História Blame - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bea Miller (Beatrice Miller), Madison Beer, Magcon, Matthew Espinosa, Shawn Mendes
Personagens Aaron Carpenter, Bea Miller, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Jacob Whitesides, JC Caylen, Kian Lawley, Madison Beer, Matthew Espinosa, Nash Grier, Nate Maloley, Shawn Mendes
Tags Angelina Dallas, Anna Jensen, Autofobia, Barbara Palvin, Bea Miller, Blame, Larissa Mason, Madison Beer, Matthew Espinosa, Melissa Geller, Romance, Segredos, Shawn Mendes
Exibições 126
Palavras 3.349
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Policial, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


GENTE!
Não é nada importante, eu só queria que vcs soubessem que eu troquei a capa da fic, caso alguém n tenha reparado, e queria pedir a opinião de vcs!!
N ficou lá essas coisas, eu ainda to me acostumando com o photoshop pq eu (FINALMENTE) achei um lugar pra baixar de graça recentemente, mas, por enquanto, a capa é essa!
Falando no PS, vcs sabem algum lugar que eu consigo baixar ele sem ter que pagar? O q eu baixei veio certinho, n tive problema com ele, mas é q, toda vez que eu fecho, o programa some do computador e eu tenho que baixar de novo, então, como o meu computador ta com a bateria viciada, isso atrapalha bastante, então me mandem algum link pra baixar o PS de graça que vcs conheçam por mensagem, desde já, obrigada!

Capítulo 16 - Capítulo 16


15:56, domingo, 20 de fevereiro de 2016

POV Angelina.

Minha cabeça doía do jeito que só doeu uma vez em toda a minha vida, e esse dia não foi um dos melhores dias da minha vida. Abri os olhos e vi o caminhão vindo na minha frente novamente, vi Jenny entrando na ambulância, e vi seus pais chorando, quando as lágrimas estavam quando descendo eu sacudi a cabeça e espantei aqueles pensamentos. Andei para o meu banheiro e vi que estava usando pijamas e nem sequer usava maquiagem.

Escovei os dentes e fui para o andar de baixo. Meus pais estavam sentados no sofá, assistindo algo que me pareceu ser Inception enquanto comiam um saco de salgadinhos bem grande.

"Estão vendo meu filme favorito sem mim?" Perguntei andando até a cozinha.

"Incrível você conseguir ouvir seus próprios pensamentos sendo que chegou em casa dormindo ontem." Ashton falou.

"Cheguei?" Perguntei pegando uma maçã.

"Sim, um tal de Shawn Mendes te trouxe." Sorri.

"Só podia ter sido ele!" Me sentei ao lado de Ashton no sofá e comecei a assistir o filme.

"Ele é seu namorado?" Perguntou.

"Não, ele é meu amigo!" Ri. "Minha amiga gosta dele, ele gosta da minha amiga, por isso eu e minha outra amiga estamos tentando juntá-los."

"Legal da sua parte. Ele não é de rir muito não é?" Estranhei.

"Shawn? Ele devia estar sem jeito, porque ele fica o tempo todo sorrindo e rindo!" Falei sorrindo.

"Ontem ele parecia bem fechado." Ashton deu de ombros e comeu um salgadinho.

"Ah, ele deve ter brigado com Melissa." Dei de ombros também.

"Espero que você não tenha matado mais ninguém ontem, além lógico, de me matar de preocupação por chegar em casa e não encontrar nem você nem seu irmão!" Minha mãe falou, fazendo meu sangue ferver.

"Estava demorando... Falando no filhinho perfeito, onde ele foi?" Perguntei tentando me controlar para não gritar.

"Ele saiu com uma garota morena, muito bonita." Ashton falou.

"Eu estranhei, ele estava namorando a Vanessa até alguns dias atrás! Eu adorava ela, não sei o porquê do seu irmão ter terminado." Minha mãe disse, como sempre, sendo advogada do Diabo.

"Mãe ela traiu ele."

"Tirando que ela sempre foi horrível não só pro Cameron, mas também pra Angel. Ela nunca tratou nenhum dos dois bem, querida." Ashton falou.

"Ah, mas o Cameron também não é uma pessoa fácil de se conviver, e ninguém é de pedra, não é mesmo?"

"Mãe qual o seu problema com a Vanessa? Ela é uma vadia, pelo amor de Deus!" Falei.

"Eu só penso que ela já fez seu irmão muito feliz, minha filha."

"Nossa, mas o tanto que ela já deixou ele pra baixo e com raiva..." Falei.

"Quando a Vanessa deixou seu irmão desse jeito?"

