História Blame society - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, BTS Suga, Criminal, Gangue, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Min Yoongi, Namjin, Namjoon, Suga, Yoongi Bts
Exibições 61
Palavras 2.018
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Festa, Policial, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura ❤

Capítulo 25 - Sempre com você.


POV.Yoongi

Não havia ninguém lá em cima. Meu coração estava disparado porque ao que tudo indicava alguém havia entrando ali. As cortinas balançavam e voava para dentro do quarto com o vento forte que soprava lá fora. A porta da varanda do meu quarto tinha sido arrombada e os cacos de vidro estavam espalhados pelo chão.

Jaebum entrou no quarto com um olhar de curiosidade e olhando aquilo tudo confuso.

– Alguém entrou aqui. – disse constatando os fatos.

– Impossível. – disse ele.

– Ta me chamando de mentiroso agora, porra? – falei nervoso pela incompetência daqueles idiotas. Porque se alguém tivesse realmente entrado ali a culpa era deles.

– Não, mas é que é difícil de acreditar, porque os seguranças estavam espalhados pelo jardim e não notaram nada de estranho.

– Eu estava no quarto quando escutei um barulho aqui em cima… Subi e encontrei a porta da varanda arrombada e o vidro quebrado. – falei nervoso e Jaebum não tirava o olhar da arma que estava em minhas mãos, ele estava medindo bem as palavras.

– Não acredito que minha equipe falhou desse jeito.

– Nem eu acredito que vocês são tão incompetentes. – falei um pouco nervoso.

– Deve ter outra explicação isso é impossível. Não tem como uma pessoa entrar aqui sem ser vista.

– Mas é possível alguém ter entrado com a ajuda dos seus homens. – disse com autoridade e arrogante.

– A minha equipe é 100% Yoongi, impossível isso acontecer.

– Não perguntei se sua equipe é 100%, porque comigo ela falhou… Eu quero no saco quem entrou aqui e quero o filho da puta que ajudou degolado. – ele me olhou com os olhos arregalados.

Deixei-o no quarto examinando o local e desci. Guardei a arma de volta na gaveta e fui ver onde a Jade estava. Encontrei-a na cozinha.

– O que aconteceu? – ela perguntou se aconchegando nos meus braços, quando cheguei perto dela.

– Nada de mais. – ela apertou os olhos e se afastou me olhando com os olhos cerrados.

– Aquele monte de segurança subiu lá pra cima e não foi nada de mais? – ela gesticulou com o dedo.

– Só estão fazendo a segurança da casa. – eu medi as palavras que seriam ditas não queria assustar ela dizendo que alguém entrou na casa enquanto dormíamos. Ela revirou os olhos.

– Não gosto de mentiras. – ela arque-o as sobrancelhas com um ar autoritário.

– Eu não menti, eles estão fazendo a segurança da casa. – tomei um copo de suco para refrescar a garganta.

– Ok. – ela se afastou indo para meu quarto.

Entrei no escritório e Jaebum surgiu. – Yoongi, tenho quase certeza de que quem entrou no seu quarto foi uma mulher.

– Então agora você concorda que alguém entrou aqui?

– Me desculpa por ter te contrariado.

– Como você sabe que foi uma mulher?

– Um homem não usaria este tecido e nem seria tão delicado ao rasga-lo. – ele me mostrou que tinha nas mãos um pedaço de pano rendado e uma faca.– Não sabemos se o intuito era te matar.

– Ah então você tem outra hipótese? – falei irônico.

– Não, eu não sei como isso aconteceu. – Jaebum disse ele estava mais perdido do que cego em tiroteio.

– Eu contratei você para fazer a minha segurança e vocês falham comigo? Eu poderia nesse exato momento mete bala na testa de cada um.

– Yoongi a gente vai descobrir quem foi, mas o intuito não era te matar.

– Tem muita gente querendo me matar, e você ainda acha que invadiram a minha casa no intuito de que?

– Você deu falta de alguma coisa?

– Não. – respondi frio.

– Então se fossem te matar, teria feito isso porque entrou sem ser notada e te matar seria muito fácil, pois sua presença não foi notada.

–Ok, suba e se junte com os outros seguranças, espero que consiga descobrir quem tenha sido. – Ele concordou e eu o chamei novamente.– Liga para os meninos e manda irem pro galpão. – Ele concordou. Fui para meu quarto enquanto a Jade tomava banho.

POV.Jade

Tinha acabado de sair do banho quando Yoongi entrou no quarto e se jogou na cama pensativo.

