História Blood, Sweat and Tears. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Suga, V
Exibições 89
Palavras 1.879
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá gente, essa é uma fanfic de um tema conhecido, mas que eu quis fazer do meu jeitinho.
Além disso, o fanfic não só vai acompanhar o crescimento do protagonista, no caso nosso Suga, como a maior trama vai ser a divisão da realidade dele; o filho de uma anjo e um demônio. Fora, tentando viver como humano, ele acaba criando laços maiores do que se pode imaginar.

Capítulo 1 - Início: O romance proibido.


Fanfic / Fanfiction Blood, Sweat and Tears. - Capítulo 1 - Início: O romance proibido.

Há muito tempo, antes da formação da humanidade que conhecemos, anjos celestiais e anjos caídos estavam em guerra por seus senhores. Lúcifer convertera pelo menos terça parte dos anjos para com si, iniciar uma rebelião.

Mas no meio disso tudo, eis que um amor proibido não é resistível. A anjo Yoko que carregava a luz da purificação; uma grande tarefa para o país celestial, e o poderoso anjo caído Yuzo, que facilmente tinha o controle sobre a mente humana em rebeldia e vingança, apaixonaram-se através um único olhar. Mas naquele dia...trevas...pureza, simplesmente pareceu não existir entre eles. A descoberta dessa relação poderia ser simplesmente imperdoável para os dois lados, então por décadas, eles viveram juntos em segredo.

Benção ou maldição? Mas naquele dia em diante, a vida de ambos mudaria por toda a eternidade.

— Impura! — Dera um tapa no rosto de Yoko, que caiu com suas vestes brilhantes sobre o chão.

— Pare! — Ela implorou, com os olhos marejados. — Anjo Yel, eu não sei do que fala!

— Há um poder maligno vindo de você...nem mesma sente isso?! Uniu-se a Lúcifer por nossas costas, não é?!

— Não! — Ela tentou. — Eu...

Yoko arregalou os olhos, então enfim haviam descoberto-a?

O templo sagrado do reino celestial aos poucos enchia-se; anjos mirins, aprendizes, e até príncipes a volta deles.

Traidora! — Diversos anjos gritavam a volta da mesma.

Basta.

Assim que aquela voz soou, ambos ficaram em silêncio.

— Gabriel! — Yoko rastejou-se, e tocando sua manta, implorou. — Piedade! Sempre servi ao nosso senhor com excelência!

— Yoko. — Ele dita. — Do teu ventre, uma criança forma-se.

— O-Oque? — Ela gaguejou.

— Nem mesmo percebeu?

— Eu sabia! Gabriel, ela traiu ao nosso senhor, envolveu-se com o mal! — Yel exclamou, apontando.

Um anjo vivendo como humana...não há vergonha maior.

— Impossível...

— É proibido! O que acontecerá com ela?

Novamente comentavam a volta.

Yoko tinha os lábios entre abertos. Sua destra deslizou sobre seu abdômen.

Yuzo, o que será de nós agora?; pensou em aflição.

— Gabriel...por favor...eu..

Nas veias da criança que gera, corre sangue de demônio.

Um anjo está gerando uma criança demônio?! — Dessa vez, o anjo Haniel. — Yoko...em uma situação dessas você certamente será banida para o mundo humano, sem jamais conhecer o paraíso novamente.

— Informem ao nosso senhor. — Gabriel deu as costas. — Não poderemos julgá-la sem uma palavra final...talvez nem mesmo deixar que essa criança exista.

Yoko entrou em desespero; suas mãos tremeram; ela não poderia ficar ali nem mais um segundo. Transportar a própria alma era uma tarefa fácil para um anjo do nível dela.

— Ela está..

— Deixem-na ir! — Gabriel dita. — Ela não poderá fugir do julgamento.

 

 

Entre o céu e a terra.

 

 

— Yuzo! — Exclamou em lágrimas.

— Yoko! O que aconteceu?! — Esbelto e profundamente bonito, Yuzo carregava belas asas negras nas costas. — Fale! — Ele a segurou em seus braços.

— Eles descobriram sobre nós!

— O que?! Como..nós sempre fomos cuidadosos e..

— Eu estou grávida, Yuzo! — Com os olhos marejados ela o fitou. — Estou carregando um bebê seu!

Os lábios de Yuzo congelaram.

— Yoko... — Ele tocou no ventre dela.

— Eu serei julgada, mas esse não é pior...talvez a existência do nosso filho seja proibida! O que faremos?!

— Tem alguém vindo!

Nesse momento, Yuzo a levantou em seu colo, e batendo suas asas, moveu-se dali céu a cima com sua amada.

 

. . .

 

Chegando ao esconderijo onde ambos viveram juntos enquanto puderam por anos, ele a pôs sobre uma confortável almofada.

