História Bitter Sweet × ji+kook - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Kookmim
Exibições 29
Palavras 1.617
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Chapter 03


Fanfic / Fanfiction Bitter Sweet × ji+kook - Capítulo 3 - Chapter 03

         | • Olhos Predadores • |

É estranha essa sensação. Me sinto um patinho feio em meio à tantos cisnes. Bom, de fato eu sou, não deixa de ser uma comparação verídica. Digo isso pois me sinto deslocado, como um gato em festa de cachorro, principalmente quando os olhares ruidosos das pessoas se empreguinaram em mim. Um deles era de Jimin. Mas resolvi ignorar sua mera existência, que no momento percebeu que se esfregar em uma garota qualquer, que com certeza só servirá para lhe proporcionar uma única noite de sexo, seria mais produtivo. Típico de um adolescente popular. 

Particularmente, eu não sou de me relacionar com as pessoas. Elas machucam, te decepcionam, te abandonam. Por isso eu não tinha amigos em  meu outro país. Em minha vida toda, eu só namorei uma vez, e garanto que foi a pior experiência da minha merda de vida. E ainda por cima, fui feito de trouxa. Eu amava ela. Eu confiava nela. Doeu ver com os meus próprios olhos ela me traindo com um cara em que eu mau me lembro o nome. Mas lembro-me que naquele dia, iríamos comemorar o nosso primeiro aniversário de um ano de namoro. Ótimo presente para se ganhar... um par de chifres e um coração quebrado. Eu queria lhe fazer uma surpresa, então fui até sua casa. Como era costumeiro eu ir até lá, não perdi tempo em chamá-la, eu apenas entrei. Muitos diriam que teria sido a pior coisa a se fazer, mas pensem por um outro lado... se eu não tivesse entrado é visto aquela cena, eu continuaria á ganhar belos pares de chifres. Eu superei óbvio, mas as sequelas deixadas por esse relacionamento farto de mentiras e ilusão, só me serviu para aprender a não confiar nas pessoas.

O que eu estou dizendo? Eu não confio nem em mim... quanto mais nas pessoas. 

Deixando os pensamentos evasivos se distanciarem da minha mente, me peguei sendo observado por um par de olhos castanhos desconhecidos. Um garoto. Aparentemente ele deve ter a minha idade. Era alto, cabelos em um tom acastanhados, e um olhar sugestivo sobre mim. O garoto começou a se aproximar, ele parecia confiante e determinado... estranho. 

- Ei! - chamou ele, já perigosamente perto de mim. - Você é novo por aqui? 

- Ah, sim, eu sou... - respondi meio incerto. O garoto tinha um sorriso quadrado no rosto, contagiante demais. - Cheguei ontem, para ser mais específico. 

- Imaginei. - o sorriso dele parecia querer rasgar o seu rosto. Como alguém consegue sorrir tanto? - A propósito, me chamo Taehyung. Kim Taehyung. 

- Jeon Jungkook. - sorri minimamente para ele, que me encarava como se eu fosse um pedaço de carne...por que esse garoto é tão estranho? - Então... eu vou indo, preci- 

- Precisa de ajuda? - disse afobado. - Eu posso ajudar, qual a sua primeira aula? Eu posso lhe mostrar a escola, claro se quiser. E então? - não pude deixar de rir um pouquinho com a tagarelice do mesmo. Ele é estranho, mas é engraçado.

- Eu agradeceria se me ajuda-se. - sorri. - Tenho aula de física agora... 

- Oh, eu também! - a sua animação era palpável. Queria eu, ter toda essa alegria. - Seria o destino? - ri sem graça. 

- Talvez... - deixei as palavras no ar, e vi suas bochechas ganharem um leve tom rubro. Adorável. - Vamos? Não quero chegar atrasado bem no meu primeiro dia. - concordando com um aceno, começamos a caminhar lado à lado para dentro daquela instituição enorme.

O garoto - que agora descobri se chamar Taehyung. - estava um tanto impaciente ao meu lado, olhava a todo o momento para os lados, parecia nervoso... 

- Tudo bem com você? - parei no meio do corredor. Aquele comportamento estava me deixando agoniado. - Você parece nervoso... 

- Ah, não, eu estou bem... - não me convenceu muito. Cogitei a hipótese de ele ser um tanto bipolar, mas eu não o conhecia para afirmar. 

 - Tem certeza? - me aproximei cautelosamente, visto que ele não olhava para mim. - Você não parece bem. 

     - Aigoo, posso te fazer uma pergunta que está me corroendo desde o momento em que eu te vi? - o olhei confuso mas assenti. Ele suspirou antes de continuar. - Eu vi você chegando com o... Park, e e-eu fiquei confuso e um tanto curioso quando os vi juntos... 

- Está se referindo à Jimin? - ele concordou. - Hm, e por qual motivo ficou confuso? 