"Muitas vezes, você não convive com seu próprio filho, lógico que você não iria saber." Falei.

"Vamos assistir o filme? Por favor!" Ashton falou. "Obrigada! No único dia que eu tenho folga vocês ficam brigando como cachorros de rua!"

"Tudo bem." Falamos juntas.

"Então, Angel, como foi a festa?"

"Quer que eu te conte que parte? A parte em que o Cameron me jogou no chão, a parte que ele tava agarrando uma menina de dezesseis anos, a parte que ele tava com bafo de álcool ou a parte que ele tomou um soco no rosto do meu amigo porque estava me machucando enquanto me arrastava pra fora da festa?" Minha mãe me olhou com os olhos arregalados.

"Seu irmão fez isso?" Ashton perguntou. Eu assenti. "Não estou reconhecendo ele."

"Nem eu."

"Isso começou quando ele terminou com a Vanessa." Minha mãe falou e se levantou. "Mas como eu já vi que vocês têm um pacto padrasto-enteada contra a menina, eu vou pegar algo para beber" 

"Não está com fome?" Ashton perguntou.

"Sim."

"Vamos, vou fazer algo pra você comer também, deve estar morrendo de fome."

"Obrigado." Sorri.

Meu celular vibrou em cima do braço do sofá e eu o peguei, vendo a mensagem de Shawn.

Shawn: Estou indo pra casa da Melissa, quer que passe aí pra você ir também? (15:50)

Você: Claro, só vou me arrumar e comer alguma coisa, acabei de acordar. (15:50)

Coloquei o celular no braço do sofá e andei até a cozinha.

"Ash, Shawn me chamou pra ir na casa da namorada dele, vou me arrumar e já venho comer, tudo bem?" Falei me apoiando na bancada ao lado do fogão, onde ele fazia panquecas pra mim.

"Tudo bem, não demore." Ele beijou minha testa e eu corri pro andar de cima.

Vesti um moletom rosa claro, uma calça jeans azul rasgada e calcei um Superstar da cor do moletom, amarrei meu cabelo em um rabo de cavalo alto e desci para comer, em vinte minutos mais ou menos Shawn estava na frente da minha casa e eu já tinha comido e escovado os dentes.

"Meu padrasto falou que você me trouxe pra casa ontem." Falei.

"Eu?"

"Sim. Ele disse seu nome. Disse que um tal de Shawn Mendes me levou pra casa desacordada ontem." Eu ri ele me olhou confuso "Não estou brava, eu ia agradecer na verdade!"

"Eu não te trouxe, na verdade eu te perdi de vista na festa."

"Então que trouxe?" Perguntei.

"Matthew te levou pro segundo andar ontem, e depois eu não vi mais você nem ele."

"Ele me levou pra casa?"

"Eu falei que ele não era uma pessoa tão ruim assim quando você conhece ele." Ele respondeu sorrindo.

"Shawn, me deixa na casa do Matthew."

"O que?"

"Me deixa na casa do Matthew, eu preciso resolver essa história."

"Mas pra quê? Ele não fez nada com você, ou fez?"

"Isso que eu quero descobrir!"

"Ele só deve ter sido gentil, Angel."

"Não, Shawn, o Matt não é gentil!"

"Você nem conhece ele."

"Só me leve pra casa dele, por favor."

"Tudo bem."

Shawn me levou pra casa de Matt e depois foi para a casa da Melissa. Bati na porta várias vezes e demorou um pouco para Matthew atender, mas atendeu, ele estava sem camisa usando apenas uma bermuda de moletom cinza e com o cabelo todo bagunçado.

"Precisamos conversar." Falei entrando na casa dele.

"Claro, você pode entrar Angelina." Ele disse fingindo que eu ainda estava na porta e esticou o braço pra dentro da sala "Posso saber o porquê dessa invasão em um domingo?"

"Por que você me levou pra casa ontem?" Ele bufou.

"Porque eu sou uma pessoa maravilhosa, agora ligue pro seu motorista e mande ele te levar daqui."

"Não vou embora até você me dar explicações." Ele bufou de novo e se jogou no sofá.

"Depende, qual a última coisa que se lembra?"

"Que você deu um soco no meu irmão."

"Depois disso você perdeu o equilíbrio e eu percebi que ia desmaiar ou dormir ali mesmo, aí eu te levei para um dos quartos da casa do Kian e te dei um remédio pra dormir, e quando você dormiu eu te levei pra casa e falei que era o Shawn exatamente pra você não vir aqui e fazer esse auê que estava fazendo agora, satisfeita?" Ele disse,  depois de hesitar. Resolvi não questionar, então apenas assenti.

