História Blood, Sex and Rock'n'Roll - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carmilla
Personagens Carmilla, Laura
Exibições 75
Palavras 4.137
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


O cap ficou meio grandinho na minha opnião, mas eu senti necessidade de retratar tudo isso daqui em um capítulo só. Espero que gostem. Boa leitura ♥

Capítulo 14 - Dois extremos de um dia.


Fanfic / Fanfiction Blood, Sex and Rock'n'Roll - Capítulo 14 - Dois extremos de um dia.

                            Laura’s P.O.V

Aos poucos senti meu corpo sendo despertado de mais uma noite de sono. Há tempos eu não dormia tão bem. Ainda não havia aberto os olhos e estava aos poucos absorvendo a atmosfera do ambiente daquela manhã. Era uma manhã totalmente diferente pra mim. Eu tinha sonhado? Ou eu realmente tinha dormido na cama da Carmilla, nos braços dela? .. Dei um longo suspiro.. Estava frio eu podia sentir nos braços fora do cobertor, mas meu corpo estava bastante aquecido. Foi quando de fato constatei mãos protetoras que tomavam meu corpo pela cintura e meu tronco, sentia o calor e a gostosa sensação que emanava por ter um corpo a meu lado, enfim abri os olhos vagarosamente tendo a melhor visão que eu poderia ter ao acordar,. Eu não havia sonhado! .. Seu rosto a centímetros do meu, respiração tranquila, lábios entre abertos, totalmente agarrada a mim. Tirei a mecha dos seus lindos cabelos negros levemente com a ponta dos meus dedos deixando seu rosto mais a mostra. Deus, como é linda .. me tira o ar só em ficar a observando. Possui traços fortes e delicados ao mesmo tempo .. linha mandibular bem delineada e totalmente beijável, lábios finos e proporcionais sempre tão convidativos .. as vezes deixava  num tom deliciosamente avermelhado, os deixando ainda mais provocantes. Esses lábios escondia um sorriso maravilhoso que as vezes eu conseguia arrancar e era sempre tão único e esmagador. Um de seus dentinhos era levemente separado e até isso eu adorava. Eu adorava tudo nela ... suas pequenas mãos com esmalte preto e anéis, as pulseiras, o estilo .. sua postura atrevida de menina independente que pode fazer tudo o que quiser, sua personalidade forte, sua voz rouca que quando sussurrada em meus ouvidos me arrepia inteira, até o jeito que as vezes sua orelhinha fica saliente por fora das mechas do seu cabelo eu gostava .. ou quando ela despreocupadamente fazia um coque nos cabelos ou as caras e bocas e exclamações que soltava quando estava avulsa na leitura de um livro. Toda essa aura ao seu redor era orquestrada por um par de olhos maravilhosamente negros, intensos e misteriosos, mas também capaz de expressar muito do que ela sentia. Ela sem dúvida parece uma obra de arte que ganhou vida. Me mexi um pouco na cama e senti seus braços se apertarem mais em mim após meu movimento, porem ela ainda dormia .. sorri com essa cena. Me dava uma sensação gostosa essa proteção vindo dela e era indiscutivelmente irresistível e impossível negar o fato de que eu estou perdidamente apaixonada por ela.

_ Carmy!! – Sussurrei com a boca bem perto de seu rosto, tocando-lhe levemente com as pontinhas dos dedos. – Mmmmmmm!! – Ela resmungou sem abrir os olhos. – Acorde Carmy, temos aula!! – Ela sorriu, ainda sem abrir os olhos. – Só mais cinco minutinhos vaaai. – Falou de voz rouca encaixando o rosto na curva do meu pescoço, se agarrando em mim como um bebê urso.

Estava bom demais ali com ela agarrada a mim, ouvindo o barulho da chuva mansa lá fora, o quarto meio escuro com as cortinas fechadas .. tão propício.

_ Sabe que eu gostaria de passar o dia inteiro aqui com você se pudesse, mas não da .. tenho que entregar um trabalho hoje. - De repente ela abriu os olhos e se levantou apoiando-se nos cotovelos.

_ Vamos ficar aqui o dia inteiro Cupcake, vaaaaai! Eu invado a sala do seu professor depois e deixo seu trabalho lá. Se quiser posso até já escrever uma nota A pra você, só diga que sim.

_ Caaarmy!! – Falei de forma repreensiva. – Você não pode fazer isso, esta doida? – Dei uma risada.

