História Blood and Chocolate - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts Em Geral, Ficção, Jungkook, Romance, Seres Mitológicos
Visualizações 29
Palavras 1.276
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OPA BÃO??? Ook parei 🙂🙂🙂
Gente, espero que estejam gostando.
Por favor, leiam as notas finais.. Eeeeeee.... (Tambores tocando)
BOA LEITURA PESSOAS DO MEU ❤

Capítulo 2 - Again


Fanfic / Fanfiction Blood and Chocolate - Capítulo 2 - Again

Ótimo. Fiquei tão vidrada naquela loja que cheguei atrazada para o jantar,  e como o esperado: Vovó quase teve um surto quando me viu vermelha como uma pimenta e toda suada por conta de ter corrido durante dez minutos pra não chegar tarde em casa. 

Desde que meus pais se foram, meus avós me acolheram de uma forma incrível. Tanto que há vezes que os chamo de omma e appa. Eles se preocupam tanto comigo que chega a ser um pouco sufocante, pois até meus 15 vovó me colocava pra durmir e cantava para mim. Parece infantilidade, mas eu amava a atenção que eles me davam. Sempre se preocupavam e faziam o possível para me ver bem, faziam até de mais. Há vezes que insisto em dizer "não precisa omma", mas ela é insistente : " Não se preocupe meu amor, sabe que gosto de te agradar e te mimar ", logo me entrego às carícias e agrados de minha hajuma e acabo cedendo. 


-- _______, pode me passar o tempero do potinho azul? -- vovó me pediu estendendo a mão direita emquanto o resto de sua atenção ia para a panela que continha purê de batata que deixava um cheiro delicioso pela cozinha me fazendo ter água na boca. 


-- Claro omma. -- fui ao armário que se encontrava sobre a estante de comidas e á alcancei o potinho. 


-- Obrigada querida -- Agradeceu-me com um sorriso em lábios. Sorri em resposta -- Chame seu appa,  a janta está pronta. 


-- Sim senhora capitã de tal hábitat -- fiz uma reverência exagerada, quase encostando minha cabeça em meus joelhos, tirando uma risada alta dela. -- APPAAAAA!!! -- Fui até a sala. Dei um grito como se tivesse um inseto ao meu lado. Ele desceu correndo com um chinelo em mãos olhando para meus pés a procura de algo,  o que me fez rir extremamente alto a ponto de me curvar para frente e secar minhas lágrimas, o deixando confuso. Ele colocou o chinelo no chão e ficou me esperando parar de rir.  Quando me acalmei, ele perguntou:


-- O que aconteceu? 


-- Nada, só avisar que a janta esta pronta. Pensou o que appa? -- perguntei me dirigindo juntamente com ele á cozinha. 


-- Pensei que tivesse um bicho na sala e você estivesse com medo, quase me mata do coração -- botou a mão em seu peito forçando uma careta de dor,  o que me fez sorrir. 


-- Vocês dois -- omma apontou para nós dois com o talher -- tem que ser avô e neta mesmo.-- sorriu mostrando suas covinhas,  o que me fazia ter vontade de morde-la. -- Venham jantar,  e _______…


-- Sim? 

-- Depois da janta : Direto pra cama que amanhã a senhorita tem aula.  E nem pense em jogar o despertador na parede porque esse mês já é o terceiro que você quebra -- ela falou com uma voz autoritária, me fazendo prestar atenção com todas as forças -- Entendido? 


-- Sim senhora omma. 


-- Ótimo. 

* NO DIA SEGUINTE *

I’m gonna swing from the chandelier    From the chandelier.                                             I’m gonna live like tomorrow doesn’t exist.       Like it doesn’t exist... " 

O despertador tocou e dei um pulo na cama por conta do susto que levei quando a cantora gritou "I'm". Olhei o horário e eram 6:15 da matina, coloquei meus pés cama à fora e procurei por minhas pantufas de coelhos na tentativa de calça-las : sucesso. Cocei meus olhos e passei as mãos em meu rosto,  levantei por completo e fui até a janela para ver como o céu estava, "Pelo menos vai estar quentinho hoje", pensei comigo mesma e sai da mesma rumo ao banheiro realizar minhas higienes.  

