História Bittersweet - Capítulo 24


Escrita por: ~ e ~DelayedSenpai

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Namjin, Vmin, Yoonkook
Exibições 242
Palavras 1.983
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, Poesias, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OI
ESCREVI OUVINDO MAD CITY
TO LOKA
AME NCT
OBRIGADO
sdds Mario ;-;

Capítulo 24 - You Make Me So Mad


POV'S Yoongi

 

Okay, quantos Taehyungs podem existir em Seul?

Milhares, certo?

Seul é enorme, e já se passam tantos anos, a probabilidade de nos reencontrarmos é mínima. Mas, mesmo com toda a lógica atrapalhando, havia esperança em mim.

E essa esperança que me fez sair correndo do apartamento de Jungkook, ignorando quando o mesmo gritou para que esperasse.
Porque, na verdade, não era mais eu que pulava os degraus da escada e corria pelo corredor. Era o Yoongi adolescente, aquele que conheceu um garoto estranho que adorava tingir o cabelo e criou uma irmandade com ele. Era o Yoongi que tinha tudo para se tornar um jovem deprimente, mas além disso, ele também tinha Kim Taehyung, que tornava as coisas menos melancólicas. E aquele que bateu freneticamente na porta do apartamento de Jimin ainda não era eu, podia jurar que continuava sentado no apartamento de Jungkook, processando os fatos que caíram sobre si subitamente. O Yoongi adolescente e tolo era quem batia na porta e esperava esperançosamente:
- Caralho, eu não posso mais transar, não?! - ouvi alguém esbravejando do lado de dentro. 
Então a porta se abriu, mostrando um garoto alto de cabelos vibrantes e face irritada.
Era ele.
O Tae.
O meu Tae.
 - T-Tae? - balbuciei incrédulo.
 Seus olhos se arregalaram, a boca se abriu e apenas ficou paralisado.
 - Meu... Deus... - disse, ainda com a face paralisada. -    Yoongi... É você?
 - S-sim...
Senti meus olhos se encherem de lágrimas, não lágrimas de tristeza, mas da mais pura emoção.
 Senti meu braço ser puxado e logo depois estava envolto pelos braços de Tae. Me permiti soltar um suspiro trêmulo, carregado de toda a saudade que senti nos últimos anos.
 - E-eu... Fiquei tão preocupado se ficaria bem... - disse, percebi por sua voz falha que estava chorando também.
 - Foi difícil sem você, m-mas estou bem... S-senti tanto sua falta...
 Ouvi passos apressados no corredor, e alguns tropeços vindos do interior do apartamento. Mas não dei atenção, a única coisa que importava era Tae.
 - Mas o quê... - ouvi a voz de Jungkook - Eles... Se conhecem?
- Se esse branquelo roubar meu homem de novo, eu juro que deixo ele todo roxo feito uma uva. - Jimin disse ao fundo.
Deveria ficar irritado ou ofendido, mas entendia seus motivos.
Relutante, me soltei do abraço, limpando as lágrimas que escorriam por meu rosto com a manga do moletom. Ficamos em silêncio por um tempo, eu me recuperando do pequeno choque e Jungkook mais confuso que tudo:
 - Espera, então Jimin conhece o Tae, Yoongi conhece o Tae, eu conheço o Tae, mas nenhum de nós sabia que o outro o conhecia? - perguntou.
 - Que coincidência doida. Talvez seja o destino dizendo que todos devíamos nos juntar numa suruba, que tal? - Tae disse, logo dando uma risada, sendo acompanhado por todos - É brincadeira... Mas se vocês quiserem, eu aceito de boas.
Kim Taehyung sempre seria Kim Taehyung.
 - Acho melhor não. - eu disse, Jimin e Jungkook confirmaram com a cabeça em concordância.
 - Não foi dessa vez... - Nós poderíamos sair do corredor, e então vocês podem nos explicar essa história toda - Jimin se pronunciou.
Todos entramos em seu apartamento e nos sentamos no sofá. Como não era muito grande e nós éramos quatro pessoas, Jungkook sentou-se no chão.
 - Eu e Tae éramos amigos na adolescência, nos conhecemos quando alguns garotos me encurralaram em um beco e Tae me livrou deles. Daquele dia em diante nos tornamos cada vez mais amigos, quase irmãos, e ele foi muito importante para mim. - expliquei.
- Mas ele teve que se mudar, nos afastamos durante anos, e agora nos reencontramos de um jeito meio surpreendente. - completa Tae
- Isso é uma coincidência muito grande... Agora, Jungkook, como conhece o Tae? - pergunta Jimin.