_ Nhaaa, qual a vantagem de namorar uma vampira se não vai tirar proveito das habilidades dela? – Falou de uma forma manhosa, brincando com os dedos entrelaçados aos meus.

_ Namorar? .. Huum então é isso que somos?

_ Quer dizer, desculpa Cupcake sabe como é .. são ossos do oficio. É costume e... – Tudo bem Carmy, eu gostei de como isso soa. – Dei um beijinho na pontinha de seu nariz, rindo da sua expressão após eu dizer isso.

_ Vem, levanta logo.. – Segui ate o banheiro enquanto via ela se espreguiçar como uma gata de cara enfezada. Fiz minha higiene matinal, coloquei uma roupa, saí do banheiro e ela havia preparado café pra mim, tinha duas xícaras nas mãos veio andando para me entregar uma delas. Estava descalça e com os cabelos lindamente bagunçados .. ainda não havia se arrumado. Me deu um longo selinho assim que segurei a xícara e se encaminhou para o banheiro em seguida. Notei a garrafa de sua bebida especial que agora sei que é sangue em cima da pia, dei um leve sorriso enquanto tomava um gole do meu café caindo à ficha da ironia que havia ali. Estava inerte em pensamentos encarando a embalagem, quando me assustei com ela falando atrás de mim. – Vai furar a caixa com esse olhar daqui a pouco. Algum problema Cupcake? – Dei um pulo saindo do meu transe, ela já estava pronta.

_ Não Carmy, problema nenhum .. eu só estava aqui pensando. Como você faz, quer dizer .. pra conseguir ele? Não é ruim beber assim estando há dias na geladeira? – Ela deu uma risada.

_ Que preocupação repentina com a minha alimentação é essa garota? Bom, eu não roubo bolsas de sangue se é o q pode estar passando pela sua cabeça, tenho minhas maneiras de conseguir. E sim, não é muito agradável o gosto dele assim .. melhor fresco e tals, mas você sabe .. eu não tomo ele direto da fonte mais a muito tempo. Ele assim não me deixa com minha força total, mas me deixa forte o suficiente pra estar viva por aí. .. Esta satisfeita? Tirei sua duvida? haha .. Bom, agora me dê a sua mochila deixa que eu carrego pra você, ..vamos pra tal aula chata sua nerd!

 

                                                                                                         ...

Não é do conhecimento das pessoas o que eu tenho com a Carmy, então publicamente mantínhamos nosso comportamento amigável. Como ela era minha colega de quarto, não seria estranho para os demais nos ver juntas e nos ver sendo um pouco intimas até .. só não seria tão esperado se nos vissem se beijando né. Nem minhas amigas sabiam e eu ainda tenho que pensar num jeito de contar. Agora que Carmy deixou claro que era namoro, eu preciso contar. No almoço Carmy se sentou na mesma mesa que eu e as meninas, depois de muita insistência de minha parte. Nessa hora geralmente eu nunca via ela em parte alguma, depois mais tarde iria inclusive procurar saber onde ela se metia. Perry e LaFon ficaram tagarelando o tempo todo discutindo sobre teorias do assunto da ultima aula. Tudo poderia estar perfeitamente normal não fosse a Danny ficar com cara de poucos amigos nos encarando o tempo todo, mal tocou na comida. Em um determinado momento saiu de supetão, mas acho que apenas eu e Carmy notamos a aura estranha e desconfortável que rondava o ambiente.

As próximas aulas seriam diferentes para nós duas, então cada uma foi para sua sala .. eu é claro, a convencendo de que era pra assistir a aula. Em um dado momento, roubou um selinho de mim as escondidas caminhando pelo corredor. Não posso negar, ficar com ela escondido tem lá o seu charme e emoção.

                                                                                                    ...

Eu sabia que Carmy tinha uma coisa pra resolver após as aulas, aproveitei o momento a sós com as meninas na biblioteca e contei sobre nós. Achei melhor omitir a parte que ela é uma vampira de 335 anos. Perry ficou empolgada batendo as mãos como uma criança alegre .. LaFon reagiu fazendo zuação é claro .. e Danny infelizmente reagiu muito mal, eu estava mesmo preocupada em como ela iria reagir .. achei que tinha feito bem contando assim junto das meninas, mas não foi uma boa .. devia ter contado a sós com ela.

