mia abriu um sorriso largo e seus olhos brilharam.

— Não sei como você conquistou aquela garota em tão pouco tempo, mas faça ela feliz, ok? Ou vai se ver comigo! — Lauren ameaçou.

— Pode deixar, eu só quero fazer bem pra ela. — Mia piscou.

— Ótimo! — Lauren colocou alguns livros dentro da bolsa e os que não couberam levou na mão. — Vou indo, até mais.

— Até mais, Buffy!

Lauren sorriu e balançou a cabeça, saindo da biblioteca. Andou pelos corredores da universidade até descer escadas e parar no pátio, seguindo para o estacionamento, onde viu sua amiga Vero mexendo no celular encostada no carro.

— Vamos? — Lauren disse ao se aproximar, fazendo a amiga se assustar. — Te assustei?

— Claro, né? Aparece sem avisar. — Vero apertou o botão do carro e o mesmo destravou, as duas entraram no carro. — Aí... apareceu outro homem morto aqui pelas redondezas de Scarewatts.

— Sério??? — Lauren arregalou os olhos.

— Sim, tava vendo aqui no Facebook da Prefeitura de Scarewatts. — disse Vero enquanto colocava o cinto de segurança e colocava a chave na ignição.

— Mas como assim, morreu de quê?

— Facadas no pescoço também, assim como os outros casos que teve… pelo que dizia no post, o cara não era boa figura não, já tinha passagem pela polícia por estupro e roubo…

— Ah, menos um então. — Lauren disse.

— É, mas o que me intriga são essas mortes sempre de ataques no pescoço, parece uma história bizarra de sereal killer que tem fetiche em dar facada no pescoço… — Vero franziu o cenho enquanto manobrava para sair do estacionamento.

— Eu nem sei o que dizer… Scarewatts é estranha, tem um clima estranho. — Lauren comentou.

— Sim! Olha esse lugar! Não faz sol, só é sempre frio e o tempo cinzento… não é só pelo fato de estarmos na Europa, mas outras cidades aqui perto que já fui faz sol mas aqui nunca! — Vero dizia, um tanto perturbada enquanto dirigia. — Todo mundo aqui é estranho… a começar pela sua professorinha crush.

— O que tem a Camila?

— Eu a vi hoje chegando na universidade… ela estava toda estranha, a boca dela estava suja de vermelho como se tivesse comido geléia de morango ou ketchup e sujado o canto da boca. Passou por mim limpando o rosto toda nervosa, percebi que ela estava tremendo…

Vero continuava a falar mas Lauren voltou a pensar na noite em Satanbull e na boca de Camila suja. Havia algo em tudo isso que deixava Lauren cada vez mais intrigada.

 

///

 

Ao chegarem em casa, Lauren tomou um banho quente e rápido, vestiu roupas de moletom, preparou um chá de erva-doce para ler um dos livros que pegou emprestado. Escolheu o clássico “Drácula” para começar a leitura e se sentou em sua cama. Leu tanto que acabou caindo no universo subconsciente do sono e acabou sonhando.

Nesse sonho, Lauren estava num corredor escuro, sendo arrastada e carregada por duas pessoas vestidas de capas vermelhas, cada uma segurando cada braço seu. O corredor era tão escuro que estava sendo iluminado por tochas de fogo. Chegou numa sala onde havia um trono de ferro pontudo e uma pessoa vestida numa capa preta sentada nela. Por todo o lugar haviam tochas de fogo para a iluminação. As pessoas de capa vermelha conversavam em latim com a pessoa de capa preta e em segundos, as pessoas de capa vermelha saíram da sala, como num piscar de olhos. A pessoa de capa preta se levantou e veio em direção à Lauren e parou à sua frente. “O que vai fazer comigo?”, Lauren perguntou. “Fique de pé, quero que encare sua morte frente a frente”, a voz feminina e familiar disse. Lauren, com dificuldades, ficou de pé e seu corpo inteiro se tremia, o medo era real. “Quem é você?”, Lauren perguntou. “Eu?”, a voz riu, “Eu sou a sua assassina.”. “Mas porquê você vai me matar?”, a voz de Lauren era de choro. “Porque você sabe demais sobre mim”, a voz disse enquanto puxava o capuz para trás, revelando o rosto de Camila com a boca suja de sangue, exatamente igual como na noite em Satanbull. “Camila!!!”, Lauren arregalou os olhos e gritou. Camila sorriu, os caninos expostos sujos de sangue. “Camila, por favor não faz isso!!”, Lauren implorou. Camila levou sua mão ao rosto de Lauren, dizendo-lhe: “Oh, meu Deus, você está linda hoje!”, e logo lhe atacou o pescoço de Lauren, dilacerando-a.

Lauren acordou gritando horrivelmente, as mãos fechadas em punho, o corpo arrepiado e trêmulo. Vero e Keana acordaram com os gritos e correram para o quarto da amiga, ligando a luz.

— Calma! Calma! Calma! — Keana tentava lhe tranquilizar e se sentar ao seu lado.

Lauren hiperventilava, seus olhos cheios de lágrimas, o coração faltando sair pela boca.

— Outro pesadelo? — Vero perguntou.

Lauren apenas acenou com a cabeça. Vero respirou fundo e se sentou ao lado da amiga, lhe dando apoio.

O resto daquela noite foi de Lauren entre Vero e Keana, sem conseguir pregar os olhos, obcecada pela ideia de Camila ser uma vampira e tendo cada vez mais certeza de que ela era uma.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...