"Mais nada?" Perguntei, desconfiada.

"O que mais eu poderia fazer?"

"Sei lá, me estuprar, me drogar, não sei."

"Você é muito paranoica. Era só isso?"

"Sim, só isso." Falei andando em direção à porta.

"Shawn está te esperando?"

"Você se importa?" Disse encostada na porta.

"Na verdade não, mas considerando que você vai com certeza se perder tentando ir para casa e vai acabar sendo sequestrada e eu fui o último que te vi, vou ter que dar entrevistas. E eu odeio repórteres." Ele falou.

"Está dizendo que eu não consigo chegar em casa sozinha?"

"Na verdade estou dizendo que vai ser sequestrada antes de conseguir chegar em casa. Aí você interpreta como quiser, nossos sequestradores podem ser rápidos."

"Você é um idiota." Falei.

"Eu To falando sério, volta aqui pra dentro. Vamos ensaiar. Melhor do que interromper o Shawn e a Melissa, não acha?"

Respirei fundo e bati a porta, ele logicamente não ia me deixar ir embora, de qualquer jeito.
Fomos para a sala externa, onde tinham os instrumentos e ensaiamos algumas vezes. Ele estava estranho, não estava fechado e as respostas que ele dava não me pareciam ter sido pensadas para ser o mais grosseiras possível. Ele estava diferente.

"Eu não aguento mais cantar exatamente a mesma música. Eu To morrendo de dor de cabeça, a gente pode fazer uma pausa?" Perguntei.

"Você é insuportavelmente fresca." Ele falou se levantando.

"E você é um grosso ridículo!" Falei seguindo ele.

"O grosso ridículo estava pensando em te dar algum remédio e perguntar se você não quer ver um filme pra se distrair e depois continuamos tocando, mas agora a ideia de você ser sequestrada enquanto tenta achar o caminho de casa parece ser boa." Ele falou andando pra cozinha.

"É sério?"

"O que é sério?"

"Que ia me dar remédio?"

"Angel por que você acha que eu sou um monstro de sangue frio que quer que todas as almas vivas ao seu redor morram queimadas só para assisti-las em agonia?"

"Porque você é."

"Você ainda não me conhece o suficiente pra dizer isso." Ele abriu a geladeira.

"Te conheço mais do que eu queria conhecer."

"Isso porque eu nem se quer sei seu sobrenome."

"Dallas."

"Nasceu lá?"

"Não doente, meu sobrenome. Dallas."

"E onde você nasceu?" Ele disse revirando as gavetas.

"Califórnia."

"Por que saiu de lá?"

"Não te interessa."

"Depois eu sou grosso."

"Você é. Grosso e intrometido."

"E você é mimada, fresca, irritante, arrogante e mal agradecida." Ele colocou o copo na bancada que eu estava apoiada junto com um comprimido.

"O que é isso?"

"Drogas. Vou te apagar, aí te abrir e depois vou vender seus órgão pra máfia japonesa, o que você acha que é?"

"Acho que as vezes você até tenta ser gentil, mas o seu corpo tem um tipo de defesa que transforma tudo o que você fala em grosseria."

"Eu tenho uma defesa contra burrice."

"Não me chame de burra."

"Não chamei de burra."

"Chamou de que então?"

"Tem razão chamei de burra."

"Pra mim já chega, eu vou pra casa. Obrigada pelo remédio, mas não precisa se incomodar, aposto que está doendo profundamente em você me dar esse remédio." Falei me levantando e tirando o celular do bolso para ligar para Shawn.

Encostei o celular no bolso e antes que eu pudesse sair, Matt me puxou de volta e com o impulso, nossos corpos ficaram mais perto do que nunca, mais perto do que imaginei que ficaria ou que gostaria de ficar algum dia. Uma de suas mãos estava segurando a minha e a outra estava nas minhas costas, enquanto uma das minhas mãos segurava o celular no meu ouvido e a outra estava no abdômen de Matthew.

Sem aviso, ou coisa do tipo, Matthew juntou nossos lábios e suas mãos foram para a minha cintura, minha mão foi enfraquecendo e o celular foi caindo, quando me dei conta, minhas mãos estavam na nuca de Matthew, eu mexia no seu cabelo conforme o beijo ia ficando mais profundo, e suas mãos iam segurando mais forte na minha cintura.