_ Você não pode estar falando sério Laura? VOCÊ? COM ELA? – Passou as mãos pelos cabelos nervosa, arrastou de forma agressiva a cadeira para trás, se levantou e andou de lado a outro gesticulando. – Ela não serve pra você Laura, essa garota é problema. Ela é estranha, eu sinto que ela esconde alguma coisa. Como você pode estar com ela? Mal a conhece.

Veio nervosa em minha direção exigindo respostas. – Wow Danny, você precisa se acalmar. Depois vocês conversam de cabeça fria. Olha o escândalo que esta fazendo? – Disse Perry tentando acalmar. Eu bem que tentava falar alguma coisa, mas nada saía. De toda reação ruim que eu poderia esperar dela, um escândalo na biblioteca não era um deles.

_ Algum problema aqui mocinhas? – A bibliotecária nos repreendeu.

_ Não, foi só um mal entendido .. já esta tudo resolvido. Não foi nada demais. – Falei por fim.

_ MAL ENTENDIDO MESMO!! Só pode ser isso .. – Danny disse e em seguida saiu de solavanco, puxando seu braço que a Perry segurava, pegou sua mochila de forma agressiva sem se preocupar com a cadeira que derrubou. Saiu pisando a passos duros.

_ Sinto muito. – Me dirigi as meninas e a bibliotecária - Levantei a cadeira. – Conversa com ela depois, por favor? – Elas balançaram a cabeça positivamente pra mim, e então eu também saí de lá.

                                                                                                                  ...

Havia passado algumas horas depois do ocorrido, resolvi tomar um banho e ficar no meu quarto mexendo no meu blog até a Carmy chegar, eu queria tanto que ela chegasse logo. Estava muito triste pelo que aconteceu, sinto muito por magoar a Danny desse jeito. Sempre tivemos uma relação legal nos meus primeiros meses como caloura.. mas tudo foi decaindo depois que tivemos um rolo. Não foi nada sério, eu vi que realmente a vejo apenas como amiga. Ela parece não aceitar muito bem isso e já não sei o que faço. Ouvi batidas na porta.

_ Ué Carmy esqueceu a chave? Estranho porque geralmente você usa a jane.... – Abri a porta e dei de cara com uma Danny me olhando de olhos semicerrados e um sorrisinho malicioso de lado, entrou cambaleante no quarto sem ser convidada.

_ E entãoooo, a namorADINha não esTÁ aqui pelo que EStou veeendo. Booom, .. era oQUEeu queriiia!! – Ela tinha a fala totalmente arrastada, e segurava uma garrafa de bebida na mão, bem mais da metade vazia.

_ Danny! Meu Deus, você esta muito bêbada .. o que faz aqui?!

_ Sóoo me respooonde uma coisa Lâaaura!! Eu fui muito ruim pra você?! Quer dizer, no tempo que ficamos juuuntás? Eu fui tão ruim assim? – Virou a garrafa na boca dando um generoso gole .. falava rindo sem graça sacolejando o líquido enquanto gesticulava.

_ Não faz assim Danny, por favor. Volta pro seu quarto, amanhã conversamos com calma e você estando sobrea. – Tentei tocar em seu braço a dirigindo até a porta, mas ela tirou o braço em um arranco – Nãaaaum! Quero resôlvê issu agorá!!

_ Não Danny, você não foi ruim .. você não é ruim. Eu gosto muito de você, mas...

_ Mâaas como amigggaa eu sêi!! Tá, tá .. tá ..DROGA!! – Andou pelo quarto impaciente dando mais um gole, depois se dirigiu a mim ficando de frente com uma expressão mais série. Respirou fundo - Você foi a melhor coisa que me aconteceu aqui Laura, eu nunca superei o nosso fim. Eu ficava pensando em maneiras de chegar até você, de mostrar que eu posso ser uma pessoa legal na sua vida, tudo que eu quero é cuidar de você e eu achei que tudo ia se ajeitar em algum momento. Eu tive paciência pra esperar por você, o seu tempo.. até que essa esquisita chegou e já te tirou de mim. Você prêeecisa sabeeer! Eu não vou desistir assim, êeeu a-ainda vou lutar por você!! Meus sentimentos não mudaram e .... – Chegou perto demais, cada passo seu na minha direção era um passo meu para trás, ate que me encostei à parede. Um cheiro forte de álcool emanava dela. Rapidamente ela me segurou e encostou seus lábios aos meus. Ela é bem maior e mais forte que eu, e com uma certa dificuldade a empurrei. – PARA Danny, não faz assim?!

