História Black And Green - Capítulo 51


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Draco Malfoy, Gilderoy Lockhart, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Personagens Originais, Ronald Weasley, Severo Snape
Tags Fantasia, Harry Potter, Hentai, Personagens Originais, Romance, Severo Snape
Visualizações 89
Palavras 1.576
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Misticismo, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse cap foi uma mistura de drama com uma referência a um hot que vem ali por acolá sabe?
ahsauhsauhsuahsuaha depois dessa cap aqui as treta vai piorar de novo e-e
Espero que gostem!

Capítulo 51 - Divisões Temporárias


- As aulas do resto do dia correram desanimadas e macilentas. Ignorou totalmente o que Lockhart havia explicado, ignorou quase tudo o que teve em Astronomia. Jantou pouco e conversou muito menos.

Dumbledore havia dado uma notícia não muito boa mais cedo, o que havia deixado Maeve um pouco pior do que já estava. Haviam atacado a propriedade de Guinevere, mas por sorte ninguém ficou ferido e os comensais foram abatidos. A segunda parte do plano estava começando a entrar em movimento. Todas as pistas que Lucius e os comensais tinham sobre o resto dos instrumentos, era que eles estavam em Hogwarts e na propriedade ao mesmo tempo, e para consegui-los iriam atacar simultaneamente os dois lugares. Era a hora de se dividir.

 Ficou acordado que Maeve iria com Lupin, Sirius, Gina, Draco e Luna para a propriedade, e Harry, Rony, Hermione, Snape, Minerva e Dumbledore ficavam para proteger Hogwarts com os outros professores. Ela havia insistido em ir, não iria querer ficar parada novamente enquanto suas primas estavam em perigo, não queria perder mais ninguém que amava da família. Era um gesto nobre que Dumbledore reconheceu, mas que em contrapartida havia deixado Snape furioso.

Estava voltando da sala de Lupin calada. Tinha apenas ido deixar a poção e avisa-lo dos planos para que ele repassasse aos outros. Não conversara mais do que o necessário. Isso também havia irritado o moreno. A expressão dele quando ela saiu para ir entregar a poção era um misto de irritação e desgosto.

Desceu pelas escadarias que levariam as masmorras como uma sombra negra. O sobretudo longo cobria o vestido e as pernas desnudas que acabavam dentro das botas. O cabelo estava revolto e alto parecendo uma cortina negra que caia sobre seu rosto e seus ombros caídos. A varinha estava em seu bolso dividindo o lugar com o relógio que parecia mais frio do que nunca. Sentiu falta de Maddie em seu pescoço, mas ela havia ficado com Draco já que se recusava a ir com ela depois de ter voado daquele modo.

 Passou pela entrada do dormitório, e foi diretamente para a sala de poções. Tinha muitas outras poções para terminar, ou se convencia de que tinha pelo menos para a amenizar a irritação de Snape, que havia se transformado numa bolha negra ao seu redor.

 Ao entrar percebeu que ele havia ido tomar conta das poções que ela havia deixado fervendo. Ainda estava rígido e irritado. Maeve sentia o coração começar a doer. Não era assim que ela queria que fosse, mas também sabia o quanto ele era cabeça dura. Não o julgava por isso.

 Mas também não iria ficar quieta.

 - Vai continuar irritado comigo? – Perguntou caminhando até onde ele estava.

 - Vou. – Respondeu seco.

 - Então está bem, boa noite senhor Severo Snape. – Provocou saindo de perto dele indo para a porta.

  Entretanto assim como ela esperava aquilo era apenas uma isca que ele sempre mordia. Ele a puxou pelo braço de volta, segurando o rosto dela em seguida com tamanha intensidade que ela parou de respirar e de se mover. Aqueles olhos negros pareciam querer traga-la para dentro dele, podia ver facilmente a irritação, ciúme, e bem lá no fundo algo que nunca esperava ver vindo dele.

  - Por que está fazendo isso comigo? – Perguntou pausadamente.

  - Eu preciso fazer isso. – Murmurou calma.

 - Sabe como eu me sinto sabendo que você está indo em companhia daqueles dois sarnentos malditos? Sabendo qual é a verdadeira intenção deles?

  - Eu imagino... – Ele a interrompeu esticando os dedos para dentro dos seus cabelos.

 -Aquele lobisomem maldito também está arrastando as asinhas para o seu lado, e você está ajudando ele. Quer que eu me sinta como? – Sua voz continuava dura e inflexível. – E ainda me aparece aqueles dois trastes também.

 - Severo. – Ela suspirou. – Não vai acontecer nada. Confie em mim.

 - Eu confio em você. Não confio neles. E ainda tem o fato de que ainda os acho incompetentes demais para cuidar de você. – Bufou irritado.

 - Eu sei me cuidar. – Retrucou com um sorriso de canto.

 - Sabe mesmo? Lembra que você foi parar na enfermaria sangrando como se fosse morrer? – Havia uma preocupação latente naquele olhar.

 Aquilo tinha sido golpe baixo. Sentiu o coração doer ao relembrar das tias mortas, a causa da sua ida a enfermaria. Fechou os olhos tentando não chorar. Não iria ceder.

 - Só não quero perder mais ninguém, Severo. – A voz acabou denunciando o quanto aquilo doía.

 - Por que você tem que ser tão teimosa e irresponsável? – Ele soltou o rosto dela e a abraçou com força. Maeve escorregou os braços para sua cintura o apertando.

