História Blood, Sex and Rock'n'Roll - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carmilla
Personagens Carmilla, Laura
Exibições 146
Palavras 2.782
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hello, its me!

Segue mais um cap de pura interação amorzinho entre nosso otp favorito .. e a coisa vai ser intensa.
Aproveito pra dizer, que este capitulo em questão, é dedicado a minha leitora maravilhosa Letty!!

VampireKisses!!

Capítulo 8 - Eu estava perdendo as forças!


Fanfic / Fanfiction Blood, Sex and Rock'n'Roll - Capítulo 8 - Eu estava perdendo as forças!

               Carmilla’s P.O.V

 Eu estou vivendo um momento em que não estou sabendo mais definir o que é mais torturante, .. se é quando estou perto ou se é quando estou longe. Se estou longe quero saber como ela esta, se estou perto quero tocá-la de uma maneira que não posso .. ou melhor, nem devo e isso esta acabando comigo. Uma briga enorme esta acontecendo dentro de mim, e a recente tentativa de aproximação que ela tem feito comigo só esta dificultando mais. Eu sei que o melhor pra ela é estar bem longe de mim e tentar isso tem sido uma das coisas mais difíceis em que estou fazendo na vida e sinto que estou falhando .. cada dia estava ficando ainda mais claro pra mim, .. eu estava perdendo as forças.

No fundo eu sabia que ir naquele lual seria um erro, mas fui assim mesmo. Acho que a parte de mim que é superprotetora com ela ainda esta no modo on e se eu não me certificar que ela esta bem a todo tempo, não fico em paz. Após eu a deixar com os amigos na festa .. corri até uma parte remota e afastada da praia onde eu poderia ficar a sós com meus pensamentos. Me deitei na areia com as mãos apoiadas embaixo da cabeça, já estava a noite e enquanto eu observava as estrelas deixei meus pensamentos voar na lembrança do que tinha acabado de acontecer.

Eu, ..de frente pra ela olhando dentro daqueles olhos castanho esverdeados, .. olhos estes que estavam num tom  mais claro e vivo na claridade natural do ar livre desta tarde .. uma fusão cor de folha e terra olhando pra mim. Ela tocando meu braço num toque inocente, mas que não faz ideia o que fez comigo. O cheiro dela me inebriando.. Aaah, aquele cheiro (fechei os olhos e suspirei) eu amo o cheiro dela. Os cabelos longos voando ao vento e com a cor do brilho do pôr do sol batendo nela .. Uaaal, ela tava maravilhosa em níveis catastróficos. Que sorriso maravilhoso eu ganhei dela quando me viu chegando.

_ Droga! Que maldição Laura, assim você não me ajuda! - Eu tive que ter muito autocontrole sobre o impulso da vontade louca de tomá-la nos meus braços e beijar aquela boca linda ali e agora.

Balancei a cabeça tentando me livrar do que eu estava pensando. Eu preciso me controlar mais, tentar me manter mais afastada. .. resolvi que nem iria voltar pro quarto aquela noite.

Já havia se passado muito tempo desde que estava ali curtindo a famosa bad, de longe eu já percebia que o movimento de pessoas na festa tinha diminuído bastante. Foi quando ouvi uma voz familiar que tomou total a minha atenção.

_ Me deixa passar!! .. Não! Eu não estou interessada! – Disse a voz familiar .. a voz dela. Me levantei e procurei. De longe vi com um cara fazendo gracinha pra cima dela. Apertei o punho já expressando a raiva que imediamente iniciava a me consumir, e corri em sua direção.

_ Ah qual é bonitinha vem cá .. eu sei que você vai curtir .. não banque a difícil. – Disse aquele idiota bêbado a agarrando pelo braço. Quem ele pensa que é?! - Jogou-a no chão e foi pra cima dela.

Com os nervos a flor da pele, cheguei até eles já berrando com aquele desgraçado:

_ Tire suas mãos dela AGORA!

O homem se levantou com as mãos pra cima em tom irônico se virou e disse:

_ Olha, que gatinha raivosa .. vem se juntar aqui com a gente, vai ser melhor ainda. – Disse me lançando uma piscadinha debochada .. que nojo!

Cega de ódio, parti pra cima daquele imbecil o jogando no chão e ficando por cima dele fui dando murros em sua cara patética, não notei o canivete que estava em sua mão. Ele fez um baita corte em meu braço.

