História Blood, Sweat and Tears. - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Suga, V
Exibições 48
Palavras 2.166
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem!

Capítulo 3 - Lágrimas de sangue; O presente.


Fanfic / Fanfiction Blood, Sweat and Tears. - Capítulo 3 - Lágrimas de sangue; O presente.

— Entendo...então é seu aniversário.

Yoongi assentiu, e segurando firme nas correntes do balanço, tomou impulso.

— Eu estou fazendo dez anos...papai disse que eu poderia convidar o Jungkook e a Sojung para passar o dia lá.

Taehyung o fitou pelo cantos dos olhos.

— Ultimamente você vem muito pouco aqui...seus amigos humanos devem ser mais divertidos.

— De novo com isso? — Uma leve brisa bateu contra o rosto de Yoongi. — Você foi o meu primeiro amigo, você é tão importante quanto eles.

— Eu sou apenas uma alma presa entre o céu e a terra, por quê não admite que está esquecendo de mim?

Yoongi apertou as correntes e então arrastou os pés contra a terra abaixo de si, parando de se balançar.

— Desculpe, eu tenho que ir. — Ditou, baixando os olhos.

— Dessa vez, eu irei primeiro.

A alma de Taehyung dissipou-se.

Yoongi não entendia porquê ele agia assim de uns tempos pra lá.

Desde que tivera noção de quem era, Yoongi sempre foi capaz de enxergar espíritos ou entidades que ninguém mais via;  e mesmo sendo apenas uma criança ainda, sua mente parecia mais avançada do que a mente humana.

Mas havia algo ainda mais complexo dentro de si; ele só não sabia, ainda.

 

*

 

YOOONGI!  — Jungkook o abraçou por trás; apertando-o. — Feliz aniversário!

— E-Ei.. — Yoongi tentou.

— Idiota, não chegue assim do nada. — Logo atrás, Sojung.

— Sojung, você é seca demais! É aniversário dele, precisamos comemorar! — Jungkook exclamou.

— É possível fazer isso sem tanto escândalo, hm. — Ela passou a fita-lo. — Yoongi...feliz aniversário, tem algo que eu gostaria de lhe dar como presente.

Yoongi sorriu ao coçar a nuca.

— Vocês não precisam me dar algum presente, eu estou feliz apenas de terem vindo!

— Que bom, porquê eu vim na esperança do seu pai ter preparado bolo e essas coisas. — Os olhos de Jungkook brilharam.

— Alias, porquê também está chegando em casa? Você tinha ido a algum lugar? — Sojung indagou.

— Apenas quis andar um pouco. — Yoongi desviou o olhar. — Mas...vamos entrar, não quero que meu pai nos encontre aqui fora.

 

. . .

 

— Hyung, sua mãe e seu pai não moram juntos? — Jungkook perguntou ao se sentar pelo tapete do quarto.

— Mamãe morreu quando eu nasci, e meu pai costuma não querer falar sobre ela...deve ser difícil. — Yoongi sentou-se também e pôs um prato de biscoitos de chocolate no centro de ambos.

Sojung acertou Jungkook no braço.

— Ai! — Ele exclamou.

— Isso parece delicioso! — Ela diz, como se quisesse mudar de assunto.

— É e especialidade do meu pai. — Yoongi responde.

— O senhor Min parece trabalhar muito, você não se sente sozinho aqui? — Jungkook novamente perguntou.

— Não, por quê eu deveria?

Era exatamente o que ele pensava; Yoongi nunca sentiu-se desconfortável caso precisasse estar sozinho.

— Jungkook, é feia ficar perguntando um monte de coisa! — Sojung o fuzilava com um único olhar.

— Papai cuida muito bem de mim...mesmo que eu esteja sozinho, eu lembro dos momentos que estamos juntos, que são vários também...

— B-Bem... — Sojung corou ao gaguejar. — Idiota, nós também estamos com você desde a pré-escola.

Yoongi a fitou.

— É verdade. — Ele sorriu.

— E também vamos terminar o ensino fundamental juntos, tenho certeza! — Jungkook diz com total convicção. — E vamos nos vingar do Jongsuk!

