História Black Angel - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 7
Palavras 2.403
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Self Inserction, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi gente!
No cap de hoje a Zoe faz um contrato com o Justin! Hummm, o que será?
Agradecemos a sua leitura! Favorite e comente...
"Vão Lendo"

Capítulo 22 - Lend me and despise


Fanfic / Fanfiction Black Angel - Capítulo 22 - Lend me and despise

[...]

-Você deveria abrir os olhos para as coisas que estão diante você. –Ele fala e então caminha ao meu lado, acompanhando-me.

-Eu mataria para ser normal. –Falo, sem muita importância em olhá-lo ou ouví-lo.

-Eu mataria para que não desejasse ser. –Louis completa e então nós seguimos pela cidade em busca dos contatos que o Louis tem sobre o Justin. Todas as nossas pistas estão meio... Vazias.

Eu não quero fazer isso com o Louis do meu lado. Eu não quero a sua companhia, mas ele quer a minha, mesmo não tendo reciprocidade nisso. Eu sei que o Harry vai me odiar, justo agora que tudo estava indo tão bem. Talvez ele entenda! A culpa não é minha mesmo. Eu tenho certeza de que tudo dará certo. Desta vez dará!

Alguns dias se passaram e o Louis ao meu lado, tentando achar o Justin. A casa, cada vez menor para nós dois e cada vez pior. Aparentemente, cada minuto dentro da mesma casa com o Louis fica mais difícil desperceber. Ele é como a poeira da estante que eu quero tirar, mas que sempre voltará. 

...

-Você viu o meu casaco? Desde que compramos aquelas roupas... Tudo parece sumir. –Louis procura alvoroçadamente por algumas das roupas que compramos.

-Para de desfilar pelos cantos da casa, nu desse jeito! E não, eu não sei das suas roupas. –Respondo, passando por ele no corredor.

-Há! Eu me vestiria, se achasse uma roupa decente! –Louis bate as mãos nas pernas e bufa.

-Se apressa. Eu tenho uma pista do Justin. –Desço as escadas.

Logo, Louis veste uma blusa qualquer que estava jogada no chão e desce as escadas até a sala.

-A princesa já está arrumadinha?! –Brinco.

-Não teve graça. –Ele passa por me rapidamente.

Então, saímos da casa e caminhamos pelas ruas entediantes do Texas. Louis e eu mantemos o silêncio mesmo quando queremos tagarelar após trocas de olhares. Ao chegarmos em frente a um fábrica abandonada...

-É aqui? –Ele franze o cenho, batendo nos portões fechados e amarrados por correntes e cadeados fraqueados.

-Lógico que é. –Respondo e então confiro os cadeados.

-Não é assim que se faz. –Louis tenta pular.

-Idiota. –O olho e então amasso os cadeados e as correntes entre os dedos.

-Oooww! Eu não sabia que podia fazer isso! Que legal... –Louis olha para trás e desce do portão.

-O que encontraremos por aqui... –Murmuro enquanto trocamos alguns passos pelo local. Algumas máquinas empilhadas e empoeiradas. Caixas e papeis espalhados pelo chão humedecido. Janelas com os vidros trincados e bastante teia de aranha por todo canto.

-Nossa! Até parece que isso aqui teve vida algum dia. –Louis comenta, tirando as teias de aranha do nosso caminho, enquanto passamos.

-Então vocês chegaram! Eu estive ansioso para que me encontrassem! Eu quis que me encontrassem... Por favor, sentem-se! Tomaremos um chá!! –É o Justin!!!

-Pega a porcaria do seu chá e faz proveito junto com a merda que você é. –Falo, encarando-o.

-É, você parece mesmo com ele. Isso não tem como negar. –Justin sorrir. –Você veio para ficar com ela? Há! Como você é tolo! Sério, que idiota! Ela não gosta de você! Acorda! –Justin olha para Louis.

-Vamos falar de negócios, Justin. –Faço com que Louis me olhe assustado.

-Enlouqueceu? –Ele me fita.

-E é por isso que eu adoro o seu senso alto-destrutivo! Você me instiga! –Justin arregala os olhos e sorrir desajeitadamente.

-Você quer a porcaria dentro de me e eu quero o Harry livre de você. –Arqueio os lábios.

