História Blind - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Exo, Kaisoo
Visualizações 191
Palavras 3.913
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oooi!!!

Eu sei que demorou um pouco mas como voltou às aulas e eu peguei uma doação de plot acabou atrasando um pouquinho, mas prometo que não vou mais deixar atrasar tanto!

Alguns avisos 》

▪Kaisoo que tem nas tags não é uma ilusão, ele vai rolar. Inclusive parece que vai chegar um professor novo de dança bem irritante por aí. Espero que gostem da forma que estou colocando os dois na história.

▪Lemon que tem nos avisos não é uma ilusão, vai rolar. Eu posso sinalizar ou algo assim, caso alguém não curta ler esse tipo de conteúdo. Mas tenham em mente que está no aviso, então uma hora ou outra aconteceria.

Agora chega de falar e vamos pro capítulo que tá bem fofinho. ♡

Capítulo 5 - I may be clumsy but I love you so much


Fanfic / Fanfiction Blind - Capítulo 5 - I may be clumsy but I love you so much

— Deita no chão... — o pequeno forçou meu tronco pra baixo e comecei a ficar preocupado com o que ele realmente queria ver…

— Baekkie, tem certeza que você… bom, sei lá, sabe que pegar em alguns lugares pode deixar as coisas meio difíceis, certo? — pergunto nervoso sentindo as bochechas esquentarem.

— Chanyeol-sshi você está me saindo um belo pervertido! — o menor agora estava sentado ao meu lado, me analisando como um médico analisaria um paciente. Não era bem aquilo que eu tinha em mente, poxa.

Fiquei em silêncio quando menor passou os dedos pelo meu cabelo deixando um carinho gostoso, enquanto no rosto mantinha um sorriso doce e nada malicioso.

— Vou tocar seu rosto agora, certo? — a voz dele não passava de um sussurro baixinho e carinhoso, talvez por isso quando respondi minha voz era apenas um sussurro delicado, também.

— Pode tocar, Baek. Não precisa avisar, — peguei os dedos que pairavam um pouco acima do meu rosto e deixei que tocassem a pele da minha bochecha. — apenas toque onde pensa que deve tocar.

— Certo.

Os dedos viajaram até meus olhos e delinearam meu nariz, o menor traçou então um caminho da minha testa até meus lábios, passando os dedos delicadamente em meu lábio inferior. Sem me controlar dei um selo leve nos dedos que analisavam minuciosamente meus lábios, arrancando um sorriso largo do moreno.

Tudo estava indo bem, estava delicado e eu poderia pegar no sono a qualquer momento com Baekhyun acariciando meu rosto daquela forma. As coisas só começaram a ficar diferentes quando o menor desceu os longos dedos pelo meu pescoço. Senti os dedos passearem por meu pescoço e fechei os olhos com força tentando não levar aquilo pro lado errado. Baek estava concentrado e vez ou outra sorria, imaginei que fazendo algumas observações pessoais sobre meu corpo.

— Seu pescoço é muito bonito Chanyeol, seu rosto também, na verdade. Para os padrões que desenvolvi, claro. — o menor tinha os olhos azuis brilhantes serrados, podia jurar que ele estava ficando tão excitado quanto eu.

— Então eu sou bonito? — sorri gostando do elogio que finalmente recebi do garoto.

— É sim. Mas eu tenho meus próprios padrões, certamente são diferentes dos seus... — enquanto falava o menor descia os dedos por meus braços, quando chegou em minha mão colocou sua semelhante dentro da minha comparando os tamanhos. — é absurdo a sua mão da praticamente duas da minha!

— Você que é pequeno de mais! — entrelaço os dedos na mão livre enquanto a outra continuava explorar, agora, a lateral do meu peito.

— Você é bem bonito mesmo. Assim, quando a gente não consegue enxergar acaba desenvolvendo alguns conceitos de beleza. Seus olhos são grandes, sua boca parece ser grossinha, seu nariz é reto, braços largos, costas largas… você parece ser bonito tanto no meu conceito quanto no de qualquer outra pessoa, Chanyeol.