Era uma sensação estranha, como fogos de artifício estourando, meu coração estava acelerado, toda vez que ele mexia suas mãos eu me arrepiava, a sensação era como se eu estivesse pegando fogo, mas no bom sentido. Parecia algo que não só minha mente, mas também meu corpo queriam há muito tempo e eu nem sequer sabia disso, mas aí Meus pulmões foram contra todas as outras partes do meu corpo e nos separamos por falta de ar.

"Acho que... Acho que eu preciso ir embora." Falei pegando meu celular no chão e andando até a porta.

"Só tome o remédio antes." Ele falou.

Me virei pra ele e ele andava em direção à escada, logo ele sumiu no segundo andar.

Andei até o copo de água e o tomei junto com o remédio enquanto ligava para Shawn.

"Alô?" Ele disse.

"Trocou muita saliva com a Melissa?"

"Ridícula. O que aconteceu?"

"Nada, ele me explicou e nós ensaiamos um pouco, mas agora eu realmente quero ir pra casa." Afinal eu estava mais confusa do que nunca. Eu gostava dele? Ele gostava de mim? O que eu estava sentindo? Tudo aquilo era novo pra mim.

"Claro, já estou indo." Ele falou.

Desliguei o celular e esperei Shawn buzinar, o que não levou muito tempo. Entrei no carro dele e ele me levou até minha casa, onde Cameron e Anna também tinham acabado de chegar. Eu saí do carro, me despedi de Shawn e entrei antes que eles me notassem.
Não queria falar com Cameron, muito menos com Anna. Não acredito que os dois estavam mesmo fazendo aquilo, e ainda achando que estava certo.

Tirei os sapatos e me joguei no sofá ao lado de Ashton.

"O casal manga verde está do lado de fora."

"Manga verde?"

"É porque quando a manda tá verde ela ainda está, de certa forma, jovem de mais, e esse é o caso do Cameron, ele escolheu uma manga que é jovem de mais, ou seja, uma manga verde."

"Às vezes eu me pergunto de onde você tira essas coisas." Ele me abraçou de lado e Cameron abriu a porta.

"Oi família!" Ele gritou e puxou Anna pra perto do sofá "Onde está a mamãe?" Ele perguntou.

"Trabalhando." Ashton falou e eu me levantei, indo pro quarto.

"Onde você vai?" Cameron me perguntou.

"Por quê? Vai querer controlar aonde eu posso e não posso ir agora também? E quando eu for em algum lugar que você não aprova, você vai me arrastar pra fora também? Afinal você é dono da minha pessoa não é mesmo?"

"Para de drama, Angelina."

"Drama? Você precisou de um soco pra recuperar o juízo, Cameron! Não é drama coisa nenhuma!" Gritei.

"Eu estava tentando te ajudar! Aquilo estava horrível, você estava agindo como uma vagabunda!" Ele gritou e eu apenas olhei seu rosto virar algo que nunca tinha visto.

Apenas me virei e subi as escadas devagar enquanto me segurava pra não chorar. Como ele consegue ser assim comigo? O que aconteceu com o meu irmão?

Me joguei na cama e senti as lágrimas rolarem. Não estava triste pelas coisas que ele me disse, eu sabia que ele iria se arrepender daqui algumas horas, o que me deixava triste era ver o que ele tinha se tornado, ver o que essa cidade, ver o que Nate tinha feito com ele, ele tinha destruído o meu irmão, destruído meu porto-seguro.

Depois de alguns minutos eu lavei o rosto e desci as escadas de novo. Nem olhei na cara do meu irmão e da nova namorada dele, apenas atravessei a sala e fui até a casa de Larissa, bati algumas vezes na porta e Larissa atendeu usando pijamas.

"Oi amor!" Ela falou.

"Quer ir lá em casa? Eu não aguento ficar lá sozinha com a nova namorada do meu irmão."

"Seu irmão tá namorando de novo?" 

"Tá. Dezesseis anos." Revirei os olhos.

"Tudo bem então, vou trocar de roupa e nós vamos. Entra." Ela disse subindo as escadas que eram perto da porta e abandonando a porta aberta.

Segui Larissa até o segundo andar e esperei sentada em sua cama que ela colocasse sua roupa, pela primeira vez eu a vi com uma roupa simples: um moletom preto com alguns detalhes em cinza e uma calça também de moletom cinza, o cabelo estava preso em um rabo de cavalo alto e ela usava meias brancas com seu chinelo preferido. Descemos as escadas e entramos na minha casa, encontrando Cameron fazendo carinho no cabelo de Anna enquanto ela dormia com as pernas no sofá.

"Onde está Ashton?" Perguntei alto, chamando a atenção de Cameron e acordando Anna.

"Não precisa falar assim, ela estava dormindo." Ele falou.