-Exatamente. –Ele confirma.

-Ótimo. O que acha de voltarmos todos e acertarmos isso de uma vez por todas? Eu cansei de ficar fugindo e me escondendo... E, eu só quero a felicidade do Harry. Única e exclusiva. –Minto e minto muito!

-Eu realmente adoro você! Faremos assim, iremos todos em um jatinho particular meu. Vamos agora ou amanhã? –Justin esfrega as mãos, ansioso.

-Agora, nesse exato momento! –Sorrindo o respondo.

Enquanto Justin sai para falar com os seus agentes, Louis e eu cochichamos baixinho.

-Ficou maluca? Vai morrer? –Louis arregala os olhos.

-Siga o plano, Louis. Está tudo bem. –O conforto e Louis fica confuso. 

-Que plano? –Ele me olha intensamente.

-Esse! –Falo e então vou atrás de Justin. –Hey, sairemos hoje, ou não? –O questiono.

-Daqui a cinco minutos. Sem atrasos. –Justin confirma e então volta a conversar com os seus preciosos agentes.

...

-Vem cá, qual é o seu plano, hein?!!! –Louis me puxa pelo braço, no canto das máquinas.

-Primeiro que você me solte. –Reviro os olhos e lhe olho de lado.

-A garota doce que eu conhecia, cadê ela? –Louis franze o cenho.

-A garota doce que você conheceu, morreu quando EU nasci! –Falo e então viro de costas.

Louis está totalmente descrente do que está acontecendo. Me olha em estado de confusão e desesperança. Parece desacreditado sobre me. Não demora muito para que Justin nos chame para o jatinho, atrás da fábrica abandonada. Louis e eu nos olhamos de relance. Ele não aparenta gostar muito das minhas escolhas, mas ainda assim me acompanha. Sei que não tinha a aceitação do Harry e que agora não tenho a de Louis também, mas tudo o que estou fazendo e tudo o que fiz até agora, é para que algum dia tudo possa acabar “bem”. Após subimos no jatinho, sento-me entre Louis e Justin. O mesmo, parece satisfeito, mas Louis me fuzila apenas com o olhar.

Ao chegarmos, o jatinho aterrissa em área privada em uma das propriedades do Justin.

-Minha cara, você tem um dia para retornar a me. –Justin fala, sorrindo.

-Meu caro... É mais que suficiente, certo?! –Sorrio de volta, concordando.

-Ótimo! Mandarei meu motorista deixar vocês onde quiserem ficar. –Justin fala e então se despede.

...

Ao caminharmos em direção ao carro...

-Eu não consigo entender. –Louis murmura, ranzinzo.

-Não tente. –Falo e então entramos no carro.

Seguimos diretamente para o apartamento dos garotos. Já sei que não serei bem quista, mas não é aceitação que procuro.

-Obrigado. –Agradeço e então Louis e eu descemos do carro.

Nossa entrada é liberada e então entramos.

-ZOE! –Harry e os demais garotos nos veem chegar.

-Louis, você sumiu também... –Zayn franze o cenho.

-Não vai contar? –Louis me olha enquanto estou abraçada ao Harry.

-Contar o quê? –Harry fica ao meu lado, ainda abraçado a me.

-Eu e o Justin entramos em um acordo. –Falo, olhando nos olhos de Harry, virando-me para ele.

-Acordo esse que o Justin esquece que a gente existe, se a Zoe se render. –Louis completa.

-Ficou louca? –Harry remove o sorriso dos lábios.

-Não esperava que entendesse. Mas ainda assim eu realizarei meu plano. –Falo, afastando-me.

-Você é doida, Zoe!?? –Os garotos também se revoltam.

-Eu sei, estão me odiando. Mas... Tudo dará certo. Eu prometo. –Falo e viro de costas.

-E se não der? Aquele cara é doente! –Harry se revolta.

-Apenas... Dará. É um plano perfeito. –Sorrindo, caminho em direção a porta.

-Você já vai? –Harry me olha com exatidão.

-Nos veremos novamente, Harry. Eu prometo. –Pisco para ele e exibo um sorriso de canto de boca. Em seguida, viro de costas e saio do apartamento, deixando todos confusos e perdidos.