_ CARMILLAAAAA!! – Laura gritou meu nome em desespero.

O que ele fez só me enfureceu mais ... o segurei e bati sem parar no infeliz, eu estava fora de mim. Como ela ousa a achar que poderia fazer mal a ela desse jeito?!

_ Carmilla chega!! Para, você vai mata-lo! – Disse Laura me tirando do meu transe de ódio. Parei de bater nele .. eu estava com a respiração rápida e com as mãos cheias do sangue dele eu não iria me importar de afundar o nariz daquele inútil se não fosse por ela estar ali. Olhei para o meu corte do braço que estava já se curando em seguida olhei para ela .. Aquela imagem acabou comigo, .. Estava com uma expressão de assustada, os cabelos desarrumados, um pedaço da roupa rasgada, ajoelhada na areia e foi quando notei o corte em sua testa com um pouco de sangue escorrendo .. ele tinha machucado ela.

_ Grrrrrrrr ... EU VOU ACABAR COM ESSE IDIOTA!! – Não, Carmil.. disse ela num sussurro e vi quando seu corpo se desfaleceu. Corri para pega-la antes que caísse, ..ela tinha desmaiado.

Segurei-a gentilmente em meus braços ajoelhada no chão me concentrando em ouvir sua respiração e coração. Ela apenas estava inconsciente e iria ficar bem, eu ia me certificar disso pessoalmente.

Olhei para ela,.. uma garota tão doce, gentil e estava tão frágil ali desacordada nas minhas mãos. Como alguém tem coragem de ferir um anjo desses? Se eu tivesse chegado um pouco antes teria impedido isso.

Olhei para seu rosto tão próximo ao meu. Pensei em todas as noites em que ela dormiu assim nos meus braços, que saudades eu sentia de tê-la apertada a mim desse jeito .. sem ela eu sentia meus braços frios e vazios .. Um vazio nunca preenchido há séculos. Meus olhos seguiu para sua boca como um imã .. seus lábios sempre tão convidativos. E se eu apenas...

Me deixei levar pelo momento sem poder me conter, a apertando mais em meus braços me abaixei involuntariamente em um movimento tão rotineiro já fechando os olhos e encostei minha boca unindo meus lábios aos dela. Esse simples toque me fez arrepiar inteira. Segurei levemente minha mão na lateral de seu maxilar e apertei meus lábios contra os dela sentindo a maciez daquela boca saboreando esse momento por uns segundos .. até que nos separei acariciando seu rosto.

Olhei para minha mão, suja com o sangue do imbecil que agrediu ela. O que eu estava fazendo? Me aproveitando de sua fragilidade daquele jeito. Eu era um monstro mesmo, me permitindo ter um momento de fraqueza desses agora? Quantas provas a mais de que eu faço mal a ela eu ainda teria que ter?

Levantei a carregando firme nos braços. Olhei para aquele energúmeno inconsciente lá no chão e disse:

_ Eu cuido de você depois seu lixo! – Saí em disparada aproveitando que ela estava desmaiada e pude usar minha velocidade sobre-humana pra chegar ao quarto mais rápido.

Devido ao horário, o campus estava vazio e o pouco movimento de gente que havia estava bêbado indo para seus quartos e nem nos notou é claro.

 Deitei-a gentilmente em sua cama ajeitando uma mecha de seu cabelo que estava caída em seu rosto.

_ Droga, o que faço agora? ... Céus, porque ela estava vindo embora sozinha? Devo ir chamar as amigas dela? ... Devem é estar bêbadas e quiseram continuar na festa isso sim.

Até agora eu tentava ignorar, mas o cheiro do sangue dela estava me dando agua na boca e segurar meus instintos estava ficando demasiadamente difícil, eu precisava fazer um curativo e tirar essa tentação da minha frente. Peguei gaze, fita micropore e antisséptico de num quite de primeiros socorros que havia no banheiro e comecei a cuidar do ferimento, felizmente não era grave se ela não acordasse logo eu iria a levar para a enfermaria. Ela desmaiou devido ao estresse todo do acontecimento e deve ter tido uma pequena concussão .. pensar nisso fez minhas mãos tremer de ódio. Eu devia voltar lá e arrancar a cabeça daquele desgraçado. Prendi a respiração enquanto terminava o curativo, eu precisava jogar essas gazes com o sangue dela bem longe .. eu já não tava aquentando mais, senti quando minhas presas já estavam dando sinal de vida e me afastei de perto da Laura bruscamente. .. Foi quando ouvi ela sussurrar o meu nome. Me virei de costas pra ela não notar a minha situação e respirei fundo para acalmar meu lado monstro interior.