– Yoongi – chamei, e ele ainda continuava com a cabeça longe. – Yoongi! – desta vez gritei. Ele virou a cabeça lentamente me olhando.

– Tenho que ir para o galpão. – a cara dele não era nada satisfatória.

– Eu não vou ficar aqui sozinha com esse monte de homens dentro de casa.

– Eles lá fora, ou aqui dentro. – ele deu de ombros. – Não faz diferença.

– Eu não vou ficar aqui. – falei brava, ele me fuzilou, mas não disse nada abriu a porta do banheiro e entrou. – Yoongi eu to falando com você. – o segui enquanto ele ligava o chuveiro.

– Não dá pra você ir Jade – ele falou sendo paciente demais.

– Entraram aqui?– Perguntei me apoiando na pia do banheiro.

– Sim.– Ele respondeu calmo enquanto passava o sabonete no corpo.

– Ahh… E você quer me deixar aqui ainda! Agora que eu não fico mesmo.

– Jade não tem nada a ver. Os seguranças estão aqui e nada vai acontecer. – ele estava secando o cabelo na toalha.

– Quem me garante? – perguntei desafiadora. – Tinha você e eles aqui e não hesitaram em entrar. Não confio. – levantei e sentei na cama cruzando os braços brava. Nisso eu não mentia quem me garantia que nada poderia acontecer comigo, estavam ele os seguranças em casa e mesmo assim entraram.

Ele revirou os olhos e bufou, o que eu tinha dito fazia um pouco de sentido. - Ta… Vamos Jade. – ele disse não muito convencido daquilo.

Fui para quarto e coloquei uma calça preta bem colada que deixava as curvas do meu corpo bem salientes troquei a blusa por uma regata branca e coloquei o tênis que já estava.

[..]

POV.Yoongi

– Por que você acha que tenha sido a Sook?– pergunta Namjoon.

– Pensa comigo, provavelmente foi uma mulher que "entrou" na minha casa e a Jade viu a Sook e o Taeyang juntos a algum tempo. Ela está trabalhando para ele.

– Pera ai, o que? A Sook e Taeyang?– V pergunta confuso.

– Ae você não estava no dia que a Jade contou mas...Ela viu eles juntos.– A boca dele formou um perfeito "o".

– Então é isso, ela saiu de casa para morar no ele.

– Por que ela sairia para morar com ele?– pergunto confuso.

– Porque a uns dias atrás quando estava perto de casa avistei Taeyang próximo a minha casa, e quando subi Sook estava arrumando suas malas dizendo que iria se mudar.

–Por que vocês não nos contou isso?– JHope pergunta.

– Pensei que vocês não gostassem dela.

– Não gostamos. Mas a partir do momento que o Taeyang tiver envolvido é do nosso interesse.

– Tudo bem.– Ele concordou suspirando.

– O que faremos agora? – Jin pergunta depois de passar um bom tempo calado.

–Nada, mas ficaremos atentos a qualquer passo do Taeyang e da Sook.– suspirei e observei Jade que estava intertrida em seu celular.– Mas, e o Jimin? Como ele está?– Nesse momento ela nos olhou.

– Ele está bem, o jungkook ficou com ele.

– Amanhã irei visitar ele.– murmurei bocejando.

– Acho melhor nos irmos, está tarde e ficar aqui não vai adiantar de nada.– Namjoon fala se levantando e eu o acompanho.

–Tem razão, vejo vocês amanhã.

–Me despeço deles assim como Jade e então vamos para casa.

POV.jade

Entramos no carro e meus pensamentos estavam longe. Enquanto Yoongi dirigia ele mantinha sua mão sobre a minha, que estava repousada sobre minhas coxas. Por um momento não sinto nada, mas a cada hora isso muda e eu tenho sentimentos momentâneos, cada pequena palavra, pequenos toques, pequenas atitudes. Tudo isso engloba um único querer que eu me recuso a aceitar. Eu estou apaixonada por esse homem. Tenho uma dependência afetiva por ele e isso está se tornando uma doença para mim, tenho necessidade psíquica de estar com ele. Sinto como se cada terminação nervosa do meu corpo fosse eletrificada pelo tesão, pela vontade… Sinto como se houvesse um abismo fervendo de desejo, queimando dentro de mim, pronto para explodir. Ele para o carro e então descemos, ele agarra minha cintura e beija minha nuca, sinto meu corpo todo se arrepiar, enquanto subimos as escadas ele repete o mesmo ato.

–Você não vai para o quarto?–pergunto ao notar que ele desvia o caminho.

–Vou resolver um assunto rápido no escritório, vá dormir você está cansada.–ele me dá um selar rápido e vai para escritório.