Meu coração batia muito rápido. Na verdade, era algo entre bater muito rápido e poder parar de bater a qualquer momento. Quando os dedos dele tocaram meu peito, senti um arrepio percorrer a espinha e comecei a me perguntar se ele realmente tinha não tinha noção do que estava fazendo comigo.

— Pronto!- o moreno anunciou sorrindo e sentando direito no chão cruzando as pernas. — Pode se considerar bem bonito.

Eu estava quase implorando para que ele continuasse. Ter os dedos suaves viajando por meu corpo era a melhor sensação do mundo, ainda com nossos dedos entrelaçados levanto e puxo o corpo do menor para se sentar entre minhas pernas, com as costas apoiadas no meu peito, deixando sua orelha na altura exata da minha boca.

— Eu posso também? — digo sentindo o cheirinho de trás da orelha dele, passando o nariz com carinho pela extensão do pescoço. — Ver você, quero dizer. Eu gostaria de poder ver da mesma forma que você me viu agora…

— Mas você já pode me ver, Channie...-a voz doce não passava de um sussurro, mas dessa vez o sussurro soava muito mais excitante do que apenas delicado.

Coloquei as duas mãos na cintura do menor trazendo seu corpo para mais próximo do meu enquanto traçava um caminho de pequenos selinhos entre a nuca e o pescoço esguio do menor. Quando ouvi o pequeno suspiro escapar dos lábios de Baekhyun evolui os selos para pequenas mordidas na curva do pescoço, passando a língua vez ou outra onde meus dentes tinham acabado de marcar. O menor deixava suspiros sôfregos saírem livremente dos lábios parecendo perder a vergonha e se deixando levar pelo momento.

— Eu espero que vocês tenham deixando pizza pra mim. — abri os olhos e dei de cara com o amigo de Baekhyun olhando com indiferença para nos dois enquanto retirava os sapatos para poder entrar na casa. — Porque eu estou bem bravo e bem faminto.

Da onde diabos ele tinha saído? A porta nem ao menos fez barulho quando ele entrou. De que profundezas a criatura de olhos arregalados saiu que chegou tão silenciosamente?

— Deixamos dois pedaços, Soo! — me surpreendendo mais ainda Baekhyun não saiu de perto de mim. Apenas continuou sorrindo e encostado no meu peito, não parecendo se importar em ter sido pego no flagra. Sinceramente nem Kyungsoo pareceu incomodado com a cena, então porque eu deveria me incomodar?

— Eu deixei dois pedaços. — passo o braço pela cintura do menor trazendo-o mas para perto, sem conseguir conter o abraço possessivo. — Baekhyun comeu cinco pedaços de pizza e eu não aguentei mais do que três.

— A pizza era absolutamente toda minha e eu estou sendo legal e dividindo, isso sim. Por tanto não ousem reclamar! — o menor passou o braço pelos meus apertando ainda mais o meu abraço em sua cintura. — Porque demorou tanto, Soo?

— O idiota do professor novo de dança lá da ARDEVA atrasou de mais, ele tinha que deixar os papéis lá, mas demorou tanto que quando chegou só tinha eu esperando o idiota- Kyungsoo dizia cada palavra de modo assustador enquanto dava uma dentada no meu ex pedaço de pizza que já estava em suas mãos.

— Ele ia chegar hoje?? — o que estava entre meus braços pergunta animado. — Se eu soubesse tinha ido recebe-lo também!

Ei! Não tinha não. Ele estava ali comigo! Quem esse professor de dança blablabla pensa que é pra roubar o meu garoto?

— Você não perdeu nada, — Kyungsoo ainda parecia alimentar o próprio ódio com a pizza não a si mesmo. — Kim babaca Jongin não é lá grande coisa.

— Soo, não fale assim! Sabe como é difícil achar voluntário com disponibilidade de tempo como ele! — o de olhos azuis repreendia o amigo que rolava os olhos impacientemente.

