História Blood, Sweat and Kisses - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, V
Tags Bts, Fluffy, Romance, Universo Alternativo, Yaoi
Exibições 27
Palavras 7.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Helloooo!

Voltei! :D Com o segundo capítulo!
Espero que gostem! Mais notas no fim do capítulo

Boa leitura~!

Capítulo 2 - Se tem comida, então tudo bem!


O recém-chegado andou na direção de Taehyung, mas não sem antes tragar no cigarro que havia em sua mão uma última vez, jogando-o no chão e pisando em cima deste em seguida.

 

Jungkook, no entanto, se colocou à frente deste, franzindo o cenho irritadamente. Os olhos do humano moviam-se de um a outro, com este ainda atrás do moreno. Seus lábios pressionavam-se um contra o outro sutilmente. Ele podia sentir a tensão no ar.

 

“Cai fora, Jimin.”

 

Então o nome dele era Jimin.

 

Jimin expirou a fumaça que mantinha dentro da boca.

 

“O bebê está tristinho?” O de cabelos acinzentados falou em um tom de deboche. “Quer dizer que você pensou que eu não iria descobrir?” Disse, com as mãos nos bolsos, cara-a-cara com o mais novo. “Nem isso você sabe fazer direito, aish...” Suspirou. “Mas... Melhor pra mim.” Sorriu de leve com o canto dos lábios, erguendo a visão na direção de Taehyung, que quase paralisou.

 

O olhar deste era perfurante. Taehyung quase sentiu as pernas tremerem. Vampiros realmente eram de outro mundo, pensou.

 

“Foi por isso que eu não queria sair com você, Taehyung-ah...” Jungkook murmurou em um tom de lamentação.

 

“Caramba, vocês já estão íntimos desse jeito?” Jimin olhou para ambos com um sorriso cínico. “O que mais eu perdi?”

 

“Perdeu a chance de nos deixar em paz, merda!” Jungkook exclamou. No entanto, Jimin repentinamente agarrou o outro pelo pescoço e o pressionou contra a parede, fazendo o corpo deste se chocar contra a superfície. Jungkook grunhiu e os olhos de Taehyung se arregalaram, enquanto sua boca se entreabriu, com o humano erguendo um braço na direção de ambos.

 

“N-Não...!” Murmurou. Seu coração pareceu se apertar ao ver Jungkook sob o domínio do outro.

 

“Olha bem como fala comigo, seu novato de merda.” Jimin disse, largando Jungkook em seguida, que então massageou a área apertada pelo outro.

 

Então, olhou para Taehyung, parecendo pedir desculpas ao humano somente com seus olhos. Estava prestes a completar três anos de vida como vampiro. Jimin tinha ao menos dez vezes a mais que isso. Suas forças eram incomparáveis.

 

“Então... Seu nome é Taehyung?” O de cabelos acinzentados se aproximou do loiro, que andou um passo para trás, hesitante. “Perdoe-me por você ter presenciado tudo isso.” Murmurou num tom mais sereno. “Jungkookie vem o tratando bem? Ele não faz muito o tipo cuidadoso, sabe...” Continuou, tocando o cabelo do outro levemente com a ponta de seu indicador. “Nosso chefe trouxe esse garoto... Mas um dia ele partiu. Parece como se tivesse sido ontem.” Continuou, com sua vista pairando sobre o pescoço e clavícula do humano.

 

O coração de Taehyung disparou, com este simplesmente parando de se mover. Sentia-se como se estivesse em uma floresta, e uma onça o rondava perigosamente, então qualquer movimento resultaria em morte certa.

 

Jungkook olhou para o chão, com uma expressão perdida. Taehyung o olhou, com algo no fundo de sua mente pedindo que corresse e o abraçasse. Ele realmente queria abraçar Jungkook naquele momento.

 

“Você parece bem apegado a ele, está bem claro só de olhar para o seu rosto.” Jimin murmurou, desmerecendo. “E que rosto adorável você tem.” Disse, segurando o rosto do outro pelo queixo.

 

O humano olhou nos olhos deste, que eram inevitavelmente sedutores. Pareciam ter uma atratividade natural que os faziam ser provocativos em qualquer situação.

 

Jungkook olhou para a cena, alarmado. Os olhos de Jimin estavam sobre os de Taehyung e vice-versa, e mesmo com o humano parecendo assustado e apreensivo, ele conhecia Jimin o suficiente para saber que aquilo não acabaria bem.

 

Não olhe nos olhos dele... Por favor... Taehyung-ah... Não olhe nos olhos dele... Jungkook implorou mentalmente, cerrando os punhos com o aumento de sua preocupação.

 

Não olhe... seus olhos...

 

A voz, ecoando como o mais fino sussurro, surpreendeu Taehyung claramente e pegou Jungkook de surpresa.

 

Ele me ouviu...?

 

O loiro, então, moveu os olhos um canto qualquer no chão, e Jimin o soltou, com sua expressão demonstrando incômodo.

 

“Taehyung... Ah.” Jimin murmurou. “Eu não sou mau. Acho que você só está muito acostumado com a inofensividade do Jungkookie.” Virou-se de costas para o humano. “Eu também não irei machucá-lo... A não ser que... Você queira.” Finalizou, virando seu rosto parcialmente na direção de Taehyung.

 

O humano o observou, tenso. A voz do vampiro tinha um tom arrepiante que não conseguia diminuir a pressão criada naquele lugar.

 

Entretanto, subitamente, uma vertigem atingiu o loiro, sua face demonstrando torpor enquanto este simplesmente não conseguia quebrar a ligação entre seus olhos e os do vampiro. Sentiu como se estivesse caindo em um vórtice, tudo ao seu redor tornando-se escuro e somente Jimin permanecendo em sua visão. Seu corpo estava acordado, mas sua mente parecia ter adormecido.

 

Jungkook entreabriu a boca, observando Jimin virar-se totalmente na direção do humano, fazendo seus dedos correrem por entre os fios de cabelo deste. Então, olhou na direção do moreno.

 

“Vem buscar.” Sorriu de canto, desaparecendo junto de Taehyung em um piscar de olhos, deixando para trás nada a não ser a porta de entrada aberta.