"Lógico que estava, crianças geralmente dormem a tarde." Larissa disse e subiu as escadas. "Te espero lá em cima, Angel."

"Ele está trabalhando." Cameron falou abraçando Anna.

Ela não me parecia nem um pouco feliz, talvez com o comentário de Larissa. Acho até que estava prestes a chorar. Abri a porta do quarto e vi Larissa sentada na minha poltrona mexendo no celular.

"Quer saber? Isso é ridículo! Ele é ridículo!" Ela falou soltando o celular e passando a mão no rosto. "Como é que posso estar apaixonada por esse idiota que nem mesmo sabe o que quer?!"

"Lari você sabe o que eu acho, é sempre assim. Cameron é teimoso e isso é uma fase, no fim vocês vão ficar juntos!"

"Não, não vamos. Eu não aguento mais ele, você não tem ideia do escândalo que ele fez quando eu estava com o Jessie, ele voou no pescoço dele e..."

"Jessie?" Interrompi.

"Sim."

"Jessie de quê?"

"Angelina não perguntei o sobrenome do cara!" Ela falou alto, como se fosse obvio, mas depois pareceu se lembrar de algo "Ele se apresentou depois, nós conversamos um pouco antes do seu irmão ter um ataque de raiva, ele disse um sobrenome que começava com D, mas não me lembro qual..." Disse franzindo o cenho.

"Doen?" Ela arregalou o olho apontou pra mim.

"Isso mesmo!"

"Tá bom, acho que você beijou o namorado da Becca."

"Namorado da Becca?"

"Sim."

"Pensando bem pode ser, eu nunca conheci o namorado dela. Mas ele está em Chino Hills."

"Quem garante?" Perguntei.

Peguei meu celular no bolso e mandei mensagem para Becca.

Você: Rebecca? (18:20)

Joguei o celular na cama e cheguei perto de Larissa.

"Eu vou lá pra baixo buscar algo pra comer, já vi que isso vai me render muita dor de cabeça." Falei.

Desci as escadas e reparei o olhar raivoso de Cameron sobre mim, mas ignorei, tinha mais coisa pra me preocupar além da ira de um homem de dezenove anos que se comporta como uma criança. Andei até o armário e peguei um pacote de salgadinho, abri e atravessei a sala comendo, ainda sentindo o olhar de Cameron sobre mim.

"Você não acha que já chega de você ficar me olhando com essa cara de demônio?" Perguntei na escada.

"Angelina eu não quero discutir com você."

"Nem eu quero, não quero discutir, não quero falar com você, não quero nem dividir a minha casa com você."

"Sua casa? Angelina essa casa era minha dois anos antes de ser sua!" Ele disse se levantando.

"É e ela era minha um ano antes da sua namorada nascer."

"Vai mesmo voltar pra esse assunto?!" Ele disse andando na minha direção.

"Cameron ela tá deitada no sofá, dormindo!" Falei.

"Ela é sua amiga, não achei que fosse ficar agindo desse jeito ridículo!"

"Exatamente por ela ser minha amiga que eu acho super errado vcs namorarem! Isso é ridículo!" Gritei.

"Ela não é minha namorada e se fosse você não tem que ficar opinando sobre o que eu faço ou deixo de fazer! Você não tem nem dezessete anos e acha que sabe tudo da vida, pare de ser tão arrogante!" Ele gritou e ouvi os passos de Larissa atrás de mim.

"Não grita com ela! Quando você decidir o que você quer de verdade você fale alguma coisa, mas enquanto isso eu acho melhor você ficar bem de boa na sua." Ela falou levantando a mão.

"Eu? Confuso? Confuso por que, Larissa? Por que eu não quero mais você? Aprenda a lidar com rejeição!"

"Rejeição?! Cameron você voou no Jessie não tem nem uma semana e eu não sei lidar com rejeição? Me poupe!"

"Eu não voei em ninguém!"

"Estava muito drogado pra se lembrar, então?"

"E você? Estava tão bebada que começou a ver coisas? Espero que dessa vez você não tenha matado ninguém!" Ele gritou.

Meu queixo caiu, assim como Larissa, ela agarrou o saco de salgadinhos da minha mão e jogou contra Cameron, o empurrando logo em seguida e indo em direção à porta. Cameron me olhou caído no degrau, eu neguei com a cabeça, me negando a acreditar que aquele era realmente o meu irmão e subi as escadas


Notas Finais


Então gente, deixem nos comentários o que vcs acharam desse capítulo e o que acharam da capa, ok? Não esqueçam do link pra o PS que eu falei nas notas lá em cima e muito orbgada por lerem! Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...