— Eu não tenho vontade de me vingar dele. — Yoongi piscou os olhos.

— Mas ele merece uma lição! — Dessa vez, Sojung. — Ele implica com você desde o pré! Não é justo! Ele nem nunca pediu desculpas.

As mãos de Yoongi tremeram; e de repente, ele estava de volta no passado.

‘’Hyung, ele é um monstro’’ A voz de Jongsuk soou em sua mente. E mesmo depois de alguns anos, ele não parou. Dia após dia, até entrar no fundamental, Jongsuk o perseguira, incansavelmente, com brincadeiras de mal gosto e atos violentos.

Por que ele nunca se defendeu?

Fraqueza?

Não, não era isso, mas ao mesmo tempo, era como se algo dentro dele crescesse cada vez mais sem ele perceber.

— Obrigado por virem!

— Ahjussi, você cozinha tão bem! Você não gostaria de ser meu pai também?!

— Oh. — Yuzo levantou as sobrancelhas.

— Não ligue pra ele, senhor Min! — SoJung sorriu constrangida. — Nós agradecemos também.

— Não sejam tímidos. — Yuzo diz com um sorriso gentil. — É bom meu filho ter amizades boas, então nos visitem sempre que quiser.

Yuzo sorriu, acenando.

Ele suspirou ao fechar a porta atrás de si, e então virou-se, fitando Yoongi sentado no sofá.

. — Yoongi? — Ele se aproximou.

— Uh?

— O que foi? Não se divertiu?

— Não é isso...eu estava pensando.

— Você ainda é uma criança, então não precisa pensar demais em tudo, certo? — Ele pôs a mão sobre a cabeça do filho. — Eu gostei dos seus amigos.

— Eu gosto também. — Ele suspirou. — Mas as vezes eu ainda me sinto deslocado...eu realmente posso me considerar um deles? Eu sou igual a você, não sou?

Yuzo o fitou cauteloso.

— Se seus sentimentos são verdadeiros, então porquê isso importaria?

Ele não queria que o filho tivesse tantos dilemas com apenas dez anos de idade. Sentiu-se culpado; a convivência com os humanos o fizera pensar assim.

— Oh, Sojung esqueceu o casaco! Irei alcançá-la! — Levantou-se.

— Por que não entrega na segunda-feira?

— Não vai custar nada! Eles não devem estar longe.

— Tudo bem...cuidado então!

— Eu não sou um bebê, pai! — Ele protestou e antes de abrir a porta, sorriu. — Eu já volto!

Correu a fora.

Yuzo riu de de lado.

— Ainda nem tem as próprias asas...que audacioso. — Ele levantou e então fechou a porta. — Esse é meu garoto.

 

*

 

Yoongi correra por aquela calçada, carregando o casaco de Sojung nos braços.

Papai tem razão; não importa se sou diferente, meus sentimentos são verdadeiros, então tudo bem eu ser um deles!; Alegremente pensou.

Curvando a esquina, chegara ao playground; mas logo a frente...

Ele soltou o casaco, arregalando os olhos.

Jungkook estava deitado no chão de terra, parecendo sentir dor.

JUNGKOOK! — Ele exclamou, e correu, alcançando-o.

— H-Hyung.. — Ele estava encolhido. — Meu estomago dói...

— Quem fez isso? Jungkook! — Indagou ao se agachar.

— Ajude a noona...ele vai..machucá-la.

Yoongi novamente desviou o olhar.

ESTÁ DOENDO!  — Escutou Sojung gritar.

Logo ali perto, próximo a alguns brinquedos, Jongsuk segurava Sojung pelo cabelo.

— Chore e me peça perdão! — Ele marrentamente mandou.

— Não! — Ela insistiu.

Ele a soltou; Sojung caíra no chão de joelhos.

— Pare! — Yoongi exclamou, correndo em direção a ambos.

— Ah, bem na hora, perdedor! Sua namorada nojenta vai aprender uma lição.

— O que há com você? Deixa-a!

— Então você irá tomar a surra no lugar dela? Eu já cuidei do seu amigo mesmo. — Um sorriso maldoso tomou conta dos lábios de Jongsuk. — Ou...ela me pede desculpas por ter cuspido em mim. — Ele novamente a puxou pelo cabelo.