Eu já estava ficando irritado e acredite me sentia ridículo por isso. Ele só estava empolgado com as aulas que o tal professor daria na ARDEVA, mas meu cérebro idiota insistia em sentir ciumes.

Enquanto o amigo de Baekhyun comia minha "ex pizza" continuamos conversando sobre o projeto de balé que o mesmo tinha criado para incentivar tanto as garotas quanto os garotos. O projeto era maravilhoso, mesmo as crianças com deficiência auditiva poderiam participar. Kyungsoo e Baek eram muito sensíveis quando falavam dos que frequentavam a ARDEVA, principalmente sobre as crianças, os olhos azuis de Baekhyun queimavam de ansiedade quando pensava na felicidade dos pequenos quando soubessem que teriam aulas de dança.

Eu, como o bom ciumento que era tentei colocar meu cérebro pra funcionar pensando no que eu poderia fazer pela ARDEVA, não só para impressionar Baekhyun mas para que ele visse que eu também me importava com a causa, e eu realmente me importava. Era lindo ver duas pessoas se doar a uma causa sem esperar receber nada em troca; nada que não fosse o carinho daqueles que ajudaram.

Quando Kyungsoo se levantou dizendo que ia tomar banho anunciei que também já estava de saída, soltando, finalmente, Baek de meu abraço e automaticamente já sentindo falta do menor entre meus braços com o calor gostosinho que seu corpo passava para o meu.

— Mas você já vai? — o menor tinha um bico gigante nos lábios enquanto me seguia de perto até a porta, ainda sem soltar minha mão.

— Já faz tempo de mais que estou aqui, BaekkieKyungsoo a qualquer momento vai me expulsar e descontar a raiva que está sentindo do professor de dança em mim. — arranquei um sorriso do pequeno que estava parado enquanto esperava eu calçar meus tênis.

— Eu gostei muito… de você ter vindo aqui hoje, sabe? Me desculpe pelo acidente e... — encerrei a frase do menor com um pequeno selo no cantinho de sua boca, o lugar que ele tinha uma pintinha e que eu achava tão fofa.

— Não precisa se desculpar. — senti os dedos de Baekhyun encontrando os cabelinhos da minha nuca, fazendo um carinho gostoso e calmo. Deixei que minhas mãos descansassem na cintura do pequeno, já o trazendo para perto.

Desde o beijo não tinha nos desgrudando mais. O meu coração inflava cada vez que se dava conta que Baekhyun também o queria e agora tinha passe livre para beijar aquela boquinha quantas vezes quisesse, ou pelo menos assim esperava.

— Me avise quando chegar em casa, ok— o menor me deu um selinho nos lábios, me surpreendendo mais uma vez naquele dia.

— Eu mando uma mensagem... — disse próximo a orelha do moreno, vendo os pelinhos da nuca dele se arrepiar. Baekhyun era delicioso. E ver que ele não reprimia ou tentava esconder as reações do próprio corpo era mais excitante ainda.

— Mas vê se manda mesmo! Da outra vez você falou que eu deveria mandar e eu disse que você deveria também, se eu ao tivesse ligado estaríamos até agora esperando!

— Eu fiquei com vergonha… quer dizer, não queria que você me achasse bobo, nem nada... — disse envergonhado, escondendo meu rosto na curva do pescoço do menor, aproveitando para deixar alguns beijinhos ali também.

— Chanyeollie... — senti um arrepio ao ouvir meu nome tão próximo da minha orelha, seguido de um sorriso soprado. — Você é bobo, mas eu realmente gosto disso.

Sorri junto com o menor, aprofundando os selos que deixava em seu pescoço, transformando-os em pequenas sucções enquanto vez ou outra pincelava minha língua na pele onde meus dentes tinham acabado de maltratar.

Enquanto tinha o menor em meus braços, com a cabeça levemente inclinada me dando mais espaço para depositar beijos, decidi que não me importava em ser bobo. Sinceramente ser bobo era a melhor coisa do mundo se isso fizesse com que ele gostasse de mim.

