História Black Stones - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Dimitry, Giles, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Personagens Originais, Rosalya, Viktor Chavalier, Violette
Tags Castiel, Lysandre, Nathaniel
Exibições 21
Palavras 998
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Mutilação
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Cabelo vermelho huuuum.

Espero que gostem..

desculpe os erros e sei la;

Capítulo 2 - Denúncia.


Fanfic / Fanfiction Black Stones - Capítulo 2 - Denúncia.


Londres,2016.

Tudo o que aconteceu conosco. Aconteceu por causa das nossas escolhas, foi por causa dos nossos desejos, nosso egoísmo, foi por causa dos nossos medos, nossas incertezas, nossa imaturidade e desejo de crescer.

Por que as lembranças dolorosas ainda me perseguem? No meu coração ainda há arrependimento. Com apenas um sorriso eu relembro aqueles dias, mesmo que eu não mude o passado, por que o meu coração bate assim?

Eu sei que por mais que eu não possa o mudar, eu ainda aceno pra você.

Foi difícil, mais, enquanto o tempo passa, eu posso rir e tudo fica melhor.

A escuridão se tornou uma parte de mim, se tornou a minha força de hoje.

Tudo era lindo, tinha seu próprio significado. Como todos dizem lembranças são bonitas. Guardarei para sempre aqueles dias. Os dias de anseios irresistíveis, com lembranças inesquecíveis, eu ilumino o meu futuro. Nosso passado aumenta a cada dia.   

- Eu não aceito pedidos. – falo logo que termino de tocar o instrumental de Metallica - Nothing Else Matters para lorde, minha cachorrinha que esta me encarando, sorrio e começo a guardar meu violão junto com a plaquinha ao qual escrevi uma pequena frase que se resumi em: Não sou pedinte, por favor, não me de dinheiro. Merda hoje começa as aulas, apesar deu ser a nerd, eu não gosto da escola, preferia ficar em casa comendo sorvete enquanto assisto supernatural. 

Agora que eu já fiz meu drama me deixe, me apresentar, sou Luanna Edward, sou herdeira de uma das famílias mais ricas do mundo e voltei a morar em Londres com minha tia a alguns dias mas, logo irei me mudar de volta e ter minha privacidade do jeitinho que eu gosto, minha mãe ficou no Brasil, digamos que eu literalmente fugi dela e faz quase 1 mês que ela não tem noticias minhas e eu jamais irei perdoar ela pelo que ela fez. Tenho 18 anos, estou fazendo o segundo ano do médio e antes que você me pergunte você sabe falar português? Mais ou menos não tive interesse em aprender a falar então sei o básico. Sou grossa até tentando ser meiga, sou sincera e curiosa e bom eu tenho que ir, pois já estou atrasada.

Pego meu violão e começo a correr, mas tenho que parar no meio do caminho por que lorde ficou deitada feito uma princesinha na grama.

- Lorde vem logo, tenho que ir para a escola.

Castiel narrando.

Havia terminado uma entrevista sem mandar alguém se fuder, e a plateia estava muito louca gritando por mim e pelos meninos. Symon estava agradecendo pelo esforço que fizemos nessa entrevista.

- Ei, Castiel Vamos pra escola. – suspiro ao ouvir isso.

- Sim, vamos. – falo saindo dali com symon me seguindo, adentramos o carro e logo fomos pra escola, para fazer aquele maldito filme, estávamos na metade do caminho e symon não calava a merda da boca, mas não reclamei por que ele é um dos únicos que realmente se importa comigo.

- Por favor, deixe que ele termine esse ano sem nenhum erro.

Aleluia.

- Ei, eu não entendo isso. Se você ama alguém por que perturbar a pessoa? Ontem eu não disse nada, mas sabe o que estava no carro?

- Oque? – respondo ainda com os olhos fechados.

- Na semana passada você fez uma entrevista com a revista, o que você disse que mais temia?

-Ratos.

- Eles mandaram um rato?- quase grito no carro, mas consegui me controlar.

- Sim, um morto! Sabe oque escreveram? Pegarei todos os ratos do mundo para você. Amo você. ~De sua eterna gata. Miau.

Você não sabe o que eu passei para tirar aquilo.

- Denuncie!

- Cara, o que quer dizer com isso? Quando você briga com suas fãs, apenas você se machuca.

- Fãs, uma ova.

- Nossa, veja a postura dela. Veja só: está gritando não quero ir pra escola.

Devemos dar uma carona? Ela poderia ser sua gata.

- Enlouqueceu? –escuto ele rir.

-Sabe do que mais, cast- chan? Não tenho certeza.. Mas a Ever..

- O que é? – Pergunto um pouco irritado já, observo ele estacionar o carro e descemos do mesmo, Caminhamos até a entrada da escola a qual nos separamos e a filmagem começou e os gritos também.

- Uau, ele é lindo.

- Tão bonito.

- Minha nossa.

- Por que ele esta aqui.

- Parece que ele namora uma menina daqui! – escuto uma garota falar isso e por instinto reviro os olhos, adentrando a sala 12b e quando entro todos ficam me olhando, procuro com meus olhos ever como diz pra mim fazer na merda do roteiro.

- Presidente.. – A garota que estava sentada do lado de ever a chama. – Presidente. – olho pra ela e vou até lá, parando em sua frente.

- Vocês terminaram? – escuto alguém perguntar, mas não sei definir quem foi e ela me encara com certa raiva..

- O que você quer?

- Saia.

- Se tiver algo a dizer diga aqui.

- Aqui?

- Sim, aqui. – simplesmente reviro os olhos de volta, olho pra cima e volto meu olhar pra ela.

- Faço aqui então. –falo me inclinando até ela e a “beijando”. Os alunos daquela sala de escola vão à loucura e não paravam de gritar, o que é algo irritante.

- Corta, corta, corta. – Grita o diretor do filme jogando o roteiro no notebook e se levantando em seguida.

- Castiel, o que tem de errado com você? Colocando o dedo como um amador?

- Eu já disse com antecedência...

- você nunca beijou ninguém? – perguntou me cortando. – Você já comeu bala de café? É como chupar bala de café.

- Se fosse pra mim chupar alguma coisa pode ter certeza que não seria bala. – falo com certo desdém deixando ever vermelha feito um tomate.

- Diretor.

- Diretor.. Be..beijo. Um beijo real? – A diretora da escola pergunta com certa raiva na voz.

 - Quietos.

- Quero dizer, na escola? Eles não podem beijar na escola é proibido e isso pode até gerar uma expulsão.

- Mandem ficarem quietos. – vejo o diretor do filme sair andando e sentar de volta em sua cadeira e a diretora ir atrás dele, reviro os olhos mais uma vez pois já estava com vontade de sair dali sem avisar ninguém.

Continua..


Notas Finais


Até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...