 

“NÃO!” Jungkook exclamou, agarrando o seu próprio cabelo desesperadamente. Sabia que isto iria acontecer, o poder hipnótico de Jimin era muito forte. E ele era muito fraco. “Taehyung-ah...” Murmurou. “Espere por mim, por favor...”

 

 

 

 

 

O triplex luxuoso em Nonhyeon-dong, no distrito de Gangnam, tinha uma sofisticada decoração em tons claros, enquanto iluminada por várias fontes de luz. Também possuía uma grande janela, que, àquela hora do dia, estava coberta por um grosso conjunto de cortinas opacas. Também possuía uma escadaria que levava ao segundo andar.

 

Jimin entrou no lugar trazendo Taehyung nas costas, segurando-o pelas pernas. Na grande sala de estar, deixou o humano sentando confortavelmente em um sofá bem ao lado da escada. Em seguida, agachou-se à sua frente com um sorriso completamente diferente dos quais exibira antes. Ainda tinham um ar provocativo, mas pareciam muito mais gentis. Enquanto Taehyung, apesar de ter os olhos abertos, parecia ter a mente claramente longe.

 

“O que você acha, Taehyung-ah? Esse lugar não é muito melhor do que aquele quartinho escuro?” Jimin disse.

 

“Sinto cheiro de humano.” A voz fez com que Jimin olhasse para cima, vendo o garoto de cabelos castanho-escuros sentado no corrimão da escada.

 

“Peguei do Jeon Jungkook, estava escondendo de nós esse tempo todo.”

 

O moreno, que também não era tão alto, andou até o andar inferior, enquanto usava uma jaqueta de couro junto de uma camiseta de uma banda de rock, combinando com jeans azul-escuros rasgados e tênis casuais brancos. Seus olhos eram pequenos e seu rosto era um tanto quanto infantil.

 

“Você sabe que ele vai chegar aqui tipo em uma hora, né?” O recém-chegado disse.

 

“Tanto faz.” Jimin bufou.

 

“Caramba, o que você fez com ele?” O outro se aproximou do humano. “Parece que ele tá drogado.”

 

“Ele é fofo, não acha? Talvez eu tenha errado a mão no feitiço.” Jimin ponderou. “Yoongi-yah, cadê o chefe?” Perguntou.

 

“Tomando banho, eu acho. Eu estava vendo TV no meu quarto.” O moreno disse. “Não acha que está na hora de acordá-lo?” Perguntou ao de cabelos cinza. “Ele vai babar no sofá a qualquer hora.”

 

Min Yoongi, que era alguns anos mais velho do que Jimin, aparentava fazer o tipo tranquilo. Ambos eram amigos próximos, mesmo com suas personalidades contrastantes. Além disso, Yoongi definitivamente sabia muito sobre a natureza de Jimin. Também não se importava muito com o outro falando consigo em tom informal.

 

“Eu quero muito morder ele...” Jimin murmurou, olhando para o humano.

 

“Ei, Jimin! Você tá babando também?” Yoongi deu um empurrão no outro, que o olhou com um bico nos lábios.

 

“Tá bom! Vou acordá-lo, porra.” Reclamou. “Ei... Taehyung-ah... Acorde.” Murmurou suavemente, inclinando-se na direção do humano.

 

Taehyung, então, franziu o cenho com a claridade do lugar, e piscou os olhos algumas vezes antes de perceber que Jimin estava à sua frente. Arregalou os olhos e recostou-se no sofá.

 

“A-Aonde estou?”

 

“Não se preocupe, você está bem.” Yoongi disse, fazendo Taehyung se assustar novamente.

 

“Quem é você?”

 

“Acalme-se, Taehyung-ah.” Jimin pegou a mão do outro enquanto sorria. Taehyung ergueu uma sobrancelha. Este nem de longe parecia o mesmo vampiro que o abordara na casa de Jungkook. “Eu moro aqui. É um lugar bacana, não acha? E esse é meu amigo, Yoongi.”

 

Taehyung olhou ao redor. O lugar realmente era incrível, mas algo parecia fazer falta.

 

“Aonde está Jungkook?”

 

“Ele vai chegar, relaxe.” Yoongi disse.

 

Na última vez que lhe fora pedido que relaxasse as coisas não saíram muito bem, Taehyung pensou. Mordeu o lábio inferior levemente e encolheu-se um pouco no sofá, cruzando os braços.

 

“Ah, vamos lá, sem cara feia.” Jimin disse, sentando ao lado do outro. “O que posso fazer para você se sentir melhor?” Perguntou, colocando seu braço ao redor dos ombros do humano.

 

“Temos comida, você quer?” Yoongi perguntou. O loiro, então, o olhou arregaladamente.

 

 

 

Taehyung ainda mantinha a expressão de desconfiança, mas pelo menos estava comendo cookies de chocolate. Estava em um caso de duplo sequestro? Tipo um sequestro do sequestro?

 

Justo quando estava se sentindo mais confortável com Jungkook, outro vampiro queria a sua ‘guarda’.

 

“Está gostoso, Taehyung-ah?” Jimin sorriu atenciosamente enquanto acariciava o cabelo do humano. De boca cheia, este olhou para o vampiro com o canto dos olhos, mastigando lentamente. Não só havia sido raptado uma segunda vez, mas também estava sendo novamente tratado como um bebê.

 

“Os cookies derreteram sua língua?” Yoongi perguntou ao humano, sentando-se em uma poltrona à frente destes. “É bizarro ver o Jimin falando com essa vozinha fofa com você.”

 

O loiro, então, engoliu a comida.

 

“Quero ir pra casa...”

 

“Não, isso não.” Jimin disse, fazendo o outro suspirar. “Não falamos sobre voltar pra casa aqui.”

 

“Hm.. Então... É verdade que vocês gostam do meu sangue porque é tipo, o melhor?”

 

“Sim.” Yoongi disse.

 

“Total.” Jimin acrescentou.

 

“Okay, mas tipo... Eu também gosto do meu sangue, sabe? Porque tipo... Vocês sabem... Ele me deixa vivo e tal...” Taehyung murmurou.

 

“Você realmente acha que nós iríamos matá-lo?” Jimin riu curtamente. “Seria um desperdício total.” Disse, fazendo o humano corar, com seus lábios pressionando-se.