                                  ◇

Kyungsoo pov's on

Sai do chuveiro ainda amaldiçoando as gerações do tal professor de dança irritantemente simpático que chegara com três horas de atraso na ARDEVA. Provavelmente um plano maligno para me matar de fome e ódio.

— Chanyeol já foi? — digo secando meus cabelos enquanto assisto Baekhyun olhar para o celular como se estivesse o enxergando. A não, de novo não. — Espero que não tenha sido por minha causa, não quis atrapalhar.

— Foi sim, mas claro que não por sua causa Soo, ele tinha aula pra planejar parece. Você nunca atrapalharia! Eu gostei muito do tempo que passamos juntos, foi muito divertido.

E tinha sido mesmo. Chanyeol era um cara legal e tinha tirado aquela impressão que eu tinha dele ser um stalker pervertido do meu amigo. Quando ele olhava para Baekhyun tinha a maior cara de bocó mundo, o que indicava que estava tão apaixonado quando Baek.

— Então vocês estão juntos agora? — digo sentando no mesmo que sofá que ele, encarando o sorriso de besta que crescia no rosto bonitinho de Baekhyun.

— Estamos? Não sei… não falamos sobre isso. Mas nós beijamos muitas vezes, o beijo dele é maravilhoso, Soo! E ele disse que me ligaria, espero que ele ligue ou mande mensagens mesmo dessa vez. — o idiota jogou o corpo pra trás, caindo dramaticamente no sofá enquanto apertava o celular no peito.

Pelo amor de todos os anjos que Chanyeol desse sinal de vida essa semana, aguentar Baekhyun feito um garoto apaixonado do ensino médio de novo estava além da minha capacidade de ser paciente. Muito além. Na semana passada aguentei o olhar ansioso do pequeno parar o celular até o limite, quando estava prestes a eu mesmo ligar e perguntar se o babaca não pretendia mais falar com meu amigo, dei a ideia dele mandar o idiota vir pegar a blusa fedorenta dele aqui em casa. A blusa não era fedorenta, eu que estava sem paciência, mesmo.

— Que barulho é esse?- Baekhyun se levantou quando ouviu algo parecer que tinha quebrado. — Algo caiu no chão?

— Parece que foi lá fora… fique aqui, vou ver o que foi, já volto.

— Mas pode ser perigoso!

— Acho que é só alguém se mudando para casa ao lado baek.

Coloco a cabeça pra fora da porta e vejo um homem alto retirando caixas do carro. Eu estava certo, era apenas uma mudança. Anúncio a Baekhyun que vou perguntar se o homem precisa de algo.

— Olá? Sou Do Kyungsoo, moro na casa ao lado. Precisa de alguma ajuda? Eu e meu amigo ouvimos... — o homem se virou e lá estava a maior cara deslavada do mundo. Era Kim babaca Jongin.

— Não acredito! Você mora aqui? — eu que não acreditava. Aquilo era muito mais do que minha pequena paciência poderia aguentar. — Estou me mudando pra cá!

Encarei o sorriso simpático apenas anotando mentalmente observações sobre as coisas mais irritantes nele, o sorriso largo, com certeza, estava em primeiro lugar. 

                                     ◇

Chanyeol pov's on

"Acabei de chegar em casa!" — mando sem conseguir pensar em mais absolutamente nada. Até mesmo escrever uma simples mensagem era emocionante, quando se tratava de Baekhyun.

"Você deixou sua camisa aqui, pretende deixar uma roupa comigo a cada encontro?"

Sorri comigo mesmo, lembrando só agora da camisa xadrez esquecida na casa do menor. Eu sinceramente adorava saber na casa dele tinha algum pedacinho meu, ele poderia até mesmo usar as roupas para dormir apenas para deixa-las com seu cheirinho. Aquilo só me faria mais feliz ainda

"Pensei que aquele dia não tinha sido um encontro." — digito lembrando das palavras do menor no restaurante semana passada.