— Yoko, não importa o que aconteça, certamente receberei uma punição também, mas é certo que protegerei você e essa criança.

Ela o abraçou.

— Estou com medo...

— Eu estou aqui, querida... — Ele sussurrou.

De repente uma luz exuberante formava-se no meio do cômodo.

— São eles! — Yoko exclamou.

— Se eu precisar matá-los, eu o farei! — Yuzo levantou-se.

E naquele local, Gabriel surgira.

— Ora. — Gabriel os fitou. — Então é você, Yuzo?

— Vá embora, Gabriel. — Friamente ditou.

— Faz eras que não nos vemos, que recepção desanimada.

— Gabriel.. — Yoko tentou.

— Bondoso seja o senhor, dono da graça e do perdão, Yoko. A unir-se com um anjo caído, você pecou gravemente contra seu criador...mas este que por amor ainda quer salva-la, deseja lhe dar outra chance.

— Outra chance? — Yoko ajoelhou-se.

— Sim, no entanto...

Yuzo apertou a mão de Yoko.

— Arrependa-se e essa união jamais poderá existir novamente, e essa criança nunca deverá nascer.

Yoko caiu para trás.

— Pra trás, Gabriel! — Yuzo armou-se.

— Um criança híbrido seria contra a natureza do mestre. Pureza e trevas jamais devem se misturar, uma hora ou outra, o fruto disso poderia trazer danos sérios.

— E se eu..não quiser...e se eu simplesmente quiser viver no mundo humano com meu filho?!

— Jamais terá acesso ao mundo celestial novamente, essa escolha é como sua resposta final...dando as costas ao mestre, será banida, e a maioria de seus poderes desaparecerão, e vivendo como humana, sua alma caíra nos abismos do inferno onde Lúcifer foi jogado.

Um calafrio percorreu por seu corpo.

— Yoko.. — Yuzo a fitou; mas diferente do que imaginou, ela havia parado de chorar, e no seu rosto havia uma expressão melancólica.

— Mesmo que eu pedisse perdão, ele saberia que não estou sendo sincera.

— Como não? — Gabriel indagou.

— Porquê eu não me arrependo de nada, e nunca irei me arrepender! — Ela levantou, agarrando o braço de Yuzo. — Yuzo sempre me fez feliz! Eu não irei desistir dele...e se..eu..tiver que lutar contra vocês para proteger meu filho...eu farei!

Gabriel semicerrou os olhos.

— Pobre alma envolta em escuridão...até mesmo insinua guerra contra seu próprio criador. Bom, você fez sua escolha...acho que é um adeus, no final das contas.

Gabriel estendeu a mão, e o ombro de Yoko começou a brilhar.

— O-Oque é isso?

— Estou desfazendo a marca celestial, com isso, você deixa de ser uma de nós e está banida permanentemente. — Ele dita calmamente. — Essa criança não passa de uma maldição para nosso futuro, você entenderá o que estou dizendo um dia.

Yoko pressionou as mãos sobre o próprio ventre.

— Já fez o que tinha que fazer, suma, Gabriel. — Yuzo ditou irritado.

Gabriel os encarou pela última vez, antes de seu próprio espírito ir embora.

— Eu sempre fui ensinada sobre o amor, mas como podem demonstrar ódio contra nosso bebê. — Os olhos de Yoko novamente voltavam a transbordar.

Yuzo a abraçou.

— Nem o mestre a quem você eu servíamos é tão justo como dizem...querendo ou não, também existe maldade nos céus. — Yuzo dizia baixo. — Com certeza irei protegê-los...é uma promessa, mesmo que isso signifique minha desobediência também.

 

Passava o tempo, e com ele, a gestação de Yoko prosseguia.

 

Mas a cada mês que passava; Yoko tornava-se humana, e com esse feito, ficou doente; seu corpo parecia não agüentar o próprio feto ou o poder que ele carregava; estava ficando cada vez mais difícil suportar.

— Yuzo.. — Sua voz soava baixa. Sua barriga carregava seu filho, provavelmente bem próximo de seu nascimento.

— Meu amor. — Ele se agachou ao lado dela na cama, segurando em sua mão.

— Eu estou morrendo...eu sou praticamente humana, mas nosso filho não...se eu não sobreviver..

— Pare, você irá agüentar, eu sei disso! — Ele a fitou, mas sua voz estava trêmula.

O rosto de Yoko estava pálido, seus cabelos dourados também pareciam ter perdido o brilho.

— Você...promete? — Ela perguntou.

— Enquanto eu viver, sua vida e a do bebê vem em primeiro lugar!

—É tão bom escutá-lo dizer isso.. — Ela minimamente sorriu, mas de repente, sua expressão mudou. — Y-Yuzo..está d-doendo..

Quando notou, abaixo dela, muito sangue.

— Yoko! Está sangrando!

Ela respirava fundo.