 

“Você... Nem parece o mesmo de ainda agora.” O loiro murmurou.

 

“Ah, isso é porque ele gosta de bancar o fodão, mas ele é um idiota total.” Yoongi disse.

 

“Cala a boca.” Jimin encarou o amigo. “Não dê ouvidos a ele.” Virou-se de volta ao humano. “Se você quiser algo é só pedir, ok? Eu farei qualquer coisa pra você.”

 

“Tipo me deixar ir embora?”

 

“Não.”

 

Taehyung olhou para o vampiro e este manteve seu olhar para o outro. O loiro não gostava do tom estranho do mais velho, além de que realmente estava sentindo a falta de Jungkook. Mais do que poderia imaginar.

 

Não sabia o porquê de se sentir assim. Era como se conhecessem um ao outro há anos. Tudo acontecera tão rápido, ao mesmo tempo em que parecia ter durado muito.

 

E então aparecera Jimin que aparentava mais ter algum tipo de fetiche por humanos.

 

Jimin sorriu levemente, fazendo Taehyung ruborizar outra vez, desviando o olhar para o chão em seguida.

 

O vampiro era inegavelmente atraente, no entanto, o humano pensou. Com ou sem feitiços, seus olhos eram hipnotizadores.

 

Yoongi decidiu ignorá-los, aproveitando para navegar na internet através de seu smartphone. Entrando em um site de notícias para seu entretenimento, leu as manchetes do dia. Uma, no entanto, pareceu capturar sua atenção. Aluno da Konkuk University some misteriosamente em Hongdae. Clicou, então, na notícia.

 

O estudante de 20 anos, de sobrenome Kim, desapareceu no último sábado, 29, enquanto festejava com os amigos na área de Hongdae. Segundo seus colegas, ele fora a um banheiro público e não fora mais visto desde então, assim como seu celular também aparenta estar inacessível. Imagens de câmeras de segurança no local mostram o estudante antes de seu desaparecimento, aparentando ser capturado por outra pessoa em seguida. A polícia ainda busca pistas que podem levar ao seu paradeiro.

 

Seus olhos, apreensivos, se moveram da tela para o humano à sua frente, que pareceu não notar sua súbita mudança de humor. Não. Contar para eles seria uma péssima ideia, pensou. Só lhe restava torcer para que Taehyung não obtivesse nenhum acesso às notícias, caso contrário as coisas poderiam sair do controle. Ponderou que o humano talvez já imaginasse a situação no lado de fora, mas que saber que aquilo estava realmente ocorrendo poderia ter um efeito bem diferente sobre ele.

 

Todos os três, no entanto, olharam na direção da porta de entrada quando esta fora repentinamente aberta. Taehyung levantou-se do sofá e olhou surpreso com um sorriso.

 

“J-Jungkook...!”

 

“Taehyung-ah!” O moreno exclamou e Jimin revirou os olhos.

 

“Merda... Quem deu a chave pra ele?” Reclamou.

 

“Eu dei.” A voz fez todos olharem para cima, enquanto alguém descia as escadas. Este tinha os cabelos pintados em um tom desgastado de rosa, enquanto vestia uma blusa social e calças pretas, descalço. Seus olhos eram escuros e seu rosto um pouco longo, enquanto sua altura aparentava ser similar à do humano. Seus lábios eram estreitos mas cheios.

 

“Olá, chefe.” Jimin disse em um tom respeitoso. Jungkook também aparentou estar apreensivo.

 

A expressão do homem, no entanto, era tranquila e serena. Ao chegar no andar inferior, sorriu para todos, especialmente Taehyung, que engoliu em seco.

 

“Bem-vindo. Estávamos todos à sua espera. E esperamos mais do que deveria, não é, Jungkook-ah?” Disse.

 

“M-Me perdoe, chefe...” Jungkook olhou para baixo. Taehyung mantinha sua expressão, mas, por dentro, estava espantado. Então aquele era o chefe? Ele parecia mais um garoto de igreja do que um mestre vampiro. Também se deu conta de que todos ali aparentavam ser mais novos do que realmente eram.

 

“Meu nome é Seokjin. Sou o mais velho. Também criei Jungkook. Parece que foi ontem.” Explicou para o humano, que se surpreendeu com a informação. “Eu não pude resistir quando o vi sentado perigosamente na beira da ponte. Ele era muito fofo para morrer. Percebo que você também gosta dele, não é?” Disse, com um sorriso.

 

Taehyung não conseguiu dizer nada, apenas continuou calado enquanto o nervosismo estava estampado em seu rosto.

 

“Imagino que você talvez ainda tenha muitas perguntas sobre nosso mundo.” Seokjin disse, aproximando-se do loiro. “Posso pacientemente respondê-las.”

 

“Isso... Tudo isso é realmente necessário...?” Taehyung perguntou.

 

“Veja bem...” Seokjin pousou uma mão sobre o ombro do humano. “...Nós vampiros temos isso em nossa natureza há anos, até que a tecnologia moderna nos permitiu recorrer a métodos menos... Danosos. O problema é, não conseguimos nos livrar do que somos. É o que somos.” Explicou. “Nós temos dependido 90% em sangue sintético, mas você não acha que nós poderíamos apreciar um alimento de boa qualidade de vez em quando?” Sorriu.

 

Se a explicação servira para acalmar o humano, havia falhado miseravelmente.

 

“Sabe como eu mantenho este estilo de vida para mim e os garotos?” O mais velho prosseguiu. “Eu sou o distribuidor de ‘Fake B’ no país. É um encargo trabalhoso.” Disse, e Taehyung o olhou em seguida.

 

“Então... Por que não dá a Jungkook? Por que é tão caro?”

 

“Ah, nós íamos! De verdade! Se... Ele tivesse cumprido o combinado e trazido você até nós desde o começo.” Seokjin disse. O fato deste manter sempre um sorriso no rosto estava deixando o humano perturbado, talvez mais do que deveria. “E os custos de produção e transporte, lá da Inglaterra, são muito altos, por isso o preço.”

 

Jungkook franziu o cenho, sem mover o olhar do chão, mantendo ambas as mãos à frente de seu corpo.