Eu sei que não sou “herói de ninguém” e que nunca serei. Não estou procurando heroísmo... Na verdade, eu não estou procurando nada. Eu apenas... Estou tentando não perder o Harry. Eu posso me matar e me destruir por fora. Por me, todo bem. Desde que isso preserve o que eu sinto por dentro em relação ao Harry. Eu o prometi que o veria novamente. Então, terei que voltar.

... De encontro ao Justin...

-Você já traiu em benefício próprio? –Justin pergunta, arrumando as mangas longas da blusa.

-Estamos com o mesmo osso, mas não somos do mesmo canil. –O olho com um olhar poderoso por cima dos ombros e então subo no jatinho. Ele sorrir, arqueia a sobrancelha esquerda e então me acompanha. Logo, decolamos. Posso ver o prédio e o apartamento onde os garotos estão. Eu voltarei, isso é tudo. Não importa como, só importa que eu voltarei.

... Meia hora depois...

-Bem vinda ao seu novo lar! A partir de agora, você é a garota do Justin! –O mesmo me apresenta sua luxuosa mansão, ao descermos no jatinho sobre sua propriedade privada.

-Não importa o luxo do canil, quando o vira-latas não tem raça! –Mais uma vez, o fuzilo, e então desço.

Os empregados nos cumprimentam e logo, eu sou apresentada para todos. Entramos na mansão.

-Você dormirá no mesmo quarto que eu, na mesma cama. Não se preocupe, meus interesses com você limitam-se em sua tecnologia. Apenas. Para todos os defeitos e efeitos, nós somos compromissados. Para a imprensa, nós somos um casal. Prepare-se, pois hoje à noite, será apresentada para todo o mundo, como minha nova namorada. A sua roupa está de acordo com a minha, e ambas estão sendo passadas agora. Apenas... Tome um banho e durma um pouco. Daqui a três horas, maquiadores e cabeleireiros entrarão neste quarto e produziram eu e você. O nosso acordo está selado. Procure não fazer nenhuma graça. –Justin fala e então, do quarto, sai.

-Huh! Que cara chato! Não vejo a hora de me livrar dessa praga! –Murmuro, enquanto tiro os coturnos. Desprendo os cabelos e tiro a roupa. Entro para o banheiro, tomo um banho relaxante e após cerca de uma hora, saio. Ponho um vestido qualquer, soltinho e leve, e então deito-me sobre a cama, esparramando-me sobre a mesma, podendo descansar. Pelo menos a cama dele é confortável a tal ponto de me fazer dormir o suficiente para esquecer sua face!

... Horas depois...

-(Sinto algo pressionar algumas de minhas longas madeixas. É confortável, mas perturbador não saber quem é. A ponta de um dedo macio desliza sobre minha face pálida e transparecida. E logo, em um tom aveludado, alguém ressoa meu nome). Zoe, querida, não quer acordar, hã?! –É tão... Macio e doce. Tão agradável o tom de sua voz que me pego desejando, inconscientemente, que se mantenha assim, ao meu lado chamando pelo meu nome por um longo tempo indeterminado.

Mas, ao abrir os olhos, me assusto com o que vejo sorrindo para me.

-Huh! –Acordo de repente. Ao olhar em volta, várias pessoas estão no quarto. –O que é isso? –Me refiro às pessoas em volta.

-São os maquiadores e cabeleireiros que te falei antes, não lembra? –Justin continua com o seu bom teatro.

-Ah... Claro, querido. –Entro no personagem e sigo o roteiro.

-Está perfeito. –Ele sussurra. –Eu me arrumarei em outro lugar, para que possa te exclusividade para com eles. –Justin senta-se ao meu lado e olha para os demais. –Cuidem bem dela, quero um cuidado único e especial com a minha garota. Ela vale... “Ouro”. –Justin refere-se ao que tem dentro de me. –Bom, vou sair e peço que alguns me acompanhem. Sabe, eu não preciso de muito. Somente... O necessário. –Justin me dá um beijo na testa e então levanta-se sorrindo levemente despreocupado. –Encontrarei você lá embaixo, quando estiver pronta, querida. –Ele sorrir e então sai com a metade da equipe. A outra metade (feminina) fica comigo.