- Teimosia devia ser meu sobrenome, não é? – Murmurou contra o seu peito.

- Celebridades. Sempre tentando salvar o dia. Típico. – Alfinetou ríspido.

- Qual a diferença entre mim e o Harry? – Cutucou ele já sabendo a resposta.

 Ele ficou calado. Maeve sorriu e se soltou do abraço. Encaixou as mãos no rosto dele levemente de modo que seus polegares acariciassem as maçãs do seu rosto.

 - Não seja tão cabeça dura.

 - Por que? – Franziu a testa como sempre fazia.

 - Por que se fosse você no lugar delas eu já teria derrubado meio mundo atrás de você. – Piscou.

  - Sei. – Ergueu uma das sobrancelhas.

  Ela soltou o rosto dele e virou-se para as poções. Mexeu algumas vezes um dos caldeirões e voltou a jogar algumas raízes em outra. Snape aproximou-se passando um dos braços pela cintura dela a comprimindo contra si. Afastou os cabelos dela deixando o pescoço livre.

  - Você é uma celebridade suportável. – Alfinetou enquanto beijava demoradamente o pescoço dela, sentindo a textura macia da pele contra seus lábios.

  - Só suportável? – Ela sorriu sentindo a pele esquentar. 

  - Irritante, cheia de manias, sem senso de perigo, implicante. E o principal. – Sussurrou soltando ela.

  - Que seria?

 - O dom de chamar atenção de quem não deveria nem ousar chegar perto.

 - Eu não tenho culpa. – Ela se virou sentando-se na bancada.

- Quer dizer que não tem culpa de me deixar no limite da minha sanidade? - Aquela voz arrastada a fazia se arrepiar. 

Snape chegou mais perto encaixando-se nas pernas dela que se fecharam em sua cintura com força.

 - Se for por isso você também tem essa mesma culpa, sabia? – Sorriu maliciosa.

 - É mesmo? – Ele aproximou-se novamente do pescoço dela e dessa vez mordeu. Ainda haviam resquícios de marcas ali o que ele ignorou. Maeve gemeu com a dor, segurando os cabelos dele puxando mais para perto. Aquelas mordidas geravam um conflito entre dor e prazer. – Quer dizer então que não sou o único que fica louco.

 - Não. Acha mesmo que a Storm iria falar que você é um pecado se não fosse? – Ela fechou as mãos longe do cabelo dele. – E isso me faz querer arrancar a língua dela...

 - Bom saber. – Riu rouco. – Você também não fica atrás, e isso é irritante.

 - Por que?

 - Seu cheiro, sua pele, sua boca, sua voz, o modo como você olha, seu corpo.... As vezes tenho algumas dúvidas sobre seu sangue e sua ascendência. – Sua boca acompanhava a curva do pescoço dela enquanto falava. A voz já carregada ficava mais rouca e arrastada fazendo Maeve estremecer. - Não parece ser humana as vezes. 

 Ela puxou o rosto dele para mais perto, e olhando bem naqueles abismos negros que agora estavam calorosos murmurou contra sua boca.

 - Sua voz é um perigo para minha sanidade. Aliás você por inteiro. Vou ficar com saudade.

  - Não me lembre disso. – Ficou carrancudo de novo.

  - É por pouco tempo... – Sussurrou.

  - Ainda é demais. – Reclamou.

   - Shh.

  Suas bocas se encostaram com mais força e logo suas línguas dançavam de acordo com o ritmo frenético de seus corações. As mãos de Snape seguravam com força as coxas de Maeve que arfou quando ele subiu lentamente brincando com a sua pele. O beijo aprofundou-se ainda mais. As mãos dela estavam entrelaçadas aos cabelos dele brincando levemente com a pele da sua nuca o fazendo sentir arrepios.

  - Como você me provoca... – Murmurou.

  - Acha mesmo que eu daria atenção a outra pessoa que não fosse você? – Ela puxou ele um pouco mais para perto e beijando repetidas vezes seu pescoço.

   - Não sei.

   - Não, óbvio que não. – Sussurrou em sua orelha.– Não existe outro Severo Snape que eu saiba... 

    Ele afrouxou o aperto das pernas de Maeve e soltou-se mantendo elas abertas.

   - Vou lhe dar um presente, para que você lembre de mim durante esses dias. – Falou acariciando com o dedo a parte interna de coxa direita dela.

 Maeve apenas observou com expectativa, já sabia bem o que ele iria fazer naquela parte. Não pode evitar o gemido alto quando ele mordeu com força enquanto acariciava a coxa esquerda. Doeu ferozmente, mas foi aliviado quando ele começou a beijar fazendo uma trilha molhada em círculos ao redor de onde seus dentes haviam feito a marca.

- Você gosta de me marcar, não é? – Ela murmurou acariciando os cabelos dele.

 Mordiscou perto do joelho e voltou novamente roçando os lábios para o local que agora ardia.

- Eu sei que gosta. – Levantou-se e apertou novamente as coxas dela com força sentindo prazer em vê-la arfar com a dor voltando novamente. – Eu espero que esta seja a única marca que você volte com ela. Ou alguém vai morrer da pior forma possível por ter se descuidado. 


Notas Finais


Ops ashauhsauhsuahu
Amanhã talvez eu demore mais para postar, vou estar matando gente do coração ahsahsuahsuahs
mas não se preocupem terá o capítulo de amanhã com certeza <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...