 

“Mas eu entendo o que sente. Vocês dois.” Seokjin prosseguiu. “Vocês são jovens ainda, mal saíram da adolescência. O que significa que estão ambos na idade de aprender que certas ações possuem consequências.” Disse. “Sinto muito, Jungkook-ah, mas—Qual seu nome mesmo?” Perguntou ao humano, com a mão ainda sobre seu ombro.

 

“T-Taehyung...”

 

“Taehyung ficará conosco. Tomaremos conta dele direito.” Completou. As pernas de Taehyung tremeram e os lábios de Jungkook se entreabriram, com este olhando para o mais velho como se implorasse com os olhos. Seokjin, então, entregou Taehyung a Jimin, que o envolveu com os braços, sorrindo cinicamente para Jungkook.

 

“Chefe, por favor...” O moreno murmurou.

 

“Isto poderia ter sido diferente se você tivesse ficado ao nosso lado, como Yoongi e Jimin.” Seokjin disse. “Você escolheu uma vida independente, mas como pode ver, não é tão fácil como esperava. Isso será bom para você refletir.”

 

Taehyung olhou tristemente para Jungkook, que fez o mesmo.

 

Espere por mim, por favor... Eu vou voltar. Jungkook disse mentalmente, demonstrando frustração ao andar na direção da porta.

 

Espere... Eu... Voltar...

 

O som, como um murmúrio dissipado no ar, ressonou na mente de Taehyung, que olhou na direção de Jungkook, que por sua vez fora guiado por Yoongi até a porta. Este, então, saiu junto do mais novo e fechou a porta.

 

“Por favor... Não deixe nada acontecer... E dê comida pra ele. Ele fica feliz quando come.” Jungkook disse para Yoongi, no hall do elevador.

 

“Você conhece o Jimin, isso é só papo dele.”

 

“Ele quer o Taehyung.”

 

“Por que você liga tanto? Quer o sangue dele só pra você?” Yoongi perguntou.

 

“Eu... Eu gosto dele.” Jungkook disse, cabisbaixo. “Eu gostei dele no momento em que o vi deitado na minha cama pela primeira vez, e eu o vi dormindo... Eu não consegui evitar... Aconteceu. Não consigo mais voltar atrás.” Disse. Yoongi suspirou.

 

“Isso vai ser complicado, mas você vai vê-lo de novo. Aliás... A essa altura, acho que o chefe não quer mais o sangue dele. Mas não posso dizer o mesmo do Jimin...” Disse. “E de pensar que vocês dois eram tão próximos antes...”

 

“Foi rápido demais. Ele agiu comigo como está agindo com Taehyung agora.” Jungkook disse. “Nunca iria dar certo.”

 

“Vai pra casa, ok? Qualquer coisa pode me ligar.” Yoongi bagunçou os cabelos de Jungkook, que assentiu. Enquanto este se dirigia para o elevador, o maior o segurou pelo pulso. “Esqueci de te contar uma coisa. A polícia já tá atrás dele. Saiu até no jornal.” Disse, fazendo Jungkook suspirar.

 

“É tudo culpa minha...” Se libertou da mão de Yoongi e chamou o elevador, que chegou logo em seguida. Yoongi observou o outro partir e retornou para o apartamento.

 

“Ei. Vamos pedir pizza.” Disse após fechar a porta. Taehyung o olhou.

 

“Pizza?”

 

“Você pode pedir o que quiser, só falar.” Jimin disse.

 

“Eu vou para o meu escritório agora.” Seokjin disse, sorrindo ao tocar a ponta do nariz de Taehyung. “Sinta-se livre para pedir o que quiser.” Falou, logo subindo as escadas novamente.

 

“Eu quero pepperoni...” Taehyung disse, com as bochechas avermelhadas.

 

 

 

O loiro tomou um gole do copo que continha refrigerante. A pizza estava incrível e poder comer algo assim era ótimo. Ainda assim, estava um pouco temeroso, mesmo que estivesse junto dos outros dois à mesa, sentados no chão, ao lado da janela coberta.

 

“Vocês podem sentir o gosto da pizza?” Taehyung perguntou, genuinamente curioso, dando outra mordida no pedaço que tinha em mãos em seguida.

 

“A perda de paladar varia para todos. Nenhum vampiro se parece com o outro.” Yoongi disse. “Claro, não tem o mesmo gosto que teria se ainda fôssemos humanos.”

 

“Nós temos diferentes habilidades também.” Jimin disse. “Como a minha é--”

 

“Eu sei qual é.” Taehyung fitou o outro, interrompendo-o, com um leve bico nos lábios. “Qual o seu, Yoongi-ssi?” Virou-se para o moreno.

 

“Só Yoongi, ok?” Sorriu. “Posso me teleportar.”

 

“Vocês todos não fazem isso?” O humano perguntou.

 

“Nós só nos movemos muito rápido para os olhos humanos.” Jimin disse. “Teletransporte é outra coisa.”

 

“Esse seria um poder que eu gostaria de ter...” Taehyung murmurou.

 

“Se você se tornar um vampiro, estará automaticamente concorrendo na loteria de habilidades.” Yoongi riu.

 

“Não, obrigado...” O loiro disse. “...Hmm... Quantos anos vocês têm?”

 

“Eu nasci em 1965, Jimin em 1968.” Yoongi disse.

 

“E... Como vocês...?”

 

“Eu decidi entrar no movimento de democratização em 87. Foi assim que aconteceu.” Jimin disse, perdendo o olhar em algum lugar da mesa, enquanto Taehyung o olhava. “Eu era calouro na Yonsei University e fui atingido por uma pedra na testa, então havia sangue para todos os lados. A situação estava tão louca que eu só consegui me esconder sozinho. E ali um novato me achou.” Disse, enquanto seu indicador movia-se em círculos aleatoriamente sobre a beira de seu copo. “Ele não conseguiu resistir e me mordeu até eu quase morrer. Acho que ele ficou desesperado com o meu estado e decidiu me transformar, depois foi embora. Então eu quase morri de novo porque era de dia. Não me pergunte como o outro cara estava lá, porque eu ainda não consegui descobrir. Nem lembro da cara dele.” Completou.