_ Hey Cupcake .. você esta bem? Ta sentindo alguma dor? – Falei enquanto me abaixava próximo a cama dela já conseguindo manter meu lado vampira sob controle.

Ela piscava ainda meio confusa da situação, fazendo uma carinha tão cute ..levou a mão na testa sobre o curativo e fez uma careta de dor. Eu fechei o punho e enrijeci a mandíbula pra segurar a raiva disso ter lhe acontecido. De repente ela arregalou os olhos se sentou na cama tocando meu braço.

_ Carmilla, e o seu machucado esta doendo? Foi muito grave? – Eu sorri ao ver a doce preocupação dela.

_ Que machucado? ... não me machuquei não, você que machucou. Você esta bem mesmo?

_ Eu estou bem, só ta um pouco dolorido. Mas eu vi ele te cortando. – Pegou no meu braço tocou de leve com os dedos onde era pra ter um corte e me olhou confusa.

_ Você bateu com a cabeça garota é normal estar assim confusa, você desmaiou. Precisa descansar, você precisa de alguma outra coisa? Quer que eu chame alguma de suas amigas pra ficar com você? – Eu disse tentando distraí-la do meu machucado inexistente.

_ Mas foi tão nítido e real o que eu vi .. você estava batendo nele e ele te cortou com um canivete eu vi e ...

_ Xiiiiiiiu, ei não fica tão agitada assim. – Falei tocando em seus ombros. Precisa se acalmar essa confusão logo vai passar. Vou voltar até a praia e chamar suas amigas pra ficar com você, eu preciso resolver a situação com aquele imbecil que te agrediu e não quero te deixar sozinha.

_ Não precisa eu to bem. – Disse ela cruzando os braços com carinha de brava e fazendo um beicinho lindo. Não entender a situação estava a incomodando ... pelo jeito a teimosia dela não havia mudado em nada.

_ Você não tem que querer garota ... Olha! Eu disse tocando em seu queixo a fazendo olhar pra mim. – Você não imagina o que eu senti quando vi aquele inútil te agredindo, se ele tivesse feito algo de mais grave com você eu não iria perdoar. Então me prometa que vai ficar aqui, vou resolver isso .. e por favor não durma agora porque você bateu a cabeça e não se deve dormir após voltar de um desmaio. Mas fique na cama e descanse. Se sentir tontura ou qualquer coisa errada, deixe suas amigas te levar pra enfermaria ok? Eu não demoro – E fui levantando quando ela segurou minha mão. Olhei para sua mão unida a minha e apertei aquele toque.

_ Carmy, muito obrigada! Sério, se não fosse por você eu nem sei o que aquele cara teria feito comigo você salvou minha vida.

Olhei pra ela surpresa.. eu não sabia se eu perdia mais as estruturas por ter ela segurando minha mão agradecendo com aquele brilho nos olhos ou por ter me chamado de “Carmy”.

_ Ah qual é cupcake, não precisamos ficar sentimental com isso. Afinal, eu pensei melhor e percebi que se eu perdesse minha colega de quarto, poderia aparecer outra ainda mais irritante então .. preferi não arriscar. - Dei uma piscadinha pra ela e saí pela porta do quarto.  

                                                                                                               ...

         Laura’s P.O.V

Me levantei ainda meio tonta da minha cama e fui até o espelho olhar o meu estado. Céus, não era assim que eu esperava que fosse minha noite ... que confusão!

Eu estava um trapo .. um corte dolorido, meu vestido estava rasgado. Mas poderia ter sido pior .. Muito pior. Carmy havia me salvado, me protegido. Como será que eu vim parar aqui no quarto?

Foi o tempo de eu tomar um banho e colocar o pijama quando vi uma Lafon e uma Perry apressadas com cara de assustada adentrando a porta quase que trombando uma na outra.

_ Meu Deus Laura, o que foi que aconteceu com você? ... Você esta bem? – Perguntava as duas me analisando.

Calma gente, eu to bem .. só tive um arranhão . A Carmilla me ajudou. Já passou, foi só um susto. – Eu disse com as mãos pra cima gesticulando vendo elas soltar o ar dos pulmões em alívio.