 - O conheci numa boate, ele deu em cima de mim e me pagou bebida. Depois me deixou em casa. E você, como o conheceu? - responde Jungkook
 - Num bar, ele deu em cima de mim e me trouxe para cá. Só que aconteceram mais umas coisas e-
 - Informação desnecessária detectada. Pare antes que seja tarde demais.
 Rimos e continuamos a conversar. Descobri que a mãe de Tae morreu logo depois que saí da cidade, e que foi realmente difícil para ele. Mas superou isso e voltou a estudar, passou para uma boa faculdade, cursando aquilo que sempre quis: psicologia. Na faculdade, deram a ele o apelido de V, por ter passado por suas dificuldades de cabeça erguida e ter sido vitorioso.
Depois de um tempo conversando, eu e Jungkook decidimos deixar Jimin e Tae sozinhos, porque, aparentemente, estávamos atrapalhando a transa.
Decidimos ir agora para meu apartamento, Kurum sentia falta de Jungkook (essa gata é mais ingrata que eu). Tudo estava bem limpo, Jin havia limpado minha sujeira deprimente porque não queria que eu fizesse esse trabalho. Apenas concordei.
 Fomos até meu quarto e nos jogamos em minha cama. Inconscientemente lembrei do que acontecera da última vez que Jungkook esteve ali, e essa lembrança fez com que minha face ficasse vermelha feito um tomate:
 - Yoongi, está tudo bem? - Jungkook perguntou, passando o polegar suavemente por minha bochecha, numa carícia delicada.
 - S-sim, claro. - me condenei internamente por gaguejar.
- No que está pensando?
- N-na última vez que esteve aqui.
- Quer dizer quando... - um sorriso malicioso estampou os lábios bonitos, me fazendo corar ainda mais, me encolhendo um pouco de vergonha. - Por que tão tímido? Não parecia envergonhado enquanto me provocava mais cedo.
Sussurrara rouco próximo á minha orelha, arrepiando-me por completo.
O dedo que acariciava minha bochecha desceu até meu lábio inferior, o alisando enquanto mordia o seu. Seu olhar contiuava fixada em meus lábios, enquanto eu encarava seus olhos escuros. Então desviou o olhar para meus olhos:
- Sua boca é tão bonita, Yoongi... - aproximou nossos rostos, passando a mão até minha nuca e arranhando de leve ali. Roçou nossos lábios, me fazendo fechar os olhos para aproveitar o contato - Ah... Você nem imagina o quanto me enloquece... Tive de reprimir um gemido baixo ao ouvir sua voz sussurrando tão próxima junto do contato de nossos lábios.
A mão em minha nuca passou a descer lentamente por minhas costas até passar por baixo do moletom que usava e subir novamente até próximo da nuca. Seus dedos passavam suavemente por minhas costas, fazendo com que me remexesse na cama pelo contato.
Quando chegou ao cós de minha calça, passou os dedos por ele até chegar a frente de meu quadril, puxando de leve o elástico e o soltando, fazendo com que batesse em minha pele, me causando um gemido baixo:
- Tão sensível... - voltou a sussurrar, então finalmente selando nossos lábios em um beijo lento e necessitado.
Suas duas mãos agora apertavam minha cintura com firmeza. O beijo se apronfundava mais e mais. Quebramos o beijo por falta de ar. Me afastei minimamente, observando os olhos brilhantes e os lábios avermelhados de Jungkook. Antes que ele pudesse continuar, pulei em seu colo, sentindo a elevação evidente abaixo de mim. Me sentia quente em tantos sentidos, minha alma se aquecia com seu amor, e meu corpo queimava em desejo. Jungkook tinha esse poder sobre mim, o adquiriu rápido demais. Isso não é uma reclamação, muito pelo contrario, adorava todo esse calor que surgia em mim com seus toques.
Segurei a aba de sua camisa, a puxando para cima e tirando. Jungkook tem um corpo realmente bonito, e totalmente diferente do meu. Passei os dedos de leve por seu abdômen, logo arranhando e causando algumas linhas avermelhadas causadas por minhas unhas. O outro soltou um gemido abafado e breve, me incentivando a continuar.
 Na primeira vez, Jungkook tomou controle de praticamente tudo, não quero me tornar submisso dessa maneira à alguém.
Inclinei-me sobre seu corpo, chegando em seu pescoço, deixei ali alguns beijos, que logo se tornaram chupões em tons de vermelho e roxo. Os arfares e gemidos de Jungkook eram tão excitantes, roucos e baixos. Afim de ouvir mais deles, passei a mover minimamente o quadril propositalmente lento, tirando um gemido manhoso no mais alto.