"Bobo."

Sorri quase conseguindo ouvir o sorriso do menor ao dizer a palavra.

Sento no piano decidido a só ligar para Baekhyun quando estivesse com toda a aula especial que daria na ARDEVA montada. O problema é que meu cérebro de meleca não conseguia pensar em nada. Quer dizer, até conseguia, mas todos os pensamentos se direcionavam as mãos bonitas do garoto tateando meu corpo. "Enxergando" como ele dizia.

"Enxergando"

Era isso! Baekhyun era tão genial que me dava ideias mesmo quando não sabia que estava dando.

Seria simples e perfeito. Eu ensinaria expressões de sentimentos e cores com música as crianças que não conseguiam enxergar; para as crianças que não ouviam eu levaria um amplificador grande e deixaria que sentissem as ondas sonoras; e para as que não falavam ensinaria que poderiam se expressar com música. Seria perfeito! Podia ver os olhinhos de Baekhyun se empolgando quando eu contasse pra ele.

Sem conseguir esperar até amanhecer ligo para Baekhyun, mesmo sabendo que já passava da meia-noite.

O telefone chama duas vezes e o menor atende, com a voz preguiçosa e manhosa.

— Te acordei? — digo sorrindo com o suspiro fofo que o garoto solta.

— Não, eu estava lendo na cama, aconteceu alguma coisa? — posso ouvir o pequeno bocejo.

— Lendo com essa voz de sono? — o menor sorriu envergonhado. — Mas deixa eu te falar rapidinho, — minhas palavras não saiam mais alto que um sussurro. — pensei em uma aula especial para crianças na ARDEVA… Queria te mostrar.

— Sério?- a voz do menor agora parecia desperta e ansiosa. — Conta! Ai não acredito! Pensei que você estivesse falando da boca pra fora!

Sorrio com a empolgação do garoto crescendo antes mesmo que eu tivesse contado a ideia.

— Na verdade, eu gostaria de te dar essa aula teste, aí se você gostar nos podemos mostrar o projeto a Kyungsoo, que tal?

— Genial! Quando podemos fazer isso??

— Quer vir aqui amanhã? Vou precisar dos meus instrumentos, então eu posso buscar você e assim te mostro o que tenho em mente. Minha última aula acaba às quatro.

— Eu saio da ARDEVA às cinco. Posso pegar uns táxi e chego aí rapidinho.

— Claro que não, eu vou te buscar!

— Eu posso pegar um táxi!

— Se você não parar com isso não te passo o endereço e você nunca saberá a ideia incrível que eu tive!

— Espero que essa ideia seja incrível, mesmo. — ele sorriu irritado.

Depois de mais alguns minutos dele tentando me convencer a contar o que eu tinha em mente me despedi quando ouvi mais um bocejo fofo, obrigando-o a ir dormir logo e avisando que amanhã o ligaria de novo. O pequeno murmurou um sonolento "Boa noite, Channie." e meu coração se derreteu inteiro. Em menos de um mês Baekhyun me tinha nas mãos. Dessa vez minha lista mental se chamava "melhores momentos que passei com o Baekhyun depois que nos beijamos pela primeira vez".


Notas Finais


Cara, cada vez que termino de escrever um capítulo de Blind fico toda derretida com Chanyeol bobão. Channie fofo e apaixonado meu conceito favorito.

E esse ódio todo do professor novo em Soo??
Falando no Kyungsoo dessa vez conseguimos saber o que se passava dentro da cabeça dele! De vez em quando vou dar alguns pov's pra ele, assim saberemos a história por outra visão que não a apaixonadinha do Chan.

Espero que tenham gostado e já adianto que capítulo que vem vão ter fortes emoções hehehe

Qualquer erro que eu tenha deixado passar pesso mil desculpas, sempre de cabeça mais descansada dou outra revisada, mas caso vejam antes podem me avisar!!

Obrigada quem leu até aqui. ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...