 

“Eu morava no interior e me mudei pra Seoul em 1985.” Yoongi disse. “Eu não tinha dinheiro pra faculdade, então comecei a trabalhar em uns bicos. No fim do meu turno num bar, quase de manhã, o último cliente me atacou. Eu pensei que ele queria abusar de mim, mas ele era um vampiro.” Riu de leve. “Eu também acho que ele não quis que encontrassem meu corpo sem vida pela manhã então ele me deu o seu sangue.” Disse. “Um ano depois eu encontrei o chefe Seokjin e quatro anos depois veio Jimin.”

 

“Nós vampiros sempre acabamos nos encontrando.” Jimin disse. “O cheiro é muito forte.”

 

“E como aconteceu para o... Chefe?” Taehyung perguntou.

 

“Ele nasceu no século XIX.” Yoongi disse, e Taehyung surpreendeu-se. “A história dele é um pouco parecida com a do Jimin, mas lá na época do período colonial. Ele protestava contra os japoneses e foi pego. Torturaram ele por alguns dias até que um oficial japonês de alta patente, que também era um vampiro, ficou encantado com ele. Ele pensou que talvez o chefe se sairia melhor não sendo mais um humano, e depois o soltou.” Explicou.

 

“Vocês passaram por poucas e boas...” Taehyung disse. Olhando para estes, o humano provavelmente nunca seria capaz de adivinhar aquelas histórias sozinhas. Eles pareciam ter mudado bastante desde então, pensou.

 

“Você dificilmente vai encontrar uma história feliz entre nós. Existem alguns que se tornaram vampiros por amor, no entanto. Nós não tivemos escolha.” Jimin disse, pegando um cigarro de seu bolso e acendendo-o após colocá-lo entre os lábios.

 

“Não está de noite?” Yoongi disse com uma voz um pouco alegre, tentando quebrar o clima pesado que se formara. “18:32, vamos abrir as cortinas.” Disse, levantando-se e correndo para um pequeno painel digital ao lado da escada. Pressionou um botão e logo as cortinas começaram a ser automaticamente erguidas.

 

Com a janela à mostra, Taehyung entreabriu os lábios com o cenário. O tempo havia melhorado, permitindo que o humano visse a bela paisagem noturna de Seoul junto às cores do pôr-do-sol. Andou até a janela e sentou à frente desta. O sol já havia partido.

 

Fechou os olhos, então, e respirou profundamente.

 

Os pensamentos de Taehyung ainda lutavam uns contra os outros em busca de respostas pelo o que deveria ser considerado certo naquela situação. Ainda assim, parecia estar em uma montanha-russa dentro de um sonho que acontecia dentro de um filme. E os loops estavam ficando ainda mais loucos.

 

Deveria estar protestando, gritando pelo seu direito de retornar à sua vida normal de estudante.

 

Mas, no fundo, sentia como se a energia para fazer isso havia acabado. Ele queria pelo menos tentar aproveitar algo daquilo. Ou ao menos fingir que tudo não passava de um sonho bizarro.

 

Parece loucura, não?

 

“Taehyung-ah.” Yoongi murmurou, e o loiro o olhou, retornando ao mundo real. ”Venha comigo, eu vou lhe mostrar o seu quarto.” Disse. O humano levantou e assentiu, indo para o andar superior com o vampiro. Jimin os seguiu após desistir de seu cigarro.

 

“Este é o meu quarto.” Apontou para a porta mais próxima da escada. “E este é o seu.” Seguiu à esquerda, abrindo uma outra porta, não muito longe de seu quarto.

 

Era um quarto enorme, com uma cama king-size coberta pelas melhores roupas de cama e um closet. Também tinha uma bancada, que estava vazia, já que o lugar estava desocupado. Abaixo da cama havia um tapete felpudo. Ao lado desta, um criado-mudo com um abajur.

 

“Isso é maior do que o lugar aonde moro.” Taehyung disse.

 

“É seu por quanto tempo quiser.” Jimin disse.

 

“E aqui está o banheiro.” Yoongi disse, andando junto dos outros dois. Aquele cômodo realmente deixou Taehyung impressionado. Era um banheiro em estilo ocidental, com a pia junto de uma longa bancada, abaixo de um grande espelho. Ao lado estava o vaso sanitário, enquanto no canto esquerdo havia uma banheira. No canto direito estava o box. “Vou pegar escova e pasta de dente pra você.” O moreno disse, saindo em seguida.

 

“Temos roupas pra você, também.” Jimin disse.

 

“O-Obrigado.” Taehyung nem sabia por que estava agradecendo. Era o mínimo que poderiam fazer em um caso de cárcere privado.

 

“Aquele é o meu.” Jimin apontou para o fim do corredor após estes retornarem para a entrada do quarto. “Todo o terceiro andar é do chefe Seokjin, então nunca entre lá. Mas você pode me visitar quando quiser.” Sorriu.

 

“Aqui está.” Yoongi entregou para o humano a escova e a pasta de dentes ao retornar. “Você pode pegar toalhas limpas no armário debaixo da pia. Se você gosta de roupões de banho, também tem.” Disse. “Também tem algumas roupas no closet. O quarto era do Jungkook.” Disse, e Taehyung automaticamente corou. “O chefe gosta de manter tudo limpinho então estão boas para você usar.”

 

Taehyung assentiu, segurando a porta.

 

“Eu vou dormir agora.” Disse, fechando a porta, trancando-a. Respirou profundamente outra vez. Em seguida, pulou sobre a cama, caindo sobre as costas e mantendo os braços abertos, enquanto olhara para o teto.

 

Mas pensando melhor, aquela banheira parecia muito boa.

 

 

 

 

O loiro tinha todo o corpo e mais metade da cabeça sob a água, que não estava mais transparente devido ao sabonete, em temperatura morna. Soprou algumas bolhas e olhou para a ponta dos dedos de seus pés no final.

 

Honestamente pensando, nem sabia ao certo quantos dias haviam passado. O seu senso de tempo não estava mais sendo aplicado à sua vida àquela altura, ainda mais quando mal podia olhar para o céu.

 

Fechou seus olhos e tentou relaxar. Desta vez pra valer.