—  Y-Yoongi, corra daqui! — Ela exclamou.

Os olhos dele tremiam; mas ele jurou que pode ver uma lágrima escorrer pelo rosto dela.

Aquilo foi o fim; Yoongi abaixou os olhos.

Você não pode defender ninguém, porque você é fraco....e uma aberração! É o que sempre vai ser.

Aquelas palavras soaram dos lábios de Jongsuk em câmera lenta para Yoongi, e de repente, tudo a sua volta estava escuro.

— Ora...ele bate em você, em seus amigos, o que mais ele irá fazer?

Ao lado dele, um homem de vestes pretas e asas negras.

— Q-Quem é você?

— A pergunta não seria ao contrário?

— Suas asas são como a do papai!

— Lee Jongsuk...a mãe dele morreu em um acidente, desde então seu pai cria ele e o irmão mais velho...ele inferniza a vida de todas as crianças menores que ele...mas, ele parecer ter um prazer maior em tortura-lo.

— Por que você está..

De repente, o homem estava a frente dele.

— Por quanto tempo mais irá agüentá-lo, Yoongi? — As orbes do anjo caído desconhecido também eram negros.

Yoongi olhou em volta; todas as suas memórias ruins com Jongsuk passavam a sua frente.

— Pare! — Ele agachou-se, tapando os ouvidos. — Eu não quero mais isso! E-Eu...não agüento mais.

Dos olhos de Yoongi escorriam...sangue? Yoongi começara a socar o chão. — Por que ele tem que ser tão cruel?! P-Por que..

— Você o odeia, não é?

— Eu..

Os lábios de Yoongi congelaram.

— Você quer vingança...sempre quis, mas porquê insistiu em bondade até esse ponto?

Suas lágrimas feitas de sangue escorriam por suas bochechas.

— Vingança? E-Eu...

— Você é fraco, por isso nunca libertou o seu ódio.

Yoongi levantou-se devagar.

— O meu ódio.. — Levou a pequena a mão sobre o peito.

— Você tem ódio guardado dentro de você, no fundo do seu coração, você só evitou as trevas até agora...mas eu posso ouvi-lo gritar para se libertar...pobre Yoongi...pobre criança demônio  Yoongi...não pode fugir do que realmente é.

— Minha mãe! — Ele tentou dizer.

— Sua mãe está morta...você a matou! Se você não existisse, ela não teria morrido para te dar a vida.

— Por favor, pare! — Yoongi soluçava ao choro. — Mamãe...

— O que você quer afinal?

— Que meus amigos nunca mais se machuquem...mas eu...

— Mas você pode fazer com o que isso aconteça, não pode? Você sabe que pode.

Yoongi fitou o chão...e em seguida fitou o anjo, que estava inclinado a sua frente.

— Como? Me ajude!

— Você sabe como...você sempre pôde...mas agora diga, o que está no seu coração agora?

Yoongi apertou os punhos.

— Eu o odeio! E-Eu odeio você, Jongsuk! — Ele exclamou, seu corpo tremia. — Eu te odeio tanto que eu poderia...poderia...

Yoongi fechou os olhos com força.

O resto é você quem sabe...; A voz do demônio desconhecido soou em sua mente.

De repente, ele parecera voltar a realidade; Sojung gritou.

— Como sempre chorando como uma garotinha! — Jongsuk zombou.

Yoongi abriu os olhos; seus joelhos estavam contra a terra no chão.

— Que eu poderia mandá-lo pro inferno. — Yoongi ditou calmamente.

— O que disse? — Jongsuk questionou. — Você me ameaçou? Acho que também está merecendo uma surra.

Yoongi levantou e finalmente o encarou.

Sua aura era negra e poderosa; os olhos dele transmitiam frieza.

— O-O que é isso?! — Jongsuk até mesmo largou Sojung. — Por que tem sangue em você?!

— Yoongi?! — Ela arregalou os olhos, e no mesmo segundo desmaiou.

Maldita alma que me atormenta... — Yoongi andava em direção a ele.