- MAS O QUE ESTA ACONTECENDO AQUI? – Carmy havia chegado ao quarto e eu nem tinha percebido.

_ Carmy, não é nada do que você esta pensando. – Falei indo até a sua direção. Eu estava tremula, meu Deus a situação acaba de piorar de uma forma catastrófica. Ela estava com uma expressão de muita raiva, olhos mais intensos e negros que o normal fixos na Danny, punhos fechados, mandíbula cerrada.

_ É EXATAMENTE O QUE TO PENSANDO QUE TA ACONTECENDO LAURA! .. EU NÃO SOU CEGA .. NA VERDADE ENXERGO BEM ATÉ DEMAIS!! – Investiu pra cima da Danny - Grrr, como você ousa a tocar nela sem sua vontade?!!!

_ Nãaaaao Carmy, se acalma por favor. – Me enfiei na sua frente a segurando pelo tronco antes dela alcançar Danny que continuava bebendo, rindo irônica provocando mais .. nem se mexia.

_ Ouvimos gritos, Laura o que ta havendo aqui? – Perry e LaFon chegaram atordoadas. – Por favor meninas, tirem a Danny daqui.

_ Nãaao sem antes eu resolver isso com ela. – Carmy rapidamente passou por mim, pegou a Danny pela gola da camisa a levantando no ar, em seguida dei-lhe um soco na boca. Danny caiu no chão antes mesmo que alguma de nós tivesse qualquer tipo de reação.

Fiquei de frente pra Carmy novamente, a segurando pelo rosto forçando ela me olhar. Perry e Susan ajudaram a Danny a se levantar, ela tinha sangue escorrendo pelo canto da boca e ainda assim não tirou o sorrisinho irônico dos lábios, e isso estava irritando ainda mais a Carmy. Ela tentou avançar pra cima dela de novo, mas eu gritei seu nome novamente tentando a manter sã. – CARMY VOCÊ VAI MACHUCAR ELA POR FAVOR, PARA!! – Ela me olhou acho que caindo em si, andou pro lado passando as mãos pelos cabelos nervosa respirando fundo. Eu notei suas presas antes dela se virar, espero que apenas eu tenha percebido.

_ LAURA PORQUE VOCE DEIXOU ELA ENTRAR AQUI A ESSA HORA? E neste estado? – Não precisa brigar com a Laura Carmilla, a culpa é nossa .. a gente devia ter ficado mais tempo com a Danny. – Perry tentou explicar, mas foi engolida pela ira de Carmilla.

_ Lindinha, porque não pega a Florzinha e a Docinho .. dão o fora daqui e deixa os adultos conversar?

Fui andando até a porta com as meninas cochichando antes de elas irem. - Sério Perry, é melhor vocês irem pro quarto de vocês, levem a Danny por favor e se possível fiquem com ela ... Amanha a gente conversa. Não liga pra Carmilla, ta nervosa demais, ela não falou por mal – O que a Danny fez afinal de contas Laura? – Bom, ela chegou aqui neste estado de embriagues e, bom.. tentou me beijar e a Carmy viu. - O QUE? ... – E foi bom, eu faria de novo se a esquisita não tivesse chegado toda nervosinha haha – Haaa, cala boca Danny, olha só o que você fez!! Vamos embora. A gente vai cuidar dela Laura .. você vai ficar bem? – Vou sim Perry, tchau meninas.

_ Carmy...

_ Laura, eu poderia ter machucado muito ela .. tipo, você não faz ideia da força mental, do tamanho controle que tive de ter pra não machucar muito ela. Essa garota precisa entender logo de uma vez que você está comigo. Eu não tenho culpa se ela está na friendzone Laura, vocês já não estavam mais juntas desde que cheguei. Você precisa colocar tudo em pratos limpos .. ser honesta com você mesma, com ela e comigo. Olha só, se você ainda tiver sentimentos por ela, eu vou entender e me afastar .. eu desapareço se quiser, o importante pra mim é que você esteja feliz. Agora, se não é isso que quer, não dê falsas esperanças .. deixa claro pra ela. Vai magoar, mas é melhor ela ser magoada de uma vez, do que ficar magoando aos poucos a deixar ficar se enganando  .. Pra falar a verdade, nem quero saber do que rolou entre vocês, só quero que resolva isso .. ela precisa respeitar .. porque se eu for resolver do meu jeito, você já sabe. Na próxima, eu posso não ter tanto controle assim.