— Ele está vindo! — Ela exclamou, começando a soar frio.

— Aguente firme!

’Eu tenho certeza que não é normal sangrar tanto em um parto assim...por favor, agüente, Yoko; Ele pensa em aflição.

— Eu senti como se ele se alimentasse de cada gosta do meu poder durante esse tempo, e até do meu próprio sangue.. — Lágrimas escorriam pelo canto de seus olhos. — Mas eu me senti feliz...eu sou uma mãe...m-mães fazem isso pelos filhos..e..

Respire fundo, Yoko! Eu estou aqui! Tente forçar um pouco! — Ele exclamou, apoiando as mãos sobre os joelhos dela.

Ela gritou de dor ao forçar.

Anda filho..estamos esperando você...p-por favor! — Yuzo dita.

Aaaargh. — Ela gemeu, pressionando os olhos de forma forte.

Yoko, estou vendo a cabeça dele! Bom trabalho, só mais pouco, meu amor! — Ele exclamou, sentindo seus olhos lacrimejarem.

A cada lágrima derramada, a cada gota de sangue perdida, os olhos dela pesavam; seu corpo e a própria dor pareciam ser a mesma coisa agora.

Mas foi quando aquele choro soou.

— É um menino..Yoko..é um menino.. — Ele não pode evitar as lágrimas; segurando- nas mãos, o pálido e frágil bebê chorava.

Ela tentava controlar a respiração.

— Me deixe..segura-lo... — Ela pediu.

Yuzo com cuidado o enrolou numa manta, e assim, entregou-o para mãe.

— A mamãe..esperou por você por um longo tempo. — Ela conseguira sorrir, com os olhos ainda úmidos. — Yoongi..

— Yoongi?

— Chame-o de Yoongi, Yuzo.

— Eu gosto desse nome... — Ele sentou na ponta da cama.

— Você é a prova do que o amor é maior do que trevas ou luz...a prova que o meio termo existe em todos nós..

— Yoko..

— Pegue-o, Yuzo.

Yuzo novamente o envolveu em seus braços.

— Amor!

— Obrigada, meu amor...sei que tem bondade nele...mas não vem somente de mim, vem de você também. — Ela pôs a mão sobre o peito dele.

— Não fale como se estivesse se despedindo, por fa...

Mas naquele momento, a mão dela apenas deslizou por ali.

— Não..não..Yoko. — Ele exclamou. — Yoko! — Os olhos dele transbordaram em lágrimas.

Sua pele era pálida como o de um cadáver...aquele era o corpo de uma mulher da qual não havia mais vida.

Naquele momento, uma presença tomou-se presente atrás de si.

— Francamente. — Aquela voz soou.

— Death! — Ele virou-se. — Não!

— Ela está morta e a alma dela está destinada e pertence a mim, Yuzo, não se meta.

NÃO TOQUE NELA. — Ele exclamou. — Apenas... — As mãos dele tremiam.

— Olhe pra você...chora como um humano...acho que todos te avisamos, não é? Anjos caídos e anjos celestiais não podem se envolver. Você provocou o próprio sofrimento.

Os olhos de Yuzo tremeram.

— Essa criança híbrido a matou, você sabe disso.

— Calado! — As asas negras de Yuzo ficaram visíveis.

— Esse é você, o odioso anjo demônio que conheço, não se engane... — O anjo da morte apontou. — Eu sinto desgosto apenas de olhar para isso...essa mistura é nojenta.

Ele escondeu Yoongi entre as asas, enrolando-as em seu próprio corpo.

— Ele é o único que me resta para lembrar dos anos que vivi com a mulher que amo. — Uma aura negra tomou conta de si. — Se qualquer um de vocês tentarem algo contra nós, demônio ou anjo...eu os mandarei para o abismo.

— Tss...que coragem, ameaçar a mim, a própria morte. — Ele sorriu torto. — Lúcifer foi bonzinho em lhe dar uma pena leve.

— Lúcifer não se importa com nenhum servo, ele apenas quer que o seguemos. Eu irei criar meu filho e cumprir as ordens dele...então, não o envolvam nisso.

— Sei. — Ele deu de ombros. — De qualquer forma, eu estou aqui para levar a alma da sua mulher anjo! Foi a escolha dela, não foi? Se afaste.

Yuzo mesmo relutando, não podia ir contras as leis da vida e da morte; sentindo seu espírito estilhaçar, ele se afastou devagar.

— Um dia estaremos juntos novamente, meu amor. — Ele dizia fitando o rosto pálido de Yoko.

Ele abriu as asas levemente, encarando Yoongi em seus braços, aquecido e agora adormecido.

Meu filho, eu irei fazer tudo por você; Yuzo prometeu naquele momento.


Notas Finais


Não esqueçam de favoritar e me acompanhar a partir de agora. ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...