Mal tive tempo de explicar pra elas o que havia acontecido, quando Carmilla já estava de volta ao quarto.

_ Hey kitty cat, eu não sabia que analgésico você costuma usar ou se é alérgica a algum então eu trouxe alguns aqui e você escolhe qual tomar. Sua cabeça deve estar doendo. Bom, vou tomar um banho e deixar vocês conversarem mais. Mas já esta tarde, e se quiserem ir esta tudo bem, eu fico com ela. – Ela falou diretamente paras as meninas e em seguida entrou no banheiro.

_ Huuum nossa, toda cuidadosa com a Laura .. protegeu, fez curativo, trouxe remedinho e tudo ... “pode deixar eu fico com ela.” .. Aaai ai – Disse LaFon em tom de ironia me fazendo corar.

_ Para com isso Susan, ela só esta tentando ser legal .. se ela não estivesse lá eu poderia estar num hospital agora já parou pra pensar nisso? – Falei já ficando brava.

_ Okeey .. Ok. – Disse ela levantando as mãos se rendendo. – Eu só estou brincando. Inclusive já agradeci a ela pelo que fez Laura ... e já da pra ver que ela se importa com você. Isso já esta de bom tamanho pra mim. Perry concordou acenando com a cabeça.

Conversamos mais um tempinho até que ouvimos uma batida na porta e vimos uma Danny sem jeito aparecendo perguntando se podia entrar.

_ Vem LaFon .. vamos deixar elas conversarem. Isso já vai ser embaraçoso demais pra ainda ter alguém assistindo. – Disse Perry arrastando a Susan pelo braço, nem dando tempo da mesma contestar alguma coisa. Antes das duas saírem, Carmilla saiu do banheiro e tudo aconteceu rápido demais.

Parece que Danny não estava sabendo direito o que aconteceu comigo .. viu o curativo em minha testa, viu a Carmilla e já logo partiu pra cima dela berrando.

_ O QUE VOCÊ FEZ COM ELA!! ... eu disse pra você ficar longe dela não disse Laura? – Danny empurrou Carmilla contra a parede a pegando pela gola da blusa enquanto gritava. Carmilla nada fez além de dar uma risada e dizer. – É sério isso?

_ Larga ela Danny!! – Eu disse tirando as mãos dela que agarravam Carmilla e fiquei no meio das duas, na frente da Carmilla encarando a Danny oferecendo minha melhor cara de brava.

_ Acho melhor você ir Danny. Você só esta criando confusão hoje e já bebeu demais naquela festa. Vamos, amanhã vocês conversam com calma. – Disse Perry pegando ela pelo braço.

Danny e Carmilla ficaram se encarando de cara feia ainda uns segundos comigo entre elas até que Danny aceitou parar e as três saíram pela porta.

_ Aaain, desculpe por isso Carmy, eu não sei o que esta acontecendo com a Danny .. ela não costuma ser assim. É uma garota muito legal. – Falei apertando o dedão e o indicador na base do nariz entre as sobrancelhas fechando os olhos tentando me acalmar.

_ Eu sei por que ela esta assim linda – Disse Carmy pegando minha mão -.. é ciúmes. Eu já te falei que ela te quer e você não acredita em mim. Mas em grande parte eu entendo ela e acho sua atitude bastante justificável. A ideia de ter alguém como você e depois perder .. pode ser desesperadora.

Fui pega totalmente de surpresa. Ela sempre me deixa sem palavras como é que pode? .. Só o que consegui fazer foi olhar pra baixo sorrindo totalmente sem graça.

Senti sua mão pegando em meu queixo me fazendo subir o olhar. E lá estava aquele sorriso que me tomba toda vez.

_ Não precisa ficar com vergonha baby. Apesar de que você fica muito lindinha assim. Vem você agora precisa ir dormir e descansar. – Disse ela me puxando até a cama.

_ Você vai ficar no quarto comigo ou vai sair como toda noite? – Perguntei sem pensar e já me arrependendo em seguida. Ela vai acabar achando que sou uma garotinha medrosa .. uma donzela em perigo. Afff!

_ Eu não vou a lugar algum minha cupcake! – Foi à resposta que eu tive.


Notas Finais


O meu mais sincero obrigada a todos que leram até aqui!! Sem vcs, a fic não existe! ♥
A tia Foxy fica até emocionadíssima =´) rs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...