_ Eu sei Carmy, e é claro que não sinto nada desse tipo por ela, como ousa a falar assim? Meu Deus, eu sinto muito .. eu sinto taaaanto por isso tudo. Eu tive tanto medo.

_ Que bom, meu monstro interior te assustou afinal de contas?

_ Não Carmy, não tive medo de você .. tive medo por você. Que não se controlasse, eu sei quem você é. Sei que iria se sentir péssima depois se tivesse causado algo sério a Danny, mesmo ela merecendo. Você iria se sentir mal depois, culpada. E seria exposta.

_ Vai por mim Laura, não sabe as coisas terríveis que eu já fiz, você apenas acha que me conhece. – Ela falou de forma firme, me olhando de cima bem próxima a mim.

- Tudo bem, mas você não faz mais ... as coisas estão diferentes agora. Você esta diferente agora. A época é diferente.

_ Olha só Laura .. eu realmente estou precisando de uma bebida forte agora. Antes que eu vá no quarto daquela descarada e quebre alguns ossos dela. Porque é isso que meu instinto esta me mandando fazer.  Eu vou sair não me espera acordada.

_ Carmy .. por favor, não vá. Não me deixa aqui sozinha depois disso tudo que aconteceu. – Tentei segurar sua mão, mas ela já estava indo. Se virou antes de pular pela janela e disse: Eu não estou brava com você Cupcake .. só estou brava. Você sabe quem eu sou, ou melhor .. o que eu sou e nesse caso eu sinto tudo de uma forma muito mais intensa do que vocês humanos. Eu preciso muito me acalmar agora. – Me deu um sorrisinho como se pra me tranquilizar, e vi seu corpo desaparecer pela janela.

                                                                                                                      ...

                             Carmilla’s P.O.V

 

_ QUEM aquela garota pensa que é? Entrar bêbada daquele jeito no quarto da Laura e ainda tentar a beijar contra sua vontade? Grrrr .. se não fosse Laura lá eu poderia ter feito uma merda muito grande. E isso seria ruim, muito ruim. Dean poderia ficar sabendo e entrar no meio .. nem quero pensar. Mas por falar nisso, acho que já não preciso mais ficar pensando em quem eu irei escolher parar ser a vítima no dia do ritual, uma certa ruiva alta e atrevida acaba de ser escolhida .. e escolho sem pesar algum.

Eu estava indo em alta velocidade na moto, me dirigindo ate um bar próximo que costumo frequentar nas redondezas da faculdade. Estacionei e já fui logo me lançando para o balcão ... pela minha cara que devia estar péssima o barmen já conhecido me jogou uma dose. – Já estou vendo que o dia foi cheio, talvez isso possa acalmar um pouco os ânimos. Virei o copo de uma vez, deixando a bebida queimar minha garganta, batendo o copo vazio de volta no balcão com uma certa força. – Você é o cara, se eu não gostasse tanto de meninas .. eu casaria com você!! – Olha só .. Bom, e se eu não fosse comprometido .. aceitaria esse casamento. – Ele disse, sempre tão gente boa. Dos poucos humanos que existem que eu odeio menos, ele era um deles.  – Parece que temos um impasse aqui .. melhor ficarmos só na bebida mesmo. – Ele sorriu passando um pano branco secando o balcão. – E deixe a garrafa! – Falei já virando outro copo. Me virei de costas com os cotovelos apoiados no balcão olhando o ambiente do bar. Não estava muito cheio, o que me permitiu de longe cruzar olhares com uma certa mulher de cabelos castanhos claros que estava jogando sinuca .. A Blair, aqui? Céeeeus essa noite está demais. Está DEMAIS mesmo, que legal. Me deu um de seus famosos sorrisos maliciosos e venho caminhando em minha direção. Virei de frente pro balcão quando ela se instalou do meu lado.

_ Karstein num bar a essa hora? Deixa eu adivinhar .. Brigou com a namoradinha? Owwn, que pena! – Sorri de má vontade sem olhar pra ela.

_ Oi Blair ... Tchau Blair.

_ Heey, calma garota. – Me segurou pelo braço. – Foge de mim mais que o capeta foge da cruz.