— Fique longe de mim, aberração! — Jongsuk tentou correr, mas seu corpo não se movera.

Uma força sobrenatural o apertava.

Yoongi o prendera com um simples ato ao levantar sua mão destra e fechando-a com força, Jongsuk gritou.

PARE COM ISSO, POR FAVOR! EU SÓ ESTAVA BRINCANDO! — Os pés dele deixaram de tocar o chão.

— Chore...e me peça perdão.

O que?!

— Chore e me peça perdão. — Yoongi o encarou. — Agora.

Os lábios de Jongsuk tremeram.

V-Você é um monstro, sempre foi! Você é quem merece morrer! Solte-me! — Os lábios de Yoongi curvaram-se devagar; Jongsuk arregalou os olhos. —  Isso em você...

Sobre suas costas; asas em tom cinza; asas brilhantes e grandes.

— Sou eu quem brincará pela ultima vez. — Yoongi ditou.

YOONGI! — Era Yuzo, logo atrás.

Mas apenas com um pensamento...

O clima finalmente voltara ao normal e aquela aura pesada havia sumido.

Eu acabei de ver...Yoongi mandando aquele garoto para noitosfera? ; Yuzo arregalou os olhos e então agarrou os ombros do filho.

— Yoongi...suas asas.

Mas Yoongi apenas caiu desmaiado sobre os braços dele; com isso, suas asas desapareceram e o sangue em seu rosto também.

Isso certamente chegará ao reino celestial; ele pensou preocupado.

— Hã.. — Sojung abrira os olhos devagar, olhando em volta. — O que..senhor Min? O que aconteceu com o Yoongi?! — Ela levantou-se. — Aposto que foi o Jongsuk, onde ele está?!

— Ahn...quando eu cheguei ele saiu correndo.

Ela se aproximou.

— Yoongi!

Ele abriu os olhos, parecendo tonto.

— Pai...Sojung..eu..

— Está tudo bem, aquele medroso do Jongsuk fugiu!

Não foi um sonho...eu tenho certeza...me senti tão forte; Yoongi pensou, fitando o céu.

— Argh, ele socou minha barriga, vou contar tudo pra minha mãe! — Dessa vez, Jungkook se aproximou, abraçando o próprio estômago, entre resmungos. — Yoongi, ele te bateu também?!

Yoongi com cuidado levantou-se.

 

 

A noite; uma brisa fresca.

 

— Seu pai foi legal em me trazer em casa. — Sojung diz; ambos estavam sentados no banco dos fundos da sua casa. Yoongi fitou o pai logo a frente, na cozinha com a mãe de Sojung. — Acho que a mamãe está caidinha por ele...

Yoongi fitava as próprias mãos.

— Hm. — Ele resmungou.

— Yoongi, você está estranho desde aquela hora...o Jongsuk disse alguma coisa pra você?

— Hã? — Ele a fitou. — Não, eu só...não sei.

— Bom, eu pensei ter visto algo bem louco lá, mas deve ter sido um sonho... — Ela tocou o próprio lábio indicador.

Yoongi arregalou os olhos.

— O-O que você viu?

— Esquece! Ainda é seu aniversário, e quero lhe dar uma coisa.

— Eu disse que não precisava me dar nada, Sojung...

— Mas eu quero! Feche os olhos. — Ela pediu.

— Ah, que teimosa. — Ele franziu os lábios, mas por fim decidiu fechar os olhos. — Eu espero que não tenha gastado di...

Aquela sensação; Yoongi abriu os olhos imediatamente; o rosto dela estava próximo, e seus lábios encaixados ao...dele?

Yoongi piscou rapidamente. Ela selou os lábios dele devagar, e após isso, o fitou, com as bochechas coradas.

— Feliz aniversário...Y-Yoongi. — Ela voltou a posição inicial, com a cabeça abaixada.

Aquela sensação refrescante sobre os lábios dele continuaram, enquanto ele não conseguia tirar os olhos surpresos sobre a menor ao seu lado.

 


Notas Finais


Yoongi despertou seus primeiros poderes como demonio e ainda perdeu o bv, mlk sagaz rs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...