 

Não pense neles. Não pense nas pessoas. Não pense em você. Mentalizou, tentando esvaziar a mente e preparar-se para qualquer desafio que pudesse aparecer nos próximos dias, horas... Minutos.

 

Ou quando abrisse os olhos e encontrasse um sorridente Jimin com o braço sobre a beira da banheira, apoiando o queixo sobre o mesmo.

 

“Meu deus!” Exclamou, quase pulando na banheira e fazendo água espalhar-se por todos os lados. “Como diabos você destrancou a porta?” Quase gritou, assustado até o último fio de cabelo.

 

“Você é tão fofo.” Jimin disse. “Posso me juntar? A água parece ótima.”

 

“N-Não, você não pode!” Taehyung exclamou, com a sua face vermelha por inteiro.

 

“Ahh, por favor!” Jimin fez bico. “Prometo que não vou morder.”

 

Taehyung engoliu em seco, definitivamente não acreditando nas palavras do outro. Com seu corpo submerso, não estava muito disposto a mostrar-se sem roupas para o outro.

 

“Você vai ficar aí? Vou entrar então.” Jimin disse, logo começando a se despir. Taehyung estava quase tendo um colapso mental enquanto agarrava o próprio cabelo.

 

Mas ele simplesmente não conseguiu não olhar.

 

Vampiros se exercitavam? Ou eles tiveram a sorte de terem sido mordidos enquanto estavam em boa forma? Por que aparentemente todos eles eram incrivelmente bonitos da cabeça aos pés?

 

Jimin permaneceu somente com sua roupa íntima e entrou na banheira, sem perder o sorriso.

 

Taehyung engoliu em seco e olhou para o outro, escondendo-se sob a água, deixando somente seus olhos sobre a superfície.

 

Os olhos de Jimin não estavam mais verdes, na verdade eram quase pretos, o que confirmou a teoria do humano sobre lentes de contato. Esta simples diferença pareceu mudar totalmente o visual do outro. Ele parecia mais humano e menos feroz...?

 

O de cabelos cinza, então, fechou os olhos e submergiu rapidamente, logo retornando.

 

“A água está realmente boa.” Disse, bagunçando os cabelos, agora molhados. “Poderíamos aproveitar este tempo para nos conhecermos melhor, não acha?” Sorriu de canto, e Taehyung mordeu os lábios inferiores, enquanto seus olhos denotavam desconfiança.

 

“Por que você e Jungkook não se dão bem?” Taehyung perguntou, fazendo o outro suspirar.

 

“Nós somos totalmente diferentes. Ele é muito humano pro meu gosto. Ele poderia viver tudo isso conosco mas preferiu viver recluso. Ele me irrita demais e eu tenho pavio curto.” Respondeu.

 

Alguns minutos de silêncio seguiram. Se o propósito disto era fazer perguntas, então o humano concluiu que poderia usar aquela oportunidade.

 

“Você não é mais humano? Nem um pouquinho?” O loiro perguntou.

 

“Já fazem quase trinta anos desde que mudei. Foi meio traumático no início. Algumas coisas na vida fazem você mudar, pra melhor ou pra pior. Talvez você seja muito novo pra perceber. Talvez você também tenha vivido uma vida muito confortável até então.”

 

Ele estava certo, Taehyung pensou. Nunca havia tido muitas preocupações na vida. Seus pais eram felizes no casamento, ele fora a uma boa escola, mudara-se para a capital, entrara na faculdade, saía com os amigos e dinheiro também não era uma grande preocupação.

 

“No meu tempo, nós estávamos indignados com tudo. A não ser que você fosse super rico e privilegiado, você provavelmente teria feito como eu e se revoltado, se estivesse no meu lugar.” Jimin prosseguiu. “Eu ainda penso no que a minha vida poderia ter sido se eu nada disso tivesse acontecido. Além de estar tipo um velho agora. Como o Jungkook, eu também não pude dizer adeus pros meus pais... Eu tinha acabado de me mudar de Busan... Liguei para eles mas não consegui dizer nada. Estava animado com a vida em Seoul e de repente tudo foi pelo ralo.” Disse. “Antes de encontrar o chefe e Yoongi... Eu... Matei muitas pessoas. E você pode até pensar que eu gostava disso, mas na verdade não gostava. Mas esse tipo de experiência muda você. Se você olhar nos jornais da época, eles chamaram de ‘Massacre de Guri’, que até hoje não foi solucionado pela polícia. Eu odeio sequer lembrar disso.”

 

Vampiros tinham muitos sentimentos acumulados no peito, o humano concluiu consigo. Só fizera poucas perguntas a Jimin mas este estava lhe contando toda a sua história de vida. Ainda assim, era todo ouvidos.

 

“Não importa se você é um humano ou um vampiro, é bom ter alguém ao seu lado.” O de cabelos cinza disse. “Talvez Jungkook ainda seja muito novo e ingênuo pra perceber isso.”

 

“Talvez... Ele já tenha percebido.” Taehyung murmurou, corando e perdendo o olhar n’água. Jimin soltou uma curta risada.

 

“E não é? O que mais o traria aqui de novo?” Olhou para Taehyung, que então ergueu o olhar na direção deste. “Se não você...” Disse, aproximando-se deste dentro da banheira. O loiro, então, engoliu, sentindo o outro tocar sua mão, trazendo-a para a superfície. Seus batimentos cardíacos se aceleraram.

 

Jimin trouxe a mão deste para o seu rosto, acariciando a própria pele.

 

“Pensando a respeito... Eu não sinto falta de ser humano. Isso é o que sou e vou ser para sempre.” Murmurou, enquanto Taehyung percebeu seus olhos adquirirem um tom de cinza-claro, quase paralisando ao ver.

 

Por que não conseguia relaxar? Vampiros e suas histórias tristes.

 

“Taehyung-ah... Queria saber por que Jungkookie gosta tanto de você... Você me permitiria...?” Jimin murmurou numa voz provocante, olhando nos olhos do outro.

 

O vórtice. Taehyung estava entrando nele outra vez.

 

Ainda podia ver Jimin e seus arredores. Ainda assim, seu corpo parecia flutuar no ar, sua consciência flutuando entre realidade e imaginação.