Com as mesmas já feitas, fui para frente de meu closet e escolhi uma roupa confortável e ao mesmo tempo bonita para a ir. Peguei um vestido azul escuro,  e uma sapatilha preta, e uma lingerie preta. Me troquei e arrumei meus materias, penteei meus cabelos e deixei-os soltos, fiz uma make básica já que sou básica (kkkk), passei um creme hidratante e perfume em meu pescoço logo o distribuindo pela nuca e pulsos. Peguei meus materiais e sai de meu quarto. 

Desci as escadas em silêncio para não acordar meus avós, e rumei a cozinha, o relógio marcava 6:54, e eu ainda tinha que tomar café da manhã.  Deixei minha mochila em cima de uma das banquetas em volta do balcão que se encontrava ao meio da cozinha,  e fui revirar os armários procurando meu Sucrilhos. 


-- Achei você meu amor -- disse a mim mesma pegando a caixinha que continha um urso polar segurando uma tigela com Sucrilhos.  Depositei o conteúdo em uma tigela e bisbilhotei a geladeira em busca do leite. Quando o encontrei, depositei-o na tigela e começei a comer numa velocidade conhecida por mim como : lenta quase morrendo. -- MEU SENHOR !! -- engasguei com o Sucrilhos ao ver o horário que marcava 7:08. 

Comi o pouco que restará na tigela, e sai como o flash pela rua. (Sim, eu sei correr de vestido porque uso uma bermuda por baixo.) Ao chegar no ponto de ônibus o mesmo se aproximava e eu agradeci aos céus pela academia que eu frequentava.  

(…)

Eu faço faculdade de psicologia, pois amo o comportamento humano e desde criança sonho em fazer tal faculdade, e hoje realizei-o com sucesso. Estava quase no horário do intervalo,  e por mais que eu amasse minha faculdade, hoje a explicação toda foi resumida em teorias.                   Quando finalmente o sinal tocou, me levantei e fui até o refeitório e logo encontrei minha melhor e única amiga. 


-- Oih ______-- Minjee me comprimentou com um abraço apertado e confortável. Nos conhecemos no ensino médio no 1° ano, desde que me mudei para cá, ela foi uma das poucas pessoas que se aproximaram de mim. Ela é como uma irmã.  -- Está linda como sempre dongs. 

Senti uma leve ardência em minhas bochechas. Eu sempre ficava assim por seus comentários : corada.  


-- Olá...  Obrigada unnie, mas você sabe que me deixa envergonhada com esses elogios-- pus as mãos em me rosto com a intenção de diminuir a "queimação".

-- Sim eu sei,  mas você também sabe que apenas digo a verdade. 


-- Sim. 

Nosso relacionamento sempre foi bom.  Ela me dava ótimos conselhos e me ajudava bastante com palavras que muitas vezes eu não entendia.  Ela faz faculdade de advocacia, dando à ela vantagens por ser um ano mais velha que eu, e ela entender de várias coisas que não compreendo.                                                        Conversamos sobre coisas aleatórias até o sino tocar, nos despedirmos e cada uma voltar para sua sala : Vai ser uma longa manhã. 

(…)

Desci no ponto de ônibus que ficava a 5 quadras da minha casa.  Caminhava tranquilamente, até me deparar com a loja de deces do outro lado da rua. "Novamente". Pensei comigo. Como era de tarde ainda, decidi matar minha curiosidade. Não sei como uma simples loja de doce pode chamar tanto a minha atenção.  Ela era linda por fora: era pintada pelas cores azul turquesa e vermelho escuro, na placa, levava o nome em inglês " Sweet Home", e um biscoito com confeitos coloridos no "o" do "Home".

Após atravessar a rua, paro hesitante em frente a loja e me pergunto porque tal sensação me domina. Deixo os pensamentos de lado ao ver um garotinho de aparentemente 5 anos sair de mãos dadas com sua mãe, ele carregava consigo um pirulito grande colorido em sua pequena mãozinha, e na divisa de seu antebraço com o braço, uma sacolinha azul bebê. Adentrei a loja ficando logo encantada com o que vi. 

* Novamente*









Notas Finais


Vestido : https://static1.squarespace.com/static/54783e40e4b0306d2b18f2dd/t/55215736e4b07d5916ccadcd/1428248390207/

Obg por ler e pelos favoritos... Não esqueçam dos comentários.
Bjinhos 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...