-Pequena senhorita, quanta sorte você tem. –Uma das cabeleireiras me elogia, enquanto põe os acessórios sobre a banca.

-Hum... –Jogo os cabelos para trás e subo a alça do vestido. 

-Deixe-me ajuda-la com isso. –Uma das maquiadoras põe meu vestido estirado sobre a cama.

-Ficará lindo em você. –A outra começa a preparar minha pele.

-Seus cabelos são tão sedosos. Sua pele é tão aveludada. Agora entendo. –Uma das cabeleireiras comenta.

Enquanto estou em meio a essa tortura feminina, Justin...

-Não aperte tanto assim. Preciso apenas está apresentável. –Ele exige enquanto o vestem.

-Ela é sua nova namorada, senhor? –Um deles pergunta.

-Sim. –Justin responde sem muita cerimônia. 

Tudo ocorre bem, após algumas horas...

-Senhor. –O motorista de Justin topa em seu ombro, ao me ver descer as escadas, vestida em um vestido Grego carmim maravilhosamente sob medida.

-Nossa... Você está arrasando. –Justin sorrir, ao me aproximar.

-Você também não está de se jogar fora, “querido”. –Sorrindo, cochichamos humorizados.

-Não consigo entender o porquê de só você ter herdado a parte legal do “gen” e o Harry ter herdado a parte chata. Ele deveria ter o seu humor. –Justin comenta humoristicamente, enquanto caminhamos até o carro, de braços dados.

-O que disse, senhor? –Seu motorista o questiona, abrindo a porta da limusine.

-Nada. Nada importante. –Justin fala e então entramos no carro.

Alguns drinks e armações depois... Chegamos a tão esperada festa em minha homenagem. Vários famosos mundialmente conhecidos, pessoas da elite... Nunca pensei em estar aqui, muito menos fazer parte. Inúmeros fotógrafos de várias partes do mundo se aglomeram em frente ao local do evento. É uma confusão. Ele realmente preparou uma imensa festa para uma grande mentira. Ao descermos, paramos para tirarmos algumas fotos, damos algumas entrevistas e pronto! Podemos finalmente entrar! Logo, somos recepcionados por vários artistas nomeados mundialmente. Uma palhaçada.

-Nunca pensei que mentisse tão bem. –Justin sorrir, segurando uma taça de champanhe.

-Preciso de mais bebida. –Viro minha taça e a sua. –Querido, vá buscar, por favor?! –O olho de cima, balançando a taça para os lados. Justin sorrir, me olha dos pés a cabeça e então sai.

-Olá! Você é linda, está mesmo namorando aquele garoto? –É a Angelina Jolie.

-Claro. Nós... Nos amamos. –Confirmo friamente mentirosa.

-Nossa, pensei mesmo que ele amasse a Selena. Pobre Selena; agora entendo a depressão dela! Você é linda! –Angelina sorrir.

-Obrigada. –Agradeço. –O Brad não está chamando você? –Olho para Brad, que devolve o olhar.

-Eu adorei conhecer você. Está convidada para ir a nossa casa quando quiser. Agora eu vou voltar pro Brad. Depois conversamos. –Ela sorrir e então sai. Nossa! Tão magrinha que assusta!

-Ela já foi? –Justin retorna com nossas bebidas.

-Bem tarde. –Concluo, pegando minha taça.

-Quer sair daqui? –Ele pergunta.

-Adoraria. –O respondo.

Terminamos nossa taça de champanhe e então nos enturmamos. Nos despedimos e logo saímos. Foi apenas uma festa para me apresentar oficialmente para os fãs e os haters em geral. Mas, ao chegarmos em sua mansão...

-... Sinceramente, que gente chata. –Comento, procedendo uma conversa anterior iniciada quando entramos no carro para virmos à sua mansão.

-Esse é o meio artístico! –Ele sorrir, abrindo a porta para me.

-Eu não esperava que fosse tão rápido Justin! Essa cadela roubou você de me? –É a Selena!

 

Notas Finais


Gostou? Sério? Então deixei o seu favorito e comente também. Isso nos ajuda muito e nos incentiva a fazermos sempre melhor. Repasse para os seus amigos e...
Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...