 

Mas ele definitivamente sentiu o toque dos lábios entreabertos de Jimin contra a sua pele de seu pulso.

 

“Taehyung-ah...” O vampiro murmurou, com suas presas à mostra. “Prometo que não vai doer.”

 

O humano fechou e pressionou os olhos, sua boca se abrindo, deixando um longo gemido sair com as presas de Jimin perfurando sua pele. Tentou segurar-se à beira interna da banheira mas estava muito escorregadio. Seu corpo todo serpenteou com aquela sensação.

 

Que definitivamente não era dor.

 

Sentia como se seu corpo estivesse ardendo de dentro para fora, uma sensação de torpor e formigamento ao mesmo tempo. Gemeu ainda mais alto, sentindo dor, mas de uma forma incomum. Era um tipo diferente de dor.

 

Sua subsequente perda de energia fez seus gemidos serem suprimidos, soltando apenas suspiros. Jimin, então, o soltou, ainda segurando seu braço. Com sangue escorrendo do canto de sua boca para a água, segurou o outro pelas costas, trazendo-o mais perto de si.

 

“Senti muita falta disso... Obrigada, Taehyung-ah.” Murmurou, com Taehyung fechando os olhos em seguida.

 

 

 

Jungkook suspirou enquanto assistia a um programa de comédia no YouTube. Seu rosto, no entanto, denotava tudo, menos divertimento.

 

Fechou o aplicativo e trancou a tela do celular, caindo sobre a cama. Com o rosto contra o colchão, inspirou fundo. O cheiro de Taehyung era tão bom que nunca era demais.

 

Sentia a falta dele. Talvez devido a sua longa solidão, mas ele havia, inesperadamente, se ligado ao humano.

 

Agora tudo parecia chato, então nem fazia a mínima questão de sair de seu quarto. Realmente nunca esperou ser atingido por um sentimento tão forte.

 

Decidira viver por conta própria para manter-se sozinho com seus ideais, sem as reclamações de outros. Ainda assim, ele se deparava com a carência e precisava abrir mão do seu orgulho para continuar seguindo em frente.

 

Mas ele estava totalmente incapaz de tirar os beijos de Taehyung de sua mente. O humano era especial de uma forma que não sabia explicar.

 

Talvez agora que experimentara ter alguém, que não fosse família ou amigos, ao seu lado, ele não conseguia mais se satisfazer com pouco.

 

 

 

 

 

O loiro acordou, cercado pelo edredom macio que o cobria até quase o pescoço. Piscando algumas vezes antes de se sentar na cama, ficou surpreso ao ver o curativo em seu pulso esquerdo. Seu cabelo estava bagunçado e espetado.

 

“Ai meu deus...” Murmurou consigo mesmo, relembrando os eventos de antes. Estavam um pouco ‘embaçados’ em sua mente. Mas aquela sensação, no entanto, estava bem clara, e fez seu corpo todo se arrepiar. Engoliu em seco e esfregou o pescoço para aliviar o arrepio. Fora mordido de novo, ótimo.

 

Olhou para o seu corpo, percebendo estar vestindo o roupão de banho. A informação fez seu rosto ficar vermelho. Estava na banheira quando desmaiara, e tendo acordado sobre a cama, aquilo só poderia significar que alguém o tirara da banheira e o colocara dentro do roupão.

 

E este alguém era muito provavelmente Jimin.

 

Aish!” Exclamou, bagunçando ainda mais os cabelos com as mãos, fazendo bico enquanto soltava ar pelas narinas. Ser o humano preferido dos vampiros era de alguma forma muito irritante.

 

“Bom dia, flor do dia!” Um Jimin animado entrou no quarto, vestindo uma bermuda e um moletom, se jogando sobre a cama em seguida e recebendo um olhar raivoso do humano. “Você fica ainda mais fofo quando está com raiva. Sabe aqueles cachorrinhos na internet? Você é que nem eles!” Disse, deitando sobre a barriga enquanto balançava as pernas para frente e para trás.

 

“Por que você me mordeu? Você fez aquela porcaria de hipnose de novo!”

 

“Eu não fiz isso pra mordê-lo... Fiz para que não sentisse dor.” Disse, com um sorriso atrevido nos lábios. “E eu gosto que seu rosto é sempre rosado.”

 

Àquela altura, o rosto de Taehyung não conseguia mais retornar ao tom de pele original. Tudo que acontecia consigo há dias fazia o seu coração disparar, positivamente ou negativamente.

 

“Levanta!” Jimin ficou em pé sobre a cama e começou a puxar o humano pelo braço. “Tem algo esperando por você na sala.”

 

Taehyung ergueu uma sobrancelha e deixou ser guiado pelo outro até a sala. Das escadas, arregalou os olhos ao ver a mesa. Estava cheia com uma refeição tipicamente coreana, com diversos acompanhamentos e kimchi jjigae como prato principal.

 

“Tá de brincadeira!” O humano quase correu escada abaixo, correndo para sentar-se à mesa. Seu estômago estava vazio, então não tardou em pegar os pauzinhos metálicos como se sua vida dependesse daquilo.

 

Jimin o observou, andando pela sala, enquanto Yoongi estava sentado no sofá à frente da mesa.

 

“Ele está com tanta fome que nem me viu aqui.” Disse. Com a boca cheia de arroz, o humano parou e olhou para o moreno.

 

“Bom dia...” Disse abafadamente.

 

“São 1 da tarde.” Yoongi disse.

 

Taehyung continuou a comer, quase sorrindo só de olhar para a comida. A parte ruim de tudo aquilo era ter seu sangue sugado, a parte boa era a comida de graça.

 

Jimin, então, sentou-se ao lado de Yoongi.

 

“O gosto dele é incrível, é a melhor coisa que eu já provei na vida.” Sussurrou para o amigo. “Todo o apartamento está cheirando bem desde que ele chegou.”

 

“Claro que você não ia perder a chance.” Yoongi suspirou. “E agora? Vai hipnotizá-lo até que ele comece a gostar de você?”

 

“Isso não seria bom.” Jimin disse. “Não quero fazer coisas sem o consentimento dele... Bem... Talvez uma mordidinha ou duas...”