- Não se sinta ofendido, por favor... Mas é que... Park nunca andaria com alguém do seu... tipo. Ele é egocêntrico e metido demais para isso. - não me surpreendeu o que Taehyung me disse. Isso é algo que está estampado na face daquele loiro. Porte robusto, cabeça sempre erguida, o narizinho empinado,  sorriso confiante em seus lábios, o olhar predador... 

- Minhas suspeitas estavam certas. - Taehyung me olhou sem entender. - Vou explicar de um modo que você entenda... Meu pai está em algum tipo de relacionamento com a mãe dele, e nós acabamos por nos mudarmos para cá, ou melhor, para casa dele. - Taehyung estava com os olhos arregalados. Eu não contaria algo pessoal para alguém que eu mau conheço, mas estranhamente ele me passa algum tipo de... confiança? 

E eu achei que jamais sentiria isso. 

- Uau! Por essa eu não esperava. Achei que você fosse o mais novo brinquedinho dele. - seu tom de voz era um misto de amargura e brincadeira. 

- Então ele é mesmo um cara  que não se importa com nada e com ninguém? - ri sem humor. Eu tenho repugnância com pessoas que são assim, e isso com certeza servirá para que eu e Jimin fiquemos bem afastados. O que é ótimo. Não é como se eu quisesse ser amigo dele, nem em sonhos. Jimin está mais para uma pedra no meu sapato, por exemplo. 

- Sim... - o sorriso largo que antes se fazia presente nos lábios do garoto ao meu lado, foi  se desfazendo aos poucos. - Você me acharia um tolo se... eu dissesse que já cai nos encantos dele? - arregalei os olhos em surpresa, então Jimin também gosta de homens? Interessante...

- Ele é gay? - não sei por qual motivo relevante eu fiquei surpreso. Eu não tenho preconceito com isso, eu até... duvido um pouco da minha sexualidade, mas não é como se eu já tivesse ficado com algum garoto. E também não é como se algum, de fato tivesse se interessado por mim. 

- Ele diz gostar de pessoas, não importa o gênero. Confesso que isso foi a única coisa sensata que eu já ouvi dele. 

- Realmente. - estalei à língua olhando vagamente para Jimin, que agora caminha em nossa direção abraçado com uma garota. - Aigoo, por que ele está vindo para cá? 

- Eu não sei. - suspirei quando senti o mesmo perfume adocicado que emanava do loiro. Uh, doce demais. 

- Ora, ora, já está amiguinho desse aí Taehyung? - seu tom de voz estava ríspida e carregada de ironia. Não posso deixar de notar em como ele me tratou diferente de quando estávamos em sua casa, apesar de que nós mau nos falamos e tão pouco nos esbarramos por aquela mansão. - Achei que soubesse escolher melhor às suas companhias. 

- É-é eu só estou o ajudando. - suspirei novamente. Eu realmente não tenho paciência para esse tipinho de gente. É nojento ver o quanto eles gostam de rebaixar os outros para poderem continuar no topo, querendo sempre brilhar mais que o próprio sol. 

- Hm, cuidado para não se queimar, ele é bem esquentadinho. - zombou. O restinho de esperança que eu tinha de que ele não iria me enfernizar foi totalmente destruídas. 

- Você por um acaso, não teria outra coisa melhor para fazer ao invés de vir aqui e encher o nosso saco? - cruzei os braços e o olhei com indiferença. Ele pareceu ficar surpreso, talvez pensará que eu fosse abaixar a cabeça e me sentir inferior como um bom submisso, como a maioria das pessoas desse lugar fazem. 

- Bom, eu faço o que eu quiser, não será um garotinho como você que mudará isso. - a loira ao seu lado gargalhou como se tivesse acabado de escutar a piada mais engraçada. Eles são ridículos.  - Você deveria aprender à me respeitar, eu posso transformar à sua vida em um verdadeiro inferno. - ri amargo e me aproximei de seu rosto, pude sentir melhor o cheiro doce de seu perfume e como sua respiração estava se tornando relativamente pesada. 

- Deixe-me te contar um pequeno segredo... - ditei baixo, encarando o negrume que era suas orbes. - Minha vida já é, um verdadeiro inferno, então nem perca o seu tempo. - ele não demonstrou nem um tipo de reação, só me fitava do mesmo modo. Com seus olhos brilhantes e predadores. - Vamos, Taehyung?  

Não esperei que o mesmo dissesse alguma coisa, apenas o puxei fraco pelo braço e consequentemente nos afastamos dos dois seres que nos olhavam intrigados. Park Jimin com certeza será um problema em minha vida, e creio eu, que não terei um minuto de paz enquanto eu estiver vivendo sobre o mesmo teto que ele. Ele me aparenta ser o típico adolescente que não consegue viver normalmente se não tiver toda a atenção das pessoas sobre si. Isso é tão fútil. Qual o sentido de ser a todo o momento bajulado por pessoas que no fundo não estão se importando verdadeiramente com você? 

Uma pergunta, sem resposta. 

E eu sinto, que Park Jimin é com certeza, uma das várias perguntas, as quais eu não sei uma única resposta.


Notas Finais


desculpe quaisquer erros.

saranghae!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...