Suspiro e vou para o quarto, troco minha roupa por uma mais confortável, não estou com sono então me deito de bruços agarrando o travesseiro com o cheiro dele.

POV.Yoongi

Minutos haviam se passado e eu ainda me encontrava no escritório. O frio na espinha me subiu. Min Yoongi… Sempre tão seguro de si, tão impiedoso, agora eu me encontrava sentado no meu escritório tentando achar um jeito de combater o filho da puta do Taeyang, ele já estava jogando sujo queria minha cabeça de qualquer jeito ele estava desesperado para me ver morto nada e nem ninguém iria tão longe ao ponto de invadir minha casa ele estava disposto a acabar comigo. Meu cérebro me mandava recuar, mas eu tinha que acabar com o cretino ou ele acabaria comigo.

–Você fica muito sexy com esse shorts vermelho e nessa posição é um grande convite para quem chega cansado –comento assim que entro no quarto dando de cara com a bunda da Jade empinada em minha direção.

–Ih sujo, Yoongi chegou.–Jade falou desligando o telefone e eu ri.

–Quem era?

–Tae.– ela disse voltando a se deitar.

POV.Jade

– To muito cansado. – ele jogou a cabeça pra trás e eu beijei pescoço dele.

– Então pode recuperar suas energias. – ri safada e ele balançou a cabeça e um sorriso malicioso começou a aparecer no rosto dele. Puxei ele pela mão o colocando de pé depois pulei no colo dele entrelaçando as minhas pernas na cintura dele comecei a distribuir beijos pelo pescoço enquanto senti-o enterrando as mãos na minha bunda.

Ele me levou no colo depois me jogou na cama, fiquei olhando para ele e mordi os lábios inferiores queria ver ele me enlouquecendo. Ele subiu em cima de mim e eu senti quando minhas unhas passearam pela barriga dele deixando marcas profundas. Ele estava prestes a rasgar minha roupa quando me levantei correndo.

– Yoongi esse aqui não. – neguei não o deixando rasgar o meu pijama. – Esse é especial.

– Depois eu compro outro pra você Jade. – ele veio pra cima de mim com impaciência e eu fugi ficando em cima da cama.

– Não, deixa que eu tiro. Posso até fazer um strip-tease. – ele me olhou com aquela cara de safado que eu adoro.

– Jade isso é mais legal quando eu tiro a sua roupa. – ele disse impaciente.

POV.Yoongi

Jade estava com um fogo que não era dela. Segurei-a pela cintura e a puxei contra o meu corpo. Mordia seu pescoço enquanto ela arranhava a minha nuca. Tirei o sutiã com uma mão e joguei em algum lugar do quarto, segurei os cabelos dela e mordi beijei chupei aqueles peitos gostosos, fui descendo até chegar às pernas, abria as pernas dela e comecei a brincar com ela. Ela arfava e segurava os gemidos, é engraçado o jeito que ela é tímida às vezes ela parece ser tão direta tão certa e objetiva, mas tem hora que ela mostra para mim o quanto é frágil e inocente, ela sabe me tirar da razão, ela me confunde me deixa impulsivo, intenso, desorientado parece que ela me consome enquanto me da às melhores sensações.

POV.Jade

Eu deslizava minha mão no peito dele descendo e subindo. Ele tinha se superado a verdade é que ele era bom nisso, estávamos outra vez deitados na cama, ele estava brincando com o meu cabelo, enquanto eu estava com a cabeça enterrada no peito dele escutando a respiração gostosa e ofegante que ele estava depois de termos chegado ao ápice juntos. – Eu estou quebrado. – ele disse com uma voz rouca e baixa. 

É o cheiro, o abraço, o beijo, o calor do corpo dele aquecendo o meu, a proteção que eu sinto quando estou ao lado dele, tudo isso é impossível de explicar é o impossível decifrar o jeito descompensado que o meu coração fica quando estou junto dele. Eu tento traspor as palavras fugir disso tento não querer sentir, mas é impossível eu não consigo negar que estou viciada nesse cara


Notas Finais


Antes de tudo: vocês gostaram? foi chato? ficou muito curto?
Gente, a fic nem ia sair hoje mas eu não estava fazendo nada, o cap já estava pronto então resolvi postar. (isso não vai acontecer mais, eu acho.) Agora os próximos iram demorar pq nem se quer criei teorias ainda, maaaas né.
E o negócio do grupo no wpp, se vocês quiserem me enviem o número por mensagem!
ENFIM

Até o próximo cap 💜 (que eu não sei quando sai).

licce~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...