_ Ráa, e você não é o demônio em pessoa?

_ Bom! – Fingiu estar pensativa colocando o indicador no queixo, olhando pra cima. – Sim, mas eu juro que não vou te fazer mal .. só quero conversar com você. Sabe, quando sua mãe entrou em contato me convidando pra participar desse evento que esta programando.. Ver você de novo foi o principal motivo de eu aceitar. A muito tempo eu queria conversar com você mas, ôh mulher difícil. Sumiu de vez.

_ Bom, eu tive meus motivos né. Ficar numa prisão subterrânea por anos deixa a gente sumida mesmo.

_ O QUE?! Que prisão?

_ Deixa pra lá Blair, eu não tô afim de papo agora não .. Foi mal. – Virei mais uma dose.

_ Tudo bem .. mas eu vou cobrar esse papo depois ok?! Essa garota .. sua namoradinha .. ta mexendo mesmo com você né? Não vejo você assim desde .... Huuum, na verdade eu nunca tinha te visto assim.

_ Eu a amo Blair .. não que seja da sua conta .. mas.

_ Karstein .. Você não aprendeu nada com o tempo que ficamos juntas? Quer dizer, o bom de ser imortal é ter mais tempo ainda para aprender com erros.

_ Aprender com o tempo que ficamos juntas?! .. Qual é Blair .. Você me traiu, com a serviçal que trabalhava no castelo na época e eu ainda peguei vocês no flagra.

_ Pois é ... exatamente. Aprender com isso .. Você esta aqui num bar, e ela esta onde? Se vocês brigaram, não é melhor ir e resolver com ela? ... Vai que ela esteja sendo consolada por outra pessoa enquanto isso. – O nome de uma certa ruiva passou por minha mente e fiquei furiosa.

_ Nem brinque com isso!! – Quebrei o copo na minha mão sem nem perceber que havia feito força.

_ Wow, calma nervosinha! Olha Carmilla, falando sério .. eu sinto muito como as coisas aconteceram entre nós, eu sinto muito por ter sido tão filha da puta .. ter te magoado tanto me assombra até hoje, porque eu nunca tinha tido a chance de me desculpar. Eu fui imatura, naquela época eu tava empolgada com o fato de ter conseguido com a sua mãe, o feitiço que iria prolongar minha vida limitada de humana .. me deixei levar pelo momento. Era como se eu pudesse fazer tudo que quisesse sem medir as consequências .. Felizmente não sou assim mais. Sei que não justifica, mas eu sinto muito de verdade. E meu castigo, diga-se de passagem foi gastar todo esse tempo que ganhei sentindo esse incomodo me corroer, porque você significou muito pra mim .. mas eu mereci mesmo. Não deixe que aconteça o mesmo com você Karstein .. está mais que na cara que esta garota significa muito pra você, seja lá o que tenha acontecido eu sei que pode resolver.

_ Quem diria que um dia eu estaria em um bar ouvindo discurso motivacional de uma bruxa. Uaal Blair, você esta diferente mesmo. Todo esse tempo extra que ganhou, parece que te ajudou a amadurecer essa cabeça dura .. Antes tarde do que nunca .. quem te viu, quem te vê hein?! HAHAHA

_ Okeeey, eu mereço todo esse sarcasmo .. Mas já chega Carmilla Karstein!

_ Eu poderia ficar e usar mais .. tem muito mais sarcasmos de onde esse veio .. Mas tenho que ir ver minha garota.

Montei na moto voltando para o campus na mesma alta velocidade que vim pro bar .. Fico pensando em como esse dia que começou tão bem, teve essa reviravolta toda terminando assim. Nem parece o mesmo dia. Mas eu vou dar um jeito nisso. Acho bem improvável ter alguém no quarto com ela agora, dado ao fato de que as amigas devem estar cuidando daquela abusada bêbada. Eu fui muito idiota em ter deixado ela sozinha daquele jeito, afinal eu tenho medo de perder o controle com ela .. mas ela me acalmou lá mesmo no momento da briga, quando eu estava mais nervosa. Eu preciso aprender a confiar mais nela, e mais em mim. A começar por hoje, por agora .. Vou chegar naquele quarto e a fazer ser minha de vez, .. ser minha de todas as formas possíveis. 


Notas Finais


Escrevi, e saí correndo.

Até o próximo!!!!

twitter:@vampireFoox


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...