 

“Não é à toa que você não consegue namorar.” O moreno disse.

 

“Boa tarde, garotos.” A voz fez todos olharem para cima, com Seokjin descendo as escadas, enquanto vestia um traje social. “Nosso hóspede está sendo bem tratado?”

 

“Da melhor maneira possível.” Jimin disse.

 

“Ele me mordeu.” Taehyung disse ao mais velho, apontando para Jimin.

 

“Jimin-ah, comporte-se.” Seokjin disse com um leve sorriso. “Você também pode escolher o menu do jantar se quiser.” Disse ao humano, que assentiu.

 

“Posso perguntar algo?”

 

“Claro.”

 

“Como vocês destrancam as portas?” Perguntou. Jimin e Yoongi olharam um para o outro. Seokjin encarou o humano por alguns segundos antes de dirigir-se à porta.

 

“Irei atender a alguns compromissos. Por favor tomem conta do garoto e da casa. Até mais tarde.” Disse e saiu.

 

“Isso é algum tipo de segredo de vampiros? Por que vocês não me respondem?” Taehyung virou para os outros dois, realmente confuso.

 

“O que você quer para o jantar, Taehyung-ah?” Jimin perguntou. Taehyung bufou, com suas bochechas inchadas e cruzando os braços.

 

“Que neném.” Yoongi sorriu, recebendo um olhar nada amigável do humano.

 

“Como Seokjin-ssi saiu? Não está de dia?” Taehyung mudou o assunto drasticamente.

 

“Nós temos carros. E dos bons.” Jimin disse. “É só deixar os vidros o mais escuros possíveis e evitar andar na rua. É assim que fazemos. Posso te levar pra passear algum dia... Se quiser.”

 

“Eu gosto de andar de metrô.” Taehyung disse. “Por sinal... Ele não parece o tipo que teria um cabelo rosa...”

 

“Acho que ele ficou entediado.” O de cabelos cinza disse. “Ele é velho em todos os aspectos, exceto na aparência.”

 

“Ele nos fez ir comprar as tinturas e nós mesmos fizemos o serviço. Para a nossa sorte, ele gostou. Mas foi bem estranho quando ele pediu.” Yoongi explicou.

 

“O que não é estranho aqui...” Taehyung murmurou em tom de pergunta.

 

“Você ainda está de roupão, por sinal.” Yoongi disse, fazendo o humano perceber.

 

“Vou me trocar.” Este se levantou e correu para o quarto. Ao entrar no cômodo, foi até o closet buscar as roupas – que eram de Jungkook, e em sua maioria, pretas. Pegou um moletom, que era bem adequado para o clima de outono, ainda que estivesse dentro de casa. Tirou-o do cabide e mordeu o lábio sutilmente antes de trazer a roupa para o seu rosto. Tinha cheiro de sabão, no entanto. Jungkook provavelmente não as vestia há muito tempo.

 

Talvez as coisas estivessem mais divertidas ali se o moreno também estivesse.

 

Vestiu a blusa junto com uma calça jeans preta e meias de bolinhas. Estava tudo ali no closet. Então, olhou-se no espelho e usou os dedos para botar o cabelo no seu devido lugar.

 

Seu pulso ainda doía um pouco, mas não lhe incomodava. Encarou seu próprio reflexo após aproximar-se do espelho e bateu levemente nas próprias bochechas algumas vezes.

 

Força!

 

Logo, retornou para a sala, aonde Yoongi agora deitava no sofá, enquanto Jimin limpava a mesa, empilhando os pratos.

 

“Ah, espere!” Taehyung correu até o outro. “Deixe eu ajudar.” Disse, em um gesto de pura gentileza.

“Não precisa, eu posso fazer isso.” Jimin disse.

 

“Mas eu usei, eu deveria... Ajudar, talvez.” Taehyung corou e Jimin sorriu.

 

“Já que insiste.” Disse e logo o humano começou a carregar os utensílios, seguindo Jimin até uma porta próxima à entrada do apartamento, aonde ficava a cozinha. Este cômodo também era bonito e bem decorado. “Como você pode ver, não usamos muito a cozinha. Mas temos um lava-pratos, então bote tudo aqui.” O vampiro disse, com o eletrodoméstico já pronto para receber os pratos.

 

Terminaram tudo e Taehyung andou para fora da cozinha. Em frente à porta de entrada, no entanto, Jimin o pegou pelo pulso que não estava ferido.

 

“Ei.” Disse, empurrando o outro levemente uma vez que estavam frente-a-frente. Com as costas de Taehyung tocando a parede, o vampiro se aproximou perigosamente e posicionou seu braço sobre a superfície, ao lado do rosto do humano. “Eu definitivamente não consigo tirar meus olhos de você.” Disse. “Se... Se você me der uma chance, posso mostrar que não sou tão mau assim.” Sorriu.

 

Taehyung engoliu em seco.

 

“Você e Jungkook não estão namorando, estão? Então, por que não me deixa tentar...?” Jimin disse, correndo o indicador sobre o torso de Taehyung, fazendo-o se arrepiar.

 

“Eu... Eu...” O humano estava realmente sem palavras. Ele gostava de Jungkook mas toda a problemática ainda o deixava conflitante. Jimin era extremamente sedutor e o vampiro sabia disso. “Eu n-não sei...”

 

Ele não conseguia simplesmente ignorar a situação de cárcere na qual estava, e que lhe impedia, de certa forma, de criar maiores sentimentos ternos, ainda que tudo ali fosse como uma gangorra emocional.

 

Jimin, no entanto, não esperou por respostas. Segurou o outro pelo queixo e o beijou.

 

E aquilo ocorrera na hora em que a porta fora aberta, e um vampiro moreno olhou para a cena. Jungkook exasperadamente franziu o cenho e cerrou os dentes.


Notas Finais


Huhuhu Jimin in your area~ ♪ ⃛(❛ั◡˜๑)

E aí, gostaram? <3 Espero que sim!
Por favor deixem seus comentários, seu feedback é muito importante1
Eu li todos os do capítulo anterior e fiquei muito feliz de vê-los!
Também compartilhem com @s [email protected] army das fic tudo heinn! <3

Até o próximo! <3 Byebye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...