Sorri com a conquista, parando com tudo que fazia e ajoelhando-me entre suas pernas. Segurei o cós de sua calça junto de sua cueca, os abaixando lentamente e logo deixado-os de lado.
Tinha poucas experiências sexuais, mas parecia ser satisfatório. Então abaixei meu rosto até a altura de seu membro. Ainda parecia estranho de um jeito bom, ouvir Jungkook gemendo por mim e para mim, é quase tão prazeroso quanto receber seus toques.
Lentamente, lambi desde a base de seu membro até a glande, ouvindo um gemido mais alto saindo dos lábios do moreno. Sorri, agora colocando apenas a glande na boca e sugando. Tinha um gosto estranho, não ruim, apenas diferente. Poderia aproveitar mais um pouco os gemidos baixos e roucos de Jungkook, mas queria mais. Coloquei o máximo que pude de seu membro na boca. Movi a cabeça, tentando não me engasgar. Depois de mais gemidos de Jungkook e alguns engasgos meus, voltei a ajoelhar-me na cama, ofegante.
Jungkook se ajoelhou também, e quando percebi, minha camisa estava sendo puxada para fora de meu corpo, assim como o resto de mimha roupa. Jungkook colocou dois dedos em frente a minha boca, os chupei lentamente, imitando os movimentos que fiz em seu pênis, sempre mantendo contato visual.
Provocar o mais novo era tão divertido, ver seus lábios sendo maltratados pelo dentes e o olhar feroz tão profundo.
Seus dedos saíram de minha boca com um ploc molhado. Direcionou-os até meu traseiro, apenas contornando minha entrada suavemente, fazendo-me tremer. Quando seu primeiro dedo entrou em mim, senti o mesmo desconforto das últimas vezes, apenas o ignorei, deitando a cabeça em seu ombro enquanto seu dedo e movia lentamente.
Logo, adicionou mais um dedo, causando uma ardência incômoda. Soltei um suspiro pesado, talvez um pouco dolorido, mas não pedindo que Jungkook parasse.
A dor passou a ser mais suportável, até prazerosa. Quando deixei escapar um gemido baixo e contido, seus dedos me abandonaram.
O fiz deitar novamente, sentando em seu colo. Com cuidado, posicionei seu membro em minha entrada, descendo e o abrigando lentamente. A dor voltara muito maior, fazendo com que minha visão ficasse embaçada por poucas lágrimas causadas pela ardência.
Permaneci parado por alguns instantes, soltando mais suspiros pesados ao me acostumar com o corpo estranho a me invadir:
- N-nós... Precisamos de lubrificante... - disse, começando a me mover com cuidado.
- É-é uma boa ideia - concordou o moreno, segurando minha cintura com firmeza.
Continuei a me mover, cada vez com mais rapidez e intensidade. Já não conseguia conter gemidos altos, assim como Jungkook.
Era tão incrivelmente bom estar preenchido daquela maneira mas ainda estar por cima, ver a forma como a boca avermelhada e inchada de Jungkook se abria e soltava gemidos altos e roucos, seu peito subindo e descendo rapidamente e os cabelos negros colando na testa suada:
 - Kookie... - deixei escapar um gemido alto e manhoso quando o senti tocar minha próstata.
Praticamente quicava no colo do moreno em busca de mais daquela sensação estonteante.
Estava tão perto, sentia que ele também. Com um gemido alto, gozei sobre seu abdômen:
- Kookie... - sussurrei manhoso enquanto o sentia derramar-se dentro de mim, gemendo algo desconexo que me causou uma risada.
Saí do seu colo, deitando-me ao seu lado novamente:
 - Você... Meu Deus. - Jungkook disse fitando o teto. Ri com sua reação.
- Da última vez você fez quase tudo, não quero apenas ficar me aproveitando. - respondi, sentindo-me cansado.
 Abraçou-me pelos ombros, fazendo com que me aconchegasse em seu peito. Beijou o topo de minha cabeça e sussurrou:
 - Eu te amo.
 - Eu te amo. - respondi, sorrindo antes que pudesse cair no sono.
 


Notas Finais


GET IT LIFTED
Talvez tenham alguns erros, porque to postando bem rápido pra não atrasar
Fiz com amor s2
Tchau brothers
Hands up if you feelin’ the vibe now
Desculpa, amo NCT
Byebye #SaveMarionaJoyce


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...